quarta-feira, 1 de junho de 2016

Lições biblicas adultos BETEL o fruto bondade n.10

Bondade: A prática do amor sem expectativa de recompensa 





BONDADE: A PRÁTICA DO AMOR SEM EXPECTATIVA DE RECOMPENSA
(Lição 10 – 05 de Junho de 2016)

TEXTO ÁUREO
“Eu próprio, meus irmãos, certo estou, a respeito de vós, que vós mesmos estais cheios de bondade, cheios de todo o conhecimento, podendo admoestar-vos uns aos outros.” (Rm 15.14)

VERDADE APLICADA
Bondade é a capacidade de praticar o bem, sem expectativa de recompensa.

OBJETIVOS DA LIÇÃO
► ENSINAR como praticar a bondade;
► REVELAR o que fazer para desfrutar da bondade de Deus;
► MOSTRAR o quanto é bom abrir mão do nosso eu.

TEXTOS DE REFERÊNCIA
Ef 5.9 - Porque o fruto do Espírito está em toda bondade, e justiça, e verdade)
Rm 15.2 - Portanto, cada um de nós agrade ao seu próximo no que é bom para edificação.
Ef 4.28 - Aquele que furtava, não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha que repartir com o que tiver necessidade.
Sl 145.6 - E se falará da força dos teus feitos terríveis; e contarei a tua grandeza.
Sl 145.7 - Publicarão abundantemente a memória da tua grande bondade e cantarão a tua justiça.

1. FAZENDO O BEM E DESPREZANDO O MAL

Ao praticar o bem e desprezar o mal, podemos ter a certeza de que, mais cedo ou mais tarde, essa oportunidade de fazer o bem a alguém, que não desperdiçamos, retornará na forma de alguma bondade, na forma de alguma bênção, ainda que disfarçada ou ocorrida de forma totalmente inesperada. Façamos o bem apenas pela gratidão de fazer o bem, e não esperando algo em troca. Essa troca, não devemos nos preocupar, ela virá, porque a lei do retorno é certa. (GL 6.7).

1.1. Um ato de bondade transforma uma vida

Demonstrar com atitudes a bondade a alguém, faz com certeza com que as pessoas se sintam melhor, a bondade pode acalentar o coração de todos os envolvidos, mesmo se sua bondade não for valorizada, isso não significa que demonstrá-la seja perda de tempo, ela tem grande valor aos olhos de Deus. A Bíblia nos garante que, quando mostramos bondade a outros, é como se estivéssemos emprestando a Deus (Pv 19.17). Ser bom faz bem, primeiro aos outros, mas também a nós mesmo. Muitas pesquisas científicas já comprovaram que ajudar os outros favorece a pessoa que está fazendo o bem e a pessoa que recebe. Entre os muitos benefícios, podemos citar o aumento do bem-estar geral, uma expectativa de vida maior, a diminuição das dores e o reforço do sistema imunológico. O verdadeiro cristão deve sempre promover atos de bondade, pois fazendo assim, estaremos agradando a Deus e não cometeremos pecado (Tg 4.17).

1.2. Ser bom é ser generoso

Segundo o Dicionário Houaiss, generosidade é a "virtude daquele que se dispõe a sacrificar os próprios interesses em benefício de outrem". Na palavra de Deus encontramos o maior exemplo de generosidade que vai além de qualquer outro, o apóstolo Paulo afirmou acerca de Jesus: “Porque já sabeis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, por amor de vós se fez pobre; para que pela sua pobreza enriquecêsseis” (2Coríntios 8:9). O Deus a qual servimos é generoso, Ele nos dá muito mais do que merecemos, da mesma forma, devemos ser generosos com outras pessoas, mesmo se não merecem. Ser generoso é uma forma de mostrar o amor de Deus a todos aqueles que nos cercam. Este é o sentimento de Jesus e que: “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus” (Filipenses 2.5).

1.3. Apresentar os padrões bíblicos é um ato de bondade

Muitos cristãos levam suas vidas apenas no plano natural, sem produzir o fruto espiritual da bondade. A bondade é um fruto do Espírito (Gálatas 5.22), o cristão não pode se cansar de ser bom, pois se isso acontecer, esse cristão abafou o Espírito Santo na sua vida. Nosso dever, como seres habitados pelo Espírito Santo, é encher a terra de bondade, apresentando os padrões bíblicos, se não o fizermos, o mundo não terá como ver a bondade de Deus.

2. DESFRUTANDO DA BONDADE DE DEUS

A bondade é um atributo de Deus, a bíblia destaca esse atributo afirmando: “Tu és bom e abençoador; ensina-me os teus estatutos”(Sl 119.68). A bondade é sempre manifestado em ações, a palavra de Deus nos fala que verdadeiramente Deus nos ama e que seu amor, sua bondade foi mostrada, foi manifestada: “Foi assim que Deus manifestou o seu amor entre nós: enviou o seu Filho Unigênito ao mundo, para que pudéssemos viver por meio dele" (1 João 4.9).

