segunda-feira, 13 de junho de 2016

Lições adultos BETEL o fruto do Espirito mansidão n.12


MANSIDÃO: UMA NOVA POSTURA DE VIDA MODESTA E SUBMISSA

(Lição 12 – 19 de Junho de 2016)




TEXTO ÁUREO
“Bem aventurado os mansos, porque eles herdarão a terra.” (Mateus 5.5).

VERDADE APLICADA
A mansidão nos capacita a ter uma postura simples e gentil em nossos relacionamentos interpessoais.

OBJETIVOS DA LICÃO
Ensinar como a mansidão nos molda a ter o caráter de Jesus Cristo;
Mostrar que a mansidão nos ensina a sermos submisso a Deus;
Revelar que o fruto do Espírito Santo é cultivado no coração.

TEXTOS DE REFERÊNCIA
2Tm 2.22 - Foge também dos desejos da mocidade; e segue a justiça, a fé, a caridade e a paz com os que, o coração puro invocam o Senhor.
2Tm 2.23 – E rejeitam as questões loucas e sem instrução, sabendo que produz contendas.
2Tm 2.24 – E ao serviço do Senhor não convém contender, mas, sim, ser manso para com todos aptos para ensinar, sofredor.
2Tm 2.25 – Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se, porventura, Deus lhes dará arrependimento para conhecer a verdade.
2Tm 2.26 – E tornarem a despertar, desprendendo-se dos laços do diabo, em que a vontade deles estão presos.

INTRODUÇÃO

Estudaremos nessa lição que a mansidão como fruto do Espírito, é uma característica que nasce no coração do cristão, e que nos ensina á ser submisso a Deus e a termos autocontrole próprio. Ser manso significa ser uma pessoa de temperamento fácil, sossegado, tranqüilo, calmo, meigo e delicado.

1. A MANSIDÃO E A PACIÊNCIA

Jesus é o nosso modelo de mansidão, ele foi manso e humilde de coração. Ouviu palavras mais amargas do que o fel que provou na cruz, e as revidou com palavras dóceis de perdão e salvação. Ele pediu ao pai dizendo: “Perdoa-lhes porque não sabem o que fazem”! (Lc 23.34). A ira apenas alimenta um desejo primitivo de vingança que é alimentado cada vez mais por uma emoção peculiar, mas previsível. Começa como uma gota d’água: Alguém pega sua vaga de estacionamento, fecha você na estrada, a garçonete é lenta e você está com pressa, uma irritação, uma frustração. Nada de mais, apenas uma provocação. O que quero dizer é que não somos os justiceiros do mundo, quando procuramos entender as coisas e procuramos fazer algo com a mansidão para que tudo se resolva da melhor maneira possível. Quando começamos a agir não a partir de uma postura de ira, mas com mansidão e compreensão. Enquanto estivermos nesse mundo nunca viveremos fora da guerra, mas o homem manso tem sempre uma saída para não deixar ser tentado pelo inimigo.

1.1 – A mansidão ensina o indivíduo desviar-se da ira

A ira não procede do fruto do Espírito e sim das obras da carne, basta observar os gestos de uma pessoa logo reconhecemos seu estado de emoção que ela se encontra. Na vida 10% é o que acontece conosco e 90% é o como nós reagimos a esses acontecimentos. Uma pessoa irada não consegue medir a altura do som de sua voz e nem tão pouco refletir as palavras que saem de sua boca, daí vem às contendas e as guerras que se refere Tiago 4.1, mas Jesus nos deu um verdadeiro exemplo de mansidão, quando pregado em uma cruz sofrendo a dor na carne e na alma e todo tipo de afronta e humilhação. Ele pode olhar para aquela grande multidão e dizer: pai perdoa-os porque não sabem o que fazem. O melhor método que nos ensina a desviar da ira é entender que a causa que nos está causando desconforto é passageira e o melhor que temos a fazer é mantermos o controle e procurar sermos manso como Jesus nos ensinou (Lc 23.34).

