quarta-feira, 22 de junho de 2016

AMILENISMO E PÓS-MILENISMO


         
                           AMILENISMO E PÓS-MILENISMO

                                    NÃO ADOTAMOS



O século XX foi uma época dominada pelo desenrolar de sua escatologia. Além dos vários turbilhões e movimentos dentro do Cristianismo, basta pensar no impacto que o comunismo eo islamismo teve nos últimos cem anos. Ambos são formas de um determinismo postmillennial Christian corrompido. Nossa visão do futuro tem um tremendo impacto sobre o que se acredita que um indivíduo deve fazer no presente.
Historicamente, somente a Bíblia olha para o futuro como um tempo em que a vida será melhor do que no passado. Todas as religiões pagãs olhar para o passado e pensar: "Se pudéssemos voltar aos bons velhos tempos, então isso seria maravilhoso." "Se pudéssemos voltar aos tempos dos faraós do Egito." "Se pudéssemos trazer de volta os maravilhosos dias de Nabucodonosor." "Se pudéssemos voltar aos anos 50." Só a Bíblia diz que o melhor ainda está por vir.
Pagãos pensar desta maneira, porque todas as suas experiências culturais ter começado em um plano relativamente alta e, em seguida, caiu de lá. Quando você examina as culturas pagãs tudo, você rapidamente percebe que eles normalmente experimentam o seu maior sucesso e desenvolvimento no início de sua história e de encontro declínio e estagnação depois disso. Só na Bíblia a história ir de um jardim para uma cidade onde o verdadeiro progresso é antecipado.
Eu acredito que o Livro de Jó, o livro mais antigo no cânon das Escrituras, é um prolegomena do plano de Deus para a história. Na vida de Jó temos jogado fora o destino eo destino do povo eleito de Deus eo destino da própria história. Nós vemos o mal que se abate sobre Job no primeiro par de capítulos, seguido de explicações ponto de vista humano intermináveis, só para ter o Senhor intervir e definir todas estreito com os seus sessenta e duas perguntas. No final, Jó foi abençoado com uma bênção dupla em comparação com a sua bênção começando. Este é o lugar onde o futuro é dirigido. Deus dá a bênção maior no final do que Ele forneceu no início. Uma de vista das questões escatologia! É importante saber a verdade.
Mostre-me a Escritura
Anos atrás, no meu primeiro livro, Dominion Teologia , com Wayne House, I fez a seguinte declaração na introdução:
David Chilton uma vez me ofereceu o seguinte apoio exegético para postmillennialism:
É por isso que meu livro começou em Gênesis. Eu queria demonstrar que o tema Paraíso Restaurado (ou seja, o pós-milenismo) não é dependente de qualquer uma passagem, mas é ensinado em toda a Escritura. . . . O fato é que o pós-milenismo é em todas as páginas da Bíblia. [1]
Meu desafio é simplesmente esta: Desde o pós-milenismo é em todas as páginas da Bíblia, mostra-me uma passagem que exige uma interpretação pós-milenista e não deve ser tomado em um sentido pré-milenar. Após 14 anos de estudo é a minha crença de que não há uma passagem em toda a Escritura que o levaria para o sistema de pós-milenista. A melhor postmillennialism pode vir até com uma posição construída sobre uma inferência. [2]
Ken Gentry procura uma resposta para o meu desafio em seu livro Casa Dividida [3] por 1 Coríntios 15: 20-28. No entanto, ele não poderia fazer isso sem fazer várias suposições falsas sobre o texto. Assim, ele provou meu ponto de que eles não poderiam chegar a um texto claramente postmillennial. Ele só oferecia um. Isso atinge o coração do problema com amilenialismo e seu primo, o pós-milenismo. Ela não é ensinada na Bíblia! Por outro lado, o pré-milenismo é, como tem sido demonstrado ao longo da conferência deste ano por falantes permeáveis.
Três Principais Visualizações
Existem três grandes pontos de vista de escatologia ou o estudo das últimas coisas. Todos os três giram em torno do retorno de Cristo em relação ao milênio (Lat. mille - "mil" plus annus - "ano") ou o reino de Deus. Os três sistemas são conhecidos como pré-milenismo , amilenismo e pós-milenismo . Cada ponto de vista da escatologia deve caber em uma dessas três categorias milenares. [4] Embora esses termos são amplamente utilizados e são os rótulos aceitos para os três pontos de vista, muitos pensam que pode ser enganosa se ​​não entendeu corretamente. Vamos ouvir uma breve descrição de um proponente de cada categoria.
