domingo, 21 de maio de 2017

Subsidio adolescentes n.9 2017 Daniel não se contaminou

             
                      Subsidio CPAD N.9 2017  adolescentes Daniel 
                                resolveu não se contaminar Dn 1.1-18 


                     
                                     INTRODUÇÃO A DANIEL 1
                                     A Chave ao Sucesso de Daniel
                             Professor Escritor Mauricio Berwald

A história de Daniel serve para corrigir várias noções erradas que ainda confundem muitas pessoas hoje. Considere alguns exemplos:
(1) Noção errada: Precisa achar o segredo do sucesso. Quantos livros são vendidos todo ano prometendo revelar algum segredo do sucesso? Até nas questões espirituais, sempre há pessoas procurando algum conhecimento oculto, seja no neo-gnosticismo, maçonaria ou diversas outras filosofias erradas. Nós precisamos entender o que Daniel compreendeu. A chave ao sucesso verdadeiro não é oculta. Deus se manifesta na sua criação e na sua palavra, e a pessoa que não enxerga o Senhor é insensata e sem desculpa (Romanos 1:17-25; Salmo 14:1). Não temos tempo para perder na busca de coisas escondidas. Nós, mais do que Daniel, temos acesso à revelação de Deus para saber como andar e como chegar ao destino eterno na presença do Senhor (1 Coríntios 2:6-16). Hoje, a verdade é escondida somente das pessoas que não a buscam e não a amam, pessoas que não têm corações dispostos a aceitarem a vontade de Deus (Lucas 8:9-15; Mateus 7:7-8).

(2) Noção errada: Há poder no pensamento positivo. Muitos, inclusive vários líderes religiosos, divulgam a idéia do poder do pensamento positivo, da importância de fé por si. Para estas pessoas, o poder está no ato de acreditar, independente do objeto desta fé. Não seja enganado com estas filosofias falsas. Daniel não venceu somente porque ele teve pensamentos positivos. Ele venceu porque ele acreditou em Deus. Hoje, a nossa fé precisa ser fundamentada em Jesus. “Quem é o que vence o mundo, senão aquele que crê ser Jesus o Filho de Deus?” (1 João 5:5). Não é suficiente crer, precisamos crer em Jesus e manter a comunhão com ele: “Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida” (1 João 5:12).

(3) Noção errada: A verdade é relativa. Uma das mais perigosas tendências das últimas décadas é a idéia que a verdade é relativa, determinada pela situação. Esta filosofia e idéias relacionadas como o pluralismo (a idéia que várias “verdades” contraditórias são igualmente válidas) deturpam a revelação divina da verdade absoluta. Daniel não procurava uma verdade diferente em cada circunstância, pois ele tinha uma fé sólida na palavra de Deus. Jesus não considerava a verdade uma coisa para ser descoberta ou construída conforme as circunstâncias humanas. Sem equívoco, ele afirmou que a palavra de Deus é a verdade (João 17:17). Para chegar a Deus, precisamos rejeitar o pluralismo e buscar o único caminho certo: “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14:6).

                              UMA RESTROSPECTIVA HISTÓRICA

A situação moral e política de Judá. Após a deposição do seu irmão Jeoacaz, Jeoaquim (Dn 1.1) ascendeu ao trono de Judá por intermédio de Neco, o faraó do Egito (2Rs 23.34). Perversidades e rebeliões contra Deus fizeram parte do antecedente histórico do rei de Judá. No ano 606 a.C., Nabucodonosor invadiu e dominou a cidade de Jerusalém levando para a Babilônia os tesouros do Templo. Mas as pretensões de Nabucodonosor não eram somente de cunho material, e sim igualmente cultural, pois ele levou os nobres da casa real versados no conhecimento, dentre os quais estavam Daniel, Hananias, Misael e Azarias.

A situação espiritual de Judá. Depois da grande reforma política e religiosa em Judá, promovida pelo rei Josias, os filhos deste se desviaram do Deus de Israel. Os sacerdotes, a casa real e todo o povo perverteram-se espiritualmente. O rei Zedequias, por exemplo, “endureceu a sua cerviz e tanto se obstinou no seu coração, que se não converteu ao Senhor, Deus de Israel” (2Cr 36.13). Judá permitiu que a casa de Deus fosse profanada pelas abominações gentílicas. O reino do Sul conseguiu entristecer o coração do Senhor!O império babilônico arrasa o reino de Judá. A sequência do texto do primeiro versículo diz: “veio Nabucodonosor, rei da Babilônia, a Jerusalém e a sitiou” (v.1). Houve três incursões do rei da Babilônia contra Judá. Na primeira, o império babilônico levou os tesouros da casa do Senhor. Isto ocorreu no terceiro ano do reinado de Jeoaquim (ano 606 a.C.). Na segunda incursão, no oitavo ano do reinado de Jeoaquim, Nabucodonosor deportou os nobres da casa real (ano 597 a.C.). A última incursão deu-se no ano 586 a.C., quando o templo de Jerusalém foi saqueado, destruído e queimado, bem como os muros da cidade santa, derrubados (2Rs 25.8-21). Nabucodonosor levou os utensílios da Casa de Deus para o santuário da divindade babilônica, Marduque, chamado também de Bel, a quem o rei babilônico atribuía todas as conquistas imperiais.

II. A FORÇA DO CARÁTER

A tentativa de aculturamento dos jovens hebreus (1.3,4). Os teóricos da psicologia definem caráter como “a parte enrijecida da personalidade de uma pessoa”. Os jovens hebreus tinham um caráter ilibado, mediante a educação e o testemunho observado em seus pais. Para obter apoio daqueles jovens e usar a inteligência deles ao seu favor, Nabucodonosor sabia que, obrigatoriamente, teria de moldá-los, aculturando-os nas ciências dos caldeus. Porém, muito cedo os babilônios perceberam que a formação cultural e, sobretudo, religiosa dos jovens hebreus, era forte. Não seria fácil fazê-los esquecer de suas convicções de fé. Por isso, Nabucodonosor os submeteu a processo de aculturamento. Para esta finalidade, o imperador caldeu elaborou um programa cultural que fosse eficaz na extinção da cultura judaica: Os jovens hebreus participariam da mesa do rei (1.5).
O caráter colocado à prova (1.5-8). Daniel e os seus amigos foram colocados à prova em uma cultura diferente de uma terra igualmente estranha. A formação desses jovens chocava-se com a cultura babilônica. Em outras palavras, eles eram firmes em seu caráter! Em especial, no caso de Daniel, o seu caráter íntegro tinha a ver com a sua personalidade. Ele assentara em seu coração não se contaminar com as iguarias do rei que, como se sabe, eram oferecidas aos deuses de Babilônia. Daniel e os seus companheiros, apesar de serem bem jovens, demonstraram maturidade suficiente para reconhecer que o exílio babilônico era fruto do pecado cometido pelo povo de Judá e seus governantes. 
O mundo hoje oferece um banquete vistoso para contaminar os discípulos de Cristo. Entretanto, devemos nos ater ao exemplo de Daniel e dos seus amigos. Aprendamos com eles, pois as suas vidas não consistiam em meras tradições religiosas, mas em uma profunda comunhão com Deus. Eles eram fiéis ao Deus de Israel e guardavam a sua Palavra no coração para não pecar contra Ele (Sl 119.11).

