sábado, 16 de janeiro de 2016

Subsidio CPAD maternal presentes de Jesus 24/1/2016 n.4









       SUBSIDIO MATERNAL CPAD N.4 1 TRIMESTRE 2016

                           OS PRESENTES DE JESUS

                                     Introdução

Neste capítulo, temos a história da infância de nosso Salvador, onde encontramos o quão cedo ele começou a sofrer, e que nele a palavra da justiça foi cumprida, antes que ele começou a cumprir toda a justiça. Aqui está, I. pergunta solícito dos homens sábios depois de Cristo, Mateus 2: 1-8. II. A sua presença devoto dele, quando eles descobriram onde ele estava, Mateus 2: 9-12. III. Fuga para o Egito de Cristo, a fim de evitar a crueldade de Herodes, Mateus 2: 13-15. IV. O assassinato bárbaro das crianças de Belém, Mateus 2: 16-18. O retorno de V. Cristo do Egito para a terra de Israel novamente, Mateus 2: 19-23.

Versículos 1-8
Os Magos vindos a Jerusalém.

1 Agora, quando Jesus nasceu em Belém da Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém, 2 Dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo. 3 Quando o rei Herodes ouviu estas coisas, perturbou-se, e toda Jerusalém com ele. 4 E quando ele tinha reunindo todos os principais sacerdotes e os escribas do povo, perguntava-lhes onde havia de nascer o Cristo. 5 E eles lhe disseram: Em Belém da Judéia; pois assim está escrito pelo profeta: 6 E tu, Belém, terra de Judá, a arte não a menor entre as principais de Judá; porque de ti sairá um governador , que reinará o meu povo Israel. 7 Então Herodes, quando ele tinha chamado secretamente os magos, inquiriu deles diligentemente o tempo que a estrela aparecera. 8 e enviando-os a Belém, e disse: Ide, e perguntai diligentemente pelo menino e quando vos tê-lo encontrado, traze-me resposta, para que eu vá eo adore também.

Era um sinal de humilhação colocar no Senhor Jesus que, embora ele era o Desejado de todas as nações, mas sua vinda ao mundo foi pouco aviso observado e levado de, seu nascimento foi obscuro e despercebida: aqui ele se esvaziou, e fez si mesmo se esvaziou. Se o Filho de Deus deve ser trazido ao mundo, pode-se justamente esperar que ele deve ser recebido com toda a cerimônia possível, que as coroas e cetros deveria imediatamente ter sido colocado a seus pés, e que os príncipes ricos e poderosos do mundo deveria ter sido seus humildes servos tal Messias como este os judeus esperavam, mas vemos nenhum de tudo isso, ele veio ao mundo, eo mundo não o conheceu melhor, ele veio para o próprio, ea sua não o receberam por ter comprometeu-se a dar satisfação ao seu Pai para o mal feito a ele em sua honra pelo pecado do homem, ele fez isso ao negar a si mesmo, e despojando-se de, as honras, sem dúvida, devido a uma divindade encarnada ainda, como depois, portanto, em sua nascimento, alguns raios de glória se lançou para frente, no meio dos maiores exemplos de sua humilhação. Embora não era o esconderijo da sua força, mas ele tinha chifres saindo de sua mão (Habacuque 3: 4) o suficiente para condenar o mundo, e especialmente os judeus, por sua estupidez.

O primeiro que tomou conhecimento de Cristo depois de seu nascimento foram os pastores (Lucas 02:15, & c.), Que viu e ouviu coisas gloriosas que lhe dizem respeito, e os fez conhecido no exterior, para o espanto de todos que ouviram, Mateus 2: 17,18. Depois disso, Simeão e Ann um raio dele, pelo Espírito, a todos os que estavam dispostos a ouvir o que eles disseram, Lucas 2:38. Agora, alguém poderia pensar, estes conselhos deveriam ter sido tomadas pelos homens de Judá e os habitantes de Jerusalém, e eles devem com ambos os braços abraçaram a longo esperado Messias, mas, por alguma coisa que aparece, ele continuou quase dois anos depois, em Belém, e sem aviso prévio foi feita dele até estes homens sábios vieram. Note, Nada vai despertar aqueles que estão decididos a ser independente. Oh a estupidez incrível desses judeus! E não menos que de muitos que são chamados cristãos! Observar,

I. Quando este inquérito foi feito a respeito de Cristo. Foi nos dias do rei Herodes. Esse Herodes era um edomita, feito rei da Judéia por Augustus e Antonius, os então principais governantes do estado romano, um homem feito de falsidade e crueldade ainda assim ele foi complementado com o título de Herodes, o Grande. Cristo nasceu no ano 35 do seu reinado, e aviso é levado a isso, para mostrar que o cetro tinha agora partiu de Judá, eo legislador dentre seus pés e, portanto, agora foi a vez de Shiloh para vir, e para ele se congregarão os povos se: testemunhar estes homens sábios, Gênesis 49:10.

II. Quem eo que estes magos eram eles estão aqui chamado magoi - Magicians. Alguns que no bom sentido Magos entre os persas foram os seus filósofos e seus sacerdotes nem que admitir qualquer um para seu rei que primeiro não tinha sido inscrito entre os outros Magi acho que eles tratados em artes ilegais a palavra é usada de Simon, o encantador (Atos 8: 9,11), e de Elimas, o encantador (Atos 13: 6), nem a escritura usá-lo em qualquer outro sentido e então era uma instância cedo e pressagiam da vitória de Cristo sobre o diabo, quando aqueles que tinham sido muito seus devotos tornaram-se os primeiros adoradores mesmo de o menino Jesus tão cedo eram troféus de sua vitória sobre os poderes das trevas erguidas. Bem, o que quer que tipo de homens sábios que eram antes, agora eles começaram a ser sábios, de fato, quando eles se levantam para perguntar depois de Cristo.

Esta temos a certeza de, 1. Que eles eram gentios, e não pertencentes à comunidade de Israel. Os judeus não considerado Cristo, mas estes gentios inquiriu-o para fora. Note, Muitas vezes aqueles que estão mais próximos aos meios, estão mais afastados do fim. Veja Mateus 8: 11,12. O respeito a Cristo pagou por essas nações era um presságio feliz e amostra do que viria a seguir, quando aqueles que estavam longe deve ser feita quase por Cristo. 2. Que eles eram estudiosos. Eles tratadas em artes, artes mágicas bons estudiosos devem ser bons cristãos, e, em seguida, eles completem a sua aprendizagem quando aprendem Cristo. 3. Que eles eram filhos do Oriente, que foram conhecidos por sua adivinhação, Isaías 2: 6. Saudita é chamada a terra do leste (Gênesis 25: 6), e os árabes são chamados filhos do Oriente, Juízes 6: 3. Os presentes que trouxeram foram os produtos desse país os árabes tinham feito uma homenagem a David e Salomão como tipos de Cristo. Jethro e Jó eram daquele país. Mais do que isso não temos a dizer deles. As tradições da igreja romana são frívolas, que estavam em número de três (embora um dos antigos diz que eles foram catorze), de que eles eram os reis, e que se encontram enterrados em Colen, daí chamou os três reis de Colen que cobiçam não ser mais sábios do que está escrito.

