domingo, 21 de maio de 2017

Subsidio juniores 2 trim-2017 n.9 Ezequias confia em Deus


Subsidio CPAD n.9 2 trim-2017 juniores     Ezequias confia em Deus 

                            Professor Escritor Mauricio Berwald

3 - Confia no SENHOR e faze o bem; habitarás na terra e, verdadeiramente, serás alimentado.4 - Deleita-te também no SENHOR, e ele te concederá o que deseja o teu coração.5 - Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele tudo fará.6 - E ele fará sobressair a tua justiça como a luz; e o teu juízo, como o meio-dia.7 - Descansa no SENHOR e espera nele; não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa astutos intentos.8 - Deixa a ira e abandona o furor; não te indignes para fazer o mal. 
O cuidado que Deus tem com os problemas de cada um dos seus filhos é uma verdade enfatizada através da sua Palavra. Todos os nossos temores, cuidados e preocupações devem ser prontamente lançados sobre o Senhor. Anote as referências abaixo (todas sobre a confiança em Deus) em pequenos pedaços de papel e distribua-os entre os alunos. A seguir, peça a cada um deles para lerem e comentarem o texto bíblico. À medida que cada aluno for tecendo seu comentário, solicite que um outro dê sua opinião sobre o texto lido. Deixe todos participarem! No final, faça o seu próprio comentário. Sl 27.10; 37.5; 40.17; 55.22; Mt 6.25-30; 10.29-31; 11.30; Fp 4.6.


COMENTÁRIO introdução 
Palavra Chave
Confiança: Disposição espiritual pelo qual o crente entrega se, sem reservas, aos cuidados de Deus.Confiar em Deus é viver convictos de que tudo está em suas mãos. Na Bíblia, haveremos de encontrar o necessário lenitivo para todas as nossas angústias. O que vem ser, porém, essa confiança? De que maneira podemos cultivá-la?

I. O QUE É A CONFIANÇA EM DEUS

1. Definição. A confiança em Deus é a disposição espiritual de entregar-se, sem quaisquer reservas, aos seus cuidados, sabendo que Ele tudo fará para que, em nossa vida, sua glória seja plenamente exaltada.
2. A confiança em Deus como disciplina teológica. A confiança nas providências divinas faz parte daquilo que podemos chamar de teologia espiritual ou devocional. O livro de Salmos, aliás, é ao mesmo tempo profundamente teológico e inesquecivelmente devocional. Basta ler, por exemplo, o Salmo 37 que serve de base para a leitura em classe.A confiança em Deus é a disposição espiritual pelo qual o crente entrega-se, sem reservas, aos cuidados de Deus.

II. A BASE DA CONFIANÇA EM DEUS

1. A soberania de Deus. Nada ocorre sem a expressa permissão de Deus (Dn 4.34-37). Este é o princípio da soberania divina, que pode ser assim definida: Autoridade absoluta e inquestionável que Deus exerce sobre todas as coisas criadas, quer na terra, quer nos céus, dispondo de tudo de acordo com os conselhos e desígnios. Leia o capítulo 42 do Livro de Jó.Por conseguinte, quem descansa na soberania de Deus, não se estressa nem se desespera: sabe que todas as coisas acontecem de acordo com o divino querer (Sl 4.8).
2. A sabedoria de Deus. A sabedoria de Deus, pois, é o atributo por intermédio do qual o Ser Supremo sustenta todas as coisas, fazendo com que tudo contribua para a consecução de seus planos, decretos e desígnios (Ef 3.10). Somente Ele é capaz de operar de tal maneira, fazendo com que tudo na vida de seus filhos contribua para a sua excelsa glória e para a nossa maior felicidade (1 Rs 3.28).
3. O poder de Deus. Confiamos em Deus porque Ele pode todas as coisas; nada lhe é impossível (Mt 19.26). Conforme a sua vontade, opera Ele em nossa vida, fazendo com que todos os seus planos se cumpram quer admitam os homens, quer tentem impedir-lhe os desígnios (Jó 42.2). Haja vista o nascimento de Cristo. O inferno todo se arvorou para que o Messias não viesse ao mundo. Todavia, o Senhor operou, desde a mais remota antiguidade, para que o seu Filho viesse ao mundo na plenitude dos tempos, a fim de executar o Plano de Salvação (Gl 4.4).
4. A provisão de Deus. Deus tudo provisiona, objetivando a execução de seus planos em nossa vida. O que diremos da história de José? O que parecia uma tragédia pessoal, transformou-se num plano de salvação nacional (Gn 45.7). Se num primeiro momento o hebreu é vendido como escravo para o Egito, no segundo, Deus o levanta como o senhor de toda aquela terra. E, assim, pôde ele sustentar os hebreus, dos quais adviria o Cristo. Da mesma forma ocorre em nossa vida, o que aparentemente parece uma tragédia, transforma-se, de acordo com o querer divino, num triunfo pessoal para maior glória do nome de Deus.
5. O amor de Deus. Todos os atos de Deus são atos do mais puro e elevado amor (Rm 5.5). Mesmo que nos sejam dolorosos no presente, trazem-nos inefáveis consolos no porvir. Confiemos, pois, em Deus até mesmo onde o consolo parece impossível. Se os homens vêem apenas lágrimas, enxergamos nós o lenitivo que emana do coração de Deus diretamente para o nosso coração (Is 49.13).As bases da confiança do crente no Senhor são: a soberania, sabedoria, poder, provisão e amor de Deus.