III. A ATITUDE DE DANIEL E DE SEUS AMIGOS


Uma firme resolução: não se contaminar (Dn 1.8). Quando Aspenaz, chefe dos eunucos, recebeu ordens de Nabucodonosor para preparar os jovens hebreus, ele os reuniu e deu-lhes ordens quanto à dieta diária (1.5). Em seguida, trocou-lhes os nomes hebreus por outros babilônicos: Daniel foi chamado “Beltessazar”; Hananias, “Sadraque”; Misael, “Mesaque” e Azarias, “Abede-Nego”. Porém, cuidadosa e inteligentemente, Daniel propôs outra dieta a Aspenaz e o convenceu. Como as iguarias do rei da Babilônia eram oferecidas aos deuses, Daniel e seus amigos não quiseram se contaminar. Essa corajosa atitude representava muito e tinha um profundo significado na fé de Daniel e dos seus amigos. Eles sabiam que seriam protegidos do mal!
Daniel, um modelo de excelência. Mesmo sendo levado muito jovem para o exílio babilônico, Daniel conhecia verdadeiramente o Deus do seu povo. Daniel tinha convicção de que alimento algum, por melhor que fosse, teria mais valor que o relacionamento entre ele e Deus. A exemplo de outros jovens descritos na Bíblia — Samuel (1Sm 3.1-11), José (Gn 39.2), Davi (1Sm 16.12) e Timóteo (2Tm 3.15) —, Daniel é um modelo de excelência para a juventude que busca uma vida de retidão e compromisso com o Evangelho e a sua ética. A devoção de Daniel é inspiradora para todos que desejam conciliar a vida cultural, em uma sociedade sem Deus, com uma vida de oração e de compromisso com o Evangelho (Dn 6.10).
Daniel: modelo de integridade x sociedade corrupta. A imponência dos templos babilônicos, o poder político do Estado e a classe sacerdotal dos caldeus escondiam o processo de corrupção sistemática que, mais tarde, culminaria na queda daquele império. Em meio a toda aquela cultura pagã, o jovem Daniel manteve-se íntegro, crente, honrando a Deus nas atividades políticas e respeitando as autoridades superiores. Ele cumpriu os deveres esperados de um bom cidadão babilônico. Todavia, quando Daniel foi desafiado pelos ministros do império a abandonar a fé, o profeta não se dobrou, antes, continuou perseverante na fé uma vez dada aos santos. Mesmo que isto custasse a sua integridade física. Daniel manteve-se fiel!
Este capítulo começa com um relato do primeiro cativeiro dos judeus, nos tempos de Jeoiaquim; De que o cativeiro Daniel era um, e é mencionado em sua conta, Daniel 1: 1 , que, com outros, foram selecionados pela ordem do rei de Babilônia, para ser educado no aprendizado dos caldeus, e para ser mantido A seu cargo, para ser seus ministros, Daniel 1: 3 , mas Daniel e seus três companheiros recusaram a carne e o vinho do rei, para que não fossem contaminados; Em que foram indulged por seu regulador, depois da experimentação que está sendo feita, que eram mais justas e mais gordas para ela, Daniel 1: 8 , e no fim do tempo apontado, pareceram ter uma parte grande do conhecimento, da sabedoria, Aprendizagem; Em que foram levados para a corte e serviço do rei.

COMENTARIO BIBLICO EXPOSITIVO DANIEL CAP.1

Verso 1 
No terceiro ano do reinado de Jeoiaquim, rei de Judá , ... No final, e no início do quarto, que foi o primeiro de Nabucodonosor, Jeremias 25: 1 . Jerusalém parece ter sido tomada duas vezes em seu tempo, e duas captividades nele: a primeira foi no terceiro ou quarto ano de seu reinado; Quando se humilhou, foi restaurado ao seu reino, embora se tornasse um afluente do rei de Babilônia; Daniel e seus companheiros, que foram levados cativos com ele, foram retidos como reféns; Mas depois de três anos ele se rebelou, mas não foi até o seu décimo primeiro ano que Nabucodonosor voltou contra ele novamente, tomou-o e amarrou-o, a fim de levá-lo para Babilônia, mas ele morreu pelo caminho; Ver 2 Reis 24: 1 , alguns, como Jarchi e Saadiah Gaon, Tornai este o terceiro ano de sua rebelião, e o último de seu reinado; Eles supõem que ele foi conquistado pelo rei de Babilônia, e ficou sujeito a ele no quinto ano do seu reinado; Que ele serviu a ele três anos, e se rebelou contra ele três anos: no final do qual
Veio Nabucodonosor, rei de Babilônia, a Jerusalém, e sitiou-a ; Com seu exército, e tomou-o; E da mesma forma que é explicado na crônica judaicaF16 De acordo com o Bispo UsherF17, Isto foi no ano do mundo 3398 AM, e antes de Cristo 607 ou 859; De acordo com o Sr. Bedford (r), 605.