III. O que eles induzidos a fazer esta pergunta. Eles, no seu país, que foi, no leste, tinha visto uma estrela extraordinária, como eles não tinham visto antes que eles levaram para ser uma indicação de uma pessoa extraordinária nascido na terra da Judéia, sobre a qual pousar esta estrela foi vista pairar, a natureza de um cometa ou um meteoro em vez disso, nas regiões de abaixa o ar esta diferia muito de qualquer coisa que era comum que eles concluíram que para significar algo incomum. Note, aparições extraordinárias de Deus nas criaturas devem colocar-nos em cima perguntando depois de sua mente e vai nela Cristo predisse sinais nos céus. O nascimento de Cristo foi notificada aos pastores judeus por um anjo, para os filósofos gentios por uma estrela: para ambos, Deus falou na sua própria língua, e na forma como eles foram mais bem familiarizados com. Alguns pensam que a luz que os pastores viram brilhar ao redor deles, a noite depois de Cristo nasceu, era o mesmo que para os homens sábios, que viviam a uma distância tal, apareceu como uma estrela, mas este não podemos facilmente admitir, porque a mesma estrela que tinham visto no oriente eles viram uma grande tempo depois, levando-os para a casa onde Cristo estava era uma vela criada com o propósito de orientá-los para Cristo. Os idólatras adoraram as estrelas como o exército do céu, especialmente as nações orientais, onde os planetas têm os nomes de seus ídolos deuses que lemos de uma estrela especial que tinham em veneração, Amos 5:26. Assim, as estrelas que tinham sido utilizados indevidamente veio a ser posto ao uso direito, para conduzir os homens a Cristo, os deuses das nações se tornaram seus servos. Alguns pensam que esta estrela colocá-los em mente de profecia de Balaão, que uma estrela deve sair de Jacó, apontando para um cetro, que subirá de Israel ver Números 24:17. Balaão veio das montanhas do oriente, e foi um dos seus sábios. Outros imputar sua pergunta para a expectativa geral entretido naquele tempo, nas partes orientais, de algum grande príncipe a aparecer. Tácito, na sua história (. Lib 5), toma conhecimento de que Pluribus persuasio inerat, antiquis sacerdotum literis contineri, eo ipso tempore tona, oriens valesceret UT, profectique judae um rerum potirentur - A persuasão existia na mente de muitos que alguns escritos antigos dos sacerdotes continha uma previsão de que sobre esse tempo uma potência oriental iria prevalecer, e que as pessoas procedentes da Judéia obteria domínio. Suetônio também, na vida de Vespasiano, fala dele de modo que esse fenômeno extraordinário foi interpretado como apontando para que o rei e podemos supor uma impressão divina feita em suas mentes, habilitando-os a interpretar esta estrela como um sinal dado pelo Céu do nascimento de Cristo.

IV. Como eles processados ​​neste inquérito. Eles vieram do oriente a Jerusalém, em busca de mais este príncipe. Wither virão para perguntar para o rei dos judeus, mas a Jerusalém, a cidade-mãe, aonde sobem as tribos, as tribos do Senhor? Eles poderiam ter dito: "Se um tal príncipe nascer, vamos ouvir dele em breve no nosso próprio país, e vai ser tempo suficiente, em seguida, para pagar a nossa homenagem a ele." Mas tão impaciente eram para ser mais familiarizado com ele, para que eles levaram uma longa viagem de propósito para perguntar depois dele. Nota, Aqueles que verdadeiramente desejam conhecer a Cristo, e encontrá-lo, não vai considerar dores ou perigos na busca depois dele. Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor.

Sua pergunta é: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? Eles não pedem, se houve tal pessoa nasceu? (têm a certeza de que, e falar sobre isso com segurança, tão fortemente que foi definido para casa em seus corações), mas, Onde ele nasceu? Nota, Aqueles que sabem alguma coisa de Cristo não pode deixar de cobiçar saber mais dele. Eles chamam Cristo, o Rei dos Judeus, porque assim o Messias era esperado para ser: e ele é Protector e governador de toda a Israel espiritual, nasce um rei.

Para esta pergunta não duvidou, mas para ter uma resposta pronta, e para encontrar todos adorando Jerusalém aos pés deste novo rei, mas eles vêm de porta em porta com esta questão, e nenhum homem pode dar-lhes alguma informação. Nota: Não há mais ignorância bruta no mundo e na Igreja, também, do que nós somos conscientes. Muitos que achamos que deve dirigir-nos a Cristo são-se estranhos para ele. Eles perguntam, como cônjuge de as filhas de Jerusalém, Vistes aquele a quem ama a minha alma? Mas eles nunca são o mais sábio. No entanto, como o cônjuge, eles perseguem a pergunta: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? São eles perguntaram: "Por que estais fazer esta pergunta?" É porque vimos a sua estrela no oriente. Eles são perguntou: "O negócio tendes com ele? O que têm os homens de leste a ver com o rei dos judeus?" Eles têm a sua resposta pronta, Estamos viemos adorá-lo. Eles concluem que ele vai, no decorrer do tempo, o seu rei, e, portanto, eles vão betimes congraçar-se com ele e com outros sobre ele. Observe, aqueles em cujos corações o dia estrelas está ressuscitado, para dar-lhes qualquer coisa do conhecimento de Cristo, deve fazer o seu negócio para adorá-lo. Vimos estrela de Cristo? Vamos estudar a dar-lhe homenagem.

V. Como esta investigação foi tratado em Jerusalém. Notícias de que finalmente chegou ao tribunal e quando Herodes ouviu que ele estava preocupado, Mateus 2: 3. Ele não poderia ser um estranho para as profecias do Antigo Testamento, a respeito do Messias e seu reino, e os tempos fixados para a sua vinda por semanas de Daniel, mas, tendo-se reinou por tanto tempo e com tanto sucesso, ele começou a esperança de que essas promessas seriam para sempre falhar, e que seu reino seria estabelecido e perpetuado apesar deles. O que um úmido, portanto, deve ele precisa esteja com ele, ouvir falar deste Rei nascer, agora, quando o tempo fixado para sua vinda tinha vindo! Observe, Carnal corações maus temem nada mais do que o cumprimento das escrituras.

