segunda-feira, 22 de maio de 2017

TODOS ASSUNTOS DO BLOG SUBSIDIO ESCOLA DOMINICAL



       
PARA UMA MELHOR BUSCA DOS CONTEÚDOS , DEIXAMOS AQUI O LINK DE ACESSO AOS 1.800 ARTIGOS DO BLOG, PEDIMOS QUE COMPARTILHEM ESTE LINK.AQUI VOCÊ PODE ENCONTRAR SUBSÍDIOS PARA AS OUTRAS LIÇÕES   JUVENIS, JUNIORES, PRE-ADOLESCENTES,ADOLESCENTES,JOVENS,ADULTOS,
INCLUSIVE LIÇÕES BETEL COM SUBSÍDIOS.AS ATUALIZAÇÕES E SUBSÍDIOS ESTÃO NO LADO DIREITO SEMPRE, ENFIM TODAS AS SEMANAS.
  LINK PARA TODOS OS ARTIGOS DO BLOG         MAIS UMA OPÇÃO PARA ENCONTRAR


    SEJAM TODOS BEM VINDOS SALMO 133

  ATUALIZAÇÕES DAS LIÇÕES E SUBSIDIOS

Lições Betel n.9 2 trim-2017 Soberano Deus


 O Senhor é soberano entre as nações


                                             28 de maio de 2017

Texto Áureo
“E agora eu entreguei todas estas terras nas mãos de Nabucodonosor, rei da Babilônia, meu servo; e ainda até os animais do campo lhe dei, para que o sirvam”. Jr 27.6

Verdade Aplicada

O plano de Deus é que todas as nações sejam abençoadas por intermédio de Jesus Cristo.

Textos de Referência.
Jeremias 27.2-5

2 Assim me disse o Senhor: Faze umas prisões e jugos e pô-los-ás sobre o teu pescoço.
3 E envia-os ao rei de Edom, e ao rei de Moabe, e ao rei dos filhos de Amom, e ao rei de Tiro, e ao rei de Sidom, pelas mãos dos mensageiros que vêm a Jerusalém ter com Zedequias, rei de Judá.
4 E lhes darás uma mensagem para seus senhores, dizendo: Assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel: Assim direis a vossos senhores:
5 Eu fiz a terra, o homem e os animais que estão sobre a face da terra, pelo meu grande poder e com o meu braço estendido, e a dou a quem me agrada aos meus olhos.

Introdução
Nesta lição veremos que o Senhor Deus é imponente para realizar os Seus propósitos. Estudaremos que não há poder neste mundo capaz de frustrar os Seus projetos.

1. A aflição de um profeta.

Jerusalém estava semelhante à Sodoma e Gomorra. Não se encontrava nela sequer uma única pessoa que praticasse a justiça e buscasse a verdade (Jr 5.1). A situação estava tão pervertida que Deus advertiu o povo (Jr 5.26). O estado de desgraça era notório entre os habitantes de Judá. Para Jeremias, era lamentável o fato de não haver mais velhos sentados nas praças e os jovens para cantarem (Lm 5.13-15).

1.1. O alerta de Jeremias.

O anseio do profeta Jeremias era que o povo de Judá se voltasse para Deus. Ele sabia que o grande ato de amor realizado por Deus em favor do Seu povo havia sido a libertação do Egito. Por isso, é constante a lembrança do êxodo e do deserto em suas pregações (Jr 2.2, 6; 7.22, 25; 11.4, 7; 16.14). Preocupado com a possibilidade de o povo voltar a ser cativo em terra estrangeira, ele convoca o povo ao arrependimento: “Se voltares, ó Israel, diz o Senhor, para mim voltarás; e, se tirares as tuas abominações de diante de mim, não andarás mais vagueando, e jurarás: Vive o Senhor na verdade, no juízo e na justiça; e nele se gloriarão”. (Jr 4.1-2). O resultado esperado pelo profeta era que o povo se arrependesse dos seus erros. Por isso, suas profecias eram tão intensas. Entre tantas profecias, encontramos a promessa que Deus daria uma nova aliança e que ofereceria aos homens o perdão dos pecados (Jr 31.31, 34).

1.2. Deus usa líderes pagãos para realizar Seu propósito.
Que grande ironia nos é narrada pelo profeta Jeremias. Ele nos apresenta o Eterno Deus usando um líder pagão para punir as nações. Ele recebe do Senhor uma mensagem para os reis do Ocidente. Nesta mensagem, o Senhor diz ser o Criador de todas as coisas existentes e que é por Seu gosto que Ele está entregando tudo ao rei da Babilônia, Nabucodonosor (Jr 27.5-6). Ele diz que as nações que não se submeterem às ordens de Nabucodonosor serão destruídas (Jr 27.8), entretanto, a nação que assim o fizer será recompensada (Jr 27.11).

1.3. O perigo da contaminação.

As nações vizinhas de Israel sempre foram motivo de preocupação pelo simples fato de Israel de contínuo se envolver com suas práticas pagãs e esquecer-se do seu Libertador (Ed 9.1). O requisito essencial para o povo de Deus é ser santo. É permanecer separado dos padrões e costumes de outros povos para não perder a essência de Deus e das bênçãos que Ele reservou para nós (1Co 1.2). Seguindo os costumes da religião de outros povos, o povo de Israel chegou a sacrificar os próprios filhos (Jr 7.31; 19.5; 32.35). Jeremias usou a expressão “arrepender-se” cerca de onze vezes no decorrer de suas pregações. Mas as influências eram tantas que o povo não se arrependeu. Diante de tanta influência negativa, entendemos o choro de Jeremias por sua nação (Jr 9.1; 13.17; 14.17; 25.17-18; Lm 1.2; 2.11, 18). A razão final pela qual Judá foi levado cativo para a Babilônia tem a ver com as influências recebidas destes povos vizinhos, que fez por diversas vezes com que Israel se desviasse do verdadeiro Deus. Com tantas práticas pagãs no meio do povo de Deus, a aliança com o Senhor havia sido quebrada (Jr 22.9).

2. Deus adverte o povo.

Desde o início, Jeremias seguira um caminho sólido em advertir sujeição aos babilônios. Esta sugestão foi dada não somente a Judá, mas também aos mensageiros de muitas nações que estavam em Jerusalém (Jr 27.3-4).

2.1. O profeta das nações.

O motivo das pregações de Jeremias sempre foi levar o povo de Judá ao arrependimento, visto que ele via a Babilônia erguer-se, pela providência divina, para castigar uma nação desobediente, como era Judá. Ele orienta a submissão a Babilônia por parte de Judá e das outras nações. Jeremias, afinal de contas, era “profeta às nações” (Jr 1.5).

2.2. O Senhor da criação.

O Eterno Deus criou tudo para que Sua glória seja vista e Ele eternamente adorado (Ef 1.6). Deus não criou um mundo tão esplêndido somente para pôr em um quadro e ao mesmo tempo não ter ninguém para admirar tudo de belo que Ele fez. Por isso, o salmista diz: “Os céus manifestam a glória de Deus, e o firmamento anuncia a obra de suas mãos”. (Sl 19.1). Utilizando a posse de Sua criação, o Senhor assume Seus direitos sobre todas as nações (Dn 2.38). Ele mesmo entrega a Nabucodonosor, rei da Babilônia, Seu “servo”, todas as terras e os animais do campo para que o sirvam (Jr 27.6).