Verso 2 
O Senhor deu Jeoiaquim, rei de Judá, na sua mão , ... E a cidade de Jerusalém também, ou ele não poderia ter tomado o rei, e assim a versão siríaca torna-o,E o Senhor entregou-a nas suas mãos, e Jeoiaquim , & c. Isto foi do Senhor, por causa dos seus pecados, e dos pecados dos seus antepassados ​​e do seu povo; Ou então o rei de Babilônia não poderia ter tomado a cidade, nem ele, por causa do grande poder dos judeus, como observa Jacquiades:Com parte dos vasos da casa de Deus ; nem todos eles; Para alguns, como Saadlia diz, foram escondidos por Josias e Jeremias, que não deve ser dependido; No entanto, é certo que todos não foram levados, porque lemos de alguns dos vasos do templo sendo levados depois, na época de Jeconias, 2 Reis 24:13 , e ainda havia alguns, como as colunas, o mar , Bases e outros utensílios que haviam de ser levados, e foram levados pelo rei de Babilônia, no tempo de Zedequias , Jeremias 27:19 ,Que ele levou para a terra de Sinar, para a casa de seu deus ; Que Jarchi entende tanto dos homens que foram levados cativos, como dos navios que foram tirados do templo; Mas os últimos parecem apenas ser destinados, uma vez que dos homens Jeoiaquim só é mencionado antes; E não parece que ele tenha sido levado para Babilônia; Mas é certo que os vasos do templo foram levados para lá; Que se entende pela terra de Shinar, onde Babilônia estava, e onde a torre de Babel foi construída , Gênesis 10: 2Gênesis 10: 2 , o mesmo, como Grotius pensa, com o Singara de PlínioF19 E PtolomeuF20. Assim, o Targum de Onkelos, em Gênesis 10:10 Gênesis 10:10Gênesis 10:10 Gênesis 11: 2 Zacarias 5:11 Gênesis 10:10 , interpreta a terra de Sinar, a terra de Babilônia; Assim como o Targum de Jerusalém em Gênesis 10:10 e o Targum de Jônatas em Gênesis 11: 2 , Zacarias 5:11 , apenas em Gênesis 10:10 , ele parafrasea a terra do Ponto. Então HestiaeusF21Um antigo escritor fenício, chama Shinar Sennaar da Babilônia. Parece ter o seu nome de נער , que significa "sacudir"; Porque daí os homens do dilúvio, como Saadiah diz, ou os construtores de Babel, foram sacudidos pelo Senhor, e foram espalhados sobre a face da terra. E como a torre de Babel em si, muito provavelmente, foi construída para adoração idólatra, razão pela qual o Senhor estava tão desagradado com os seus construtores; Então, no mesmo lugar, ou perto dele, estava agora um templo de ídolos, onde o rei de Babilônia, e seus habitantes, adoravam, aqui chamado "a casa de seus deuses"F23, Como pode ser prestado; Porque os babilônios adoravam mais deuses do que um; Havia Rach, Shach e Nego, de quem Sadáque, Mesaque e Abednego, devem ter seus nomes dados pelos caldeus, Daniel 1: 7 Daniel 1: 7Jeremias 51:41 . Rach é considerado o sol, cujos sacerdotes eram chamados Rachiophantae, observadores do sol; Shach, ao qual Sheshach é referido por alguns, Jeremias 51:41 , para o qual uma festa foi realizada uma vez por ano durante cinco dias, quando os servos tinham o governo eo governo de seus senhores, E Nego ou foi adorado para o sol, ou alguma estrela, assim chamada de seu brilho. Vênus também teve em veneração com os babilônios, a quem chamaram Mylitta; Em cujo templo muitos atos de impureza e imundície foram cometidos, como HeródotoF24Relata. E, além destes, havia Merodac, Nebo e Bel; Isaías 46: 1Dos quais ver Isaías 46: 1 , este último parece ter sido sua deidade principal, e que se chamava Júpiter Belus; E com quem estavam as deusas Juno e Rhea. E na cidade de Babilônia estava o templo de Bel, ou Júpiter Belus, que existiu nos tempos de Heródoto, e do qual ele contaF25, E é esta:

"O templo de Júpiter Belus tinha portas de bronze, era quatrocentos e quarenta metros de cada lado, e era quadrado." No meio do templo havia uma torre sólida, duzentos e vinte metros de comprimento e largura, sobre a qual outro O templo foi colocado, e assim por diante para oito.Nos subir eles estavam fora, em um enrolamento sobre cada torre, como você subiu, no meio, havia um quarto e assentos para descansar.Na última torre foi um Um grande templo, no qual havia uma grande cama esplendidamente decorada, e uma mesa de ouro por ela colocada, mas não havia estátua ali, nem havia ninguém deitado ali à noite, apenas uma mulher, natural do lugar, Deus escolheu dentre todos eles, como dizem os sacerdotes caldeus desta divindade.
Diodoro Siculo dizF26Era de uma altura extraordinária, onde os caldeus faziam observações sobre as estrelas, podendo tomar uma visão exata da ascensão e da colocação delas; Tudo era feito de tijolo e betume, a um grande custo e despesa. Aqui os navios do santuário foram trazidos por Nabucodonosor, para louvor e glória de seus ídolos, como observam Jarchi e Jacquis. A quem ele imputou a vitória que obtivera sobre os judeus. Mesmo estes.Ele trouxe para o tesouro de seu deus ; Muito provavelmente esta foi a capela HeródotoF1Fala de onde estava uma grande estátua de ouro de Júpiter sentada, e uma grande mesa de ouro por ela, e um trono de ouro e degraus, contados pelos caldeus com oitocentos talentos de ouro. 
E Diodoro SiculoF2Relata que havia três estátuas douradas, de Júpiter, Juno e Rea. A de Júpiter era como uma que estava em seus pés, e, por assim dizer, caminhando, tinha quarenta pés de comprimento, e pesava mil talentos babilônicos (calculado três milhões e meio de nosso dinheiro). A de Rea era do mesmo peso, sentada sobre um trono de ouro, e dois leões de joelhos; E perto deles serpentes de tamanho prodigioso, feitas de prata, que pesava trinta talentos. A de Juno era uma estátua erguida, pesando oitocentos talentos; Na sua mão direita segurava a cabeça de uma serpente, e na sua esquerda um cetro colocado com pedras preciosas; E havia uma mesa de ouro, comum a todos eles, de quarenta pés de comprimento, quinze de largura, e do peso de cinquenta talentos. Além disso, havia duas taças de trinta talentos, e como muitos incensários de trezentos talentos, E três copos de ouro; O que era dedicado a Júpiter pesava mil e duzentos talentos babilônicos, e os outros seiscentos. Aqui todas as riquezas dedicadas ao seu deus foram guardadas, e aqui o rei de Babilônia trouxe os tesouros e ricos vasos que ele tirou do templo de Jerusalém; E a isso concorda o testemunho de BerosoF3, Que diz que com os despojos de guerra de Nabucodonosor tomou dos judeus e nações vizinhas, ele adornou o templo de Belus. As riquezas deste templo, de acordo com historiadores, são supostamente acima de um e vinte milhões de libras esterlinasF4, Mesmo daqueles a que Diodoro Siculo dá conta, como acima.

Verso 3 

E falou o rei a Aspenaz, o senhor dos seus eunucos , ... Isto é, Nabucodonosor, rei de Babilônia, falou a este seu oficial, chamado Aspenaz; Que, de acordo com Saadia, significa um homem de um rosto irritado; Mas HillerusF5Deriva-a da palavra árabe "schaphan", como projetar um que se destaque em inteligência e compreensão; Por isso podia ter o comando dos eunucos, muitos dos quais os príncipes orientais tinham sobre eles, particularmente para esperar suas mulheres, ou para educar a juventude, como os turcos têm agora; Embora, como R. Jeshuah em Aben Ezra observa, a palavra significa ministros, e pode pretender os nobres e cortesãos do rei, seus ministros de Estado; E assim este Ashpenaz pode ser considerado como seu primeiro ministro, a quem deu ordens,Para trazer alguns dos filhos de Israel ; Que ele tinha levado e levado cativo para Babilônia, e foram dispostos em alguma parte ou outra da cidade e país; E fora deles era sua vontade que alguns fossem selecionados e levados à sua corte:E da descendência do rei, e dos príncipes ;F6 Da descendência do rei e dos príncipes ", nem de nenhum dos filhos de Israel, mas sim dos que eram do sangue real, ou da família do rei de Judá, ou de algum modo relacionados com ele, ou, Nascimento principesco, os filhos de pessoas de primeira ordem, comoF7Pode significar; Ou de nobres e duques, como Jarchi interpreta.