2.1. A bondade de Deus produz vida

Deus é bom, e não somente isso, Ele é a própria bondade. A bondade de Deus é tão perfeita como o seu amor, como a sua graça. A bondade de Deus produz vida, expectativas para aquele que acha que não tem mais solução para seus problemas, sua bondade é infinita, não tem limites, não tem tamanho, e é imutável. Toda bondade que praticamos uns com os outros é bondade derivada de Deus, pois esse atributo é comunicável, isto é, Deus concede que imitemo-lo, mesmo com infinita precariedade, pois só Ele é bom (Mc 10.18), por isso a bondade que manifestamos é originada em Deus, não temos bondade habitando em nós de uma forma natural, nossa dependência é total Nele. (Rm 11.36).

2.2. A humanidade e a bondade de Deus

A bondade de Deus é perfeita e completa, se queremos produzir bondade, precisamos meditar na bondade de Deus. A bondade de Deus é tão grandiosa, que permitiu que Jesus Cristo fosse castigado em nosso lugar, dando-nos assim a vida eterna através Dele (Isaías 53.6-7). Deus demonstra sua bondade ao estender sua misericórdia, seu favor e seu amor para suprir a necessidade do ser humano. O caráter de Deus é movido por bondade, Ele espontaneamente se dispõe a conceder sua graça à humanidade pecadora em tempos de aflição. A bondade de Deus é espontaneamente favorável a outorgar favor imerecido, amor e misericórdia àqueles que Ele escolhe dentre a humanidade desmerecedora.

2.3. Liberalidade é bondade

Liberalidade é a disposição de praticar o bem sem esperar recompensa, é um presente de Deus para o homem e são de suma importância para a nossa existência. Vivemos para o propósito de servir e ajudar, Jesus Cristo veio para servir e ajudar, nisto Ele permanece para sempre, suas obras ultrapassam séculos. Nossa vida está baseada neste querer de Deus: que amemos uns aos outros assim como Ele nos amou (João 13.34).

3. LIÇÕES PRÁTICAS

A palavra de Deus nos exorta a sabedoria e conhecimento para controlarmos nossas emoções. Deus prometeu dar-nos liberdade, descanso e paz por nossas cargas emocionais. Cristo promete descanso para aqueles que estão cansados e oprimidos (Mt 11.28). O Espírito Santo nos ajuda a controlar as emoções, cultivando os frutos do Espírito (Gálatas 5.22-23).

3.1. Ser bom é abrir mão do nosso eu

Quando Deus se fez humano para viver entre uma humanidade que não merecia nada, ele estava, abrindo mão de sua glória celestial por amor a nós. Assim, quando renunciamos algo por amor ao Senhor, possivelmente vamos sofrer perdas e, com elas, virá certa dose de sofrimento. Mas com certeza valer a pena, pois o que ganharemos abrindo mão do nosso eu será algo de valor incalculável, certamente teremos a aprovação de Deus. No mundo atual, abrir mão do nosso eu em favor do próximo é visto como fraqueza, mas o cristão deve andar na contramão do mundo, Paulo escreveu: “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros” (Rm 12.10). Portanto, abrir mão do nosso eu, aos olhos de Deus é sinal de grandeza.

3.2. O fruto promove a santificação.

Os frutos da santificação se revelam em como vivemos e nas obras e atitudes que realizamos. Quando nos dedicamos no processo de santificação, os frutos que iremos produzir são frutos de quem conhece a Deus, pois revelaremos através de nossas atitudes a vida e a justiça de Deus que foi cumprida em Cristo Jesus na cruz para que pudéssemos ter vida e vida em abundância (João 10.10). A santificação é a pessoa de Cristo sendo formada em nós e manifestada visivelmente em nossa experiência como seus filhos. Qualquer manifestação que não seja a vida de Cristo em nós, é fruto da nossa carne e não o fruto que promove a santificação. Devemos com nossas atitudes procurar o amadurecimento do fruto da santificação, fazendo assim, veremos ao Senhor. Hebreus 12.14 diz: “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”.

3.3. Permanecendo naquilo que aprendemos

Permanecer naquilo que aprendemos e manter o equilíbrio espiritual no mundo de hoje é um desafio, no entanto, a permanência e firmeza do cristão deve ser fundamentada no Senhor (Fp 4.1). Tiago nos exorta para que não sejam pessoas de mente dividida, instáveis (1.8), o cristão deve manter-se firme de acordo com o que aprendeu por meio do evangelho (2 Tm 3.13-15). Jesus Cristo é nossa rocha, a pedra angular em que nos firmamos, e se o Espírito de Deus que habita em nós capacita-nos sobre todas as dificuldades, precisamos demonstrar esta firmeza nas dificuldades da vida, é desejo do nosso Deus que sejamos fortes, firmes e permanentes no chamado celestial (1 Pe 5.10).

CONCLUSÃO


É através da manifestação do fruto do Espírito Santo que a maturidade espiritual torna-se perceptível, que Deus é glorificado em nossa vida, e assim muitos são abençoados através de nosso bom testemunho (João 15.8). O caminho para a frutificação é ser sensível à voz do Espírito Santo em nosso interior, a bíblia declara que o fruto do Espírito Santo é o amor, o qual foi derramado por Deus em nossos corações (Rm 5.5).



Nenhum comentário:

Postar um comentário

PAZ DO SENHOR

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.