2.3. O pecado das nações contemporâneas.

As nações do mundo contemporâneo discorrem que são donos do seu próprio destino devido ao seu poderio militar. Elas vivem uma luta constante em busca da paz. Não entendem que a paz verdadeira só existe em Cristo (Jo 14.27). O pecado tem causado a degradação de nosso planeta. Às vezes, Deus permite que as catástrofes aconteçam para trazer as nações aos Seus pés. O desejo do Senhor é que cada nação e cada indivíduo se arrependa e se achegue a ele.

3. Deus convoca ao arrependimento.

Disse Jesus: “Eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores, ao arrependimento” (Lc 5.32). Embora o pecado dificulte o caminho até Deus, o arrependimento abre as portas do céu novamente (Tg 4.8). Oremos pela nossa nação! Pois feliz é a nação cujo Deus é o Senhor (Sl 33.12).

3.1. Deus é soberano sobre as nações.

O rei Davi mencionou a superioridade de Deus sobre as nações da terra: “Porque o reino é do Senhor, e ele domina entre as nações” (Sl 22.28). O Senhor não precisa ser sujeitado a ninguém. Ele faz o que lhe agrada, ninguém pode detê-Lo.

3.2. Como alcançar as nações para o Senhor?

É fato que nem todos podem partir para outras nações. Entretanto, todos os discípulos de Cristo devem estar comprometidos com a proclamação da salvação em Jesus Cristo até os confins da terra (At 1.8): orando, indo, enviando e contribuindo. O Senhor nos delegou uma responsabilidade muito grande: “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (1Pe 2.9). Que o Senhor desperte em cada um de nós o desejo missionário em busca das almas perdidas.

3.3. Toda chamada tem um preço a ser pago.
Jeremias teve um chamado para as nações porque esse foi o propósito de Deus (Jr 1.5). Em sua jornada como profeta, houve um preço a ser pago por ele. Ele chegou a amaldiçoar o dia em que nasceu (Jr 20.14). Ele sabia que não foi homem algum que o havia chamado, mas o próprio Deus de Israel (Jr 1.7). Jeremias não buscou ser bajulador de reis corruptos para ter benefícios, nem se assentou na roda dos zombadores (Jr 15.17). Ele seguiu seu chamado totalmente. A única preocupação de Jeremias era com a sua missão, que era inegociável.

Conclusão.

Deus é grandioso. Ele é Senhor absoluto na história dos homens e das nações. Ele é soberano para dirigir o coração de reis e nobres. Ele é divino para realizar a Sua vontade. Ele é soberano sobre tudo e sobre todos. Glória a Deus pela Sua eterna soberania.

Questionário.

1. O que era lamentável para Jeremias?
2. O Senhor entregou as nações na mão de qual monarca?
3. Somente onde existe a paz verdadeira?
4. O que traz a felicidade para uma nação?
5. O que Jeremias chegou a amaldiçoar

www.mauricioberwaldoficial.blogspot.com

Subsidio lições Betel n.9 2017 Deus é Soberano


    Subsidio Betel lição adultos 2017 n.9 
              O Senhor é Soberano Jeremias capitulo 27 definição



 1. Deus é Supremo, Deus é Deus! Ele é o Altíssimo:"...todos os moradores da terra são por Ele reputados em nada; e, segundo a sua vontade, Ele opera com o exército do céu e os moradores da terra; não há quem lhe possa deter a mão, nem lhe dizer: Que fazes?" (Dn.4:35).2. Deus é Onipotente, possuidor de todo o poder nos céus e na terra (Mt.28:18): É dizer que "...no céu está o nosso Deus e tudo faz como lhe agrada." (Sl.115:3).3. Deus governa as nações: "Porque o reino é do SENHOR, e ele domina entre as nações". (Sl.22:28).4. Deus é o Único Soberano:"...único Soberano, o Rei dos reis e Senhor dos senhores..." (1Tm.6:15).5. Deus é Soberano nas ações humanas: porque "...até a ira humana há de louvar-te; e do resíduo das iras te cinges." (Sl.76:10).6. Deus controla tudo: "Tua é, SENHOR, a magnificência, e o poder, e a honra, e a vitória, e a majestade; porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra; teu é, SENHOR, o reino, e tu te exaltaste por cabeça sobre todos. E riquezas e glória vêm de diante de ti, e tu dominas sobre tudo, e na tua mão há força e poder; e na tua mão está o engrandecer e o dar força a tudo". (1ª Crônicas 29:11,12).7. 

Deus é o Soberano Senhor: do grego "déspota" (déspota), que significa "Senhor Absoluto, ou Aquele que tem poder e domínio absoluto". "...Até quando, ó verdadeiro e santo Dominador, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra?" (Ap.6:10). Soberano Senhor na ARA (2Pe.2:1).8. Deus é Soberano universal e absolutamente: (1Cr.29:10-12; 2Cr.20:6; Sl.22:28; Sl.47:2,3,7-9; Sl.50:10-12; Sl.72:8-11; Sl.93; Sl.95:3-5; Sl.103:19; Sl.145:11-13). Ninguém pode impedir o que Deus resolve fazer (Jó 23:13; Jó 42:2; Sl.115:3; Pv.21:30).9. Deus é Soberano como o Oleiro sobre o Vaso: O direito de Deus é o direito do oleiro sobre o barro: moldá-lo a qualquer forma que deseje, produzindo, do mesmo pedaço de barro, um vaso para honra e outro para desonra. Afirmamos que Deus não está sujeito a nenhuma regra ou lei fora da sua própria vontade e natureza e que Deus é sua própria lei, não tendo qualquer obrigação de prestar contas dos seus propósitos a quem quer que seja. (Mt.20:15; Mt.25:15).

V. DEUS É SOBERANO NO USO DO SEU PODER

1. Seu poder é exercido conforme Ele quer, quando Ele quer e onde Ele quer.1.1. Seu poder foi usado contra Faraó (Ex.14:13,14; Ex.14:30,31).1.2. Contra os Amalequitas (Ex.17:14-16).1.3. Contra Jericó (Js.6:2,16).1.4. Contra o gigante Golias (1Sm.17:46,47).1.5. Deus livrou Daniel da boca do leão (Dn.6:22).1.6. Deus livrou seus servos da fornalha de fogo ardente (Dn.3:26).2. Mas nem todos foram libertos da aflição (Hb.11:36,37)2.1. Pedro foi liberto da prisão (At.5:18,19), mas Estevão foi apedrejado (At.7:59,60).2.2. Somente a Metusalém Deus capacitou a viver 979 anos (Gn.5:25,26).2.3. Somente a Sansão Deus deu força física (Jz.14:6; Dt.8:18).     
                        