John F. Walvoord descreve sua premillennial fé como "uma interpretação de que a Segunda Vinda de Cristo ocorrerá antes do Seu reino literal de mil anos sobre a terra". [5] Após a sua intervenção vitoriosa na história, Cristo pessoalmente reinar de Jerusalém produzindo um tempo de paz, prosperidade e justiça. Os pré-milenistas ver era atual como a Era da Igreja, que é um trabalho separado e distinto no plano de Deus da de Israel. A obra redentora de Cristo é a única base para a salvação, independentemente do período de tempo que um crente vive sob.
Amilenialismo é descrito por Floyd E. Hamilton como uma visão "de que o reino milenar de Cristo se estende a partir de Sua ressurreição do túmulo com o tempo de Sua segunda vinda sobre as nuvens no final deste século". [6] Em nenhum momento Cristo reine sobre a terra, em Jerusalém. "Na terra, o reino de Cristo não é deste mundo", mas Ele reina esp. Nos corações de Seu povo na terra,... Para um "mil anos", o, tempo completo perfeito entre as duas vindas de Cristo. " [7] Após a segunda vinda de Cristo, os crentes de toda a história vai entrar no céu por toda a eternidade, imediatamente após o julgamento final e único de toda a humanidade.
Norman Shepherd define postmillennialism como "a visão de que Cristo voltará no final de um longo período de justiça e prosperidade (o milênio)". [8] Como o amilenista, o pós-milenarista vê a idade atual como o reino de Deus. No entanto, eles vêem o reino de Cristo não apenas nos corações dos crentes de hoje, mas como impactar a sociedade. Postmils acreditam que uma vez que o reino foi confirmado na primeira vinda de Cristo, que está sendo ampliado por meio da pregação do evangelho, até que um grande esmagadora, embora não todos, será convertido a Cristo. Tal sucesso Evangelho vai criar um clima de recepção para as coisas de Cristo, como Sua regra mediada através da Igreja de todo o mundo. Pastor explica:
[O pós-milenista] espera um período futuro, quando a verdade revelada será difundido em todo o mundo e aceito pela grande maioria. A era milenar será, portanto, um tempo de paz, a prosperidade material, e glória espiritual.
O milênio terá uma duração estendida embora não necessariamente uma precisos 1.000 anos. Porque é estabelecida através de meios actualmente operatório, o seu início é imperceptível. Alguns postmillennialists prever um estabelecimento gradual do milênio; outros para um início mais abrupto. A maioria, mas não todos, permitem uma breve apostasia ou ressurgimento do mal pouco antes do advento e na preparação para o julgamento. Mesmo durante o milênio, o mundo não será totalmente sem pecado, e nem todas as pessoas serão convertidos. [9]
Amilenialismo e Postmillennialism são semelhantes
Walvoord observou que "Premillennialism é, obviamente, um ponto de vista bastante afastado ou amilenismo ou pós-milenismo". [10] Isto é assim, ele mantém porque premillennialists são mais consistentemente literal em sua abordagem hermenêutica do que os outros dois.
Alguns postmillennialists notaram seu parentesco mais próximo com seus irmãos Amilenista também. David Chilton liga amilenistas e pós-milenistas juntos por causa de sua crença comum de que o reino ou milênio é a idade atual. premillennialists vê-lo como futuro. Ele declara: " o cristianismo ortodoxo tem sido sempre pós-milenista Ao mesmo tempo,.... cristianismo ortodoxo tem sido sempre amilenarista (ou seja, não-milenar) ". [11] Mais ao ponto Chilton escreveu:
O que estou dizendo é o seguinte: Amilenialismo e Postmillennialism são a mesma coisa . A única diferença fundamental é que "postmils" acreditam que o mundo será convertido, e "amils" não. Caso contrário, eu sou um amil. . . Entendeu? [12]
Em muitos sentidos, o pós-milenismo é simplesmente uma forma otimista de amilenialismo. É por isso que algum debate se Agostinho foi um amilenista ou pós-milenista um. Ou, se ele era um amilenarista com alguns fios postmillennial incipientes. O mesmo foi verdade para classificar pessoas como BB Warfield e Oswald Allis. Ambos eram tecnicamente pós-milenista, mas muitos se referem a eles como amillennial.
