quarta-feira, 22 de junho de 2016

Reconstrução do templo de Salomão


             A reconstrução do Santo Templo de Salomão
  


Você já pensou porque, atualmente, os cristãos ocidentais não valorizam o templo? Na Europa, os antiguíssimos e espaçosos templos, outrora tão frequentados, estão vazios. Isso acontece devido ao esfriamento espiritual e a dessacralização dos locais religiosos. No Brasil, apesar da enorme e crescente quantidade de templos em todas as regiões, poucos são os que realmente lhes atribuem valor sacro. Entretanto, o povo judaico sempre valorizou o templo como lugar sagrado e de adoração a Deus. Hoje, eles ainda almejam a reconstrução do Grande Templo, por considerá-lo, entre outras coisas, o símbolo da unidade da nação com o Messias. 
Os propósitos principais do Templo dos judeus foram delineados nas planícies de Moabe em 1405 a.C. Embora não haja uma referência direta ao Templo, e sim ao local onde Yahweh escolheria entre as tribos “para ali pôr o seu nome” (Dt 12.4;11,14), a narrativa de Deuteronômio é decisiva para a compreensão da importância de um santuário central. O Templo serviria para: O Senhor habitar entre o povo (v.4); Israel oferecer o seu culto (v.11); servir de unidade nacional (vv.10,14) e livrar Israel da idolatria (vv.1-3,30).
Por fim, o Templo foi construído em Jerusalém, na antiga eira de Araúna, no monte Moriá (2 Cr 3.1), em torno de 966 a.C. Após a construção do Santuário, os preceitos básicos foram transgredidos: idolatria, transferência da unidade nacional baseada no Templo para a monarquia e, por conseguinte, a glória do Senhor ausentou-se do Santuário. Sucessivas reformas procuraram restaurar o Templo: de Asa (1 Rs 14.9s.); Josias (2 Rs 22), mas estas estavam condicionadas à fidelidade do rei. O Templo é destruído e reconstruído (2 Cr 36.19,23), profanado por Antíoco Epifânio (168 a.C), reconsagrado por Judas, o Macabeu (165 a.C), reformado por Herodes (20-19 a.C), destruído pelo general Tito em 70 d.C e, por fim, ansiado pelos judeus. 

A profecia concernente à reconstrução do Santo Templo, em Jerusalém, é um dos mais eloquentes alertas quanto ao iminente retorno de Nosso Senhor Jesus Cristo. Apesar de não sabermos se o Templo será reerguido antes, ou depois, do arrebatamento da Igreja, de uma coisa temos certeza: esta profecia está prestes a se cumprir.Os achados arqueológicos, contudo, estão a levantar algumas interrogações. Onde ficava exatamente o templo? Se a mesquita de Omar ocupa, de fato, a área do antigo templo, este projeto será possível? A única coisa que sabemos é que as profecias sobre a reconstrução do Santo Templo hão de se cumprir fielmente, como fielmente cumpriram-se as profecias a respeito da restauração nacional de Israel em 14 de maio de 1948.

O QUE É O SANTO TEMPLO

O Santo Templo construído por Salomão não pode ser visto apenas como um assombro arquitetônico; é a concretização de um ideal que, tendo início com os patriarcas, fez-se realidade com o suntuoso edifício que o filho de Davi ergueu em Jerusalém (Gn 28.10-17; 1 Rs 5-8).
Definição. O Santo Templo, por conseguinte, é o santuário por excelência do povo israelita, onde não somente este, como também os gentios, deveriam adorar e buscar ao Deus Único e Verdadeiro em espírito e verdade (Mc 11.17).
 Conceito teológico. Edificado em Jerusalém, possuía o Santo Templo uma função teologicamente missionária: atrair os gentios ao Deus de Abraão (2 Cr 6.32,33; Mt 12.42), fazendo com que estes, juntamente com os judeus, viessem a constituir-se num só povo em Cristo Jesus.
Infelizmente, o Santo Templo foi transformado, por reis infiéis e apóstatas, num centro ecumênico, onde cada povo tinha ali um altar para o seu deus (1 Rs 11.1-13). Dessa forma, Israel perdeu a sua maior oportunidade de expandir o Reino de Deus até aos confins da terra.

 O TEMPLO DE SALOMÃO

A construção do Santo Templo teve início por volta do ano 966 a.C. O autor sagrado dedica a este empreendimento três capítulos do 1º Livro dos Reis. Terminada a obra, que consumiu os sete primeiros anos do glorioso reinado de Salomão, e que mobilizou todo o Israel e os países vizinhos, assim testemunha o cronista com respeito à glória do Senhor que sobreveio àquele santuário:
 A glória do Senhor enche o templo. “A casa se encheu de uma nuvem, a saber, a Casa do Senhor; e não podiam os sacerdotes ter-se em pé, para ministrar, por causa da nuvem, porque a glória do Senhor encheu a Casa de Deus” (2 Cr 5.13.14).
A glória do Senhor deixa o templo. Salomão, que tão bem começara o seu reinado, desvia-se do Senhor para seguir os deuses de suas muitas mulheres gentias (1 Rs 11.1-13). E, assim, induz Israel à apostasia. Em consequência, o Senhor decide destruir Jerusalém e, com esta, o Santo Templo (Jr 7.1-16).
Antes, porém, que viessem os exércitos babilônicos, retira Ele a sua glória do lugar santíssimo (Ez 11.23). Como haviam predito os profetas, a Casa de Deus é posta em desolação por 70 anos (Dn 9.2).