1.2. Sendo humilde e manso

Além de Jesus, podemos mencionar na Bíblia algumas pessoas que tiveram suas vidas pautadas por uma mansidão tamanha, que achamos difíceis pensar que existam pessoas com tamanha qualidade. Dentre elas destacamos Davi, que não apenas possuía uma índole de mansidão externa, mas uma atitude interna e sábia. Ele não ficou inerte diante das situações adversas, nem se acovardou, nem se intimidou e nem se mostrou covarde, fraco, tímido ou indolente. Ele teve coragem para se posicionar com firmeza diante dos vários desafios da vida, desde o início de sua vida, quando apascentava o rebanho de seu pai, e, depois no episódio com Golias e mais adiante com seu próprio sogro Saul. E, no entanto mostrou ser manso quando teve a oportunidade de tirar a vida de Saul e não o fez (ISm 26.7-12). Ser manso é saber se posicionar e ter atitudes certas, que não venha se arrepender mais tarde (ISm 17.49-51), ser submisso a Deus, (ISm 20.21). Uma palavra de mansidão desvia o furor (Pv 15.1), mas a palavra dura suscita a ira. O pregador falou que a língua serena é a árvore da vida (Pv 15.4). Não existe nada pior do que estar perto de alguém mal humorado, a ira nunca fez nenhum bem a ninguém e nunca melhorou qualquer situação, mas a compreensão solidária, sim.

1.3. Jesus, nosso melhor exemplo

Quem possui o fruto do Espírito não se deixa ser levado pelo descontrole emocional, pelo contrário, segue o exemplo de Cristo. Cristo não retaliava, não dava o troco, não dizia “vou pegar você!” Talvez eu e você até dissesse: vem aqui e fala isso na minha cara. Jesus tinha tudo em suas mãos, más não prometeu vingança e nem exigiu pedido de desculpa. O profeta Isaías profetizou que ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca, como cordeiro foi levado ao matadouro; e como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca (Is 53.7). Há momentos em nossas vidas que às vezes o silêncio fala mais alto. Com Jesus não foi diferente, toda a natureza parou no momento de sua maior dor e humilhação. Mesmo diante daqueles que o vieram prender, não tomou atitude agressiva, pelo contrário, aproveitou o momento para provar uma atitude de mansidão curando a orelha do servo de Caifás que havia sido cortada por Pedro, um de seus discípulos (Jo 18.10). O manso tem convicção, não fica em cima do muro, não é uma pessoa neutra sem opinião própria e indecisa. Ser manso é saber falar com mansidão, é controlar seu ego, procura manter a calma mesmo em meio a um grande conflito. O manso tem o espírito apaziguador, se chega onde há conflito, ele trás uma palavra de moderação e de conciliação, essa é a característica de uma pessoa mansa.

2 - A MANSIDÃO E A SUBMISSÃO A DEUS

Ser mansa é estar sempre submissa à vontade de Deus. Deus é o Senhor de nossas vidas, quando depositamos nele a nossa confiança devemos esperar que ele faça sempre o melhor, que esperamos ter. Foi ele quem nos criou e sabe do que mais precisamos. Conhece tudo o que estamos passando e o que vamos passar, tudo é por ele e pra ele. Ele tem seus propósitos e o controle de tudo em nossas vidas e o melhor que podemos fazer é seguir os conselhos do apóstolo Pedro, que nos diz: lançai sobre ele toa a vossa ansiedade porque ele tem cuidado de vós. A mansidão nos capacita a ter uma postura simples e gentil em nossos relacionamentos interpessoais e com Deus!

2.1. O cristão deve ser sempre moderado

Não há nada mais doloroso do que palavras cujo propósito seja ferir, como por exemplo, uma calúnia ou algo dito sem pensar. São como flecha certeira que vai à alma. A humanidade pensa que através da força, do poderio político e econômico e da agressividade se conquista. É um grande engano pensar que quanto mais agressivo mais forte. Esse é um pensamento do mundo. A moderação e o equilíbrio são algo que todo cristão deverá buscar. Vivemos em um mundo onde as pessoas possuem opiniões diversas, até mesmo com respeito à religiosidade, por isso, devemos colocar nossas palavras com sabedoria e mansidão para que não venhamos correr sério risco de, em vez de ganhar as almas, dispersá-las para mais longe. A forma como colocarmos nossa opinião como certa e verdadeira jamais deverá ser imposta com dureza. Nunca devem ser ditas como se estivéssemos pregando um evangelho de confronto, mas sim um evangelho de amor e de transformação, para o pecador desesperado e sem Deus. Devemos mostrar com exemplo, humildade e mansidão. Semear a semente e esperar que ela venha germinar nos corações e ao seu tempo vir dar frutos, através do nosso cuidado e do nosso modo moderado de agir, com sabedoria do Espírito Santo e com exemplos para que essas pessoas venham aceitar a palavra de Deus e ser libertas. (Jo 13.34).