Eu acredito que o paradigma amillennial / postmillennial é o que as pessoas vêm até com que não levam em conta o futuro de Deus para a nação de Israel. Isso fica claro quando olhamos para a evolução histórica destes três sistemas escatológicos.
Breve História dos sistemas milenares
Temos de nos concentrar sobre o desenvolvimento histórico dos três sistemas desde amilenismo e pós-milenismo realmente não ter apoio exegético para as suas opiniões. Assim, isso deve significar que os fatores extra-bíblicas são responsáveis ​​por sua ascensão e desenvolvimento.
É geralmente admitiu-se que o pré-milenismo (conhecido na igreja primitiva como chiliasm) é o mais antigo dos três sistemas. Os outros dois sistemas desenvolvidos, na minha opinião, como uma reação à premillennialism Ante-Nicéia.
Chiliasm
Premillennialism ou chiliasm como era chamado no início da igreja, foi a opinião generalizada dos primeiros pais ortodoxos. Este é o consenso de ambos os estudiosos liberais e conservadores que são especialistas em teologia Igreja primitiva. JND Kelly, reconhecido internacionalmente como uma autoridade no pensamento cristão patrístico, é típico da opinião acadêmica sobre esta questão e assinala que a Igreja primitiva era chiliastic ou milenar em sua escatologia. Falando sobre a escatologia do segundo século, ele observa,
O confronto com o judaísmo eo paganismo tornou imperativa a estabelecer as bases dos dogmas revelados mais profundamente. A tendência gnóstica para dissolver escatologia cristã no mito de ascensão para cima da alma e voltar para Deus tinha que ser resistida. Por outro lado, o milenarismo, ou a teoria de que o Cristo voltou iria reinar sobre a terra por mil anos, veio a encontrar suporte crescente entre os professores cristãos. . . . Esta milenar, ou 'chiliastic', a doutrina foi muito popular no momento. [13]
Kelly afirma, ainda, que o pré-milenismo ou chiliasm era dominar pelo meio do século III, observando o seguinte: "Os grandes teólogos que seguiram os apologistas, Irineu, Tertuliano e Hipólito, estavam preocupados principalmente para defender o esquema escatológico tradicional contra o gnosticismo... . Eles são todos os expoentes do milenarismo ". [14] Um outro historiador diz:
O Cristianismo primitivo foi marcada por grande entusiasmo chiliastic,. . . Por chiliasm, estritamente falando, é destinado a crença de que Cristo estava para voltar à terra e reinar visivelmente por mil anos. Esse retorno era comumente colocado no futuro imediato. [15]
Premillennialism não foi contrariada por um único pai da igreja ortodoxa até o início do terceiro século, quando Caio (Caio), primeiro lançou um ataque. Caio é o primeiro na história da igreja registrou que interpretou os mil anos simbolicamente. Além disso, ele também rejeitou o livro do Apocalipse, sustentando que ele foi escrito por Cerinthus e não deve estar no cânon. [16] Mas, mesmo com a aparência Gaius ', premillennialism era ainda muito a escatologia do dia.
Anti-Millennialism
Eu sempre gosto de salientar que antes da ascensão real de amilenismo ou pós-milenismo, houve anti-milenarismo. O que quero dizer com anti-milenarismo? Basicamente, as pessoas que simplesmente não gostam premillennialism. Hans Bietenhard, depois de notar como a igreja primitiva era solidamente chiliastic em sua interpretação de Apocalipse 20 e outras Escrituras até que o tempo de Agostinho, diz,
Hoje, admite-se em todas as mãos, exceto por alguns exegetas católicos romanos-que apenas uma interpretação escatológica [no contexto significa um chiliastic] é consistente com o texto. Se a questão ainda está em aberto se a esperança deve ser mantida ou não, vai agora ser decidido por outro que não exegética e considerações históricas. [17]
O ponto deve ser feito que o anti-milenarismo não surgiu a partir do estudo das Escrituras, mas sim como resultado de sensibilidades perturbadas de indivíduos que já foram afetados pelo pensamento pagão. A primeira reação não foi de chegar a uma interpretação alternativa de Apocalipse 20, desde que apareceu para ensinar claramente premillennialism, mas afirmar que o livro de Apocalipse não pertencem à inspirado cânon do Novo Testamento.
