quarta-feira, 21 de junho de 2017

Noé e Diluvio (1)



                                           Dilúvio de Noé


1. A conta bíblica

2. "Livro de registro de Noah"

3. Tradição egípcia

4. A Tradição Indiana

5. Tradição chinesa

6. Tradição grega

7. A Tradição Britânica

8. As tradições indianas americanas

9. A Tradição Babilônica

10. Comprimidos Cuneiformes

11. O Flood Universal?

1. A conta bíblica

Os meios descritos nos Gênesis 6 a 8, pelos quais o Senhor destruiu, por causa de sua iniqüidade, todos os membros da raça humana, exceto Noé e sua família. De acordo com a conta, Noé foi avisado do evento 120 anos antes ( Gênesis 6: 3 ; 1 Pedro 3:20 ; 2 Pedro 2: 5 ). Durante todo esse tempo, ele disse ter sido um "pregador da justiça" "enquanto a arca era uma preparação", quando podemos supor (de acordo com a teoria que se propõe atualmente), os eventos físicos que levaram à catástrofe final podem ter Dado a sua pregação. Quando a catástrofe veio, os meios físicos empregados eram duplos, ou seja, a quebra das "fontes do grande abismo" e a abertura das "janelas do céu" ( Gênesis 7:11 ). Mas a chuva é falada como uma causa principal apenas 40 dias, enquanto as águas continuaram a prevalecer por 150 dias ( Gênesis 7:24 ), quando ( Gênesis 8: 2 , Gênesis 8: 3 ) "as fontes também da O fundo e as janelas do céu foram parados, e a chuva do céu foi contido, e as águas voltaram da terra continuamente, "de modo que depois de 10 meses a arca descansou sobre" as montanhas de Ararat "(não o pico do monte Ararat , Mas as terras altas da Armênia na parte superior do vale do Eufrates e do Tigre, ver ARARAT ). Aqui descansou 40 dias antes da água diminuir o suficiente para sugerir desembarcar, Quando um corvo (que poderia encontrar facilmente sua comida nas carcaças dos animais que haviam sido destruídos) foi enviado e não retornou ( Gênesis 8: 7 ); Mas uma pomba enviada ao mesmo tempo não encontrou descanso e voltou vazia para a arca ( Gênesis 8: 9 ). Após 7 dias, no entanto, foi enviado de novo e voltou com uma folha de azeitona fresca ( Gênesis 8:11 ). Depois de 7 dias, mais a pomba foi enviada de novo e não retornou. Depois de 56 dias mais de espera, Noah e sua família partiram da arca. Foi enviado de novo e voltou com uma folha de azeitona fresca ( Gênesis 8:11 ). Depois de 7 dias, mais a pomba foi enviada de novo e não retornou. Depois de 56 dias mais de espera, Noah e sua família partiram da arca. Foi enviado de novo e voltou com uma folha de azeitona fresca ( Gênesis 8:11 ). Depois de 7 dias, mais a pomba foi enviada de novo e não retornou. Depois de 56 dias mais de espera, Noah e sua família partiram da arca.

2. "Livro de registro de Noah"

Os seguintes são os pontos principais da história que foi desenhada de maneira apropriada por Sir William Dawson "Livro de registro de Noé" (ver o artigo do Bispo do Sudeste em Sac bíblico (1906), 510-17 e Joseph B. Davidson nas Confirmações científicas do autor Da História do Antigo Testamento , 180-184).

FRONTEIRA
"Livro de registro de Noah"

Mês

Dia

Número de dias

2

17

Todos entram na arca; Deus fecha a porta. Chuva caindo. Inundações despejam do mar. Ark floats. Ark velo rapidamente.



40

3

27

A chuva pára. A inundação continua a entrar e a subir de água.

110

7

17

A arca toca o fundo em cima das altas montanhas e permanece lá. As águas deixam de subir. Água starionary.


40

8

27

As águas começam a se instalar. Coloque quinze côvados dentro.

34

10

1

Arca deixada em terra firme. Waters continua a se estabelecer. Noah espera.


40

11

11

Noah envia um corvo. Não retorna. As águas se estabelecem. Noah espera.


7

11

18

Noah envia uma pomba. Ele retorna. As águas se estabelecem. Noah espera.


7

11

25

Noah manda uma pomba novamente. Dove traz folha anômala apenas crescida. As águas se estabelecem. Noah espera.


7

12

2

Noah manda uma pomba de novo. Não retorna. As águas se estabelecem. Noah espera.


29

1

1

Noah remove a cobertura, parece em todo o lado. Nenhuma água pode ser vista. O solo seca. Noah espera.