 A RECONSTRUÇÃO DO SANTO TEMPLO

O templo de Zorobabel. Terminados os 70 anos de exílio, suscita o Senhor o espírito de Zorobabel, a fim de que reconstrua o Santo Templo (Ed 3.1-13). Passados quase cinco séculos, eis que Herodes põe-se a reformá-lo, objetivando transformá-lo numa das mais notáveis edificações do Império Romano. Neste empreendimento, o perverso monarca compromete quarenta e seis anos de seu governo (Jo 2.20). A construção era sobremodo majestosa, servindo inclusive de introdução ao Sermão Profético de Nosso Senhor (Mc 13.1).
No ano 70, os exércitos romanos, sob o comando de Tito, destroem completamente o Santo Templo, conforme antecipara o Senhor Jesus (Mt 24.2). Desde então, os judeus, privados de seu santuário, não mais puderam oferecer a Deus os sacrifícios prescritos no Antigo Testamento. Mas, com muito anelo, aguardam a reconstrução do Santo Templo em Jerusalém.

O templo da 70ª Semana. Eis as profecias que fazem referência à reconstrução do templo da 70ª Semana.

a) Daniel (Dn 9.27); b) Jesus (Mt 24.15); c) Paulo (2 Ts 2.3-9).

O templo do Milênio. Este templo, por suas características descritas por Ezequiel, difere do templo da 70ª Semana pois será edificado sobre um monte localizado na parte central do território sagrado dos sacerdotes (Ez 40.2). Os seus átrios serão murados para se evitar a sua profanação (Ez 48.8-22). Neste templo, a glória de Deus haverá de manifestar-se a Israel e ao mundo. E sobre ambos os povos estará governando o Cristo de Deus como o Rei dos reis e Senhor dos senhores. 
Apesar da importância profética do Santo Templo, nós, que recebemos a Cristo Jesus como o nosso Salvador e Redentor, devemos ter sempre em mente as palavras de Cristo àquela samaritana que se achava mui preocupada com o verdadeiro lugar de adoração: “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade” (Jo 4.23,24).A reconstrução do Santo Templo, entretanto, deve ser encarada como um dos mais fortes sinais da volta de Cristo Jesus. Não sabemos quando se dará este fato: antes ou depois do arrebatamento? O que realmente sabemos é que Cristo em breve virá buscar a sua Igreja.
Querido Jesus, os sinais tornam-se cada vez mais fortes e extraordinários. Não permitas que os teus filhos adormeçam na incredulidade. Ajuda-nos a ser mais precavidos. Em teu nome. Amém! 
 “O Templo que será erguido e que certamente será profanado pelo Anticristo tem sido bastante discutido pelos judeus de todo o mundo. Quando Israel conquistou a parte velha da cidade de Jerusalém com as ruínas do Templo, em 1967, o velho historiador judeu Israel Eldad, segundo citação da ‘Revista Time’, teria dito: ‘Agora estamos no mesmo ponto em que Davi estava, quando libertou Jerusalém das mãos dos jebuseus’. E acrescentou: ‘Daquele dia até o momento em que Salomão construiu o Templo passou-se apenas uma geração. Assim também acontecerá conosco’.
Recentemente declarou um rabino judeu: ‘Estamos prestes a ver o grande Templo reconstruído’, isto é, o Templo da Grande Tribulação. E, sendo indagado por um Jornal bastante badalado: ‘Quem o reconstruirá: os judeus ou o Anticristo?’ Ele respondeu: ‘O Templo é chamado de ‘...o Templo de Deus’ (Dn 8.11,14; Mt 24.15; 2 Ts 2.4; Ap 11.1) e, evidentemente só os judeus (ou através deles) serão autorizados por Deus para sua construção’.

[...] É sabido hoje que já há projeto em Israel para a construção do Novo Templo. Os judeus políticos dizem: A construção do Templo será um ato político de primeira categoria, pois somente assim a anexação de Jerusalém se tornará uma realidade política. Além disso, também motivos religiosos forçam a construção do Templo”. (SILVA, S. P. Escatologia: doutrina das últimas coisas. 12.ed., RJ: CPAD, 2000, pp.79-80).