Premillennialism foi atacado pela escola de Alexandria, no Egito, em meados do século III. No Oriente, Eusébio de Cesaréia (263-339), o teólogo da corte para Constantine e herdeiro teológico de Orígenes, era um líder forte na rejeição da apocalíptica. Com a ascensão de Constantino e da adoção do cristianismo como religião oficial do império, perspectivas alternativas caiu em desgraça. Norman Cohn assinala o seguinte:
Milenarismo permaneceu poderosa na Igreja Cristã, desde que os cristãos eram uma minoria impopular ameaçados de perseguição. Quando no século IV o cristianismo alcançou uma posição de supremacia no mundo mediterrâneo e se tornou a religião oficial do Império Romano, a Igreja começou a erradicar as crenças milenares. [18]
Ayer concorda com Cohn e diz:
Durante o terceiro século, a crença em chiliasm como parte da fé da Igreja morreram em quase todas as partes da Igreja. Não parecia solicitado pelo estado da Igreja, que foi rapidamente adaptar-se ao mundo em que se encontrava. A teologia científica, especialmente a de Alexandria, não encontrou lugar em seu sistema para um artigo como chiliasm. A crença permaneceu, no entanto, em lugares do país, e com ela não foi a pouca oposição à exegese "científica", que por meio de alegoria explicadas as promessas de um reino milenar. [19]
Clemente de Alexandria e seu discípulo Orígenes, não popularizou tanto outro ponto de vista, tanto quanto uma polêmica anti-chiliastic. Harry Bultema cita o amilenarista holandês, H. Hoekstra, que acusa Orígenes e seu ponto de vista por ter destruído as igrejas orientais.
O ataque contra Chiliasm por esses dissidentes não pode cumprir com a nossa aprovação, para que eles colocaram sua especulação acima da Palavra de Deus e distorcida lo de acordo com suas idéias grandiloquentes, negando a ressurreição do corpo e do futuro glorificação do mundo material, que também foi criado por Deus; pois de acordo com eles, o mundo material, a matéria, continha pecado do qual o espírito do homem deve libertar-se. Era natural e uma coisa natural que eles eram muito contra Chiliasm, mas eles jogaram fora, como diz um provérbio alemão vai, com a água do banho do bebê também. Eles eram uma espécie de Himeneu e Fileto, que tinha partido da verdade, dizendo que a ressurreição já (2 Tm. 2:17) era passado. O sucesso dos princípios perniciosos dessa escola foi a primeira e principal causa do declínio da Chiliasm. [20]
Historicamente, os intérpretes alegóricos têm comumente olhou para intérpretes literais como estúpido ou lenta, uma vez que são incapazes de ascender às percepções mais profundas, espirituais da abordagem alegórica. Um exemplo clássico desta atitude está em exibição nos escritos do primeiro historiador da igreja primitiva, Eusébio ao escrever sobre uma profecia que interpretou literalmente chamado Papias (70-155).
Papias. . . diz que haverá um milênio após as ressurreições dos mortos, quando o reino de Cristo será estabelecido na forma material nesta terra. Suponho que ele tem essas noções por uma leitura perversa das contas apostólicos, não percebendo que eles tinham falado misticamente e simbolicamente. Pois ele era um homem de muito pouca inteligência, como forma clara seus livros. Mas ele é responsável pelo fato de que tantos escritores cristãos depois dele tinha a mesma opinião, confiando em sua antiguidade, por exemplo, Irineu e quem mais parece ter mantido os mesmos pontos de vista. [21]
Amilenialismo
No Ocidente latino, Jerônimo (347-420) e Agostinho (354-430) também reagiu fortemente a interpretação profética. Em seu comentário sobre Daniel, escrito pouco antes do ano 400, Jerome argumentou que "os santos hão de modo algum ter um reino terreno, mas apenas um celestial;. Assim, deve cessar a fábula de mil anos" [22]
Jerome não estava sozinho em seu ataque a interpretação literal e expectativas milenares. Em Agostinho da Cidade de Deus , qualquer esperança de um terreno ou reino físico milenar é repetidamente rejeitado. [23] Através dos escritos de homens como Jerônimo, Julian de Toledo, Gregório, o Grande, e principalmente Agostinho, a interpretação literal da Bíblia, e, especialmente Daniel e Apocalipse, desvaneceu-se rapidamente. [24] A influência agostiniana no Ocidente eclipsado muitas perspectivas, alguns ortodoxos e alguns pouco ortodoxa ou herética. O resultado foi que as opiniões considerados inaceitáveis ​​foram posteriormente erradicada ou ignorado. Lerner observa que a influência de Agostinho era tão forte que "basta dizer que a proibição de aplicação de Apocalipse 20 para o futuro foi criado durante a era patrística tarde e permaneceu em vigor por séculos depois." [25]
Outro obstáculo que os anti-milenistas necessário para superar foi que Apocalipse 20: 4-6 fala de várias ressurreições. Isto não pode ser, se anti-milenarismo era para ganhar uma posição. Foi o teólogo donatista, Ticónio, que sugeriu uma interpretação alegórica de Apocalipse 20. [26] Agostinho adotou interpretação Ticónio 'de Apocalipse 20 e produziu a primeira forma de teologia amillennial. Assim, Agostinho, no Livro XX de A Cidade de Deus , foi o primeiro a realmente soletrar-out uma declaração positiva de amilenialismo, que ao mesmo tempo produziu alguns princípios incipientes sobre o qual postmillennialism viria a surgir.