56

2

27

Deus abre a porta e diz: "Sair". 
Tempo total de inundação


370

Assim, será visto que não há necessidade de supor qualquer duplicação e sobreposição de contas na história bíblica. Há um progresso contínuo na conta do começo ao fim, com apenas repetições para efeito literário, como estamos familiarizados com os escritos orientais. Em Gênesis 6: 5 a 7:13, a maldade do mundo é designada como a razão que prevaleceu nos conselhos divinos para provocar a catástrofe contemplada. Ao enfatizar a justiça de Noé que levou à sua preservação, Gênesis 6: 13-21 contém a direção para fazer a arca e os preparativos para trazer para ela um certo número de animais. Essa preparação foi feita, a ordem foi dada ( Gênesis 7: 1-4 ) para o embarque que ( Gênesis 7: 5 ) foi devidamente realizado. Dizem-se então que Noé e sua família, e feras limpas e impuras, estavam caladas na arca durante a prevalência da água e sua queda final. Ao todo, a conta é mais gráfica e impressionante (ver WH Green, Unity of the Book of Genesis , 83ff).

Comparado com outras tradições do Dilúvio, o relato bíblico aparece em uma luz favorável, enquanto a prevalência geral de tais tradições confirma fortemente a realidade da história bíblica.

3. Tradição egípcia

Uma lenda egípcia do Dilúvio é referida no Timeu de Platão , onde os deuses são ditos purificaram a Terra por uma grande inundação de água, da qual apenas alguns pastores escaparam subindo ao cume de uma montanha alta. Nos próprios documentos egípcios, no entanto, encontramos apenas que Ra 'o criador, por causa da insolência do homem, procedeu a exterminá-lo por um dilúvio de sangue que caiu para Heliópolis, o lar dos deuses; Mas a atormentação da ação o afetou tanto que ele se arrependeu e nunca mais jurou destruir a humanidade.

4. A Tradição Indiana

Na mitologia indiana, não há referência ao Inundação no Rig Veda, Mas nas leis de Manu nos dizem que um peixe disse a Manu: "Um dilúvio varrará todas as criaturas para longe ..... Construa um vaso e me adore. Quando as águas se elevarem, entre no vaso e eu vou salvar você. ... Quando chegou o Dilúvio, ele entrou no navio ... Manu prendeu o cabo do navio ao chifre do peixe, pelo que o último o fez passar sobre as montanhas do Norte. O peixe disse : "Eu te salvei, prenda o vaso a uma árvore para que a água não a varre, enquanto você está na montanha, e com a proporção que as águas diminuir, você descerá". Manu desceu com as águas, e isso é o que se chama a Descida do Homem nas montanhas do Norte. O Dilúvio levou todas as criaturas, e Manu ficou sozinho "(traduzido por Max Müller).

5. Tradição chinesa

A tradição chinesa é incorporada em linguagem sublime em seu livro de Li -Kì "E agora as colunas do céu foram quebradas, a terra estremeceu até o seu próprio fundamento, o sol e as estrelas mudaram seus movimentos, a terra caiu em pedaços, e as águas cercadas em seu seio explodiram com violência e transbordaram. Se rebelou contra o céu, o sistema do universo estava totalmente desordenado e a grande harmonia da natureza destruiu. Todos esses males surgiram da desprezando o poder supremo do universo pelo homem. Ele fixou seus olhares sobre os objetos terrestres e os amou em excesso até gradualmente Ele se transformou em objetos que ele amava, e a razão celestial o abandonou completamente ".

6. Tradição grega

Os gregos, de acordo com Plutarco, tinham cinco tradições diferentes do Dilúvio, sendo Deucalion o mais importante. De acordo com isso, Prometeu advertiu seu filho Deucalion do dilúvio que Zeus havia resolvido trazer sobre a terra por causa de sua maldade. Conseqüentemente, Deucalion construiu uma arca e se refugiou nela, mas com seu vaso foi encalhado no Monte Parnassus na Tessália, após o que eles desembarcaram e repovoaram a Terra pelo fantástico processo que lhes revelou a deusa Themis de lançar pedras sobre eles, aquelas que Deucalion jogou tornando-se homens e aqueles que Pyrrha jogou se tornando mulheres. A forma de Lucian da lenda, no entanto, é menos fantástica e mais próxima da tradição semítica. Na lenda grega como no semítico, uma pomba é enviada que retorna uma primeira e uma segunda vez, Seus pés sendo tingidos de lodo pela segunda vez, intimando a redução do dilúvio. Mas nem Homero nem Hesíodo têm essa tradição. Provavelmente foi emprestado dos semitas ou dos hindus.

7. A Tradição Britânica

Na Grã-Bretanha, há uma lenda do druida segundo a qual, por causa da prodigalidade da humanidade, o Ser Supremo enviou um dilúvio sobre a terra quando "as ondas do mar se elevaram no alto da fronteira da Grã-Bretanha. A chuva derramou do céu e a As águas cobriram a terra ". Mas o patriarca, distinguido por sua integridade, tinha ficado calado com uma empresa seleta em um navio forte que os abalava com segurança no cume das águas (Editor Davies em sua Mitologia e Ritos de Druidas Britânicos ). A partir destes, o mundo foi novamente repovoado. Existem várias formas desta lenda, mas todos concordam em substância.

bibliografia (Enciclopédia internacional da Bíblia padrão).
fonte www.mauricioberwaldoficial.blogspot.com



Nenhum comentário:

Postar um comentário

PAZ DO SENHOR

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.