Verso 4 

Jovens em quem não houvesse defeito algum , .... não apenas crianças, mas homens jovens de quinze ou vinte anos de idade; sobre o qual idade Daniel é por Aben Ezra suposto ser quando ele foi levado cativo; e menos do que este ser não pode bem ser pensado para ser, uma vez que, em poucos anos depois, ele foi colocado em lugares de maior eminência e importância: como foram ordenados a ser selecionado que não tinha deformidade ou defeito em todas as partes do seu corpo , Ou queria qualquer, como um olho, ou uma mão, & c .; Ou "em quem não era nada"Mas bem favorecido ; De uma boa tez, um rosto corado, e um olhar saudável. Então CurtiusF9Diz que, em todos os países bárbaros ou incivilizados, a grandeza e o tamanho do corpo são tidos em grande veneração; Nem pensam que sejam capazes de grandes serviços ou ações, a quem a natureza não tenha concedido uma bela forma e aspecto. E AristótelesF11Diz que foi relatado que, na Etiópia, escritórios civis de governo ou magistratura foram distribuídos de acordo com a massa ou beleza dos homens, a grandeza e altura de seus corpos, ou a beleza deles; E não só entre eles, mas este sempre foi o costume das nações orientais, para escolher tais para seus principais oficiais, ou para esperar sobre os príncipes e grandes personagens, e continua até hoje. Sir Paul Ricaut Observa,"Que os jovens projetados para os grandes ofícios do império turco devem ser de traços admiráveis ​​e olhares agradáveis, bem moldados em seus corpos e sem quaisquer defeitos da natureza, pois é concebido que uma alma corrupta e sórdida pode habitar Em um aspecto sereno e engenhoso, e observo não só no serralho, mas também nos tribunais de grandes homens, os seus assistentes pessoais têm sido de jovens lúcidos, bem vestidos, deportando-se com singular modéstia e respeito em A presença de seus mestres: de modo que, quando um pascha, aga, spahee, viaja, é sempre atendido com um equipage comely, seguido por jovens florescentes, bem vestido e montado em grande número, que se pode adivinhar a grandeza deste Império pelo séquito, pela pompa, e pelo número de empregados,Que acompanham pessoas de qualidade em suas viagens.E, sem dúvida, Nabucodonosor tinha alguns desses fins em vista, ao ordenar que tais pessoas fossem selecionadas e criadas às suas custas; Que possam ser tanto para o serviço e utilidade, como para a sua grandeza e glória.E hábil em toda a sabedoria: na sabedoria dos judeus, ou tinha uma educação liberal segundo o costume de seu país; Ou eram homens jovens de boa capacidade, capazes de serem instruídos, e de se aperfeiçoarem em toda a sabedoria:E astúcia no conhecimento ; Ou "conhecer o conhecimento"F13; Tendo uma grande parte do conhecimento do seu próprio país, costumes e leis, civis e religiosos: e compreensão da ciência; As artes e ciências liberais; Ou no entanto eram pessoas de um bom gênio, e de memórias retentivas; Jovens de capacidade, diligência, indústria e aplicação, e de grande docilidade, e tão promissores para fazer homens grandes e úteis:

E que tinham habilidade para ficarem no palácio do rei ; Não só a força do corpo, o que era necessário para uma longa espera lá, como às vezes eram obrigados a fazer; Mas força de espírito, coragem e impaciência, para se apresentar diante do rei e seus nobres, sem mostrar um medo rústico e timidez de espírito:

E a quem ensinassem o conhecimento ea língua dos caldeus ; Ou "o livro e a linguagem dos caldeus"F14; Livro para livros; Tais como continha sua literatura, história e filosofia, matemática, o conhecimento das estrelas, em que se destacou, bem como a arquitetura e habilidade militar; E era necessário que eles aprendessem a língua caldeia, que diferia do hebraico principalmente em dialeto e pronúncia, para que pudessem ler esses livros de ciência e falar com um bom sotaque e prontamente diante do rei e da sua Nobres; Ou melhor, o sentido é que eles possam entender a linguagem caldéia, a maneira de ler, escrever e pronunciar ספר , traduzido "aprendizado", pode significar as letras da linguagem, a Escritura ou maneira de escrever, como Saadiah e Aben Ezra interpretá-lo; Que deve ser primeiro aprendido em qualquer língua, a fim de alcançar o conhecimento dela; Isaías 19:12 Assim parece ser usado em Isaías 19:12 . "Eu não sou aprendido , ou não sei um livro ou cartas" ver João 7:15João 7:15 e לשון , traduzido "língua", pode significar as regras, expressões idiomáticas e propriedades da língua; A natureza, o gênio e o dialeto dele, e a significação das palavras e frases usadas nela para ser aprendida, de modo a ser mestres completos dela, compreendê-la, falar e pronunciar bem. Mas aqui surge uma dificuldade, uma vez que a forma e o caráter das letras do caldeu e das línguas hebraicas agora em uso são as mesmas; Pode parecer desnecessário que os jovens hebreus sejam colocados na escola para aprender as letras e a língua caldeu, embora o dialeto e os idiomas das duas línguas possam, em algumas coisas, diferir; Mas que seja observado, que poderia ser, E não é improvável que as letras da língua caldeia não fossem as mesmas que são agora; E HottingerF15Expressamente diz, que o antigo caráter caldeu não é conhecido; Para não dizer nada da diferença das letras hebraicas, então do que são agora, o que alguns supuseram: além disso, é um caso claro que as línguas caldeia e siríaca são as mesmas, como aparece de Daniel 2: 4Daniel 2: 4 , onde a Dizem que os caldeus falam ao rei em siríaco; E, no entanto, o que se segue não é senão Caldeia, a sua língua materna, em que era mais apropriado e agradável falar ao rei; e como é opinião de muitos homens instruídos agora que estas línguas são as mesmas, O sentido dos judeus antigos. Diz R. Samuel Bar NachmanF16, Não permita que a linguagem siríaca seja mesquinha em teus olhos, ou seja levemente estimada por ti; Porque na lei, nos profetas, e no Hagiographa, o santo e bendito Deus lhe deu honra; Na lei, Gênesis 31:47 Gênesis 31:47 , nos profetas, Jeremias 10:11 Jeremias 10:11 , no Hagiographa, Daniel 2: 4Daniel 2: 4 em todos os lugares que é a língua caldeu que é usado, E o que foi falado em Babilônia, a cabeça do império caldeu, é chamado o siríaco; Para Ciro, quando ele tomou a cidade, ordenou uma proclamação a ser feita, por homens qualificados , συριστι , em língua siríaca, que os habitantes devem manter dentro de portas, e que os que foram encontrados sem deve ser mortoF17; Cujas ordens eram publicadas naquela língua, para que pudessem ser universalmente compreendidas, sendo a língua do povo comum. Assim, Heródoto, falando dos assírios, dizF18, Estes pelos gregos são chamados sírios, e pelos bárbaros assírios, entre os quais estavam os caldeus; e, como Strabo observaF19, A mesma língua ou dialeto foi usado por aqueles sem Eufrates, e por aqueles dentro; Isto é, pelos sírios, estritamente chamados, e pelos babilônios ou caldeus: e em outros lugaresF20, O nome dos sírios chegou da Babilônia ao Sinus Issicus; E, antigamente, de lá ao mar de Euxine. Ora, é certo que a forma e o caráter das letras na língua siríaca são muito diferentes do hebraico, e difíceis de serem aprendidas, e podem ser as que esses jovens hebreus deveriam ser ensinados na escola, bem como os rudimentos de isto; E é tão evidente que a linguagem dos judeus, e a dos sírios, caldeus e babilônios, eram tão diferentes, que o povo do primeiro não entendia a linguagem do último quando falava, como se vê de 2 Reis 18:262 reis 18:26 para que houvesse uma aparente necessidade de um ser ensinado a língua do outro, a fim de compreendê-lo.

