sábado, 24 de junho de 2017

Subsidio adolescentes sociedade n.1 JO 17.15-19





     SUBSIDIO ADOLESCENTES SOCIEDADE N.1 JO 17.15-19

                          Professor Escritor Mauricio Berwald

Verso 15 

João 17:15 . Não peço que os tire do mundo, mas que os guarde fora do maligno. Os discípulos estão no mundo, e Jesus ainda não pode orar para que possam ser retirados dele, pois o próprio propósito do Pai é que eles sejam deixados nele para continuar a Sua obra. O que ele ora é, que, como seu trabalho e Sua vontade serão idênticos, assim também sua preservação pode ser idêntica, com a Sua própria. 
O elemento que distinguiu Sua preservação foi o mencionado no cap. João 14:30 , - uma separação total entre o príncipe deste mundo e ele. A mesma separação completa que ele teria agora para eles, não apenas para que eles sejam libertos dos ataques do maligno, mas também para que eles sejam mantidos "fora de" ele, Pode não ter comunhão com ele, nenhum enfraquecimento de seu testemunho ao render-se a ele, mas pode ser solteiro, puro e fiel ao último como Ele havia sido. A expressão 'para ser mantida fora do maligno' pode surpreender o leitor até que ele re membros que em 1 João 5: 19-20 o Apóstolo realmente fala do mundo como deitado no maligno.
 O ensinamento deste Evangelho e de todo o Novo Testamento é que existem duas esferas em que o homem pode viver, o do mundo e seu príncipe, e o de "Jesus Cristo". (Compare as muitas passagens que falam do cristão como " em Cristo".) Nossa oração deve ser, não para que possamos ser mantidos 'de' um, mas para que possamos ser mantidos 'de' um e 'em ' o outro. Mas pode ser solteiro, puro e fiel ao último como Ele tinha sido. A expressão 'para ser mantida fora do maligno' pode surpreender o leitor até que ele re membros que em 1 João 5: 19-20 o Apóstolo realmente fala do mundo como deitado no maligno.
 O ensinamento deste Evangelho e de todo o Novo Testamento é que existem duas esferas em que o homem pode viver, o do mundo e seu príncipe, e o de "Jesus Cristo". (Compare as muitas passagens que falam do cristão como " em Cristo".) Nossa oração deve ser, não para que possamos ser mantidos 'de' um, mas para que possamos ser mantidos 'de' um e 'em ' o outro. Mas pode ser solteiro, puro e fiel ao último como Ele tinha sido. A expressão 'para ser mantida fora do maligno' pode surpreender o leitor até que ele re membros que em 1 João 5: 19-20 o Apóstolo realmente fala do mundo como deitado no maligno. O ensinamento deste Evangelho e de todo o Novo Testamento é que existem duas esferas em que o homem pode viver, o do mundo e seu príncipe, e o de "Jesus Cristo". (Compare as muitas passagens que falam do cristão como " em Cristo".) Nossa oração deve ser, não para que possamos ser mantidos 'de' um, mas para que possamos ser mantidos 'de' um e 'em ' o outro. A expressão 'para ser mantida fora do maligno' pode surpreender o leitor até que ele re membros que em 1 João 5: 19-20 o Apóstolo realmente fala do mundo como deitado no maligno. 
O ensinamento deste Evangelho e de todo o Novo Testamento é que existem duas esferas em que o homem pode viver, o do mundo e seu príncipe, e o de "Jesus Cristo". (Compare as muitas passagens que falam do cristão como " em Cristo".) Nossa oração deve ser, não para que possamos ser mantidos 'de' um, mas para que possamos ser mantidos 'de' um e 'em ' o outro. A expressão 'para ser mantida fora do maligno' pode surpreender o leitor até que ele re membros que em 1 João 5: 19-20 o Apóstolo realmente fala do mundo como deitado no maligno.
 O ensinamento deste Evangelho e de todo o Novo Testamento é que existem duas esferas em que o homem pode viver, o do mundo e seu príncipe, e o de "Jesus Cristo". (Compare as muitas passagens que falam do cristão como " em Cristo".) Nossa oração deve ser, não para que possamos ser mantidos 'de' um, mas para que possamos ser mantidos 'de' um e 'em ' o outro. O ensinamento deste Evangelho e de todo o Novo Testamento é que existem duas esferas em que o homem pode viver, o do mundo e seu príncipe, e o de "Jesus Cristo". (Compare as muitas passagens que falam do cristão como " em Cristo".) Nossa oração deve ser, não para que possamos ser mantidos 'de' um, mas para que possamos ser mantidos 'de' um e 'em ' o outro. O ensinamento deste Evangelho e de todo o Novo Testamento é que existem duas esferas em que o homem pode viver, o do mundo e seu príncipe, e o de "Jesus Cristo". (Compare as muitas passagens que falam do cristão como " em Cristo".) Nossa oração deve ser, não para que possamos ser mantidos 'de' um, mas para que possamos ser mantidos 'de' um e 'em ' o outro.