                          Pronto para Reconstruir

Em 1992, Randall Price e eu escrevi um livro sobre os esforços atuais em Israel para a reconstrução do Terceiro Templo de Israel chamado Ready to Rebuild . [1] Um dos principais israelenses levando a carga para construir ao lado do Templo de Israel, que figuram no livro é um homem chamado Dr. Gershon Salomon. Dr. Salomon é o chefe de uma organização chamada The Temple Mount Faithful que ele fundou a fazer tudo o que podem para tentar reconstruir o Templo judaico. Minha esposa e eu tivemos o privilégio de tê-lo em nossa casa para uma refeição há alguns anos atrás. Gershon, como é conhecido pelos amigos, foi recentemente nas notícias em Israel, como ele normalmente é nessa época do ano.
Dr. Salomon começou a ser conhecido por alguns norte-americanos, como resultado de sua iniciativa ousada para lançar a pedra fundamental do Terceiro Templo, em outubro de 1989 Naquela época, ele tentou dirigir um caminhão até o Monte do Templo carregando uma pedra angular 4,5 tonelada em um esforço para provocar seus compatriotas a se levantar e realizar a reconstrução do Templo. Em vez disso, ele serviu apenas para provocar os árabes. No ano seguinte (outubro de 1990), quando Gershon tentou o lançamento da pedra fundamental, 19 palestinos foram mortos quando havia rumores ao longo dos trimestres islâmicos que os "infiéis" israelenses foram tomando conta do Monte do Templo. Este incidente demonstra a muitos ao redor do mundo a importância do Monte do Templo para árabes e judeus.
Não importa o quanto o Monte do Templo em Jerusalém, em pensamento pelos árabes a ser significativo para eles, isso não é nada em comparação com a paixão que os judeus religiosos têm para aquele pedaço de 35 hectares de imóveis. Nada captura a paixão tanto quanto a seguinte expressão judaica:
"À medida que o umbigo está situado no centro do corpo humano, por isso é a terra de Israel o umbigo do mundo... Situado no centro do mundo, e de Jerusalém no centro da terra de Israel, eo santuário no centro de Jerusalém, eo santuário no centro do santuário, ea arca no centro do santuário, e da pedra fundamental diante do lugar santo, porque a partir dele o mundo foi fundada. "
-Midrash Tanchuma, Qedoshim
No entanto, por causa da atual ocupação árabe do Monte do Templo os judeus são proibidos por seu próprio governo ao mesmo subir o monte para orar. Recentemente, o Monte do Templo Fiel durar sua proposta no Supremo Tribunal de Israel que iria conceder-lhes permissão para montar 30 a 40 mil judeus em cima de seu Monte Santo. A base para rejeitar a petição do Dr. Salomon era que seria muito perigoso. The Jerusalem Post disse: "A tensão sobre o status do Monte do Templo tem aumentado nos nove anos desde que um choque desencadeado por palestinos que atiravam pedras judeus adorando no Muro das Lamentações em Sucot levou a 19 mortes, o chefe da polícia de Jerusalém comandante Yair Yitzhaki. disse ontem ". [2] Mas é claro que as questões em Israel relativas ao Monte do Templo não estão esfriando, mas ganhando força.
Desde Dr. Price e escreveu o livro, não houve qualquer dramáticos acontecimentos reais, exceto os de abertura de Benjamin Netanyahu de um túnel que nem sequer jornada debaixo do Monte, mas por causa da propaganda árabe resultou em mais de 100 mortes devido a tumultos árabes . No entanto, muitos judeus ortodoxos estão constantemente se preparando para o momento em que haverá um terceiro templo. Um dos esforços mais recentemente descritos da preparação foi referida em Arutz-7 (27 de setembro, 1999).
Um censo de todos os Cohanim (sacerdotes) e Leviim (levitas) -o primeiro de seu tipo em 2.000 anos-vai começar hoje à noite em Jerusalém, no contexto da reunião anual de apoiantes da construção do Terceiro Templo.
Com o censo, os organizadores estão tentando recriar a tabela dos direitos sacerdotais e levíticas que existiram durante Templo vezes.
Sem dúvida, muitos judeus ortodoxos estão se preparando para o próximo Templo com sérios planos prontos para entrar em ação quando a oportunidade se apresenta.
Por que Israel não pode reconstruir seu templo em sua própria terra? Por causa do impasse político entre os árabes e judeus sobre a terra do próprio Israel. Em um artigo recente sobre os esforços para reconstruir o templo, observou-se:
Salomon e os seus apoiantes são zelosos em seus esforços, no entanto, poucos acreditam que terão todo o sucesso e como autor David Dolan afirmou: "Não há uma chance no mundo que a pedra fundamental será colocada É uma coisa de publicidade Haveria.. enormes tumultos se isso aconteceu. "
Em agosto, o primeiro-ministro Ehud Barak enviado polícia israelense ao Monte do Templo para selar uma abertura na parede sul, perto do Domo da Rocha. A autoridade religiosa muçulmana Waqf tinha alargado a janela, que o ministro da Segurança Pública israelense Shlomo Ben-Ami chamado de "uma flagrante violação, não só da lei, mas também do (religiosa) status quo."
Depois que a polícia de Israel fechou a abertura, Barak ordenou reforços para a área de alta volatilidade para garantir que não haveria qualquer reação palestina. Não houve incidentes relatados.
Em comunicado à imprensa, Salomon disse: "As autoridades israelenses só irá permitir a pedra angular para ser trazido para perto do Portão Leste do Monte do Templo e para a cidade de David No entanto, vamos fazer o nosso melhor para convencer as autoridades israelitas a abrir. os portões do Monte do Templo para a pedra angular ".
Ele acrescentou que a reconstrução do templo, que era o maior sonho ao longo dos últimos 1900 anos desde a destruição do Templo em 70 dC, "vai mudar completamente o status quo em Israel, no Oriente Médio e em todo o mundo."
Mais demitir esquema de Salomon como um "golpe de publicidade". [3]
Mas Terceiro Templo de Israel um dia será reconstruir como Dr. Price e eu mostrei em nosso livro de Daniel 9: 24-27; Mateus 24:15; 2 Tessalonicenses 2: 4; Apocalipse 11: 1-2. Poucos observadores de eventos do mundo já pensou Israel se tornaria uma nação novamente, mas ele fez ocorrer em 1948 Da mesma forma, haverá um templo reconstruído por meio da tribulação de sete anos. Francamente, não parece que há eventos no horizonte que pode levar a próxima Templo de Israel. Mas, uma vez que o arrebatamento da igreja pode acontecer a qualquer momento, as coisas certamente poderia mudar com muita pressa.
Muitas vezes me ensinou que a permissão muito aguardada para os judeus reconstruírem o seu templo provavelmente fará parte da aliança entre o anticristo e Israel, que se inicia a tribulação de sete anos após o arrebatamento. Estudioso bíblico e especialista profecia Dr. John Whitcomb disse em seu comentário sobre Daniel:
Assim, parte da forte aliança com "muitos" em Israel deve ser a permissão para oferecer sacrifícios de novo "no templo de Deus" (2 Tessalonicenses 2:. 4). À luz da actual situação em Jerusalém, que levaria uma pessoa muito poderosa para obter e garantir o acesso por parte de Israel para a área do Templo. Parece possível que as "duas testemunhas" de Apocalipse 11: 3-6, que têm autoridade irresistível em Jerusalém durante os primeiros três anos-e-um-meia, também será fundamental para organizar os termos desta aliança com a "pequena chifre, "para não até serem mortos por ele (depois que ele" vem do abismo ") ele é capaz de quebrar o pacto e terminar com o sistema sacrificial. [4]
Essa sugestão faz sentido, uma vez que o Dr. Whitcomb sugere que o Templo será reconstruído e supervisionado sobrenaturalmente pelas duas testemunhas durante a primeira metade da tribulação. Uma vez que uma das duas testemunhas provavelmente será Elias, então isto significa que o ministério de Elias provavelmente nos dizer mais sobre o ministério das duas testemunhas. Malaquias 4: 4-5 diz: "Eis que vou enviar-lhe o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor Uma ele irá restaurar os corações dos pais aos. seus filhos, e os corações dos os filhos a seus pais, para que eu não venha, e fira a terra com maldição ". Talvez o ministério de Elias, onde ele vai ajudar o povo judeu "se acertar com Deus", antes do retorno do Senhor envolve seu Terceiro Templo, até comandado pelo Anticristo.
Independentemente de como o Senhor trabalha nos detalhes, Seu plano será levado a passar. Entretanto, muitos dos eventos atuais agora que ocorrem dentro e ao redor de Jerusalém eo Monte do Templo estão preparando o terreno para o que será uma série de eventos que vai inaugurar a segunda vinda de Cristo. A igreja está olhando para o arrebatamento, onde Cristo nos levará em um exemplo a ser com Ele por toda a eternidade.     fonte www.pre-tri.org