Mas, apesar de Herodes, um edomita, perturbou-se, um teria pensado que Jerusalém deve se alegrar muito ao ouvir que seu Rei vem, no entanto, ao que parece, toda a Jerusalém, exceto os poucos há que esperava a consolação de Israel, estavam preocupados com Herodes, e estavam apreensivos de não sei o quê conseqüências danosas do nascimento deste novo rei, que iria envolvê-los na guerra, ou restringir seus desejos eles, por suas partes, desejado nenhum rei Herodes, mas não, não é o próprio Messias. Note, da escravidão do pecado é tolamente preferido por muitos para a liberdade da glória dos filhos de Deus, só porque eles apreender alguns actuais dificuldades presentes naquela revolução necessária do governo na alma. Herod e Jerusalém foram, assim, problemática, a partir de uma noção equivocada de que o reino do Messias iria colidir e interferir com os poderes seculares, enquanto que a estrela que o proclamou rei claramente a entender que seu reino era celestial, e não é deste mundo inferior. Note, A razão pela qual os reis da terra, e as pessoas, se opõem ao reino de Cristo, é porque eles não sabem disso, mas errar a respeito dela.

VI. Que tipo de assistência que se conheceram no presente inquérito de os escribas e os sacerdotes, Mateus 2: 4-6. Ninguém pode fingir dizer onde está o rei dos judeus é, mas Herodes indaga onde era esperado que ele deveria nascer. As pessoas que consulta é, os príncipes dos sacerdotes, que eram professores de escritório e os escribas, que fizeram o seu negócio para estudar a lei os lábios devem guardar o conhecimento, mas, em seguida, as pessoas devem perguntar a lei em sua boca, Malaquias 2: 7 . Foi geralmente conhecido que Cristo deveria nascer em Belém (João 07:42), mas Herodes teria opinião de seus assessores sobre ele, e, portanto, aplica-se às pessoas adequadas e, que ele seja o melhor satisfeito, ele tem-los completamente, tudo os príncipes dos sacerdotes, e todos os escribas e demandas da-lhes o que era o lugar, de acordo com as escrituras do Antigo Testamento, onde Cristo deveria nascer? Muitos uma boa pergunta é colocada com um design doente, por isso foi esta por Herodes.

Os sacerdotes e os escribas não precisa tomar qualquer longo tempo para dar uma resposta a esta consulta nem eles diferem em sua opinião, mas todos concordam que o Messias deve nascer em Belém, a cidade de Davi, aqui chamado Belém da Judéia, para distingui- -lo de outra cidade do mesmo nome, na terra de Zabulon, Josué 19:15. Belém significa a casa do pão o lugar mais apto para ele nascer em quem é o verdadeiro maná, o pão que desceu do céu, que foi dada para a vida do mundo. A prova que eles produzem é retirado de Miquéias 5: 2, onde é previsto que embora Belém que pequena entre os milhares de Judá (por isso é de Micah), lugar não muito populoso, no entanto, deve ser encontrada a menor entre os príncipes de Judá (por isso é aqui) pela honra de Belém não estava, como de outras cidades, na multidão do povo, mas na magnificência dos príncipes que produziu. Embora, em cima de algumas contas, Belém era pouco, mas aqui ele teve a primazia sobre todas as cidades de Israel, que o Senhor te contar, quando escreve-se o povo, que este homem, mesmo o homem Jesus Cristo, nasceu lá, o Salmo 87: 6. Fora de ti sairá um governador, o Rei dos Judeus. Note-se, Cristo será um Salvador para apenas aqueles que estão dispostos a levá-lo para o seu governador. Belém foi a cidade de Davi, e Davi a glória de Belém há, portanto, deve filho e sucessor de David nascer. Houve um bem famoso em Belém, junto ao portão, que teve Davi desejo de beber (2 Samuel 23:15) em Cristo nós temos não só pão suficiente e de sobra, mas podem vir e tome também da água da vida. Observar aqui como judeus e gentios comparar notas sobre Jesus Cristo. Os gentios saber a hora de seu nascimento por uma estrela os judeus sabe o lugar dele pelas escrituras e por isso eles são capazes de informar um ao outro. Nota, seria contribuir muito para o aumento do conhecimento, se fizéssemos assim, mutuamente comunicar o que sabemos. Homens crescer rico por escambo e troca por isso, se temos o conhecimento para se comunicar com os outros, eles estarão prontos para comunicar-nos, assim, muitos se discorrer, correrão de uma parte para outra, eo conhecimento se multiplicará.

VII. O projeto sangrento e design de Herodes, ocasionadas por este inquérito, Mateus 2: 7,8. Herod era agora um homem velho, e reinou trinta e cinco anos, este rei era recém-nascido, mas, e não é provável que a empresa qualquer coisa considerável por muitos anos ainda Herodes tem inveja dele. Cabeças coroadas não pode suportar a pensar de sucessores, muito menos dos rivais e, portanto, nada mais nada menos do que o sangue desse rei infantil vai satisfazê-lo e ele não vai dar a si mesmo a liberdade de pensar que, se esta criança recém-nascida deve ser de fato o Messias, em oposição a ele, ou fazer quaisquer tentativas em cima dele, ele seria encontrado luta contra Deus, de que nada é mais vão, nada mais perigoso. Passion tem o domínio da razão e da consciência.

Agora, 1. Veja como ardilosamente colocou o projeto (Mateus 2: 7-8). Ele secretamente chamou os sábios, para conversar com eles sobre este assunto. Ele não possui abertamente seus medos e ciúmes seria sua desgraça para deixar os sábios conheço, e perigoso deixar as pessoas conhecê-los. Os pecadores são frequentemente atormentado com medos secretos, que eles mantêm a si mesmos. Herod aprende dos sábios o tempo em que a estrela apareceu, para que pudesse tomar suas medidas em conformidade e, em seguida, emprega-los para saber mais longe, e lhes ordena que trazê-lo de uma conta. Tudo isso pode parecer suspeito, se ele não tivesse coberto com um show da religião: para que eu vá eo adore também. Nota, o maior maldade muitas vezes se esconde sob uma máscara de piedade. Absalão disfarça seu projeto rebelde com um voto.

2. Veja como estranhamente ele foi iludida e apaixonado no fato de que ele confiou-o com os sábios, e não escolheu alguns outros gerentes, que teriam sido fiel aos seus interesses. Foi apenas sete milhas de Jerusalém como facilmente pode ele enviou espiões para observar os homens sábios, que poderiam ter sido o mais rapidamente lá para destruir a criança como para adorá-lo! Note-se, Deus pode se esconder dos olhos dos inimigos da Igreja esses métodos pelos quais eles poderiam facilmente destruir a Igreja quando ele pretende levar príncipes longe estragado, seu caminho é fazer com que os tolos juízes.

Versículos 9-12
Os Magos adorar a Cristo.
9 Depois de terem ouvido o rei, partiram, e eis que a estrela que tinham visto no oriente, ia adiante deles, até que, chegando, parou sobre onde estava o menino. 10 Ao verem eles a estrela, regozijaram-se com grande alegria. 11 E, quando chegaram na casa, viram o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, o reverenciava, e, quando abriram os seus tesouros, entregaram-lhe presentes de ouro e incenso e mirra. 12 E, sendo por divina revelação avisados ​​em sonhos para que não voltassem para junto de Herodes, partiram para a sua terra por outro caminho.