Introdução 
INTRODUÇÃO A JEREMIAH 27

Jeremias, o profeta, já que não pode persuadir as pessoas a submeterem-se ao preceito de Deus, impedindo assim a destruição do seu país pelo rei da Babilônia, está persuadindo-as a submeterem-se à providência de Deus, cedendo mansamente ao rei de Babilônia e Tornando-se afluentes para ele, que era o caminho mais sábio que agora poderia tomar, e seria uma mitigação da calamidade, e impedir que a colocação de seu país desperdício pelo fogo e espada o sacrifício de suas liberdades seria a salvação de suas vidas. I. Ele dá este conselho, em nome de Deus, aos reis das nações vizinhas, para que eles possam fazer o melhor do mal, assegurando-lhes que não havia remédio, mas eles devem servir o rei da Babilônia e ainda no tempo deve Ser alívio, pois seu domínio duraria apenas 70 anos, Jeremiah 27: 1-11 . II. Ele dá este conselho a Zedequias, rei de Judá, particularmente ( Jeremias 27: 12-15 ) e aos sacerdotes e ao povo, assegurando-lhes que o rei de Babilônia ainda procederia contra eles até que as coisas fossem levadas à última extremidade e uma paciente submissão Seria a única maneira de mitigar a calamidade e torná-la mais fácil, Jeremias 27: 16-22 . Assim o profeta, se eles o escutassem, os teria dirigido nos caminhos da verdadeira política, bem como da verdadeira piedade. E uma submissão paciente seria a única maneira de mitigar a calamidade e tornar mais fácil, Jeremias 27: 16-22 . Assim o profeta, se eles o escutassem, os teria dirigido nos caminhos da verdadeira política, bem como da verdadeira piedade. E uma submissão paciente seria a única maneira de mitigar a calamidade e tornar mais fácil, Jeremias 27: 16-22 . Assim o profeta, se eles o escutassem, os teria dirigido nos caminhos da verdadeira política, bem como da verdadeira piedade.

Este capítulo contém uma profecia da sujeição do rei de Judá, com cinco reis vizinhos, ao rei de Babilônia; Significados por laços e jugo sobre o pescoço do profeta, que são exortados pacientemente a suportar, como sendo mais para seu bem; E não dar ouvidos aos falsos profetas, que os persuadiam do contrário. A data da profecia está em Jeremias 27: 1 ; A ordem de fazer os jumentos, e enviá-los aos vários príncipes vizinhos por seus mensageiros em Jerusalém, Jeremias 27: 2 ; O que deveriam dizer aos seus senhores do Deus de Israel, que é descrito a partir de seu poder na criação da terra, ea disposição dela, Jeremias 27: 4 ; Como que ele tinha dado todas as suas terras na mão do rei de Babilônia, a quem eles deveriam servir, Ou seria pior para eles, Jer. 27: 6 ; E por isso não deviam dar ouvidos aos seus profetas, que profetizavam mentiras; Se o fizessem, seria para seu mal; Enquanto que, se eles silenciosamente submetido, eles morariam em sua própria terra, Jeremias 27: 9 ; Particularmente Zedequias, rei de Judá, é exortado a submeter-se; E tanto ele como os sacerdotes e o povo são aconselhados a não dar ouvidos aos falsos profetas, Jeremias 27:12 ; Particularmente quanto ao que eles disseram sobre o rápido retorno dos vasos do templo, que foram levados para Babilônia; Mas poderiam assegurar-se que deveriam permanecer lá; E o resto também deve ser tomado, e não devolvido até o final dos setenta anos, Jeremias 27:16 . E por isso não deviam dar ouvidos aos seus profetas, que profetizavam mentiras; Se o fizessem, seria para seu mal; Enquanto que, se eles silenciosamente submetido, eles morariam em sua própria terra, Jeremias 27: 9 ; Particularmente Zedequias, rei de Judá, é exortado a submeter-se; E tanto ele como os sacerdotes e o povo são aconselhados a não dar ouvidos aos falsos profetas, Jeremias 27:12 ; Particularmente quanto ao que eles disseram sobre o rápido retorno dos vasos do templo, que foram levados para Babilônia; Mas poderiam assegurar-se que deveriam permanecer lá; E o resto também deve ser tomado, e não devolvido até o final dos setenta anos, Jeremias 27:16 .

 E por isso não deviam dar ouvidos aos seus profetas, que profetizavam mentiras; Se o fizessem, seria para seu mal; Enquanto que, se eles silenciosamente submetido, eles morariam em sua própria terra, Jeremias 27: 9 ; Particularmente Zedequias, rei de Judá, é exortado a submeter-se; E tanto ele como os sacerdotes e o povo são aconselhados a não dar ouvidos aos falsos profetas, Jeremias 27:12 ; Particularmente quanto ao que eles disseram sobre o rápido retorno dos vasos do templo, que foram levados para Babilônia; Mas poderiam assegurar-se que deveriam permanecer lá; E o resto também deve ser tomado, e não devolvido até o final dos setenta anos, Jeremias 27:16 . Se eles silenciosamente se submetiam, eles morariam em sua própria terra, Jeremias 27: 9 ; Particularmente Zedequias, rei de Judá, é exortado a submeter-se; E tanto ele como os sacerdotes e o povo são aconselhados a não dar ouvidos aos falsos profetas, Jeremias 27:12 ; Particularmente quanto ao que eles disseram sobre o rápido retorno dos vasos do templo, que foram levados para Babilônia; Mas poderiam assegurar-se que deveriam permanecer lá; E o resto também deve ser tomado, e não devolvido até o final dos setenta anos, Jeremias 27:16 . Se eles silenciosamente se submetiam, eles morariam em sua própria terra, Jeremias 27: 9 ; Particularmente Zedequias, rei de Judá, é exortado a submeter-se; E tanto ele como os sacerdotes e o povo são aconselhados a não dar ouvidos aos falsos profetas, Jeremias 27:12 ; Particularmente quanto ao que eles disseram sobre o rápido retorno dos vasos do templo, que foram levados para Babilônia; Mas poderiam assegurar-se que deveriam permanecer lá; E o resto também deve ser tomado, e não devolvido até o final dos setenta anos, Jeremias 27:16 . Jeremias 27:12 ; Particularmente quanto ao que eles disseram sobre o rápido retorno dos vasos do templo, que foram levados para Babilônia; Mas poderiam assegurar-se que deveriam permanecer lá; E o resto também deve ser tomado, e não devolvido até o final dos setenta anos, Jeremias 27:16 . Jeremias 27:12 ; Particularmente quanto ao que eles disseram sobre o rápido retorno dos vasos do templo, que foram levados para Babilônia; Mas poderiam assegurar-se que deveriam permanecer lá; E o resto também deve ser tomado, e não devolvido até o fim dos setenta anos, Jeremias 27:16 .

Versículos 1-11 
As vitórias de Nabucodonosor são previsíveis. BC 597.

E entreguei-o a quem me pareceu conhecer. 6 E agora eu entreguei todas estas terras na mão de Nabucodonosor, rei de Babilônia, eo meu servo e os animais do campo lhe dei também para servi-lo. 7 E todas as nações o servirão, e seu filho, e o filho de seu filho, até o tempo da sua terra; e então muitas nações e grandes reis se servirão dele. 8 E acontecerá que a nação eo reino que não servirão ao mesmo Nabucodonosor, rei de Babilônia, e que não puserem o seu pescoço debaixo do jugo do rei de Babilônia, essa nação eu castigarei, diz o Senhor , com a espada, e com a fome e com a peste, até que eu os tenha consumido pela sua mão. 9 Não vos ouçais, pois, aos vossos profetas, Nem aos vossos adivinhos, nem aos vossos sonhadores, nem aos vossos encantadores, nem aos vossos feiticeiros, que vos falam, dizendo: Não servireis ao rei de Babilónia; 10 porque vos profetizam mentira, A vossa terra e para que eu vos expulsasse, e vós pereçais. 11 Mas as nações que trazem o seu pescoço debaixo do jugo do rei de Babilônia, e o servirem, eu os deixarei ficar ainda na sua terra, diz o SENHOR, e eles a cultivarão e habitarão nela.