2.2. Sejamos sóbrios e mansos

Estamos envolvidos em grandes conflitos de forças religiosas que vão além das pessoas. Satanás, hoje, mais do que nunca tem jogado suas ultimas cartas, usando até mesmos grandes blocos de pessoas que se dizem religiosos, e, em nome dessa religião, tem feito um estrago muito grande, ceifando vidas inocentes, como por exemplos, crianças. Mais do que nunca satanás tem trabalhado com suas forças infernais. É necessário que sejamos sóbrios, mansos, prudentes e cheios do Espírito Santo para lutarmos contra esses grandes conflitos que satanás tem armado, usando tais ideologias com propósito de pregar um reino vingativo e violento em nome de Deus. Tais resultados não foram dos melhores (Rm 12.19). Existe algo sobre entender o mundo, que nos leva a querer salvá-lo, isto é, quando temos dentro de nós o amor pelas almas que estão perdidas, e temos a convicção da palavra verdadeira que possuímos e fomos libertos por ela, isso não se trata de religiosidade, mas de liberdade cristã e vida transformada em Cristo. A partir daí começamos a imaginar o que o próprio Jesus sentiu pregado naquela cruz em meio a dois covardes ladrões pecadores, estava ali porque mereciam, mas na ultima hora um deles ao reconhecer seu pecado recebeu o perdão do salvador, quando Jesus declarou: hoje mesmo estarás comigo no paraíso!

2.3. A mansidão não compactua com a violência

Será que somos mansos depois de fazer uma profunda pesquisa sobre o que é mansidão? Será que temos força sobre o controle da língua? Será que temos o domínio e o controle próprio sobre nossas emoções e nossos sentimentos? O manso não reivindica seus próprios interesses e direitos, Jesus sendo Deus não julgou ser igual a Deus, o manso não inflama facilmente. O manso possui atitude natural de temperança, de controle. Se estas perguntas acima, tem tido como resposta, o não, devemos orar e pedir a Deus que nos mude e nos transforme para que possamos ter uma vida de mansidão. Se somos seguidores de Cristo e queremos conquistar o mundo para Cristo devemos amar como ele amou, ser Santo como ele foi Santo, ser manso como ele foi manso, a ponto de parecer que estava na contra mão do povo Judeu, que andava subjugado pelos Romanos, esperando um Messias militar, guerreiro e que implantasse seu reino pela força e que resolvesse os problemas materiais e político da nação. Mas Jesus veio com outra proposta (At.1.6) e o povo não aceitou, mas ele cumpriu sua tarefa preparando um reino que é sobre todos os reinos, um reino eterno para todos que o aceitar. Muitos não querem aceitar esse reino, pelo contrário, o mundo se apresenta cada dia mais violento e agressivo. Vivemos em um mundo que satanás tem colocado na mente e no coração das pessoas um ódio cruel, as quais não conseguem viver em paz com próximo nem consigo mesmo. Qualquer coisa é motivo de discussões e desentendimento. Pai mata filho, filho mata pai, mãe mata filho, filho mata mãe, esse é o mundo que vivemos. Parece que o diabo percebe que seu tempo está findando. È necessário que os Cristãos levantem a cabeça descruze os braços e tome atitudes no intuito de restaurar essa humanidade perdida.