III. EXEMPLOS DE CONFIANÇA EM DEUS

Vejamos, os exemplos nas Sagradas Escrituras.
1. Abraão. Era o crente Abraão tão confiante no Senhor que, mesmo diante da desesperança, cultivava a esperança em Deus (Rm 4.18; Hb 11.11,12).
2. Jó. No auge de suas provações, demonstra o patriarca Jó que a sua confiança em Deus continuava inabalável (Jó 19.25).
3. Paulo. Apesar de enfrentar tantas dificuldades em seu ministério, Paulo possuía uma confiança singular naquele que tudo realiza e opera (2 Tm 1.12).Nas Escrituras encontramos diversos exemplos de confiança em Deus, entre eles podemos destacar: Abraão, Jó e Paulo.

IV. COMO EXERCER A NOSSA CONFIANÇA EM DEUS

1. Vivendo pela fé. Habacuque, num momento de aparente crise espiritual, ouviu do Senhor esta maravilhosa expressão que, séculos mais tarde, seria citada pelo apóstolo: “Mas o justo viverá pela sua fé” (Hc 2.4 - ARA). Por conseguinte, se também vivermos pela fé, jamais nos faltará a necessária confiança em Deus.
2. Vivendo sem ansiedade. A falta de confiança em Deus gera ansiedade, e a ansiedade acaba por dar à luz a depressão. Por isto, o conselho de Paulo tem de ser aplicado por aqueles que anseiam um viver tranquilo e sossegado, conscientes de que Deus está no comando de tudo (Fp 4.6).
3. Vivendo em oração. Aos irmãos de Tessalônica, recomenda Paulo: “Orai sem cessar” (1 Ts 5.17). O que isto significa? Antes de mais nada, temos de apresentar ao Senhor todas as nossas petições, na certeza de que Ele é poderoso para no-las suprir.
4. Vivendo a Bíblia Sagrada. O general Josué recebeu do Senhor esta recomendação: “Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido” (Js 1.8). Agindo assim, aprenderemos a viver de modo vitorioso; nenhum mal nos atingirá.O cristão exerce confiança em Deus quando vive pela fé, sem ansiedade, em oração e conforme a Palavra de Deus.Confia você inteiramente em Deus? Ele se acha ao nosso redor, levando-nos a viver triunfantemente. Basta confiar em Deus e crer em suas promessas que “são mui ricas para nos valer”. É por isto que, em nossos cultos, louvamos a Deus, proclamando: “firmes nas promessas do meu Salvador”.

APLICAÇÃO PESSOAL 
O crente deve estar em constante harmonia com a vontade de Deus para a sua vida, servindo-o e ajudando outras pessoas em nome dEle. Devemos amar e submeter-nos a Deus pela fé em Cristo, se quisermos que o Senhor opere para o nosso bem em todas as coisas.Para termos sobre nós o cuidado de Deus, devemos clamar a Ele em oração e fé perseverante. Pela oração e confiança em Deus, experimentamos a paz, recebemos a força, a misericórdia, a graça e ajuda divina em tempos de necessidade.