JUDEUS CONCLUEM PREPARATIVOS PARA CONSTRUÇÃO DO TERCEIRO TEMPLO

O Monte Moriá ou Monte do Templo, onde se encontra o Domo da Rocha, é o lugar original do Templo de Jerusalém, a qual 64% dos judeus israelenses, segundo pesquisa recente, desejam ver reconstruído.
Instituto do Templo e outros grupos de judeus ortodoxos já têm todos os 102 artigos do Templo prontos para começar a reconstrução

As profecias bíblicas relacionadas ao final dos tempos falam do Templo de Jerusalém como uma realidade no período da Grande Tribulação e do Milênio (período de mil anos em que Cristo reinará com Sua Igreja sobre a Terra). Mas, o Templo, sabemos, não foi ainda reconstruído. Porém, quase todos os passos que precisavam ser dados para que isso aconteça já são realidade. Se não, vejamos.

Em primeiro lugar, para o Templo ser reconstruído, seria necessário Israel voltar a existir como uma nação, o que ocorreu em 1948. Em segundo lugar, seria necessário a reconquista da cidade de Jerusalém, o que também já aconteceu, em 1967. Em terceiro lugar, seria necessário ainda que todos os utensílios do Templo fossem restaurados. E isso já está acontecendo. Ou melhor, os utensílios já estão praticamente concluídos.


A primeira vez que o assunto reconstrução do Templo chamou a atenção da mídia mundial foi em 1989, quando a revista norte americana Time, em sua edição de 16 de Outubro de 1989, cuja matéria de cara era intitulada "Time for a New Temple? ("Tempo para um Novo Templo?"), apontava o desejo crescente entre os judeus ortodoxos em Israel de ver o Templo de pé mais uma vez. Por essa época, dava seus primeiros passos o chamado Instituto do Templo.