Temos aqui comparecimento humilde dos homens sábios sobre este recém-nascido rei dos judeus, e as honras que lhe pagou. De Jerusalém foram a Belém, resolver a procurar até que eles devem encontrar, mas é muito estranho que eles foram sozinhos que não uma pessoa da corte, igreja ou cidade, deve acompanhá-los, se não na consciência, ainda em civilidade para eles , ou tocado com uma curiosidade de ver este jovem príncipe. Como a rainha do sul, assim que os homens sábios do Oriente, se levantarão em juízo contra os homens daquela geração, e isso também, e vai condená-los para que eles vieram de um país distante, para adorar a Cristo, enquanto os judeus , seus parentes, não mexa um passo, não iria para a próxima cidade para dar-lhe boas-vindas. Poderia ter sido um desânimo para estes homens sábios para encontrar aquele a quem eles procuraram, assim, negligenciado em casa. Somos nós chegamos tão longe para honrar o rei dos judeus, e não os próprios judeus colocar tal uma ligeira sobre ele e nós? No entanto, eles persistem em sua resolução. Nota, temos de continuar a nossa presença em Cristo, que nós ficar sozinho nele tudo o que os outros fazem, temos de servir ao Senhor, se eles não vão para o céu com a gente, mas não podemos ir para o inferno com eles. Agora,

I. Veja como eles descobriram Cristo pela mesma estrela que tinham visto no seu próprio país, Mateus 2: 9,10. Observe, 1. Como graciosamente Deus dirigiu-los. Pela primeira aparição da estrela foi-lhes dado a entender onde eles poderiam perguntar para esse King, e depois desapareceu, e eles foram deixados para tirar os métodos usuais para tal inquérito. Note, Extraordinária ajuda não são de se esperar que meios comuns estão a ser tido. Bem, eles traçaram o assunto, tanto quanto eles poderiam eles estavam sobre sua viagem a Belém, mas que é uma cidade populosa, onde poderão encontrá-lo quando eles vêm para lá? Aqui eles estavam em uma perda, no final da sua sagacidade, mas não no final da sua fé eles acreditavam que Deus, que os havia trazido para lá por sua palavra, não iria deixá-los lá nem ele, porque eis que a estrela que tinham visto no oriente foi adiante deles. Nota: Se continuarmos como até onde pudermos no caminho do dever, Deus vai dirigir e permitir-nos de fazer o que de nós mesmos não podemos fazer cima, e estar fazendo, eo Senhor seja contigo. Vigilantibus, não dormientibus, lex succurit - A lei oferece sua ajuda, não para os ociosos, mas para o ativo. A estrela os tinha deixado um grande tempo, mas agora retorna. Eles que seguem a Deus no escuro, achar que a luz é semeada, está reservado, para eles. Israel foi conduzido por uma coluna de fogo para a terra prometida, os sábios de uma estrela para a Semente prometida, que se a estrela resplandecente da manhã, Apocalipse 22:16 é. Deus prefere criar uma coisa nova que deixar aqueles em uma perda que diligentemente e fielmente o buscava. Esta estrela foi o símbolo da presença de Deus com eles por ele é luz, e vai adiante de seu povo como seu guia. Nota: Se nós pela fé olho Deus em todos os nossos caminhos, poderemos ver-nos sob sua conduta ele guia com seu olho (Salmo 32: 8), e disse-lhes: Este é o caminho, andai por ele; e há uma dia-estrela que surge nos corações daqueles que perguntar depois de Cristo, 2 Pedro 1:19. 2. Observe como alegria que seguiram a orientação de Deus (Mateus 2:10). Quando viram a estrela, regozijaram-se com grande alegria. Agora eles viram que não estavam enganados, e não tinha tomado esta longa viagem em vão. Quando o desejo vem, é árvore de vida. Agora eles tinham certeza de que Deus estava com eles, e os sinais de sua presença e favor não podem deixar de preencher com alegria indizível as almas daqueles que sabem valorizá-los. Agora eles poderiam rir dos judeus em Jerusalém, que, provavelmente, tinha riu deles como vindo em uma missão de tolos. Os vigias pode dar o cônjuge não há notícias de sua amada ainda é, mas um pouco que ela passa com eles, e ela o encontra, Cântico dos Cânticos de Salomão 3: 3,4. Não podemos esperar muito pouco do homem, nem muito de Deus. O que um transporte de alegria esses sábios estavam em cima deste visão da estrela ninguém sabe tão bem como aqueles que, depois de uma noite longa e melancólica da tentação e deserção, sob o poder de um espírito de escravidão, por fim receber o espírito de adoção, testemunhando com seus espíritos que eles são os filhos de Deus é a luz das trevas é a vida dos mortos. Agora eles tinham razão para esperar por uma visão de Cristo do Senhor rapidamente, do Sol da justiça, porque ver a Estrela da Manhã. Nota: Nós deve estar contente de cada coisa que vai nos mostrar o caminho para Cristo. Esta estrela foi enviado para atender os sábios, e para conduzi-las para dentro da câmara presença do Rei por este mestre de cerimônias que foram introduzidas, a ter sua audiência. Agora Deus cumpre sua promessa de atender aqueles que estão dispostos a alegrar-se e trabalhar justiça (Isaías 64: 5), e eles cumprir o seu preceito. Deixe os corações daqueles que se regozijam buscar o Senhor, o Salmo 105: 3. Note, Deus se agrada às vezes a favorecer novos convertidos com tais sinais de seu amor como são muito encorajadores para eles, em referência às dificuldades que encontram com a sua configuração para fora dos caminhos de Deus.

II. Veja como eles fizeram o seu endereço para ele quando ele tinha encontrado, Mateus 02:11. Podemos muito bem imaginar as suas expectativas foram levantadas para encontrar este bebê real, embora desprezado pela nação, mas honrosamente participou em casa e que decepção foi a eles quando eles encontraram uma casa de campo era o seu palácio, e sua própria mãe pobre todo o séquito Ele tinha! É este o Salvador do mundo? É este o Rei dos Judeus, ou melhor, eo Príncipe dos reis da terra? Sim, este é ele, que, embora fosse rico, ainda, por nossa causa, tornou-se assim pobres. No entanto, esses sábios eram tão sábio como ver através deste véu, e neste borracho desprezado a discernir a glória como do Unigênito do Pai que não acho que eles próprios empacou ou confundido em sua pergunta, mas, como tendo encontrado a Rei que procuravam, eles se apresentaram em primeiro lugar, e, em seguida, seus dons, para ele.

1. Eles apresentaram-se a ele: eles caíram, eo adoraram. Nós não lemos que eles deram tanta honra a Herodes, embora ele estava no auge de sua grandeza real, mas para este bebê que deram a esta homenagem, não só como a um rei (em seguida, eles teriam feito o mesmo com Herodes), mas como a um Deus. Nota: Tudo o que encontraram Cristo prostravam-se diante eles adoram ele, e submeter-se a ele. Ele é o teu Senhor e adorá-o tu assim. Será a sabedoria do mais sábio dos homens, e por isso ele aparecerá eles conhecem a Cristo, e compreender-se e os seus verdadeiros interesses, se forem humildes, fiéis adoradores do Senhor Jesus.