3. LIÇÕES PRÁTICAS

Em meio a tantas opiniões diferentes, tantas ideologias, pensamentos diferentes e a falta de tolerância entre as pessoas, ficaram difíceis manter o Espírito de mansidão e o reconhecimento dos valores e princípios que fazem parte da ética e dos valores humanos que cada um deve carregar, principalmente, os cristãos, que procura manter uma vida guiada pelos ensinamentos bíblicos. Como filhos de Deus devemos mortificar nossos sentimentos maus e fortalecer o desenvolvimento das características do fruto do Espírito Santo, conhecida como mansidão (1Pd 3.4)

3.1. O fruto é cultivado no coração

A bíblia menciona as obras da carne e o fruto do Espírito. Diz que eles lutam um contra o outro. As obras da carne são os desejos carnais que o homem natural possui e se opõe contra a vontade de Deus. O fruto do Espírito nasce no coração e é cultivado no coração do homem e quem pratica e deixam que esses frutos amadureçam andam segundo a vontade de Deus e agradam a Deus. Para sermos identificados como filhos de Deus deverão mortificar nossos sentimentos maus “ódio” e desenvolver dentro de nós, sentimento de mansidão que é uma característica do fruto do Espírito Santo. (Gl 5.17).

3.2. Só o Fruto do Espírito pode tornar o homem manso

Quando alguém encontra a transformação pela palavra começa a germinar dentro dele uma semente que posteriormente se transforma em um fruto excelente chamado fruto do Espírito. Essa pessoa muda sua maneira de agir, de pensar e sua nova vida passa a definir suas altitudes. Como verdadeiro filho de Deus começa a dominar seu ego. O prazer do mundo passa a não ter sentido mais em sua vida. Ele que antes apresentava características de agressividade passa a ser uma pessoa mansa e humilde, isto não significa que os problemas e dificuldade passam a não existir, mas quando ele entra em dificuldade ele lança todas aos pés do Senhor! (1Pe 5.7)

3.3. O Fruto amadureceu por inteiro

As características do fruto do Espírito é uma interligação entre eles (Gl. 5. 22-26) um se ajusta ao outro, e todos devem estar desenvolvidos para que seja úteis. Por se trata de fruto do Espírito, esse desenvolvimento acontece todos os dias na presença do senhor com orações e jejuns. Devemos deixar que o próprio Espírito santo regue, e, nós devemos podar as folhas envelhecidas, para que possamos produzir frutos em todas estação do ano. Muitos frutos naturais caem antes de amadurecer, pela sua fragilidade, pelo vento forte, por alguém que com uma vara o derruba antes do tempo, em fim, muitos não sobrevivem. Outra coisa que acontece aos frutos são aqueles que amadurecem demais. Tornam-se podres, não serve para o consumo. Como fruto de mansidão que somos, precisamos ser maduros o suficiente para sermos úteis para alimento Espiritual das pessoas e forte o suficiente para não sermos derrubado pelos vendavais da vida ou pelo o inimigo que tenta nos derrubar todos os dias. Devemos ter uma palavra mansa uma atitude mansa, você pode não ser capaz de controlar uma situação, mas, você pode sempre controlar sua reação e com ela poderá diminuir um conflito uma guerra e colocar paz onde não existem. Só assim atrairemos vidas para assentar com Cristo onde ele está! Em Efésios 1.20-23, o apóstolo Paulo escreveu: O qual o exerceu em Cristo, ressuscitando dentre os mortos e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestiais, acima de todo principado, e potestade, e poder, e domínio, e de todo nome que se possa referi, não só nesse século, mas também no vindouro. E pôs todas as coisas debaixo dos seus pés, e para ser o cabeça sobre todas as coisas, o deu a igreja.

CONCLUSÃO
Em Jesus conseguiremos obter o fruto de “mansidão”. Quando tornamos pessoas mansas, mudamos nossas atitudes. Mudando nossa atitude mudaremos o mundo em volta de nós. Quem deixa à ira tomar conta de si, sempre fala de mais, e quem fala de mais, perde o controle da situação, e perdendo o controle da situação, poderemos entrar em um estado de perda total, além disso, podemos sair feridos e machucados e acabamos também machucando muitos. Sejamos, pois, como muitos que venceram guerras cantando, adorando a Deus sem agressividade de palavras mal ditas e fora de hora. Se eles venceram com humildade e mansidão, nós também venceremos!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

PAZ DO SENHOR

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.