                                            Prática da confiança

Em Deus, cuja palavra eu exalto, neste Deus ponho a minha confiança e nada temerei [Salmo 56.4]
Texto básico: Hb 11.8-12, 17-19 Textos de apoio:Nm 23.19-Sl 40.4 Sl 46.10 Is 26.3 Rm 4.18-21 Tt 1.2.
A plena confiança não surge de uma hora para outra. É gradativa. Vai crescendo aos poucos, vai se apoderando da pessoa, vai se avolumando, vai preenchendo a distância entre Deus e o homem.A prática da confiança se faz a partir da primeira resposta aos apelos de Deus e às promessas da sua Palavra. Ela precisa crescer ao ponto de aprender a esperar contra a esperança, isto é, a ter fé e esperança mesmo quando não há o menor motivo para crer, como aconteceu com Abraão. Este é o clímax da confiança.
1. Para entender o que a Bíblia fala

a) Responda, de acordo com Hebreus 11.8-12 e 17-19:
>> Quais os feitos de Abraão baseados em sua confiança em Deus? (Observe que todos eles iniciam com a expressão “pela fé”.)
>> Com base na resposta anterior, como é possível observar um crescendo na vida de Abraão, com relação ao grau de dificuldade daquilo em que ele deveria crer?

b) Às vezes somos tentados a pôr nossa confiança em pessoas e em promessas que Deus nunca fez. Em que não devemos confiar?
>> Pv 28.26 >> Jr 17.5 >> Sl 146.3 >> Jr 7.8 >> Pv 11.28
>> Is 31.1c) A prática da confiança tem “grande galardão”, como diz enfaticamente a Palavra de Deus (Hb 10.35).
Descubra os produtos ou galardões da confiança nas seguintes passagens:
>> Sl 40.4 >> Is 26.3 >> Sl 125.1 >> Sl 56.4

Hora de avançar

A prática da confiança é a arte de colocar em Deus toda a capacidade de crer, em qualquer lugar, em qualquer tempo e em qualquer situação, mediante a negação da incredulidade própria e a afirmação da onipotência divina. É a capacidade de amarrar-se a Deus, e não aos problemas que tolhem a alegria de viver.

2. Para Pensar

Entre o chamado de Abraão e o que aconteceu na terra de Moriá, quando Deus o pôs à prova (Gn 22.1-19), passaramse talvez 40 anos. Nesse período, a confiança de Abraão cresceu poderosamente, não sem erros (como o caso de Ismael) e alguns fracassos (como o uso de expedientes escusos para proteger-se contra Faraó e Abimeleque). confiança em Deus é especialmente válida em circunstâncias adversas e em situações difíceis. É preciso confiar em Deus “ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte” (Sl 23.4), “ainda que um exército se acampe contra mim” (Sl 27.3), “ainda que as águas tumultuem e espumejem” (Sl 46.3), “ainda que a figueira não floresça” (Hc 3.17), ainda que…
O que disseram
Deus faz “santas e fiéis promessas” para que nos tornemos participantes da natureza divina. Portanto não há lugar para o vazio.O Deus que faz as promessas “não pode mentir”. Portanto não há lugar para a desconfiança.
O Deus que faz as promessas e que não pode mentir é extremamente dadivoso. Portanto não há lugar para a ansiedade. O Deus que faz as promessas, que não pode mentir e que é extremamente dadivoso tem todo o poder no céu e na terra, sobre tudo e sobre todos. Portanto não há lugar para o medo.

3. Para responder

a) A sua confiança em Deus tem crescido gradativamente ou está estagnada?b) Como o salmista e o profeta, faça uma oração mencionando situações difíceis por que você está passando. Inicie cada frase com “ainda que” e termine com uma afirmação sincera de confiança em Deus.
Você e Deus
Permita que sua confiança seja fortalecida:

1) Por meio da comunhão com Deus.2) Por meio da oração. É perfeitamente correto e válido confessar diante de Deus a pequenez de sua confiança e suplicar uma confiança mais ousada.3) Pela leitura da Palavra de Deus, que alimenta o espírito e transmite valores extraordinários.4) Por meio dos notáveis exemplos de confiança plena em Deus de vários personagens da Bíblia e da história. Procure conhecê-los.5) Por meio de sua própria experiência.Aprenda a confiar, não desanimar com as crises de falta de fé, levantar-se depois da queda, quantas vezes for necessário, e seguir adiante.

fonte www.mauricioberwaldoficial.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PAZ DO SENHOR

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.