Versículo 5 

E o rei lhes designou uma provisão diária da carne do rei . Cada dia uma porção lhes era ordenada, da mesa do rei, das mais ricas guloseimas que ele próprio comesse; Que foi feito não apenas como um ato de munificência real e generosidade, e em relação ao seu nascimento e reprodução; Mas também como isca e laço para atraí-los e seduzi-los, para torná-los apaixonados pelo país e condição em que estavam, e para esquecer os seus próprios; Bem como também para preservar sua aparência bem favorecida e boa tez, e ajustá-los para seu estudo da linguagem e da literatura; Que pode ser impedido por falta das necessidades da vida, ou por viver em comida grosseira e grosseira:

E do vinho que bebeu ; Que, como era de vários tipos, assim do melhor e mais excelente; E que, moderadamente bebe, conduz à saúde do corpo, e alegria da mente; E que são úteis para transmitir estudos aprendidos:Alimentando-os assim três anos ; Este era o tempo fixado para adquirir o aprendizado ea linguagem dos caldeus; Durante o qual seriam fornecidos da mesa do rei, e às suas custas, como acima; Que prazo de tempo foi julgado suficiente para a sua aprendizagem tudo o necessário para qualificá-los para o serviço do rei; E em que tempo poderia pensar-se que eles iriam esquecer o seu próprio país, costumes, religião e língua, e ser inured para o lugar e as pessoas onde estavam, e ser satisfeito e fácil com a sua condição e circunstâncias:Para que no fim deles pudessem estar diante do rei ; Ou seja, no fim de três anos, eles poderiam ser apresentados ao rei para seu exame e aprovação, e ser nomeado para que serviço ele deve pensar em forma, E particularmente que eles podem estar em sua corte, e ministrar-lhe em que posto ele deve ser o seu prazer de colocá-los. Alguns em Aben Esdras, e que ele próprio inclina a, lê-los e interpretá-lo, "que alguns deles possam estar diante do rei"; Tais como ele deve escolher fora deles, que foram mais realizado e mais apto para o seu serviço; Assim Jacchiades.

Verso 6 

Entre estes estavam os filhos da Judéia , dentre os jovens que foram escolhidos dentre os demais, e educados da maneira acima, e para os propósitos acima, que eram da tribo de Judá, e muito provavelmente da casa de Davi , E de descendência real, eram as quatro pessoas seguintes:Daniel, Hananias, Misael e Azarias ; Que são particularmente mencionados, porque eram os mais famosos e renomados deles, e estão preocupados na história subsequente e na conta dos fatos: seus nomes são expressivos e significativos: Daniel significa "Deus é meu juiz"; Hananias pode ser interpretado: "Deus é misericordioso para comigo"; Mishael é por algum pensamento para ser o mesmo que Michael, "ele que é Deus", ou "como Deus"; E por outros, "pedido de Deus", por sua mãe, como Samuel foi por Hannah, assim Saadiah interpreta-lo, E Azarias pode ser explicado, "Deus é a minha ajuda", ou "me ajuda".
Verso 7 
A quem o príncipe dos eunucos deu nomes , .... Outros nomes, nomes caldeus, de acordo com os nomes dos deuses daquele país, para honra e glória, como Saadiah observa; Que foi feita quer para torná-los mais aceitáveis ​​para o tribunal e cortesãos do rei de Babilônia; E para mostrar que eles eram seus servos e sujeitos naturalizados; E principalmente para fazer com que eles se esqueçam dos nomes que seus pais lhes deram, e por ódio a eles, tendo todos eles neles os nomes do verdadeiro Deus, El ou Jah; E, sobretudo, para esquecerem o Deus de seus pais, cujos nomes eles levavam. Este príncipe dos eunucos parece ser o mesmo com o mestre dos eunucos, Ashpenaz, antes mencionado, assim Jacchiades; Mas alguns o levam a ser outra pessoa: O que ele fez para mudar os nomes desses quatro jovens hebreus não foi sua própria idéia e por sua própria autoridade, mas pela ordem do rei; Daniel 5:12Daniel 5:12 ,Porque deu a Daniel o nome de Beltsasar ; Que significa "Bel escondeu e valorizou"; Ou tesoureiro de Bel, ou o guardião de seus tesouros; Ver Daniel 1: 2 Daniel 1: 2 . Bel era o principal ídolo dos caldeus, Isaías 46: 1 Isaías 46: 1 , e Daniel foi nomeado segundo ele, como diz o próprio Nabucodonosor, Daniel 4: 8 Daniel 4: 8 e difere em uma letra do nome de seu sucessor, Belsazar, Daniel 5: 1Daniel 5 : 1 , portanto, Daniel é pensado por Broughton, e outros, para ser o Belesis de Diolorus Siculus: ou pode ser ele teve este nome dado de "beltis" ou "baaltis"F21, Uma rainha e deusa dos babilônios, e pode ser composto de que e "azer":E a Hananias de Sadraque ; Que alguns interpretam uma "papa macia", ou "peito": outros, o "mensageiro do rei", ou "o mensageiro do sol". A palavra "rach" significa um "rei" com os caldeus, como fez com os egípcios, como pode ser observado na palavra "abrec", o pai do rei, em Gênesis 41:43Gênesis 41:43 e é usado por eles do sol, O príncipe dos planetas, a quem eles adoravam: outros, "a inspiração do sol", seu ídolo. HillerusF23 Explica-o do fogo, o objeto de sua adoração:

E a Misael de Mesaque ; ou; "De Shach", que era um nome de um deus ou deusa dos Caldeus, eles adoraram; Na celebração de cuja festa foram quando Babilônia foi tomada por Ciro:E a Azarias de Abednego ; Ou "um servo, ou adorador de Nego". A palavra significa "brilho resplandecente": que alguns entendem do fogo adorado por eles; Outros do planeta brilhante Venus; E outros de Lúcifer, ou a estrela da manhã. Saadiah considera que é o mesmo com Nebo, por uma mudança de uma carta, que era um deus dos caldeus; Ver Isaías 46: 1Isaías 46: 1 .