Erguido na Cidade Velha de Jerusalém, o Instituto do Templo tem se dedicado com afinco, durante as últimas duas décadas, aos preparativos para a reconstrução do Templo, chegando hoje praticamente ao final dessa preparação, em mais um sinal evidente da proximidade da Segunda Vinda de Jesus. Em seus pouco mais de 20 anos de existência, o Instituto já recriou o candelabro do Templo (Menorah), a um custo de 3 milhões de dólares, além de harpas, altares, recipientes para incenso e as roupas dos sacerdotes, tudo meticulosamente igual à descrição bíblica desses artigos. Ao todo, são 102 os utensílios necessários para os rituais do Templo; e hoje todos eles - isso mesmo: todos - já estão prontos. O últimmo passo será a busca de restos (cinzas, por exemplo) das novilhas vermelhas, uma espécie de novilha em extinção que, sendo um animal kosher (puro), era usado no ritual de purificação dos sacerdotes antes de adentrarem o Templo de Jerusalém, segundo o texto de Números 19.

O objetivo dos judeus ortodoxos ligados ao Instituto é clonar a novilha vermelha a partir dos restos que eventualmente possam ser encontrados para que, após a reconstrução do Templo, os sacerdotes já estejam ritualmente prontos para servir. Ou seja, até os avanços recentes na área de genética favoreceram os planos e a fé daqueles que têm se dedicado à reconstrução, e que, inclusive, já elaboraram uma lista de judeus que são provavelmente descendentes de Levi, conforme estudo meticuloso da árvore genealógica de milhares de judeus, para exercerem a função de sacerdotes. Muitos deles já estão de sobreaviso e totalmente integrados ao projeto.


O rabino Yisrael Ariel, fundador do Instituto e considerado um dos maiores especialistas no mundo em rituais do Templo de Jerusalém, afirma que a função do Instituto sempre foi e será "dedicar-se à recriação de artefatos usados no Templo não apenas como um exercício histórico, mas como uma maneira de se preparar para sua reconstrução". Algumas das últimas recriações do Instituto são surpreendentes e realçam sua dedicação. Em dezembro de 2007, por exemplo, o Instituto anunciou a conclusão da confecção do candelabro e da coroa de ouro maciço que a Bíblia diz que o sumo sacerdote levava no cumprimento dos seus deveres no Templo. De acordo com a agência de notícias israelenses Israel National News, os artistas que trabalharam na coroa e no candelabro seguiram escrupulosamente, durante mais de um ano, as instruções registradas na Bíblia hebraica e as informações sobre a coroa e o candelabro gravadas em antigas fontes históricas para chegar ao formato final nos dois artigos, que são considerados hoje absolutamene fidedignos aos originais.

Pedra Angular do Templo
Mas, não são apenas os centenas de rabinos do Instituto do Templo que têm se dedicado aos preparativos para a reconstrução. Outros grupos judeus ortodoxos relacionados também manifestam-se nesse sentido. Em 21 de Maio deste ano, por exemplo, um grupo de judeus denominado "Movimento de Fidelidade à Terra de Israel e ao Monte Templo" (Temple Mount and Land of Israel Faithfull Movement) realizou uma passeata em Jerusalém deslocando uma pedra de quase quatro toneladas que é considerada por alguns judeus ortodoxos a pedra angular para a edificação do terceiro Templo de Jerusalém.

O dia 21 de Maio foi escolhido para a realização da passeata porque é o "Dia de Jerusalém" em Israel, data em que os judeus celebram a vitória na Guerra dos Seis Dias, quando Israel reconquistou Samaria, Judéia, Gaza, os Montes de Golan e Jerusalém. Durante a passeata com a pedra de esquina que provavelmente suportará a edificação do Templo, o grupo do "Movimento de Fidelidade à Terra de Israel e ao Monte do Templo" protestou em frente ao Consulado dos Estados Unidos por causa da política para o Oriente Médio adotada pelo atual presidente norte-americano, Barack Hussein Obama, que quer dividir a cidade de Israel, estabelecendo a capital do Estado árabe dentro de Israel. Em frente ao Consulado, a multidão bradava: "Tirem as mãos da Terra de Deus e do povo de Israel e de Jerusalém!". Ao chegar no portão de Jaffa, na cidade velha de Jerusalém, o grupo de fiéis dançou e tocou trombetas de prata declarando seu amor a Jerusalém.

O grupo dos Fiéis do Monte do Templo é liderado pelo rabino Gershon Salomon, que já afirmou em entrevista ao arqueólogo norte-americano e cristão Randall Price (autor de Arqueologia Bíblica, CPAD) nos anos 90 o que se segue: "Creio que a reconstrução do Templo é a vontade de Deus. O Domo da Rocha deve ser retirado. Devemos, como sabem, removê-lo. E hoje temos todo o equipamento para fazer isso, pedra por pedra, cuidadosamente, embalando-o e enviando-o de volta para Meca, o lugar de onde veio. (...) No dia certo - creio que em breve - essa pedra [de esquina] será colocada no Monte Templo, trabalhada e polida. Será a primeira pedra para o terceiro Templo. A pedra não está longe do Monte Templo, mas bem perto das muralhas da Cidade Velha de Jerusalém, perto da Porta de Shechem. Dessa pedra se pode ver o Monte Templo. Mas, o dia está próximo em que essa pedra estará no lugar certo. Pode ser hoje ou amanhã, mas estamos bem pertos da hora certa".