Alguma dificuldade ocorre na data desta profecia. Dizem que esta palavra vem a Jeremias no início do reinado de Jeoiaquim ( Jeremias 27: 1 ), e ainda os mensageiros, a quem ele deve entregar os emblemas de servidão, são ditos ( Jeremias 27: 3 ) para vir a Zedequias, rei de Judá, que só reinou onze anos depois do reinado de Jeoiaquim. Alguns fazem dele um erro da cópia e pensam que deve ser lido ( Jeremias 27: 1 ), No começo do reinado de Zedequias , para o qual algum escriba negligente, tendo seu olho no título do capítulo precedente, escreveu Joaquim. E, se alguém admitiria um erro em qualquer lugar, deveria estar aqui, Porque Zedequias é mencionado novamente ( Jeremias 27:12 ), ea próxima profecia é datada do mesmo ano, e disse-se que no princípio do reinado de Zedequias, Jeremias 28: 1 . No começo do reinado de Jeoiaquim, Jeremias deve fazer esses laços e jugo, e colocá-los em seu próprio pescoço, em sinal de sujeição de Judá ao rei de Babilônia, que começou naquele tempo, mas ele é Para enviá-los aos reis vizinhos depois no reinado de Zedequias, de cuja sucessão a Jeoaquim, e os embaixadores enviados a ele, menção é feita por meio de previsão. Jeremias 28: 1 . No começo do reinado de Jeoiaquim, Jeremias deve fazer esses laços e jugo, e colocá-los em seu próprio pescoço, em sinal de sujeição de Judá ao rei de Babilônia, que começou naquele tempo, mas ele é Para enviá-los aos reis vizinhos depois no reinado de Zedequias, de cuja sucessão a Jeoaquim, e os embaixadores enviados a ele, menção é feita por meio de previsão. Jeremias 28: 1 . No começo do reinado de Jeoiaquim, Jeremias deve fazer esses laços e jugo, e colocá-los em seu próprio pescoço, em sinal de sujeição de Judá ao rei de Babilônia, que começou naquele tempo, mas ele é Para enviá-los aos reis vizinhos depois no reinado de Zedequias, de cuja sucessão a Jeoaquim, e os embaixadores enviados a ele, menção é feita por meio de previsão.

I. Jeremias deve preparar um sinal da redução geral de todos estes países para sujeição ao rei de Babilônia ( Jeremias 27: 2 ): Fazei laços e jugo, juntas com laços para prendê-los, para que a besta não possa escorregar Pescoço fora do jugo. Nestes, o profeta deve colocar seu próprio pescoço para fazer com que eles sejam notados como uma representação profética para cada um perguntar: Qual é o significado dos jubos de Jeremias? Encontramo-lo com um em Jeremias 28:10 . Dizia que não os aconselhava senão o que estava decidido a fazer por si mesmo, pois não era um daqueles que ligam pesados ​​fardos aos outros, que eles próprios não tocarão com um dos seus dedos.

II. Ele enviará isto, com um sermão anexado a ele, a todos os príncipes vizinhos que são mencionados ( Jeremias 27: 3 ) que ficam ao lado da terra de Canaã. Parece que houve um tratado de aliança a pé entre o rei de Judá e todos os outros reis. Jerusalém era o lugar designado para o tratado. Lá todos eles enviaram seus plenipotenciários e foi acordado que eles deveriam se ligar em uma liga ofensiva e defensiva, para estar um ao outro, em oposição à crescente ameaçadora grandeza do rei da Babilônia, e para reduzir o seu poder exorbitante. Eles tinham grande confiança em suas forças assim unidas e estavam prontos para se chamar aliados altos, mas, quando os enviados estavam retornando a seus respectivos mestres com a ratificação deste tratado, Jeremias dá a cada um deles um jugo para levar a seu senhor, para significar a ele que ele deve ou por consentimento ou por obrigação tornar-se um servo do rei de Babilônia, que ele escolha que ele quer. No sermão sobre este sinal, 1. Deus afirma seu próprio direito indiscutível de dispor de reinos como quiser, Jeremias 27: 5 . Ele é o Criador de todas as coisas que ele fez a terra em primeiro lugar, estabeleceu-a, e permanece: ainda é o mesmo, embora uma geração passa e outra vem. Ele ainda por uma criação continuada produz o homem e a besta no chão, e é por seu grande poder e braço estendido. Seu braço tem força infinita, embora seja esticado. Por esta conta ele pode dar e transmitir uma propriedade e domínio a quem quiser.
 Como ele graciosamente deu a terra aos filhos dos homens em geral ( Salmo 115: 16 ), assim ele dá a cada um a sua parte dela, seja mais ou menos. Note: Qualquer que seja o que for das coisas boas deste mundo, é o que Deus julga oportuno dar-lhes, por isso devemos nos contentar, embora tenhamos muito pouco, e não invejemos sua parte, embora tenham tido tanto. 2. Ele publica uma concessão de todos estes países a Nabucodonosor. Conheça todos os homens por estes presentes. Sciant præ sentes et futuri - Que os do presente e os da idade futura saibam. "Isto é para certificar a todos os que pode interessar que eu dei todas estas terras, E, no entanto, Deus o chama de seu servo, porque o empregou como instrumento de sua providência para castigar as nações, e particularmente seu próprio povo e para seu serviço nele, assim o pagou liberalmente. Aqueles a quem Deus faz uso não perderá muito mais por ele, será achado o generoso galardoador de todos aqueles que o servem de forma designada e sinceramente. 3. Ele lhes assegura que todos devem ser inevitavelmente trazidos sob o domínio do rei da Babilônia por um tempo ( Jeremias 27: 7 ): Todas as nações, todas estas nações e muitos outros, servirão a ele, e seu filho, e seu Filho do filho. Seu filho era Mal-merodac e o filho de seu filho, Belsazar, em quem o seu reino cessava; então chegou o tempo do juízo com a sua terra, quando as mesas se voltaram, E muitas nações e grandes reis, incorporados no império dos medos e persas, serviram-se dele, como antes, Jeremias 25:14 .
 Assim Adonibezek foi pisado em cima de himself, como pisoteou em outros reis. 4. Ele ameaça aqueles com execução militar que se destacaram e não se submeteriam ao rei de Babilônia ( Jeremias 27: 8 ): A nação que não colocar o pescoço sob o seu jugo , castigarei com espada e fome, com um único julgamento depois Outro, até que seja consumido pela sua mão. Nabucodonosor era muito injusto e bárbaro em invadir os direitos e as liberdades de seus vizinhos assim, E forçando-os em uma sujeição a ele, porém, Deus tinha fins justos e sagrados em permiti-lo a fazê-lo, para punir essas nações por sua idolatria e grossas imoralidades. Aqueles que não serviriam ao Deus que os fez foram justamente feitos para servir seus inimigos que procuravam arruiná-los. 5. Ele lhes mostra a vaidade de todas as esperanças com que se alimentaram, para que preservem suas liberdades, Jeremias 27: 9,10 .
 Essas nações tinham seus profetas também, que fingiam prever eventos futuros pelas estrelas, ou por sonhos, ou encantamentos e eles, para agradar seus patrões, e porque eles próprios o teriam assim, lisonjeado lhes com garantias de que eles não deveriam servir a Rei da Babilônia. Assim, destinavam-se a animá-los a uma vigorosa resistência e, Embora não tivessem fundamento para isso, esperavam por este meio fazer-lhes o serviço. Mas ele lhes diz que isso provaria a sua destruição porque, resistindo, eles provocariam o conquistador para lidar severamente com eles, para removê-los e expulsá-los para um miserável cativeiro, no qual todos eles deveriam ser perdidos e enterrados no esquecimento. As profecias particulares contra estas nações que cercam Israel em separado, cuja ruína é aqui predita no geral, nos encontraremos com Ezequiel. Xxv., Que teve a mesma realização com este aqui. Nota: Quando Deus julgar, ele vencerá. 6. Ele os coloca em uma maneira justa para impedir a sua destruição por uma submissão tranquila e fácil, Jeremias 27:11 . As nações que se contentarão em servir o rei de Babilônia, e pagar-lhe-ão tributo por setenta anos (dez estágios), que eu deixarei permanecer ainda em sua própria terra. Aqueles que se dobrarão não se quebrarão. Talvez o domínio do rei de Babilônia não lhes seja mais difícil do que o de seus próprios reis. Muitas vezes é mais um ponto de honra do que a verdadeira sabedoria preferir a liberdade antes da vida. Não é mencionado para a desgraça de Issacar que porque ele viu resto foi bom, e a terra desejável, que ele poderia pacificamente apreciá-lo, ele se curvou seus ombros à carga, e tornou-se um servo de tributo ( Gênesis 49: 14,15 ) , Como aqui é aconselhado a fazer: Servir o rei de Babilônia e você deve cultivar a terra e morar nela. Alguns condenariam isso como a evidência de um espírito mesquinho, mas o profeta o recomenda como aquele de um espírito manso, que cede à necessidade, e por uma submissão silenciosa às mais difíceis voltas da Providência faz o melhor do mal: é melhor Fazê-lo do que lutando para torná-lo pior.