2. Eles apresentaram seus presentes para ele. Nos países orientais, quando eles fizeram uma homenagem a seus reis, eles fizeram-lhes apresenta, portanto, a sujeição dos reis de Sabá a Cristo se fala de (Salmo 72:10), Eles trarão presentes, e oferecer presentes. Veja Isaías 60: 6. Nota, com nós mesmos, devemos desistir de tudo o que temos a Jesus Cristo e, se for sincero na entrega de nós mesmos para ele, não devemos estar dispostos a participar com o que é mais querido para nós, e mais valioso, a ele e para ele, nem são nossos presentes aceito, a menos que nós nos apresentar primeiro a lhe sacrifícios vivos. Deus teve respeito ao Abel, e, em seguida, para a sua oferta. Os presentes que foram apresentados, ouro, incenso e mirra, dinheiro e money's-estima. Providência enviou esta para um alívio oportuno para José e Maria em sua atual condição pobre. Estes foram os produtos do seu próprio país que Deus nos favorece com, devemos honrá-lo com. Alguns pensam que houve uma significância em seus presentes ofereceram-lhe ouro, como um rei, pagando-lhe tributo, a CAE sar, as coisas que são incenso da CAE sar, como Deus, para que eles honraram a Deus com a fumaça de incenso e mirra, como um homem que deve morrer, pois mirra era usada em embalsamar cadáveres.

III. Veja como eles o deixaram quando eles tinham feito seu endereço a ele, Mateus 02:12. Herod nomeado que lhe trouxessem palavra Que descobertas que tinha feito, e, é provável, eles teriam feito, se eles não tivessem sido revogada, sem suspeitar terem sido assim fez suas ferramentas em um projeto mau. Aqueles que dizer, honestamente e bem em si são facilmente levados a acreditar que outros também o façam, e não pode pensar que o mundo é tão mau como ele realmente é, mas o Senhor sabe livrar os piedosos da tentação. Nós não achar que os sábios prometeu voltar para junto de Herodes, e, se eles tinham, que deve ter sido com a condição de costume, se Deus o permitir Deus não permitiu que eles, e impediu a Herodes mal projetado para o Menino Jesus, e os problemas que teria sido aos sábios ter sido feito involuntariamente acessório a ele. Eles foram avisados ​​de Deus, chrematisthentes - oraculo vel Responso accepto - por uma intimação oracular. Alguns pensam que dá a entender que eles consultaram a Deus, e que essa era a resposta. Note-se, aqueles que agem com cautela, e têm medo do pecado e armadilhas, que se apliquem a si mesmos a Deus por direção, pode esperar ser levado no caminho certo. Eles foram avisados ​​para não voltarem a Herodes, nem a Jerusalém aqueles eram indignos de ter relatórios trouxe-lhes a respeito de Cristo, que pode ter visto com seus próprios olhos, e não o faria. Eles partiram para a sua terra por outro caminho, para trazer a notícia para seus compatriotas, mas é estranho que nós nunca ouvir mais nada deles, e que eles ou deles não depois assisti-lo no templo, a quem eles tinham adorado no berço . No entanto, a direção que eles tinham de Deus em seu retorno seria mais uma confirmação de sua fé neste Criança, como o Senhor do céu.
fonte Mathew Henry , comentario biblico 


Subsidio BETEL adultos ataques a familia 24/1/2016 n.4





        SUBSIDIO BETEL ATAQUES A FAMILIA N.4

                                      Efésios 5.22-30.

22 - Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor;
23 - Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja: sendo ele próprio o salvador do corpo.
24 - De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos.
25 - Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela,
26 - Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra,
27 - Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.
28 - Assim devem os maridos amar a suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo.
29 - Porque nunca ninguém aborreceu a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja;
30 - Porque somos membros do seu corpo.
introdução

Palavra Chave
Conflito: Embate, discussão acompanhada de injúrias e ameaças; desavença.
Os conflitos familiares vêm de tempos imemoriais. No Éden, antes da Queda, havia um ambiente perfeito: harmônico e amoroso. Mas o casal, ouvindo o tentador, perdeu a doce comunhão com Deus, e a consequência não podia ser outra: o início de sérios conflitos familiares. A boa nova para os nossos dias é saber da possibilidade, em Cristo, de equacionarmos os problemas que, às vezes, afetam a família cristã.

I. DESENTENDIMENTO ENTRE OS CÔNJUGES

1. Temperamentos diferentes. Dentre os vários motivos existentes para justificar os desentendimentos entre os cônjuges, o que mais se destaca é o temperamento. Segundo os psicólogos, temperamento “é a combinação de características inatas que herdamos dos nossos pais que, de forma inconsciente, afetam o nosso comportamento”. De acordo com o conceito popular, podemos dizer que o temperamento é a maneira própria pela qual reagimos aos diversos estímulos e situações que se nos apresentam cotidianamente (Gn 25.27). Mas, pelo amor, podemos (e devemos) vencer todas as nossas diferenças, a fim de que tenhamos um casamento feliz (1Pe 4.8).
2. Fatores que trazem conflitos. Diversos são os fatores que desencadeiam conflitos no lar. Eis alguns deles:
a) Falta de confiança. O casamento só tem sentido quando é estabelecido na plena confiança do amor verdadeiro, pois o amor folga com a verdade (1Co 13.6). Quando há amor entre o casal não há motivos para desconfianças ou ciúmes (1Co 13.5b). Há quem pense que o ciúme desenfreado é prova de amor. Grande engano! É loucura que pode, inclusive, colocar em risco a estabilidade conjugal.
b) Tratamento grosseiro. Onde o Espírito Santo se faz presente há perfeito amor, paz, alegria e longanimidade, que é a paciência para se suportar as falhas alheias (Gl 5.22). Uma das formas de demonstrarmos o fruto do Espírito é vista na maneira como usamos nossas palavras, pois a palavra branda joga para longe o furor. Mas os conflitos entre os cônjuges suscitam ira, ódio e destruição (Pv 15.1). E a forma com que tratamos uns aos outros é vista por Deus como uma referência para designar quem é sábio ou não, pois a sabedoria é manifesta em obras de mansidão (Tg 3.13).
c) Dívidas. As dívidas ocasionam muitos conflitos familiares, chegando até mesmo a terminar um relacionamento conjugal. Quando uma pessoa se endivida não pensa em mais nada a não ser nas dívidas. Algumas pessoas até adoecem. Assim, precisamos ouvir a Palavra de Deus e nada dever a ninguém (Rm 13.8). Através de um planejamento eficiente, bom senso e autocontrole podemos fugir das dívidas. Faça isso para o bem-estar da sua família (Pv 11.15; 22.7,26)!
d) Infidelidade. Quando o cônjuge encobre a sua conduta pecaminosa o pecado vem a público inesperadamente (Lc 12.2). O casamento sofre um duro golpe, os filhos ficam sem direção e a família transtorna-se. É imperativo que os cônjuges evitem, a todo o custo, o envolvimento extraconjugal. Além de ser um grave pecado contra Deus, é uma ofensa contra o cônjuge, filhos e filhas (ler Pv 5.3-6). A infidelidade contra o cônjuge é infidelidade contra Deus.