Verso 8 

Mas Daniel propôs em seu coração , .... Propôs-se-lhe que fosse criado da maneira descrita antes, ele a revolveu em sua mente; Ele o pesou bem, e considerou-o consigo mesmo, e chegou a uma resolução sobre isso. Isto deve ser entendido dele, não à exclusão de seus três companheiros, que eram da mesma mente com ele, como aparece pelo que segue; Mas talvez tenha sido pensado por ele; Pelo menos ele primeiro a moveu para eles, a que eles consentiram; E porque ele era o principal neste caso, é atribuído a ele como seu propósito e resolução:

Que não se contaminaria com a porção de carne do rei ; Por comer dela; Em parte porque podia consistir no que era proibido pela lei de Moisés, como a carne de criaturas impuras, particularmente suínos, gordos e sanguíneos, e assim se contaminar em um sentido cerimonial; E em parte porque, embora pudesse ser um alimento em si lícito para ser comido, mas parte dela sendo primeiramente oferecida ao seu ídolo "Bel", como era usual, e todo o abençoado em seu nome, teria sido contra a sua consciência, E uma profanação disso, para comer das coisas oferecidas a, ou abençoado em nome de, um ídolo:

Nem com o vinho que bebeu ; Que era tão ilegal quanto sua comida; Sendo uma libação aos seus deuses, como observa Aben Esdras; Caso contrário vinho não era proibido; Nem era desiludido por Daniel, quando ele podia participar dele em sua própria maneira, Daniel 10: 3Daniel 10: 3 ,

Por isso pediu ao príncipe dos eunucos que não se contaminasse ; Ele não recusou, de maneira grosseira, obstinada e obstinada, a carne ea bebida trazidas; Mas com prudência fez um pedido, e modestamente propôs ao príncipe dos eunucos, que teve o cuidado e carga de ele e seus companheiros; E que também se juntou com ele neste terno humilde, como aparece pelo que se segue.

Verso 9 

Ora, Deus tinha trazido a Daniel em favor e ternura com o príncipe dos eunucos. Mesmo antes de este pedido foi feito; Como ele deu a favor de José à vista de Potifar, e do guardião da prisão; Porque qualquer favor é mostrado aos homens bons por homens maus é do Senhor; Pois embora a ingenuidade de Daniel, a bondade de seu temperamento, o seu modesto comportamento, as suas excelentes partes naturais e outras realizações pudessem ser um meio de o instigar a favor deste oficial; Contudo, todos teriam sido insuficientes para recomendá-lo a ele, ou para superar seus preconceitos por causa da religião, se o Senhor não tivesse forjado em seu coração mostrar bondade e ternura a ele; Que apareceu não só por seu uso passado dele; Mas, quando lhe apresentou a sua súplica, não se revestiu de um semblante severo, E respondê-lo mais ou menos, e ameaçá-lo se ele não cumprir com as ordens do rei; Mas de uma maneira suave e suave, como se segue:

Verso 10 
E disse o príncipe dos eunucos a Daniel: Temo o rei , meu senhor , ... Isto disse ele, não como recusando e negando o pedido de Daniel; Mas como hesitante sobre ele, dividido em sua própria mente, entre o amor ea ternura de Daniel, e medo do rei: é como se ele deveria dizer, eu poderia livremente por respeito a você conceder-lhe o seu pedido; Se não fosse por dever de meu senhor o rei, a reverência dele, e especialmente o medo de sua ira e desgosto: quem apontou sua carne e sua bebida; Ordenou-se a si próprio, tanto a qualidade quanto a quantidade, o que e quanto; Cuja vontade é a sua lei, e não pode ser resistido, mas deve ser obedecido; E embora eu deva te entregar a este assunto, e ele pode ser escondido por um tempo, mas não pode ser sempre um segredo, o seu rosto vai traí-lo:

Por que ele deveria ver seus rostos pior gosto do que os filhos que são do seu tipo ? Do que os outros jovens judeus que foram selecionados ao mesmo tempo, e educados da mesma maneira, e para os mesmos fins. AlgunsF24Torná-lo, "do que os filhos de seu cativeiro"; Que foram levados e levados cativos para Babilônia quando eles estavam; Mas as versões Septuaginta, Vulgata Latina, Siríaca e Árabe, tornam-no, "do que aqueles da mesma idade"F25; Seus contemporâneos, que nasceram na mesma época e foram educados da mesma maneira: ou, do que os de sua própria nação? como algunsF26Traduzi-lo: e agora, quando eles deveriam ser apresentados juntos ao rei, a diferença seria observável; Daniel e seus companheiros pareceriam de uma tez pálida, de aparência fina e magra, e de semblantes sombrios e desanimados, como pessoas irritadas, perturbadas e perturbadas; Como a palavra significaF1; Quando seus contemporâneos pareceriam gordo e gordo, alegre e agradável; O que naturalmente levaria a uma indagação da razão dessa diferença:

Então me fareis pôr em perigo a minha cabeça ao rei ; Eu cometerei uma transgressão, da qual serei considerado culpado, e condenado a morrer, e perder a minha cabeça por isso; E agora, como se ele dissesse, eu deixo com você; Você pode desejar que eu me exponha a tanto perigo? Eu concederia de bom grado o seu favor, mas minha vida está em jogo.

Versículo 11 

Então Daniel disse a Melzar : O príncipe dos eunucos, tendo posto Daniel com a resposta acima, parece ter deixado ele; Ou, no entanto, Daniel, achando que ele não poderia obter dele o que ele procurou, se aplica a Melzar, um oficial subordinado, que ele esperava encontrar mais maleável; E pode ser que Ashpenaz possa sugerir-lhe que se aplique a esta pessoa, e significa que se ele pudesse prevalecer sobre ele para lhe dar outro alimento em vez do rei; Que pode estar sob a tentação do lucro, sendo um oficial mais mau; Ele, por sua vez, piscava para ele, por isso não chegasse a nenhum perigo; Entretanto, seja como for, Daniel aplicou a este homem, cujo nome era Melzar, pois assim a maioria o toma como o nome próprio de um homem; Que, de acordo com HillerusF2, Significa um "em pleno esplendor". Josephus chamaF3Ele Aschanes; Embora alguns pensem que é o nome de um escritório, como um steward, ou o gosto; Mas se é expressivo de seu nome, ou seu escritório, ele é descrito como um

Que o príncipe dos eunucos tinha posto sobre Daniel, Hananias, Misael e Azarias ; Para dar-lhes a sua comida no momento adequado.