------ Levius fit patientia 
Quicquid corrigere est nefas .---- HOR. 
------ Quando precisamos deve suportar, 
Enduring paciência torna o fardo leve.
CREECH.

Muitos poderiam ter impedido de destruir providências humilhando-se sob providências humildes. É melhor pegar uma cruz mais clara no nosso caminho do que puxar um pesado em nossa própria cabeça.

Versículos 12-22 

O conselho de Jeremias a Zedequias Submetido a Nabucodonosor. BC 597.

12 Também falei a Zedequias, rei de Judá, segundo todas estas palavras, dizendo: Trazei os vossos pescoços sob o jugo do rei de Babilônia, servindo-o a ele e ao seu povo, e habitando. 13 Por que morrerás, tu e teu povo, pela espada, pela fome e pela peste, como o SENHOR falou contra a nação que não servirá ao rei de Babilônia? 14 Portanto não ouçam as palavras dos profetas que vos falam, dizendo: Não servireis ao rei de Babilônia, porque vos profetizam mentira. 15 Pois eu não os enviei, diz o SENHOR , mas profetizam uma mentira em meu nome, para que eu os expulse, e para que perecereis, vós, e os profetas que vos profetizam. 16 Também falei aos sacerdotes e a todo este povo, dizendo: Assim diz o SENHOR: Não atenteis às palavras dos vossos profetas que vos profetizam, dizendo: Eis que os vasos da casa do SENHOR serão agora brevemente trazidos de Babilônia; porque eles vos profetizam mentira. 17 Não atendeis que sirvam ao rei de Babilônia, e vivam; por que esta cidade será destruída? 18 Mas se eles são profetas, e se a palavra do SENHOR estiver com eles, façam agora a intercessão ao SENHOR dos exércitos, para que os vasos que ficam na casa do SENHOR e na casa do SENHOR , O rei de Judá, e em Jerusalém, não vá a Babilônia. 19 Pois assim diz o Senhor dos exércitos sobre as colunas,

O que foi dito a todas as nações é aqui com uma ternura particular aplicada à nação dos judeus, para quem Jeremias estava sensatamente preocupado. O caso atual era assim: Judá e Jerusalém tinham muitas vezes contestado com o rei da Babilônia, e ainda eram penteados muitas de suas pessoas valiosas e seus bens valiosos foram levados para Babilônia já, e alguns dos vasos da casa do Senhor em particular. Agora, como esta luta iria emitir era a questão. Eles tinham em Jerusalém aqueles que fingiam ser profetas, que os mandaram aguentar e que, em pouco tempo, seriam muito duros para o rei de Babilônia e recuperariam tudo o que haviam perdido. Agora Jeremias é enviado para lhes dar rendimentos e derrubar, para que, em vez de recuperar o que tinham perdido,

I. Jeremias humildemente se dirige ao rei de Judá, para persuadi-lo a render-se ao rei de Babilônia. Seu ato seria do povo e os determinaria, e por isso ele fala a ele como a todos eles ( Jeremias 27:12 ): Traga seus pescoços sob o jugo do rei de Babilônia e viva. É a sua sabedoria submeter-se ao pesado jugo de ferro de um tirano cruel, para que possam assegurar a vida de seus corpos? E não é muito mais nossa sabedoria submeter-nos ao doce e fácil jugo de nosso Senhor e Mestre Jesus Cristo, para que possamos assegurar a vida de nossas almas? Abaixe seus espíritos ao arrependimento e à fé, e esse é o caminho para elevar seus espíritos ao céu e à glória. E com muito mais coerência e compaixão poderemos expôr com almas perecendo do que Jeremias aqui expõe com um povo que perece: " Por que você vai morrer pela espada e pela fome - mortes miseráveis, que você inevitavelmente executar-se sobre, sob pretexto de evitar miserável vidas?" O que Deus tinha falado, em geral, de todos aqueles que não se submeteriam ao rei de Babilônia, ele teria que se aplicar a si mesmos e ter medo. Ficaria bem se os pecadores tivessem medo da destruição ameaçada contra todos aqueles que não querem que Cristo reine sobre eles, e raciocinem assim consigo mesmos: " Por que devemos morrer a segunda morte, que é mil vezes Pior do que por espada e fome,

II. Ele se dirige também aos sacerdotes e ao povo ( Jeremias 27:16 ), para persuadi-los a servir ao rei de Babilônia, para que vivam e possam impedir a desolação da cidade ( Jeremias 27:17 ): " Portanto, Ele será devastado , como certamente será se você se destaca? " Os sacerdotes haviam sido inimigos de Jeremias, e haviam buscado sua vida para destruí-la; contudo, ele aprova seu amigo e busca suas vidas para preservá-los e protegê-los, o que é um exemplo para nos tornar bons para o mal. Quando o sangue-sede odeio os retos, mas os justos procuram o seu bem, e o bem-estar dela, Provérbios 29: 10 . O assunto estava muito longe aqui eles estavam à beira da ruína, que eles não teriam sido trazidos para se eles teriam tomado o conselho de Jeremiah, mas ele continua suas advertências amigáveis ​​para eles, para salvar a última estaca e gerenciar isso sabiamente, e agora Longamente neste dia, para entenderem as coisas que pertencem à sua paz, quando eles tinham apenas um dia para entregá-los.