II. ATIVIDADES PROFISSIONAIS DOS PAIS

1. A mulher no mercado de trabalho. Devido às modernas demandas sociais, a mulher deixou de se dedicar exclusivamente às funções domésticas, e passou também a exercer funções em empresas e organizações diversas, ocupando a maior parte do seu tempo em atividades profissionais. Mas essa mudança tem trazido sérias consequências. Há mais de uma década, para cada dez homens que morria de infarto, apenas uma mulher sofria desse mal. Hoje, o número de mulheres que morre desse mal subiu para quatro.
2. A ausência dos pais prejudica a criação dos filhos. Sem a presença dos pais, as crianças ficam desorientadas. Muitas vezes elas convivem com pessoas que não têm a menor capacitação para educá-las. Por outro lado, algumas crianças ficam o dia todo em frente da “babá eletrônica”, a televisão, ou com a “mestra eletrônica”, a internet. Ali, são “educadas” pelos heróis artificiais. As figuras do pai e da mãe presentes estão cada vez mais escassas. Tal ausência é sentida quando os nossos filhos entram na adolescência, uma fase de novidades e mudanças bruscas.

 III. MÁ EDUCAÇÃO DOS FILHOS

1. Educação prejudicada. A melhor escola ainda é o lar. Precisamos ensinar a Palavra de Deus aos nossos filhos na admoestação do Senhor (Ef 6.4; Pv 22.6). Infelizmente, o excesso de ocupação dos pais relegou a educação dos filhos às instituições educacionais. Esperando que tais entidades construam o caráter dos seus filhos, os pais ignoram a família como instituição responsável pela formação espiritual e moral da criança. Muitos não acompanham a rotina escolar dos filhos e sequer a filosofia pedagógica adotada pela instituição de ensino.
2. Quem são os professores? Infelizmente, são graves os prejuízos à nação na área educacional. Os “mestres” das crianças, hoje, são os artistas e as empresas de telecomunicação. É comum ver as nossas crianças e adolescentes prostrados diante da TV, consumindo todo tipo de má educação. Mas é raro vê-los nos cultos de oração e ensino da Palavra. Que a igreja local invista nos professores de Escola Dominical. Que os professores da Escola Dominical se preparem eficazmente para o grande desafio de ensinar a Palavra de Deus num mundo que jaz no maligno (Rm 12.7).
3. Falta de estrutura espiritual e moral. A ausência de Deus é o inimigo número um do lar. É essencial que aqueles que constituem família convidem Jesus, o maior educador de todos os tempos, a estar presente em seu lar. É indispensável que os pais, com a assistência da Igreja, optem por servirem a Deus, contrariando as propostas do mundo (Js 24.15). Realizemos o culto doméstico e, juntamente com os nossos filhos, estudemos a Bíblia. Não nos esqueçamos: “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam” (Sl 127.1).
Sempre haverá conflitos nas relações familiares, mas a família cristã precisa saber como contornar tais conflitos à luz da Palavra de Deus. Com o amor verdadeiro no coração, poderemos não somente vencer, mas igualmente evitar os conflitos. Basta ter a Jesus como o hóspede de nosso lar.


                  “Zelo Bíblico como Relacionamento

Nós acreditamos que o companheirismo permanece sendo o propósito primário do casamento. Apesar de todas as coisas maravilhosas que Deus criou no jardim do Éden, elas eram inadequadas para suprir as necessidades de Adão. Nenhum dos animais, esplêndidos como devem ter sido antes da queda, podiam oferecer uma companhia adequada para ele. Naquele momento o Senhor criou a primeira família. Em Gênesis 2.18, Deus disse: ‘Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma adjutora que esteja diante dele.’ Aqui está de novo — paternidade segue a parceria. Paternidade depende de fidelidade. O papel estratégico do relacionamento marido/esposa no casamento estabelece um ponto central no alvo familiar. Tudo mais é secundário. Tudo o mais é inferior, porque quando o companheirismo não funciona, a família não pode funcionar.
Nós, pais, permanecemos no pináculo estabelecido por Deus, em nossa unidade familiar, por isso somos ao mesmo tempo gratos, temerosos e esperançosos no que se refere a nossa tarefa de liderança e ao nosso zelo divino (cuidado estabelecido pela aliança) por nossos relacionamentos no casamento” (GANGEL, K. O. & GANGEL, J. S. Aprenda a ser pai com o Pai: Tornando-se o pai que Deus quer que você seja. 1 ed., RJ: CPAD, 2004, pp.72-3).
“Esta passagem [Ef 5.19-21] tem sido deturpada e fica quase irreconhecível em algumas interpretações. Muitas vezes ouço pessoas fazendo malabarismos com essa passagem em favor daquele versículo que diz que as esposas têm que se submeter aos seus maridos — que os homens são o cabeça da casa. Mas pegar esse versículo isolado da passagem anterior destrói o significado da Escritura. Nós podemos ser tentados a controlar os outros, para transformá-los em alguma espécie de imagem que nós formamos. Mas este tipo de intolerância não é o que Paulo está falando. A ideia de Paulo era que maridos e esposas devem submeter-se mutuamente. Eles devem ser sensíveis às necessidades um do outro e fazer o possível para alcançá-las. Eles precisam ver seus cônjuges como distintos, como independentes deles, com necessidades peculiares, e não devem controlar ou dominar o esposo, ou a esposa, ou dizer a eles como devem viver. também não devem viver inteiramente separados do seu parceiro. Paulo idealizou uma interação íntima e santa entre marido e mulher: ‘Assim também vós, cada um em particular, ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido’ (Ef 5.33)” (HAWKINS, D. 9 erros críticos que todo casal comete: Identifique as armadilhas e descubra a ajuda de Deus. 3 ed., RJ: CPAD, 2010, p.93).