Versículo 12 
Provai, pois, os teus servos, por dez dias , que aqui Daniel inclui manifestamente os seus companheiros, e faz o seu pedido para si e para eles; Desejando que pudessem ser julgados dez dias com diferentes tipos de comida e bebida, e ver se qualquer alteração seria feita para pior; Que era o momento apropriado para tal julgamento; Pois naquele tempo poderia ser razoavelmente suposto que sua comida, se tivesse qualquer efeito ruim sobre eles, apareceria. Saadiah faz estes dez dias para serem os dias entre o primeiro dia do ano eo dia da expiação; Mas sem fundamento:

E que nos dêem pulso para comer e água para beber ; Em vez da carne do rei, do pulso, dos feijões, da ervilha, das ervilhacas, das lentilhas, do arroz, do painço, etc. A palavraF4Usado significa qualquer coisa semeada, todos os tipos de raízes, ervas e frutas; E, em vez de vinho, água; Carne e bebida, pode-se pensar, que as pessoas de tal nascimento e educação não tinha sido utilizado para; E, no entanto, preferiam-nas às doçuras do rei, comendo e bebendo, das quais as suas consciências correriam o risco de serem contaminadas.

Verso 13 

Então olhem-se diante de ti os nossos semblantes , ... E examinai-nos com atenção se alguma alteração é feita para pior:E o semblante dos filhos que comem da porção da carne do rei ; Que eram os jovens caldeus levantados desta maneira; Ou melhor, homens jovens dos judeus, que não eram tão escrupulosos como Daniel e seus companheiros, e não se opuseram a comer a comida do rei; Sejam comparados os seus semblantes e os nossos:E como vedes com os teus servos ; se não há diferença, ou não somos os piores para nos abster da carne do rei, então concedei-nos o nosso pedido, e continuai a nos induzir desta maneira; Mas, caso contrário, faça o que quiser. Daniel, sem dúvida, colocando a questão sobre este assunto, como deveria acontecer no final de dez dias, teve uma revelação ou garantia de Deus como seria, ou ele nunca teria aventurado a colocá-lo em tal julgamento .

Versículo 14 

Assim ele consentiu a eles em todo este assunto , .... Ou ", ouviu-lhes"F5; Estando convencido de que se tratava de um pedido muito razoável, e que o assunto estava bem posto; E, especialmente, como ele viu, se conseguisse o seu desejo, seria para seu lucro; Uma vez que a carne e a bebida dessas quatro pessoas seriam seu prêmio e buscar-lhe-ia dinheiro; Pulso e água a serem obtidos a uma taxa fácil:

E provou-os dez dias ; Experimentaram o experimento, dando-lhes pulso e água somente durante este tempo, a fim ver como concordaria com eles; E se qualquer alteração visível podia ser discernida em seus semblantes, de modo a trazer ele ou seu mestre em suspeita e perigo.

Versículo 15 

E ao fim de dez dias seus semblantes pareciam mais justos, e mais gordos em carne , ... No tempo fixado para o julgamento deles, quando eles vieram para ser examinados, eles pareciam ser de melhor tez, e um mais Saudável, e até mesmo gorda e gorda, com boa carne sólida, e não inchada como pessoas em uma hidropisia:Que todos os filhos que comeram a porção da carne do rei, que apareceram ao mesmo tempo, e foram comparados com eles, estando sob o cuidado das mesmas pessoas: agora isso era devido à bênção da divina Providência, como Jacchiades observa ; Por quão saudável pode ser o pulso, ou as várias coisas por ele projetadas, particularmente o arroz, do qual Aben Esdras, no lugar, dá grandes elogios, como muito salutar e nutritivo, e purificador do sangue; Mas nem isso, nem qualquer das coisas antes mencionadas, tendem a tornar as pessoas gordas em carne, como eram.

Verso 16 

Assim, Melzar tirou a porção de sua carne , ... Para si mesmo, como acrescenta a versão siríaca; Ele levou e levou para sua própria família, e fez uso dele ele mesmo; E a porção de quatro tais jovens cavalheiros, mantidos às custas do rei, e que tinham sua provisão de sua mesa, deve ser, especialmente durante três anos, de grande vantagem para este homem e sua família; Porque isto foi continuado, como a palavra significa e pode ser prestada, "e Melzar estava tirando".F6; Assim o fazia de tempos em tempos; E assim, servindo ao povo do Senhor, serviu a si mesmo:

Eo vinho que eles devem beber ; Que ele também tomou para seu próprio uso:E lhes deu pulso ; Para comer e água para beber, como acrescenta a versão siríaca e que eles desejavam; Quando ele achou isso combinado tão bem com eles, e ele poderia com segurança fazê-lo sem expor-se ao perigo, e ser para seu lucro e vantagem.

Versículo 17 

Quanto a estes quatro filhos, Deus lhes deu conhecimento e habilidade em toda a sabedoria e sabedoria , .... Como eles prosperaram em seus corpos, eles conseguiram em seus estudos, e melhorou em suas mentes, e se tornou grande proficients em todo o tipo de legal E conhecimento útil; Não devido tanto à sua própria sagacidade e diligência, e à bondade e habilidade de seus professores, quanto à bênção de Deus em suas instruções e estudos; Pois, como todas as partes naturais, todas as partes adquiridas devem ser atribuídas a Deus; E que estes foram favorecidos por ele de uma maneira muito grande, para responder a alguns dos seus propósitos. Isto deve ser entendido, não de arte mágica, filosofia vã, astrologia judicial, à qual os caldeus eram viciados; Mas de aprendizagem e sabedoria, louvável e útil, tanto em coisas naturais e políticas; Para estes homens, Que escrúpulos comiam e bebiam o que vinha da mesa do rei, nunca se entregariam ao estudo do conhecimento vago, curioso e ilícito; Muito menos Deus teria abençoado o estudo de tais coisas, e menos ainda dizer-lhes dar conhecimento e habilidade nisso:E Daniel tinha entendimento em todas as visões e sonhos ; Além do conhecimento e habilidade em toda a aprendizagem e sabedoria, nas línguas e nas ciências, em comum com os outros jovens; Ele teve a honra de ver visões muito notáveis ​​de coisas futuras e de interpretar sonhos; E não por regras de arte, como o uso de Oneirocritics, mas pelo dom de Deus; De que muitas instâncias singulares seguem neste livro.