Já há alguns anos que Gershon Salomon tem incentivado rabinos a Já realizarem sacrifícios próximos ao Monte Moriá, isto é, o Monte do Templo. Na Páscoa de 1998, rabinos judeus realizaram um sacrifício de um animal no Muro Ocidental, que pode ter sido o primeiro sacrifício animal realizado no local do Templo desde 70d.C., quando Jerusalém foi destruída pelos exércitos romanos. Em 4 de Abril de 1999, o próprio Gershon Salomon tentou realizar um sacrifício sobre o Monte do Templo, mas foi frustrado. E em Abril de 2008, rabinos em Israel afirmaram que estão se preparando para realizar alguns sacrifícios de animais, num lugar bem próximo ao Monte do Templo. Mais de um ano depois, ainda não os fizeram, mas eles têm se mostrado insistentes na idéia de fazê-los futuramente, o que para os árabes palestinos serão considerados atos muito provocativos.

Outro grupo é o Ateret Cohanim, que fundou uma yeshiva (escola religiosa) para a educação e o treinamento dos sacerdotes do Templo. O objetivo dessa organização judaica liderada por rabinos é pesquisar os regulamentos levíticos e treiná-los para um sacerdócio futuro no terceiro Templo.

Enquanto isso, todos os dias, três vezes ao dia, judeus ortodoxos oram diante do Muro das Lamentações pedindo a Deus para que o Templo seja reconstruído. Dizem as preces, quase em uníssono: "Que a Tua vontade seja a rápida reconstrução do Templo em nossos dias....".
O respeitado rabino Chaim Richman, diretor internacional do Instituto do Templo, é apontado como o mais provável a assumir a função de sumo sacerdote logo após a reconstrução; ele também liderará o Sinédrio, cujo lista de futuros membros, preparada por rabinos, já está pronta.




Oposição Palestina
Adnan Husseini, conselheiro do presidente palestino Mahmoud Abbas em questões relativas a Jerusalém, critica a existência do Instituto do Templo e seu projeto, que denomina "provocação". "Se eles falam de construir o Templo, o que isso significa? Significa destruir mesquitas islâmicas. E se eles o fizerem, ganharão 1,5 milhão de inimigos. É o desejo de Deus que esse seja um local de adoração islâmico e eles devem respeitar isso", afirma Husseini.

Em resposta, os rabinos do Instituto do Templo declaram que não têm projetos nenhum de destruição das mesquitas até porque a maioria dos rabinos ortodoxos crê, à luz das profecias da Bíblia hebraica, que a reconstrução do Templo será um ato do próprio Deus, ato este que só será realizado, afirmam, "quando chegar o tempo em que o Senhor achar os judeus merecedores do Templo mais uma vez". Eles destacam ainda que os preparativos são apenas uma demonstração de fé nas profecias.

Entretanto, apesar de não haver mesmo por parte do Instituto do Templo nenhum planejamento em andamento para a destruição das mesquitas que se encontram hoje no Monte do Templo, o rabino Chaim Richman, diretor internacional do Instituto (e forte candidato a assumir a função de sumo sacerdote do Templo), e que já foi entrevistado do jornal Mensageiro da Paz há alguns anos, declarou em dezembro de 2007 que a tarefa do Instituto nos próximos anos será "completar o projeto arquitetônico para o terceiro Templo, incluindo as projeções dos custos e os esquemas e detalhes das partes elétricas e das canalizações", informação publicada nos jornais israelenses e que deixou os palestinos irados.

Para esquentar mais o clima, em outubro deste ano, o Comitê para a Monitoração Árabe acusou Israel de estar fazendo escavações arqueológicas por baixo do Monte Templo, o que os israelenses negam. "Essas acusações são uma perfeita mentira. Alegar que os judeus andam escavando por baixo do Monte do Templo é como dizer que o dia é noite", afirmou o rabino Shamuel Rabinovitz, responsável por cuidar do Muro das Lamentações. Seja como for, uma pesquisa recente mostrou que 64% dos judeus israelenses desejam, contanto que seja possível, ver o Templo reconstruído.

Seja verdadeira ou não a denúncia das escavações, certo é que a conclusão dos preparativos para a reconstrução demonstram que a restauração dos rituais do Templo no final dos tempos, conforme as profecias bíblicas asseveram, não está longe da sua concretização. Muito ao contrário. É uma questão de tempo. E, ao que tudo indica, muito pouco tempo. 

Fonte WWW.assembleiadedeusbetel.blogspot.com

                     O  Templo da Tribulação

      Já se passaram quase 20 anos atrás, que Randall Price e eu escrevi um livro intitulado Ready to Rebuild: O Plano Imminent reconstruir o Last Days Temple . [1] Dr. Preço passou a se tornar um dos principais, se não o principal especialista no evangelicalismo americano sobre o movimento Temple. Dr. Preço escreveu sua tese de doutorado sobre o Templo da Universidade do Texas [2] e produziu uma série de livros sobre o tema, incluindo uma obra de 750 páginas. [3] Então, os judeus em Israel ainda pronto para reconstruir o terceiro templo como observamos em 1992? A resposta é sim, e mais ainda a cada dia que passa.         