Verso 16 

João 17:16 . Eles não são do mundo, mesmo que eu não sou do mundo. Estas palavras nos encontraram em João 17:14 , mas são novamente introduzidas em uma ordem ligeiramente diferente, sendo a ênfase agora lançada no mundo, a fim de preparar o caminho para que a antítese completa seja imediatamente expressa.

Verso 17 

João 17:17 . Consagra-os na verdade: a tua palavra é a verdade. A palavra aqui traduzida "Consagrar" é constantemente usada na tradução grega do Antigo Testamento para expressar toda a dedicação e consagração de pessoas e de coisas para Deus. Nesse sentido, mas com o significado mais profundo da consagração interna e espiritual, encontramos aqui. É, portanto, aplicado às pessoas, não menos, mas mais do que a santificação, o último sendo implícito antes que o primeiro possa ocorrer. A palavra corresponde ao atributo prefixado para "Pai" em João 17:11 (para o qual, no entanto, temos em inglês nenhuma outra palavra do que "santo"): a mesma palavra, também, é usada por Jesus de si mesmo no cap. João 10:36 . Ser consagrado é, portanto, estar separado do mundo, Para ser dedicado como coisa santa a Deus. Isto deve ser feito "na verdade", na esfera da verdade, que é a esfera do Pai e do Filho; Na convivência e apropriação da verdade para que a verdade seja aquela em que todo o seu ser seja moldado e consagrado. Este significado da "verdade" é então mais detalhado pela declaração: "A tua palavra é verdade". Aqui, por "palavra", não devemos entender a palavra de Deus nos gêneros], mas a palavra já mencionada em João 17:14 , essa palavra especial do Pai que é encontrada em Sua revelação de Si mesmo no Filho, a Palavra.
 E esta palavra é "verdade" em seu sentido mais absoluto, verdade que encontra expressão concreta na "verdade". É a "verdade" que veio por Jesus Cristo, não apenas a verdade em oposição ao erro,

Verso 18 

João 17:18 . Mesmo quando você me enviou para o mundo, eu também os enviei para o mundo. Jesus orou pela consagração de Seus discípulos na verdade, e agora fala da necessidade que existia para isso. Eles foram enviados para o mundo (o envio é visto como já realizado) "mesmo quando" Ele havia sido enviado para o mundo. Não é apenas o fato de enviar semelhante, mas são enviados pelo Filho com a mesma comissão que aquela com a qual o próprio Filho havia sido enviado pelo Pai. Eles devem "declarar" o Pai como Ele fez, e fazer a mesma revelação da verdade eterna, do amor eterno, a um mundo pecaminoso. Quanto, então, eles precisavam de uma consagração como a dele! Mas não só assim. Há um outro fundamento sobre o qual repousa a sua oração ou a sua consagração.

Verso 19 

João 17:19 . E para eles consagro-me, para que eles mesmos também possam ser consagrados na verdade . Foi com o propósito de levá- los a uma consagração como a Sua, que toda a sua obra de amor e sacrifício foi livremente realizada. Ele poderia ter dito "eu fui consagrado", um pensamento que tem o seu paralelo perfeito no cap. João 10:36 . Mas Ele fala de consagrar-se, em parte porque Ele entrou em Sua consagração com perfeita aquiescência e liberdade; Em parte, talvez principalmente, porque ele está pensando naquele trabalho sacerdotal de Seu que agora estava imediatamente iminente. (Observa-se que a forma proleptica de expressão nem sempre é mantida: veja João 17:13 .) As seguintes palavras expressam, Com especial referência aos discípulos, o fim que Jesus desejava alcançar. É que a sua consagração pode ser a contrapartida exacta de Ele ("eles também"); Para que possam atuar nele independentes e independentes, dedicando-se na fé pessoal à tarefa que lhes foi atribuída ("eles mesmos"), e que tudo pode ser feito "na verdade", não apenas verdadeiramente, mas em conformidade com a Real, essencial, eterno (comp. Em João 17:17 ). Finalmente, notemos que a consagração mencionada é semelhante ao de Jesus e dos Seus discípulos, não um processo, mas um ato completado de uma só vez, em Seu caso, quando, juntando em uma visão todos os seus trabalhos e sofrimentos , Ele lhes apresentou um sacrifício vivo para o Pai: na deles.
Assim, a segunda seção da oração fecha, o principal fardo de ter sido que os discípulos, que estão prestes a serem enviados para o mundo, para continuar a obra de Jesus ali, e que, para esse fim, teve o nome da O Pai manifestou-lhes para que conhecessem o Pai, e a Palavra do Pai que lhes foi dada para proclamar o Pai, pode ser preservada pelo Pai do mundo e pode ser exibida uma perfeita consagração à obra do Pai. Assim, o Pai será glorificado neles como Ele foi glorificado no Filho, que realizou a obra que lhe foi dada.(Bibliografia coment.Jhon Gil)
FONTE WWW.MAURICIOBERWALDOFICIAL.BLOGSPOT.COM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PAZ DO SENHOR

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.