                                        Conflitos na Família

A vida em sociedade nunca foi livre de conflitos, e o mesmo se dá no lar. Nenhuma família está isenta de passar por situações em que seus membros não apenas possuem opiniões diferentes, mas apresentam muitas vezes reações emocionais extremas quando contrariados. Independente da existência de conflitos, eles devem ser tratados de forma coerente, bíblica e, acima de tudo, de forma que Deus seja honrado e a unidade da família seja preservada. Dentre as diversas formas de conflitos na família, destacamos:
Brigas na família — Cada pessoa na família possui um temperamento diferente. Temperamento e, em síntese, a forma com que reagimos diante de situações e estímulos. Ainda que tenham temperamentos diferentes, somos desafiados a agir não de acordo com nossos temperamentos, mas sim de acordo com a presença de Deus em nossas vidas.
Atividades dos pais — Em nossos dias, temos visto que pais e mães de família têm se dedicado muito ao trabalho, devido aos muitos desafios financeiros e o custo de vida cada vez mais alto. Isso pode prejudicar a família, se os pais não tiverem um tempo adequado para ficar com seus filhos, participar da educação deles, passar-lhes as tradições da família e acima de tudo, repassar-lhes a fé em Deus e no evangelho.
Questões financeiras — Conflitos familiares podem advir de questões financeiras. Um cônjuge que não possui controle de gastos e tem propensões consumistas pode atrapalhar seu casamento, pois coloca em risco a economia de toda a família. Os cônjuges precisam ter um controle correto de seus gastos, aprender a gerir corretamente seus recursos financeiros e evitar desconfortos que atrapalhem a convivência. É preciso aprender a poupar, tentar comprar a vista os bens necessários e abster-se de adquirir coisas que não são necessárias naquele momento. Todo cuidado nessa esfera é importante, a fim de que a família não passe necessidade por culpa de um de seus membros que não possui domínio próprio.

Fonte CPAD

Susidio CPAD pre-adolescentes salvação 1trim-24/1/2016 n.4








SUBSIDIO PRE-ADOLESCENTES RECEBENDO A SALVAÇÃO.
                                   João 3.14-21. N.4

14 - E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado,
15 - para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
16 - Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
17 - Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.
18 - Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.
19 - E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.
20 - Porque todo aquele que faz o mal aborrece a luz e não vem para a luz para que as suas obras não sejam reprovadas.
21 - Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus.

PONTO DE CONTATO

Professor, a doutrina da salvação não deve ser apenas compreendida. É necessário que seja experimentada pelos seus alunos. Conhecer os profundos e confortadores ensinos concernentes à redenção é um bálsamo para o peregrino cristão. No entanto, o conhecimento teórico de pouco adianta se a obra salvífica de Cristo não for experimentada. Portanto, ministre a lição com objetividade, conhecimento da doutrina e amor pela conversão e salvação de seus alunos.

OBJETIVOS

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
Conceituar a doutrina da salvação.
Descrever os objetivos da graça.
Explicar a predestinação bíblica.

SÍNTESE TEXTUAL
A doutrina da salvação, chamada de Soteriologia, ocupa-se do estudo do plano salvífico (Ef 1.3-14), da obra de Cristo (Rm 3.24-26), e da aplicação da salvação ao homem (Ef 2.8-10), de acordo com a Escritura. O termo procede do grego sōtēria, traduzido por “salvação”, “libertação” e “preservação”. Nos textos de Lc 1.69,71 e Hb 11.7, o vocábulo é usado com o sentido de “livrar ou preservar de um perigo eminente”. A palavra equivalente usada no Antigo Testamento é yeshû‘â (o nome Jesus no grego, procede desse termo hebraico, Mt 1.21), isto é, “salvação”, “livramento”. O termo hebraico é usado, em Gn 49.18, como referência à salvação do Senhor (ver Dt 32.15; 1 Sm 12.1), e, em Ez 37.23, com o significado de “livrar” dos pecados. Portanto, salvação, quer no Antigo ou Novo Testamento, significa libertação, livramento ou preservação de um perigo eminente.

ORIENTAÇÃO DIDÁTICA

Professor, antes que o homem pudesse pensar em Deus, ele já estava presente no pensamento de Deus. A Escritura em inúmeras passagens atribui a salvação a uma ação e iniciativa completamente divina: Deus elege, predestina e chama (Ef 1.4,5,18; 2.8-10; Rm 8.28-30; Fp 2.15,16; 2 Ts 1.11; Hb 3.1; 2 Pe 1.10). No entanto, é necessário que o homem responda positivamente a vocação celeste: recebendo-o (Jo 1.12), crendo (Jo 3.16), indo ao encontro dEle (Jo 6.37), invocando-o (Rm 10.13), entre outros. A obra inicial do Espírito Santo, a fim de que o pecador seja salvo, é convencer o homem do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16.8-11). Portanto, há um completo envolvimento da deidade e do homem na salvação. O gráfico a seguir representa esses conceitos. Apresente aos alunos após o tópico III.

COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO
Afirma Matthew Henry que a nossa “salvação é tão bem projetada, tão bem harmonizada, que Deus pode ter misericórdia dos pobres pecadores e estar em paz com eles, sem nenhum prejuízo de sua verdade e justiça”. Quem há de contestar o irmão Henry? Certo teólogo, aliás, chegou a declarar que o Plano de Salvação é tão eterno quanto o próprio Deus.
Neste domingo, veremos o que a Bíblia ensina acerca da salvação; é um tema que se estende do Gênesis ao Apocalipse.

I. O QUE É A SALVAÇÃO
1. Definição etimológica. Na língua original do Novo Testamento, a palavra sōtēria, além de salvação, traz as seguintes significações: “libertação de um perigo eminente. Livramento do poder e da maldição do pecado. Restituição do homem à plena comunhão com Deus” (Dicionário Teológico).
2. Definição teológica. Doutrina segundo a qual, Deus, em seu insondável amor, ofereceu o seu Unigênito para salvar pela graça, por intermédio da fé, os que o aceitam como o único e suficiente Salvador (Ef 2.8-10). A salvação é amorosamente inclusiva; contempla a humanidade por inteiro, visto que todos nós, em Adão, caímos no pecado pela transgressão da Lei de Deus; logo: todos precisamos ser resgatados por Cristo. Ler Rm 5.12,17,18; Gl 4.4,5; Is 43.27.
II. A GRAÇA DE DEUS NA SALVAÇÃO DO HOMEM
Agostinho realça a doutrina da graça divina: “A graça de Deus não encontra homens aptos para a salvação, mas torna-os aptos a recebê-la”. Nesta admirável definição, temos a essência do que é e do que representa a graça de Deus.
1. Definição etimológica.Tanto a palavra hebraica hessed, quanto a grega charis, trazem a idéia de favor imerecido. Esta é a mais universal e clássica definição de graça.
2. Definição teológica. A graça, portanto, é o favor imerecido que Deus, gratuitamente, concede à raça humana, capacitando-nos a compreender, a aceitar e a usufruir, de imediato, das bênçãos do Plano de Salvação (Ef 2.8,9).
3. Objetivos da graça de Deus. A graça tem por objetivos: 1) salvar o homem da condenação do pecado; e 2) restringir a ação deste, levando o ser humano a viver nas regiões celestiais em Cristo Jesus (Rm 5.2; Ef 2.8). A graça é operada mediante a fé.