Tendências Recentes
      No passado, os judeus ortodoxos, que são os israelenses primaryly interessado em reconstruir o Templo, acreditavam que eles não devem mesmo ir em cima de 35 hectares, a área do Monte do Templo, uma vez que poderia caminhar por cima de onde o santo ou santos tiveram foi em um antigo templo.   foram algo como isso ocorra, seria considerado um ato de corrupção.   entanto, uma nova tendência está ganhando força entre os ortodoxos .
      Cada vez mais os rabinos estão ensinando que os judeus deveriam subir o Monte do Templo.   Uma reportagem de Jerusalém sobre uma conferência em 2009 que incentivou os judeus a subir o Monte do Templo, disse, toda Juntaram-se a invocar o público judeu para subir o Monte do Templo, apesar de as duras críticas dirigidas a eles do setor de Haredi, bem como de alguns rabinos nacional-religioso. [4]
      No verão passado, um membro da Knesset israelense ou parlamento (MK) visitou o Monte do Templo e declarou: É inaceitável que os muçulmanos podem subir o Monte 24 horas por dia, enquanto que a liberdade de culto judaico é limitado, ele disse, depois de visitar o Monte com uma escolta policial, e sob o olhar atento de representantes muçulmanos Wakf. [5] MK Danny Danon do Likud a passou a dizer: "Os judeus religiosos, que usam Kippahs, só pode subir ao Monte em grupos de quinze pessoas, com escolta policial, observou ele, e eles são proibidos de orar no monte. seculares [judeus] ou turistas, por outro lado, pode subir livremente. [6]    Danon anunciou que ele estaria pedindo o Ministro da Segurança Pública, Yitzhak Aharonovich , para alterar as instruções existentes sobre a ascensão dos judeus para a montagem.  Ele acrescentou que o coração doeu ao ver os resultados do ilegal escavação realizada pelo Wakf muçulmano na parte sul-oriental do Monte. [7]
      Histórias podem ser multiplicados de um desejo crescente por parte dos judeus israelenses para ver o seu templo reconstruído.   Diante de um crescente interesse e enfiou por judeus israelenses para reconstruir o Templo, não parece ser um cenário legítimo dentro de hoje políticos clima que pode levar à reconstrução real do templo judaico, que seria localizado onde a corrente islâmica Cúpula da Rocha está agora.

Um cenário sugerido
      A Bíblia indica que haverá um templo localizado em Jerusalém, durante um futuro período de tribulação de sete anos (Dn 9: 24-27; Mateus 24: 15-16.; 2 Tessalonicenses 2:. 3-4.; Rev. 11: 1-2;. 13:15)   . Presumivelmente, esse Templo seria reconstruído no Monte do Templo, onde Israels dois templos anteriores ficava   O próximo Temple poderia ser construído em qualquer momento entre agora e no meio da tribulação de sete anos , uma vez que as referências citadas acima referem-se a um evento chamado a abominação da desolação que ocorrerá no meio da tribulação.   Assim, é razoável concluir que esse Templo reconstruído terá que estar lá algum tempo antes do meio da tribulação , a fim de que possa funcionar por um período indeterminado de tempo até que a Besta ou Anticristo desola-lo no ponto médio.
      Na passagem Apocalipse 11, em que João é dito para medir o templo em sua visão de futuro, as duas testemunhas, após o fato de que o Templo é mencionado, são o principal foco do resto do capítulo.   À luz da Revelação 11, Dr. John Whitcomb sugere, tanto quanto eu estou preocupado, o cenário mais provável para a reconstrução de Israels próximo Temple.

      O significado destas palavras não deve ser minimizado.   Primeiro, para o Anticristo para fazer com que os sacrifícios judaicos cessar, o sistema sacrificial deve ter sido previamente instituído.   Assim, parte da forte aliança com "muitos" permissão em Israel deve ser oferecer sacrifícios de novo no templo de Deus (2 Tessalonicenses 2:. 4).   . À luz da actual situação em Jerusalém, que levaria uma pessoa muito poderosa para obter e garantir o acesso por parte de Israel para a área de Temple  Parece possível que as duas testemunhas de Apocalipse 11: 3-6, que têm autoridade irresistível em Jerusalém durante os primeiros três anos-e-um-meia, também será fundamental para organizar os termos desta aliança com o chifre pequeno, para não até serem mortos por ele (depois que ele
trata -se do abismo) ele é capaz de quebrar o pacto e terminar com o sistema sacrificial. [8]

      Se admitirmos a viabilidade do cenário Dr. Whitcombs, isso significa que o anticristo poderia conceder permissão para os judeus reconstruírem o seu templo como parte da forte aliança mencionada em Daniel 9:27.   Isto significa que os judeus ser livre para remover o Domo da Rocha e construir o seu Terceiro Templo no site.   Eu estimaria, dependendo de quanto tempo levaria para remover corretamente o Domo da Rocha, que Israel poderia construir seu templo até o final do primeiro ano, após o começo do período de sete anos.