III. Em ambos os discursos, ele os adverte a não dar crédito aos falsos profetas que os abalaram na sua segurança, porque viram que eles adoravam dormir: " Não ouçam as palavras dos profetas ( Jeremias 27:14 ), os vossos profetas, Jeremias 27:16 Eles não são os profetas de Deus que ele nunca enviou, eles não o servem, nem procuram agradar-lhe que são teus, porque dizem o que você quer que eles digam, e não apontam nada além de agradá-lo. Duas coisas os seus profetas lisonjearam-nos na crença de: 1. Que o poder que o rei de Babilônia tinha conquistado sobre eles deve agora ser quebrado em breve. Eles disseram ( Jeremias 27:14 ), " Pois certamente terminaria em serem expulsos e perecerem. De modo que tudo era uma mentira, do princípio ao fim, e os profetas que enganaram o povo com estas mentiras fizeram, no assunto, mas enganam-se os líderes cegos e os seguidores cegos caíram juntos na vala: Para que você pereça, você , E os profetas que vos profetizam , que estarão tão longe de garantir a vossa segurança que não podem se assegurar. Note: Aqueles que encorajam os pecadores a prosseguirem em seus caminhos pecaminosos acabarão perecendo com eles. 2. Eles profetizaram que os vasos do templo, que o rei de Babilônia já havia levado, deveriam agora ser trazidos de volta ( Jeremias 27:16 ), isto eles alimentavam os sacerdotes com a esperança de, sabendo quão aceitável seria eles, Que amou o ouro do templo melhor do que o templo que santificou o ouro. Estes navios foram levados quando Jeconias foi levado cativo para Babilônia, Jeremias 27:20 . Temos a história, e é uma melancolia, 2Chron. Xxxvi. 10. Todos os vasos ( todos os utensílios de ouro que estavam na casa do Senhor ), com todos os tesouros, foram tomados como presas e levados para Babilônia. Isto era penoso para eles acima de qualquer coisa para o templo era seu orgulho e confiança, eo despojamento disso era uma indicação muito clara daquilo que o verdadeiro profeta lhes disse, que o seu Deus tinha se afastado deles. Portanto, seus falsos profetas não tinham outra maneira de torná-los mais fáceis do que dizendo-lhes que o rei de Babilônia deveria ser forçado a restaurá-los em pouco tempo. Agora, aqui, (1) Jeremias lhes pede que pensem em preservar os vasos que permaneceram por suas orações, ao invés de trazer de volta aqueles que haviam desaparecido por suas profecias ( Jeremias 27:18 ): Se eles são profetas, como eles fingem, e Se a palavra do Senhor estiver com eles - se eles tiverem qualquer relação com o céu e qualquer interesse lá, que eles melhorem para a interrupção do progresso do julgamento que eles entrem na brecha, e ficar com seu incensário entre o Vivos e mortos, entre o que é levado eo que permanece, Para que a praga seja estendida, façam intercessão com o Senhor dos exércitos, para que os vasos que sobraram não venham depois dos demais. [1.] Em vez de profetizar, orem. Note, Profetas devem ser orando homens por ser muito em oração eles devem fazer parecer que eles mantêm uma correspondência com o céu. 

Não podemos pensar que aqueles que, como profetas, ouvem sempre isso, que não freqüentemente enviam para lá a oração. Ao orarem pela segurança e prosperidade do santuário, devem fazê-lo parecer que, como se torna profetas, são de espírito público e pelo sucesso de suas orações, parecerá que Deus os favorece. [2] Em vez de se preocuparem com a recuperação do que haviam perdido, devem se esforçar para proteger o que restava, E tomá-lo como um grande favor se eles podem ganhar esse ponto. Quando os julgamentos de Deus estiverem no exterior, não devemos buscar grandes coisas, mas sermos gratos por um pouco. (2) Ele lhes assegura que mesmo este ponto não deve ser obtido, mas os vasos de bronze devem ir após os dourados, Jeremias 27: 19,22 .
 Nabucodonosor tinha achado tão bom espólio uma vez que ele teria certeza de voltar e tomar tudo o que pudesse encontrar, não só na casa do Senhor, mas na casa do rei. Todos serão levados a Babilônia em triunfo, e ali estarão. Mas ele conclui com uma graciosa promessa de que o tempo deve vir quando todos devem ser devolvidos : Até o dia que eu visitá-los em misericórdia , de acordo com a nomeação, E então levarei de novo esses vasos , e os restaurarei a este lugar, ao seu lugar. Certamente eles estavam sob a proteção de uma Providência especial, senão eles teriam sido derretidos e colocados para algum outro uso, mas haveria de haver um segundo templo, para o qual eles deveriam ser reservados. Lemos particularmente sobre o retorno deles, Esdras 1: 8 . Nota: Embora o retorno da prosperidade da igreja não venha em nosso tempo, não devemos desesperar disso, pois virá no tempo de Deus. Embora aqueles que disseram, os utensílios da casa do Senhor deve logo ser trazido de novo, profetizou uma mentira ( Jeremias 27:16 ), mas aquele que disse: Devem longamente ser trazido de novo, profetizou a verdade. Estamos aptos a pôr nosso relógio diante do mostrador de Deus, e depois a brigar porque eles não concordam, mas o Senhor é um Deus de juízo, e convém que esperemos por ele.(notas coment. Mathew Henrys).

Lições primaio CPAD n.9 indo ao Egito 2 trim-2017


                                   Professor Escritor Mauricio Berwald









domingo, 21 de maio de 2017

Liçãoes adultos CPAD 2 trim-2017 n.9 Hulda

Adultos Revista Do professor  CPAD
28 de Maio de 2017 Trimestre: 2°  2017




Texto Áureo

"Assim diz o Senhor: Eis que trarei mal sobre este lugar e sobre os seus habitantes, a saber, todas as maldições que estão escritas no livro que se leu perante o rei de Judá." (2 Cr 34.24)

Verdade Prática
Quando o povo se corrompe, Deus levanta homens e mulheres como instrumentos de advertência contra o pecado.

LEITURA DIÁRIA
Segunda - Pv 16.18: A soberba precede a ruína
Terça - Dn 4.17: Deus tem domínio sobre os reinos dos homens
Quarta - Jn 4.2: Deus é longânimo e grande em benignidade
Quinta – Nm 14,l8b: Deus não tem o culpado por inocente
Sexta – Sl 51.17: Deus não despreza um coração quebrantado
Sábado - 2 Cr 7.14:Quando a Igreja ora, Deus sara a terra 

                             LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
2Crônicas 34.22-28:

22 Então Hilquias, e os enviados do rei, foram ter com a profetiza Hulda, mulher de Salum, filho de Tocate, filho de Harás, guarda das vestimentas ( e habitava ela em Jerusalém na segunda parte ); e falaram-lhe a esse respeito.
23 E ela lhes disse: Assim diz o SENHOR Deus de Israel: Dizei ao homem que vos enviou a mim:
24 Assim diz o SENHOR: Eis que trarei mal sobre este lugar, e sobre os seus habitantes, a saber, todas as maldições que estão escritas no livro que se leu perante o rei de Judá.
25 Porque me deixaram, e queimaram incenso perante outros deuses, para me provocarem à ira com todas as obras das suas mãos; portanto o meu furor se derramou sobre este lugar, e não se apagará.
26 Porém ao rei de Judá, que vos enviou a consultar ao SENHOR, assim lhe direis: Assim diz o SENHOR Deus de Israel, quanto às palavras que ouviste:
27 Porquanto o teu coração se enterneceu, e te humilhaste perante Deus, ouvindo as suas palavras contra este lugar, e contra os seus habitantes, e te humilhaste perante mim, e rasgaste as tuas vestes, e choraste perante mim, também eu te ouvi, diz o SENHOR.
28 Eis que te reunirei a teus pais, e tu serás recolhido ao teu sepulcro em paz, e os teus olhos não verão todo o mal que hei de trazer sobre este lugar e sobre os seus habitantes. E tornaram com esta resposta ao rei.