Versículo 18 

Agora, no final dos dias que o rei tinha dito que ele deveria trazê-los, .... Ou seja, no final de três anos; Que era o tempo designado para a sua educação, e quando foram levados perante o rei para sua análise e aprovação:Então o príncipe dos eunucos os trouxe diante de Nabucodonosor ; Todos os jovens que foram tomados dentre os filhos de Israel e Judá, assim como os quatro filhos antes e depois mencionados, aparece pelo que se segue. Isso foi feito por Asphenaz, e não Melzar.

Versículo 19 

E o rei comunicou com eles , .... Ele lhes fez várias perguntas sobre os vários artigos de literatura em que tinham sido educados, para tentar ver o que a proficiência que tinham feito, Discorreu com eles sobre vários tópicos de aprendizagem, para que pudesse formar um julgamento deles, e de suas capacidades, e que empregos sob ele eles seriam mais aptos e capazes. Isso mostra que o rei era um homem de aprendizado e bom senso, bem como a prudência, para ser capaz de dar um passo como este:

E entre eles todos foram encontrados como Daniel, Hananias, Misael e Azarias ; Para o seu conhecimento e conhecimento: depois que o rei tinha passado pelo exame de todos os jovens, estes quatro pareciam ser os maiores proficients, e foram, portanto, notado e distinguido:Por isso ficaram diante do rei ; Serviram-no, tornaram-se seus servos, e chegaram mesmo a ser do seu conselho particular, especialmente Daniel; Ver Provérbios 22:29Provérbios 22:29 .

Versículo 20 E em todos os assuntos de sabedoria e entendimento que o rei lhes pediu , ... No momento da sua análise perante ele, quando lhes fez perguntas, que deram uma resposta pronta, pertinente e sólida para: e depois , Quando teve ocasião de consultá-los sobre qualquer assunto,Ele os encontrou dez vezes , ou dez mãosF7Melhor do que todos os magos e astrólogos que estavam em todo o seu reino; Que todos os magos e sofistas, os encantadores, os adivinhos, os adivinhos e aqueles que fingiam astrologia judicial, e para julgar e prever coisas pela posição das estrelas; Esses jovens foram capazes de dar respostas mais pertinentes às perguntas que lhes foram feitas, e melhores conselhos e conselhos quando lhes foi perguntado, do que todas as pessoas antes descritas, em todos os domínios do rei.

Verso 21 
E continuou Daniel : Na Babilônia , e na corte, e no favor de Nabucodonosor e de seus sucessores,Até o primeiro ano do rei Ciro : por quem foi tomada Babilônia, e quando os setenta anos de cativeiro dos judeus estavam em um fim; O tempo em que Daniel estava ali, para observar que isto é mencionado: não que Daniel morreu no primeiro ano de Ciro; Ou saíram de Babilônia com o resto dos judeus para Jerusalém com a proclamação de Ciro, como pensa Jacquíades; Porque ouvimos dele no rio Hiddekel, no terceiro ano de Ciro, Daniel 10: 1 Daniel 10: 1 , mas ele foi até este tempo na corte dos reis de Babilônia; E depois nos tribunais dos reis da Mídia e da Pérsia; Pois quando se diz que ele estava lá, não pretende tanto estar ali como o estado e condição em que ele estava lá; Nomeadamente, como um favorito e primeiro-ministro; Porque ele é dito para prosperar no reinado de Dario e Ciro, Daniel 6:28 Daniel 6:28 . Este é aquele Ciro que foi profetizado por nome, cerca de duzentos anos antes de seu nascimento, pelo profeta Isaías, Isaías 44:28Isaías 44:28 , que eram profecias seguras, e para ser dependido; E teve sua exata realização nele. Os escritores pagãos relatam muitas coisas, como presságios e previsões de sua grandeza futura; Eles contam-nos alguns sonhos, que seu avô Astyages tinha sobre sua filha Mandane, a mãe de Ciro; Que os intérpretes de sonhos naqueles dias explicavam de seu futuro filho, que seria o senhor de toda a Ásia E teve sua exata realização nele. Os escritores pagãos relatam muitas coisas, como presságios e previsões de sua grandeza futura; Eles contam-nos alguns sonhos, que seu avô Astyages tinha sobre sua filha Mandane, a mãe de Ciro; Que os intérpretes de sonhos naqueles dias explicavam de seu futuro filho, que seria o senhor de toda a Ásia E teve sua exata realização nele. Os escritores pagãos relatam muitas coisas, como presságios e previsões de sua grandeza futura; Eles contam-nos alguns sonhos, que seu avô Astyages tinha sobre sua filha Mandane, a mãe de Ciro; Que os intérpretes de sonhos naqueles dias explicavam de seu futuro filho, que seria o senhor de toda a ÁsiaF8: E MegasthenesF9Relata uma profecia de Nabucodonosor, que antes de sua morte predisse aos babilônios que uma calamidade deveria acontecer com eles, que nem seu progenitor Belus nem a rainha Beltis poderiam evitar; Que era, que uma mula persa deveria trazê-los sob sujeição, assistida por um Mede; Que é compreendido de Cyrus, que era um Medo persa; Seu pai era Cambyses rei da Pérsia, e sua mãe Mandane era filha de Astyages rei de Media; E ele, com Dario Mede, ou contudo com seu exército, conquistou Babilônia; e também se supõe que ele seja a mula no oráculo pítico que deveria ser rei dos medos; Por que Croesus foi enganado, que concluiu que uma mula nunca seria um rei; E, portanto, como seu reino estava seguro até que existisse tal um, deve ser para sempre assimF11. O nascimento, o parentesco e a educação deste príncipe, juntamente com suas vitórias, e particularmente sua tomada de Babilônia, são registrados por Xenofonte em sua história, em grande acordo com este livro de Daniel. Plutarco dizF12Que Ciro, ou Coresh, como o seu nome é em hebraico, na língua persa significa o sol; E o nome do sol, Cheres, está bem perto em som para ele na língua hebraica; E da mesma significação e derivação com Ciro, ou Coresh, parece ser Carshena, um dos sete príncipes da Pérsia. Ciro é notavelmente famoso pelo edito que ele publicou em favor dos judeus, dando-lhes a liberdade de ir para sua própria terra, e reconstruir o seu templo, Esdras 1: 1Esdras 1: 1 , de acordo com CíceroF13, De Dionísio o persa, ele viveu para ser setenta anos de idade; E morreu depois de um reinado de sete anos, de acordo com XenofonteF14; E de nove anos, segundo o cânon de Ptolomeu; O que contava desde o momento em que se tornou único monarca do império; O outro de seu reinando em parceria com seu tio Cyaxares, ou Darius o Mede.

(NOTAS comentario F.F BRUCE)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PAZ DO SENHOR

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.