III. ELEIÇÃO E PREDESTINAÇÃO
Conforme Efésios 1.4,5, a eleição (v.4) precede a predestinação (v.5) que, embora infinita e insondável, não é a salvação em si. A predestinação é “para a salvação” (2 Ts 2.13), a fim de sermos filhos de adoção (Ef 1.5)
1. Eleição (Ef 1.4,5). Antes mesmo de o Universo ter sido criado, nós já havíamos sido eleitos por Deus para usufruir plenamente da salvação. Leia também 1 Pe 1.1,2.
2. Predestinação. O apóstolo afirma que fomos não somente eleitos, mas igualmente predestinados à vida eterna (Ef 1.5).
Isto não significa, porém, que Deus tenha amado apenas uma parte da raça humana; amou-a por completo. Pois a promessa do Salvador foi feita em primeiro lugar a Adão — o pai de todas as famílias da Terra e representante de toda a humanidade (Gn 3.15). Portanto, basta o homem receber a Cristo para desfrutar, de imediato, dos benefícios da eleição e da predestinação. Em sua presciência, Deus elegeu, em seu Filho, aqueles que, aceitando o Evangelho, experimentam o milagre da regeneração.

IV. A REGENERAÇÃO
Neste tópico, entraremos a ver por que a regeneração é tão importante à união do ser humano com Deus. Vejamos, pois, o que é a regeneração?
1. Definição etimológica. A palavra regeneração significa gerar de novo, nascer outra vez.
2. Definição teológica. A regeneração é a obra fundamental e instantânea de Deus que concede gratuitamente ao pecador uma nova vida espiritual através dos méritos de Cristo. É a natureza divina operando no crente por intermédio da ação do Espírito Santo (2 Pe 1.1-5).
3. A necessidade da regeneração. É necessária para se entrar no céu (Jo 3.3); para se resistir ao pecado (1 Jo 3.9); para se ter uma vida de retidão (1 Jo 2.29).

V. A JUSTIFICAÇÃO
1. Definição etimológica. A palavra justificação é oriunda do hebraico tsādēq e do grego dikaios. Significa, declarar justo pelos méritos de Cristo.
2. Definição teológica. Justificação é um termo forense e traz esta rica conotação: declarar alguém justo, como se este jamais houvera cometido quaisquer iniqüidades. Logo: é mais do que absolvição; é colocar o pecador arrependido no lugar de justo.
3. Benefícios da justificação. Estes são alguns dos benefícios da justificação: 1) um novo relacionamento com a Lei (At 13.39); 2) um novo relacionamento com Deus (Rm 5.1,9); uma nova concepção sobre a própria culpa (Rm 8.33); uma nova perspectiva quanto ao futuro (Tt 3.7).

VI. A ADOÇÃO
Antes de aceitarmos a Cristo, éramos apenas criaturas; agora, co-herdeiros de Cristo Jesus com pleno acesso a todas as bênçãos que, nEle, reservou-nos o Pai Celeste (Ef 1.13; 1 Co 3.21). A adoção, portanto, é uma das mais belas e confortadoras doutrinas da Bíblia.
1. Definição etimológica. A palavra adoção, considerada literalmente, significa colocar na posição de filho.
2. Definição teológica. No Novo Testamento, o vocábulo descreve o ato pelo qual Deus recebe, como filho, alguém que, legal e espiritualmente, não desfruta do direito de tê-lo como Pai. A partir desse momento, passa esse alguém, mediante o sacrifício de Cristo no Calvário, a desfrutar de todos os privilégios que Deus preparou àqueles que aceitam a Cristo como único e suficiente Salvador. O termo adoção encontra-se apenas nas epístolas paulinas (Rm 8.15,23; 9.4; Gl 4.5; Ef 1.5).
3. Os privilégios da adoção. Adotado por Deus, o crente é considerado como filho do Pai Celeste (1 Jo 3.2); como irmão de Jesus (Hb 2.11); como herdeiro dos céus (Rm 8.17). De igual modo, é libertado do medo (Rm 8.15) e desfruta de segurança e certeza de vida eterna (Gl 4.5,6).
VII. A SANTIFICAÇÃO
A doutrina da santificação é uma das mais negligenciadas de nosso púlpito. Apesar disso, sua validade e reivindicações continuam tão eloqüentes hoje como nos tempos bíblicos. O que é, todavia, a santificação?
1. Definição etimológica. A palavra santificação, nos seus dois principais termos das Sagradas Escrituras (qōdesh, no A.T., e hagiazō, no N.T.), significam: separação do mundo e consagração a Deus.
2. Definição teológica. Tendo por base a graça divina, a santificação leva o crente a separar-se do mundo, de sua filosofia de vida e de suas vis concupiscências, a fim de consagrar-se totalmente a Deus e ao serviço de seu Reino.
3. A santificação é um processo. Se a regeneração é um ato instantâneo, a santificação é um processo, através do qual o homem, continuamente, torna-se, pela ação do Espírito Santo, mais parecido com Deus (Pv 4.18; Fp 3.12-14; 2 Co 3.18).
4. Os propósitos da santificação. Levar o homem a identificar-se com o seu Criador (Lv 19.2; Gl 2.19) e constranger o homem a dedicar-se ao serviço de Deus (Êx 19.6).
5. Os meios da santificação. Estes são os meios através dos quais Deus opera, em nós, a santificação: a Palavra (Jo 17.17); o sangue de Jesus (Hb 13.12); o Espírito Santo (2 Ts 2.13); a fé em Deus (At 26.18).

CONCLUSÃO
Como é maravilhoso experimentar a salvação em Cristo Jesus! Todavia, o melhor está por vir. Quando Ele voltar para buscar a sua Igreja, haveremos de experimentar a salvação em toda a sua plenitude. Conforme ensina o apóstolo Paulo, os salvos seremos transformados num abrir e fechar de olhos ante o toque da última trombeta. E, assim, estaremos para sempre com o Senhor. Aleluia! Você já experimentou a salvação? Aceite a Cristo imediatamente.

                      “O Alcance da Salvação
1. A salvação é para o mundo inteiro. Através do sacrifício perfeito de Cristo, todos os habitantes da Terra foram representados, e os seus pecados foram potencialmente perdoados. Cristo ‘é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro’ (1 Jo 2.2).
2. A salvação é para os que crêem. Apesar de Cristo haver morrido pelos pecados do mundo inteiro, há um sentido em que a expiação é uma provisão divina feita especialmente por aqueles que crêem. Paulo apresenta Jesus Cristo como o ‘Salvador de todos os homens, especialmente dos fiéis’ (1 Tm 4.10). Deste modo, apesar de a salvação estar à disposição de toda a humanidade, de forma experimental ela se aplica exclusivamente àqueles que crêem.
3. Alguns abandonarão a salvação. A Bíblia dá a entender que muitos daqueles pelos quais Cristo morreu, aceitarão a sua provisão salvadora, mas depois abandonarão, perdendo com isto o direito à vida eterna [...]”.
(OLIVEIRA, R. As grandes doutrinas da Bíblia. 7.ed., RJ: CPAD, 2003, p.217-8.) FONTE CPAD 



fonte comentario biblico Mathew Henry, novo testamento