As duas testemunhas
      Se as duas testemunhas de Apocalipse 11: 3 conduzir seu ministério dentro da área do templo recém-construído, o que faz sentido com o que sabemos do Apocalipse 11, em seguida, parece provável que esses dois profetas seria capaz de fornecer cobertura e proteção contra o Besta (Anticristo) e os habitantes da terra, que se opõem ao Senhor por toda a tribulação de sete anos.   As testemunhas também são descritos como os dois ungidos em Zacarias 04:14.
      O texto bíblico diz: E eu vou conceder autoridade às minhas duas testemunhas, e profetizarão por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de saco (Ap 11, 3).   A passagem continua: E se alguém quiser fazer mal eles, o fogo sai da sua boca e devora os inimigos; . e se alguém deseja prejudicá-los, desta forma ele deve ser morto  Elas têm poder para fechar o céu, para que não chova durante os dias da sua profecia; e têm poder sobre as águas para convertê-las em sangue, e para ferir a terra com toda sorte de pragas, quantas vezes desejar (Apocalipse 11: 5-6).   Portanto, é razoável ver que as duas testemunhas, que têm à sua disposição o poder milagroso de se proteger, o templo recém-construído, e ao povo judeu, até que o seu ministério está concluída.   E, quando acabarem o seu testemunho, a besta que sobe do abismo lhes fará guerra com eles , e superá-los e matá-los (Apocalipse 11: 7).   Ninguém vai ser capaz de mexer com eles até que o Senhor retira Sua proteção deles quando a sua missão está completa.
      Uma vez que o ministério das duas testemunhas é dito ser de três anos e meio antes (Apocalipse 11: 3), este deve estar no ponto médio da tribulação.   As testemunhas são, então, mortos e seus corpos jazem nas ruas de Jerusalém por três dias e meio (Apocalipse 11: 7-8)., um insulto para eles dentro da cultura do Oriente Médio   Então, de repente, as duas testemunhas são ressuscitados por Deus e arrebatados para o céu, como uma aparente testemunhar o evangelho de Jesus Cristo (Apocalipse 11: 11-12).   E naquela hora houve um grande terremoto, e um décimo da cidade caiu; e sete mil pessoas morreram no terremoto, eo resto ficaram aterrorizados e deram glória ao Deus do céu (Apocalipse 11:13).   Observe a declaração e no resto ficaram aterrorizados e deram glória ao Deus do céu.   O resto está claramente definido em justaposição com os habitantes da terra.   Acredito que o resto neste contexto refere-se ao remanescente judeu que será salvo, como resultado do testemunho das duas testemunhas.
      Com as duas testemunhas fora do caminho, a obstrução à Besta de entrar no templo reconstruído judaica terá desaparecido.   Essa seqüência permite agora o anticristo para entrar no templo e contaminá-lo, como previsto na Bíblia.

Conclusão
      Eu acredito que este cenário faz sentido, porque isso significa que o ministério das duas testemunhas cumpre Deuses intenção de converter os judeus Remnant em Jerusalém e em toda a Israel durante a tribulação.   Este cenário também faz sentido quando vemos que Jesus diz aos judeus de Jerusalém e Judéia a fugir para o deserto (Petra), quando virem a abominação da desolação (Mateus 24: 15-16.).   Só crentes judeus iriam atender à advertência de Jesus.
      O templo não tem que ser construído antes do arrebatamento.   Nada precisa acontecer antes do arrebatamento.   Templo só tem que estar lá pelo meio da tribulação de sete anos.   Assim, vai demorar Deuses intervenção para Israel s próxima Templo ser reconstruído.   Tal reconstrução, se isso viesse a acontecer hoje, resultaria em uma jihad selvagem do mundo muçulmano, no entanto, o Senhor, um dia fazê-la.   Maranatha!

NOTAS 
[1] Thomas Ice & Randall Price, Ready to Rebuild: O Plano Imminent reconstruir o Last Days Temple (Eugene, OR: Harvest House Publishers, 1992).
[2] J. Randall Price, a profanação e restauração do templo como um motivo escatológico no Tanach, Jewish Apocalyptic Literatura e do Novo Testamento (tese de doutorado, da Universidade do Texas, em Austin, 1993).
[3] Randall Price, O Templo e Profecia Bíblica: Um olhar definitivo de seu passado, presente e futuro ( Eugene, OR: Harvest House Publishers, 1999/2005).
[4] Yair Ettinger , religiosos rabinos sionistas: Ascend Monte do Templo, (Haaretz.com, 26 de outubro de 2009).
[5] Gil Ronen, MK Danon no Monte do Templo: acabar com a discriminação anti-judaica, (Arutz Sheva, IsraelNationalNews.com, 20 de julho de 2010).
[6] Ronen, MK Danon no Monte do Templo.
[7] Ronen, MK Danon no Monte do Templo.

[8] John C. Whitcomb, Daniel, Commentary Everymans Bíblia (Winona Lake, IN: BMH Books, 1985), p. 134.
FONTE WWW.PRE-TRI.ORG





Nenhum comentário:

Postar um comentário

PAZ DO SENHOR

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.