HINOS SUGERIDOS: 127, 151, 497 DA HARPA CRISTà
OBJETIVO GERAL

Ressaltar que quando o povo se corrompe. Deus levanta homens e mulheres como instrumentos de advertência.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 Mostrar quem era a profetisa Hulda;
 Saber que Hulda viu o tempo do avivamento;
 Explicar que Hulda foi levantada e usada por Deus.

 INTERAGINDO COM O PROFESSOR

Prezado professor, procure dar ênfase ao fato de que os israelitas estavam vivendo um período de grande apostasia quando Josias foi levantado como rei. O povo de Deus buscava os ídolos com entusiasmo, por isso. Ele levantou Hulda com uma mensagem contundente. O fato de Hulda ter sido levantada, pelo Senhor, como profetisa, nos mostra que, embora Israel fosse uma sociedade patriarcal. Deus também usava as mulheres em f unções de liderança. O Senhor usou Miriã como profetisa (Êx 15.20), Débora para julgar Israel no tempo dos juizes (Jz 4.4) e mais uma vez levantou uma mulher, Hulda, para chamar a atenção dos israelitas a respeito dos pecados que vinham cometendo. Com ousadia e coragem ela confrontou a nação sobre as consequências de seus pecados afim de que se arrependessem e se voltassem para Deus. O Senhor amava seu povo, por isso iria discipliná-lo. Só havia uma saída capaz de fazer com que Judá escapasse do juízo iminente, o arrependimento sincero. Mas, Hulda não profetizou somente o juízo de Deus contra a rebeldia e o pecado, ela também anunciou um tempo de restauração e prosperidade que se daria no reinado de Josias (2 Rs 22.18-20).

COMENTÁRIO INTRODUÇÃO

Hulda entrou na história do povo de Judá, mas logo desapareceu, após cumprir a missão árdua que Deus lhe confiara. Ela entrou em cena quando o rei Josias tomou conhecimento do conteúdo do livro da Lei, que fora perdido na Casa do Senhor. Ao ouvir a leitura do livro da Lei e as maldições que cairiam sobre seu povo, o rei mandou consultar ao Senhor sobre tamanha desgraça, causada pela desobediência de Judá. E Hulda, usada por Deus, proferiu terrível profecia contra Judá, mostrando que Deus iria derramar terrível juízo sobre a desobediência do povo.

PONTO CENTRAL

Deus levanta homens e mulheres como instrumentos de advertência.
I- QUEM FOI HULDA

1. Hulda.
Ela foi uma serva de Deus que demonstrou um caráter firme, decidido e discreto, num tempo em que os lis e os profetas haviam se desviado dos caminhos do Senhor. O texto em estudo diz que ela era esposa de Salum, filho de Tocate, que era guardador das vestimentas, e habitava em Jerusalém, "na segunda parte" da cidade, ou na "cidade baixa" (2 Rs 22.14).
2. Atividade que exerceu.
Ela exerceu a atividade de profetisa, num tempo em que esse ofício era predominantemente confiado aos homens. Hulda testemunhou a ascensão e queda do reino de Ezequias, e decadência de Judá, nos tempos de Manassés e Amom (2 Cr 33.11-25). Ela entrou em cena num momento dramático da história do reino de Judá (639-609 a.C).
3. Deus ouviu Hulda.
Se os outros reis não tomaram conhecimento de seu ministério profético, ela viu Deus trabalhar de forma evidente para ouvir suas orações e levantou um menino para promover mudanças impactantes no reino Judá.

SÍNTESE DO TÓPICO l
Huldafoi escolhida pelo Senhor para trazer uma mensagem de arrependimento em um tempo de apostasia.
SUBSÍDIO BIBLIOLÓGICO
Hulda
"Mulher de Salum, guarda das roupas da corte de Josias, que viveu na cidade baixa de Jerusalém como uma reconhecida profetisa. Quando Josias sentiu-se condenado pelo livro da lei, encontrado durante a reforma do Templo, enviou oficiais para inquirirem de Deus quanto ao seu significado. Embora Jeremias fosse comtemporâneo, eles foram até Hulda, que profetizou o juízo contra a nação, mas a paz para Josias; ele, então iniciou as reformas (2 Rs 22.14-20)" (Dicionário Bíblico Wycliffe.l.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, p. 940).

II-HULDA VÊ O TEMPO DO AVIVAMENTO

1. Josias promove verdadeiro avivamento.
Aos oito anos de idade, Josias foi posto no trono pelo povo, em resposta aos inimigos de seu pai, permanecendo durante trinta e um anos à frente de Israel (639-609 a.C). Tornou-se o décimo sétimo rei de Judá, cuja capital era Jerusalém. Contrariando a sequência perversa de idolatria, corrupção e apostasia, com o apoio de conselheiros reais, Josias "[... ] fez o que era reto aos olhos do Senhor e andou nos caminhos de Davi, seu pai, sem se desviar deles nem para a direita nem para a esquerda" (2 Cr 34.2).
2. Aboliu a idolatria.
Ainda moço, tomou medidas drásticas e corajosas contra a idolatria que tomou conta de Jerusalém e de cidades vizinhas, no oitavo ano de seu reinado (2 Cr 34.3-7).
Para um jovem rei, tomar tais medidas não seria possível se não fosse com respaldo de Deus, e com apoio de homens sérios, que trabalhavam no reino, como parte de um "remanescente fiel", que buscava o bem do seu povo e não os interesses mesquinhos dos que se aproveitavam do reino para satisfação de seus interesses pessoais, carnais e diabólicos.
3. Resgatou a Lei do Senhor.
Aos vinte e seis anos de idade, Josias mandou reparar a Casa do Senhor, que tinha sido desprezada pêlos seus antecessores idólatras (2 Cr 34.8-11). Em meio à restauração física do Templo, o sumo sacerdote Hilquias, através de Safa, fez ciente ao rei que o livro da Lei, que se achava perdido, na casa do Senhor, fora encontrado. Ao ouvir o conteúdo do livro, o rei rasgou suas vestes, chamou seus assessores, incluindo Safa, que era escrivão, e deu ordem, dizendo: "Ide, consultai ao Senhor, por mim e pêlos que restam em Israel e em Judá, sobre as palavras deste livro que se achou, porque grande é o furor do Senhor, que se derramou sobre nós; porquanto nossos pais não guardaram a palavra do Senhor, para fazerem conforme tudo quanto está escrito neste livro" (2 Cr 34.21).