Filosofia pagã era evidente na negação da ressurreição em pelo menos duas instâncias no ministério de Paulo. O sermão no Areópago em Atos 17 mostra a reação violenta como Paulo pregou "a ressurreição dos mortos" (v. 32). A mais extensa defesa da ressurreição cristã é dada por Paulo em I Coríntios 15 Devido à negação grego da importância do reino físico, eles negaram a idéia de que a ressurreição era possível. Esse viés anti-física foi a base para a rejeição de um futuro reino físico de Deus na terra, e da filosofia grega foi o canal. Eric Sauer observa:
Nos primeiros séculos cristãos Chiliasm primeiro enfraquecido com o fortalecimento entre os cristãos do pensamento filosófico grego. Especialmente através de Clemente e Orígenes. . . chegou no Ocidente, para a Igreja oficial, para a extinção de Chiliasm, ea doutrina das últimas coisas que veio a ser uma aspiração para a teologia oficial da Igreja. Sentimento pensamento grego e oposição até mesmo a concepção de um drama histórico final e um reino milenar de verdade nesta terra. [27]
Postmillennialism
A teologia final que desenvolvemos é o de pós-milenismo. Como observado anteriormente, ele também é construída sobre anti-milenarismo, mas com um toque positivo. Desde a fundação da postmillennialism requer uma base-reino agora, que partilha com o amilenarismo, foi logicamente o último sistema a desenvolver. Como observado anteriormente, o pós-milenismo é amilenialismo positivo. Quando as pessoas se otimista sobre o progresso da era da igreja eles costumam gravitar para o pós-milenismo. Otimismo escatológico não necessariamente estão relacionadas a eventos atuais. Eu acho que uma das razões sociológicas por que começou a haver um revival do pós-milenismo é por causa do aumento do otimismo nova era na década de 1970 até o presente.
Postmillennialism quase morreu após as duas guerras mundiais deixaram apenas um punhado de defensores. No entanto, nos últimos 25 a 30 anos têm testemunhado uma ênfase renovada no pós-milenismo. [28] O movimento cristão Reconstrução das últimas três décadas tem sido o principal catalisador para o recente ressurgimento do pós-milenismo. [29] "Na verdade, não é por acaso ", declara um escritor reformada explicar o recente aumento do pós-milenismo", que tanto postmillennialism e teonomia... brotaram no solo de uma forte recuperação reformada ". [30]
Pós-milenista atual Gary North admite:
Otimismo não é suficiente! De fato, o otimismo só é altamente perigoso. Os comunistas têm uma doutrina da inevitável vitória; o mesmo acontece com a maioria dos muçulmanos. O mesmo aconteceu com um grupo de assassinos comunistas revolucionários e os polígamos, os anabatistas, que capturou a cidade alemã de Munster 1525-35, antes de serem derrotados militarmente pelas forças cristãs. Otimismo em mãos erradas é uma arma perigosa. [31]
Esse otimismo equivocada é um erro grave no pós-milenismo. Na última postmillennialism século desde que o clima otimista em que o evangelho social cresceu. Gary Scott Smith argumentou que os evangélicos eram, talvez, a principal força em muitas das questões do evangelho social.