SÍNTESE DO TÓPICO II
Hulda também profetizou um tempo de avivamento.
SUBSÍDIO BIBLIOLÓGICO

 "Josias foi o último dos reis justos de Judá. Já em tenra idade começou a buscar o Senhor com toda a dedicação e, quatro anos mais tarde, começou a expurgar de Judá a religião falsa. Enquanto o Templo estava sendo restaurado, Hilquias achou o livro da Lei escrito por Moisés. Surgiu daí um novo compromisso com a Palavra de Deus, todo o país experimentou uma renovação espiritual.Os profetas Jeremias, Sofonias e Habacuque ajudaram Josias no seu esforço de reconciliar o povo com Deus; quanto à condição espiritual do povo nos tempos de Josias.
O 'livro da lei' que Hilquias achou, tratava-se da lei que fora dada 'pelas mãos de Moisés'; era, sem dúvida, um exemplar do Pentateuco, ou seja: os cinco livros da Bíblia. Essa descoberta dá testemunho da mão previdente e soberana de Deus, cuidando da sua Palavra inspirada, protegendo-a da destruição pêlos idólatras e apóstatas. Realmente, a inspirada Palavra de Deus escrita é indestrutível" (Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, p. 609).

III - HULDA É USADA POR DEUS
1. A dura mensagem de Deus.

Recebendo a consulta do rei, Hulda foi usada por Deus para profetizar com relação a dois eventos. O primeiro, prevendo a destruição de Judá por causa da idolatria (2 Rs 22.14-17); o segundo, prevendo restauração e prosperidade, no reinado de Josias (2 Rs 22.18-20). O sumo sacerdote Hilquias e os demais assessores do rei foram procurar a profetisa Hulda para saber o que iria acontecer com Judá. "E ela lhes disse: Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Dizei ao homem que vos enviou a mim: Assim diz o Senhor: Eis que trarei mal sobre este lugar e sobre os seus habitantes [...]" (2 Cr 34.23). Era o prenúncio do cativeiro de Judá, o que aconteceu em 586 a.C.
2. Hulda profetiza para o rei Josias.
Na crise espiritual de Judá e Jerusalém, Deus mostrou à profetisa Hulda que o rei Josias não seguiu os maus caminhos de seus pais, mas humilhou-se diante de Deus. Disse Hulda, aos mensageiros do rei que Deus viu como Josias se humilhou, quando ouviu a leitura do livro da Lei, e o juízo de Deus sobre Judá. E que Deus lhe daria livramento e ele desceria ao sepulcro em paz (2 Cr 34.26-28). Deus teve misericórdia do jovem rei de Judá. A resposta de Deus a Josias foi altamente confortadora para ele.
3. O efeito da profecia sobre Judá e Jerusalém.
Após ouvir a mensagem profética de Hulda, Josias tomou de pronto algumas medidas que demonstram o seu cuidado e zelo em ouvir a voz de Deus.
Observe:
a) Josias fez uma convocação urgente "a todos os anciãos de Judá e Jerusalém". As mudanças numa nação, ou numa igreja, só têm efeito se começarem pela liderança.
b) Ele "subiu à Casa do Senhor com todos os homens de Judá e os habitantes de Jerusalém, e os sacerdotes, e os levitas, e todo o povo, desde o maior até ao menor". Depois de reunir todo o povo, "e ele leu aos ouvidos deles todas as palavras do livro do concerto, que se tinha achado na Casa do Senhor" (2 Cr 34.30).
c) Ele fez um concerto com Deus. "E pôs-se o rei em pé em seu lugar e fez concerto perante o Senhor [...] com todo o seu coração e com toda a sua alma, cumprindo as palavras do concerto, que estão escritas naquele livro" (2 Cr 34.31).
d) Em seguida, ele levou o povo a fazer o concerto com Deus. "E fez estar em pé a todos quantos se acharam em Jerusalém e em Benjamim; e os habitantes de Jerusalém fizeram conforme o concerto de Deus, do Deus de seus pais" (2 Cr 34.32). O verdadeiro líder vai na frente e influencia seus liderados.
e) Aboliu por completo a idolatria. Por fim, Josias usou da autoridade que Deus lhe concedera e determinou que "todas as abominações" fossem tiradas do meio de Israel (2 Cr 34.33). Depois das reformas necessárias, Josias cumpriu o que Deus determinara, e celebrou a Páscoa do Senhor, em Jerusalém (2 Cr 35.1-19).

SÍNTESE DO TÓPICO III

Hulda foi usada por Deus para advertir o rei e os israelitas do pecado de apostasia.
SUBSÍDIO BIBLIOLÓGICO

"O grupo designado por Josias procurou a profetisa Hulda. É difícil explicar porque eles desconsideraram servos de Deus como Sofonias, Jeremias ou possivelmente Habacuque, que viviam naquele tempo. Ela era rara exceção, já que os homens normalmente ocupavam o cargo de profeta. Hulda, presumivelmente, havia se estabelecido como uma confiável porta-voz de Deus. A sua inspiração profética nesta ocasião é justificativa suficiente para os servos do rei a terem procurado.
A palavra do Senhor através de Hulda consistia de dois pontos principais: (a) A ira de Deus havia sido acesa e o julgamento viria sobre o povo por causa das práticas idólatras; Josias, o rei de Judá não viveria para ver a destruição e a desolação resultante da ira de Deus.A importância das Escrituras tanto na vida pessoal como nacional é realçada nos versículos de 2 Reis 22.8-20. O tema desta passagem é 'trazendo o livro de volta',
(1) A lei estava perdida dentro do próprio Templo;
(2) Sua repercussão levou ao arrependimento;
(3) O arrependimento leva ao reavivamento;
(4) O reavivamento possibilita a prorrogação da pena, e inclina os corações à busca do perdão" (Comentário Bíblico Beacon. l.ed. Vol. 1. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p. 385).
CONHEÇA MAIS
Josias
"A intenção de Deus em trazer desastre sobre Judá como punição é confirmada pela profetisa Hulda. Porém, a Josias é prometido que o julgamento não acontecerá em seu tempo. Josias responde a essa palavra de graça ao redobrar seus esforços em direção ao Senhor. Nesse mesmo ano, Josias conclama seu povo para novamente celebrar a Páscoa, com cerimonia sem igual desde o tempo de Samuel. Com a idade de 39 anos, o reinado devoto de Josias finaliza subta-mente. Ele é morto lutando contra o faraó Neco que, aparentemente, está correndo para ajudar as forças assírias presentes a serem esmagadas pêlos babilónios." Para conhecer mais leia. Guia do Leitor da Bíblia, CPAD, p. 301.

CONCLUSÃO

A profetisa Hulda foi uma mulher de Deus, que teve um papel significante para a história de seu povo, ainda que de modo muito passageiro. Seu papel foi coadjuvante, mas o que importa é a qualidade de seu trabalho e não a extensão de seu ministério. Soube colocar-se no lugar que Deus lhe reservou, com discrição e humildade. Mas, no momento certo, entregou a mensagem de condenação de Deus ao povo de Judá, que de modo contumaz, se afastara dos caminhos do Senhor.

PARA REFLETIR

A respeito de Hulda, a mulher que estava no lugar certo, responda:
 Quando Hulda exerceu o papel de profetisa?
Num tempo em que esse ofício era predominantemente confiado a homens.
 Hulda foi contemporânea de que reis?
Ezequias, Manassés, Amom e Josias.
 Onde estava o livro da Lei, no tempo de Josias?
Estava perdido, na casa do Senhor.
 Que previu Hulda em sua profecia?
A destruição de Judá por causa da idolatria e a sua restauração, no reinado de Josias.
 Que fez Josias em relação à idolatria?
Determinou que todas as abominações fossem tiradas do meio de Israel.