Os cristãos evangélicos deu o exemplo, inspiração e princípios para grande parte do Evangelho Social . . . . ideologia evangélica do milênio incorporadas sem uma pausa para o que veio a ser chamado o evangelho social nos anos posteriores a 1870. . . esses evangélicos trabalhou como vigorosamente para a melhoria social como fizeram os líderes do evangelho social. [32]
Posmilenarismo Evangélica deve ser distinguida da forma liberal. No entanto, não se pode ignorar o papel que o pós-milenismo, em geral, jogado na ascensão e desenvolvimento do "evangelho social". Postmillenarians culpar dispensationalism para a criação de um clima de retirada de questões sociais e políticas. Eles estão negando que postmillennialism, uma escatologia que dizem teve grande efeito sobre a cultura ocidental, contribuiu para o otimismo dos anos 1800? David Chilton admite a alguma heresia postmillennial. "Exemplos de heresia Postmillenarian seria fácil de nome bem: o Munster Revolta de 1534, o nazismo eo marxismo (seja" cristão "ou não)". [33] o nazismo eo marxismo são movimentos indesejáveis. Por que então a Chilton não admitir a relação de postmillennialism ao movimento "evangelho social"?
Hermenêutica
Dr. Walvoord foi perguntado há alguns anos atrás "Qual o seu prognóstico serão as questões teológicas mais significativas ao longo dos próximos dez anos?" Sua resposta incluiu o seguinte: ". O problema hermenêutico de não interpretar a Bíblia literalmente, especialmente as áreas proféticas da Igreja de hoje está envolvido na idéia de que não se pode interpretar a profecia literalmente". [34] Tal é a tendência de dez anos depois. Hoje muitos evangélicos querem misturar hermenêutica chamado "literais" e não-literais. Segundo o Dr. Walvoord, não pode ser legitimamente feito, sem produzir uma mistura confusa e contraditória da escatologia.
A verdadeira razão pela qual amilenista e pós-milenistas crêem que eles fazem é por causa de uma recusa a interpretar toda a Bíblia, especialmente profecia, literalmente. É isso aí! Em alguns de seus momentos mais sinceros, os opositores da interpretação literal da profecia admitir que, se a nossa abordagem é seguido então ele justamente levar a teologia pré-milenista. Floyd Hamilton disse o seguinte:
Agora, temos de admitir francamente que a interpretação literal das profecias do Antigo Testamento nos dá apenas como uma imagem de um reino terrestre do Messias como as imagens pré-milenistas. Esse era o tipo de reino messiânico que os judeus do tempo de Cristo procurando, com base em uma interpretação literal das promessas do Antigo Testamento. [35]
Na mesma linha, Oswald Allis admite, "as profecias do Antigo Testamento, se interpretadas literalmente, não pode ser considerada como tendo sido ainda cumprida ou como sendo capaz de cumprimento do presente século". [36]
Além disso, o fato de que as pessoas querem misturar hermenêutica na área da escatologia demonstra-me que eles não entendem corretamente interpretação literal, para começar. Se alguém segue hermenêutica adequada, em seguida, reconhecer símbolos e figuras ou discurso se tornará evidente através da abordagem literal. Em vez disso, é porque as pessoas não gostam que o texto diz. Assim, eles têm de antecipar o processo interpretativo com todos os tipos de idéias que eles trazem de fora do texto da Escritura.
Anti, Anti
Em suas apresentações de seus pontos de vista, amilenismo e pós-milenismo tanto gastar muito tempo explicando por que eles são contra a pré-milenarismo , especialmente pré-milenismo dispensacionalista. Assim como na igreja primitiva, amilenistas tão modernas e pós-milenistas sempre começar definindo seus pontos de vista contra o pré-milenarismo. No entanto, muitos pré-milenaristas apresentações podem ser encontrados que nem sequer mencionam amilenismo e pós-milenismo. Por quê? A apresentação positivo para premillennialism pode ser feita a partir da Bíblia, enquanto amilenismo e pós-milenismo não pode.
A melhor defesa é um bom ataque. Isto é especialmente verdadeiro em relação à luta contra as falsas teologias da amilenismo e pós-milenismo. Por simplesmente apresentar uma exposição detalhada das Escrituras, ele seguirá naturalmente que premillennialism é a perspectiva ensinada na Bíblia, tanto no Antigo como no Novo Testamento.
Alguns anos atrás, um dos nossos membros originais do Grupo de Estudos Pré-Trib, Dr. Gerald Stanton, [37] deu-me um programa que ele tinha preparado para ensinar o campo geral da escatologia chamado Rodovias proféticas . Dr. Stanton resumidos suporte para premillennialism com os seguintes pontos:
Interpretação literal consistente
Natureza incondicional dos convênios (Abraão)
A aliança abraâmica
O Antigo Testamento ensina um reino terreno literal
O reino é realizada inalterada no Novo Testamento
Cristo também apoia e Reino da Terra
Existem várias ressurreições nas Escrituras
Apocalipse 20 ensina premillennialism
A igreja primitiva era premillennial
O fracasso da amilenialismo e postmillennialism
Premillennialism harmoniza toda a Bíblia
Só premillennialism fornece uma conclusão satisfatória para a história
Conclusão
Obviamente, muito mais pode ser dito sobre amilenismo e pós-milenismo, mas basta dizer que nem é ensinada na Bíblia. Mostre-me um texto único que ensina. Premillennialism pode ser adquirida a partir indutivamente Apocalipse 20 Na verdade, não é por isso que temos os termos pré-milenarismo, amilenismo e pós-milenismo; porque Apocalipse 20 fala de um reino de Cristo de mil anos em Apocalipse 20, que terá lugar depois de seu retorno, em Apocalipse 19 Desde teologia som deve ser desenvolvido a partir da própria Bíblia, e uma vez que a Bíblia ensina apenas um único ponto de vista sobre qualquer assunto, amilenialismo e postmillennialism estão longe de ser encontrada, mas o pré-milenismo é encontrado em todas as páginas da Bíblia, do Gênesis ao Apocalipse. A força de pré-milenarismo é o texto da Escritura. Estudá-lo! Ensine-o! Proclame-! Espero nele! Vivê-la! Maranatha!

 FONTES
[1] Carta pessoal de David Chilton para Thomas Ice, 2 de dezembro de 1986, p. 5.
[2] H. Wayne House e Thomas Ice, Teologia do Domínio: Bênção ou Cruse? Uma Análise do Christian Reconstructionism (Portland: Multnomah, 1988), p. 9.
[3] Greg L. Bahnsen e Kenneth L. Gentry, Jr., House Divided: The Break-Up de Dispensational Teologia (Tyler, TX: Institute for Christian Economics, 1989), p. 214.
[4] Com a ascensão do preterismo, há alguns que realmente não se encaixam em um dos três pontos de vista histórico e que são aqueles que podem ser classificados como transmillennialists. Transmillennialists são aqueles que acreditam que estamos atualmente fora do milênio de Apocalipse 20 e nos novos céus e nova terra. Alguns preteristas parciais acreditar, embora pareça que todos os preteristas completos que se enquadram nessa classificação.
[5] John F. Walvoord, sv "Premillennialism" em The Zondervan Pictorial Encyclopedia da Bíblia , Editor Merrill C. Tenney (Grand Rapids: Zondervan Publishing House: 1975), vol. 4, pp. 845-6.
[6] Floyd E. Hamilton, sv "Amilenialismo" em The Zondervan Pictorial Encyclopedia da Bíblia , vol. 1, p. 129.
[7] Hamilton, "Amilenialismo", vol. 1, p. 129.
[8] Norman Shepherd , sv "Postmillennialism", em The Zondervan Pictorial Encyclopedia da Bíblia , Editor Merrill C. Tenney (Grand Rapids: Zondervan Publishing House: 1975), vol. 4, p. 822.
[9] Pastor ", Postmillennialism", vol. 4, p. 822.
[10] Walvoord, O Reino Milenar (Grand Rapids: Zondervan Publishing House: 1959), p. 6.
[11] David Chilton, Days of Vengeance: Uma Exposição do Livro de Apocalipse (Ft Worth.: Dominion Press, 1987), p. 494.
[12] Chilton, Carta de Thomas Ice datada de 17 de dezembro de 1986, p. 4.
[13] JND Kelly, Doutrinas Cristã (San Francisco: Harper & Row, 1978), p. 465.
[14] Kelly, primeiros cristãos Doutrinas , pp. 467 e 469.
[15] Joseph Cullen Ayer, um livro de origem para Antiga História da Igreja: desde a era apostólica até ao fim do Período Conciliar (New York: AMS Press, 1970), p. 25.
[16] O Dicionário Oxford da Igreja Cristã , Editor FL Cross (Londres: Oxford University Press, 1957), sv "Caio", p. 535.
[17] Hans Bietenhard, "The Millennial Esperança na Igreja Primitiva", Scottish Journal of Theology , (n º 6, 1953), p. 30.
[18] Norman Cohn, "milenarismo Medieval: sua influência sobre o Estudo Comparativo de movimentos milenaristas", em milenares Sonhos em Ação: Essays in Comparative Study, ed. Sylvia L. Thrupp (The Hague: Mouton & Co., 1962), p. 33.
[19] Ayer, Source Book , p. 219.
[20] (grifo nosso), H. Hoekstra, citado em., Harry Bultema, Maranatha! Um Estudo de Profecia não cumprida (Grand Rapids: Kregel Publications, 1985), p. 296.
[21] Eusébio, História Eclesiástica , vol. I, traduzido por Kirsopp Lake, Loeb Classical Library , vol. 295, pp, 297: 153 (Harvard University Press, 1926 Cambridge, MA)..
[22] Citado por Robert E. Lerner, "O Retorno Medieval para a Thousand-Year sábado", em The Apocalypse, na Idade Média, ed. Richard K. Emmerson e Bernard McGinn (Ithaca, NY: Cornell University Press, 1992), p. 51.
[23] Ver Agostinho, De civitate Dei, 18,52-53; 20,7, 9, 19.
[24] Para um resumo dessa mudança, especialmente quando relacionada ao Apocalipse, ver E. Ann Matéria, "The Apocalypse in Early exegese medieval", em The Apocalypse, na Idade Média, ed. Richard K. Emmerson e Bernard McGinn, (Ithaca, NY: Cornell University Press, 1992), pp 38-50..
[25] Lerner, "O Retorno Medieval", p. 53 Outra confirmação da duração dessa influência é dada pela matéria, que escreve: "Todos os comentários apocalipse do mundo carolíngio, assim, mostrar o pressuposto de continuidade do texto como uma alegoria da Igreja, e um processo contínuo de filtragem interpretações específicas de comentários anteriores para apoiar essa hipótese ", p. 49.
[26] Para uma apresentação em profundidade dos pontos de vista de Ticónio sobre esta matéria ver Paula Fredriksen, "Ticónio e Agostinho sobre o Apocalipse", em Emmerson e McGinn, Apocalypse , pp. 20-37.
[27] Erich Sauer, de eternidade a eternidade (Grand Rapids:. Wm B. Eerdmans Publishing Co., 1954), p. 141.
[28] De acordo com um levantamento da Christianity Today leitores, nove por cento dos que responderam disseram que acham que Cristo virá depois do milênio (06 de fevereiro de 1987, p. 9-I).
[29] Para uma extensa apresentação e crítica da Reconstructionism ver House e Ice, Teologia do Domínio .
[30] Aiken Taylor, "Postmillennialism Revisited", Presbyterian Journal, 06 de setembro de 1978, p. 11.
[31] Gary Norte ", Chilton, Sutton, e Teologia do Domínio", um ensaio no janeiro 1987 Instituto de Economia Christian mailing mensal, p. 4.
[32] Gary Scott Smith, "Os Homens e Religião Atacante Movimento de 1911-1912," Westminster Theological Journal , vol. 49 (Primavera 1987), pp92-93.
[33] David Chilton, "Cristianismo Ortodoxo eo milenar heresia", Genebra revisão , n º 19 (Junho de 1985), p. 3.
[34] "Entrevista: Dr. John F. Walvoord Olha Seminário de Dallas," Dallas Connection (Winter 1994, Vol 1, n º 3.), p. 4.
[35] Floyd E. Hamilton, A Base da Millennial Fé (Grand Rapids: Eerdmans, 1942), p. 38.
[36] Oswald T. Allis, Profecia e da Igreja (Phillipsburg, NJ: Presbyterian and Reformed Publishing, [1945] 1947), p. 238.

[37] Dr. Stanton fez uma das melhores contribuições para pretribulationism em seu livro, protegidos do momento: provas bíblicas para a Pré-tribulacional Retorno de Cristo , 4 ª ed. (Miami Springs, FL: Schoettle Publishing Company, [1956] 1991).


FONTE WWW.PRE-TRI.ORG

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PAZ DO SENHOR

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.