segunda-feira, 28 de março de 2016

Subsidio (3) CPAD pre-adolescentes 3/4/2016

                         SUBSIDIO (3) PRE-ADOLESCENTES
                             MANIFESTAÇÃO DOS DONS
                                         Atos 16.16-24.


                                             
16 - E aconteceu que, indo nós à oração, nos saiu ao encontro uma jovem que tinha espírito de adivinhação, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores.
17 - Esta, seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus Altíssimo.
18 - E isto fez ela por muitos dias. Mas Paulo, perturbado, voltou-se e disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, te mando que saias dela. E, na mesma hora, saiu.
19 - E, vendo seus senhores que a esperança do seu lucro estava perdida, prenderam Paulo e Silas e os levaram à praça, à presença dos magistrados.
20 - E, apresentando-os aos magistrados, disseram: Estes homens, sendo judeus, perturbaram a nossa cidade.
21 - E nos expõem costumes que nos não é lícito receber nem praticar, visto que somos romanos.
22 - E a multidão se levantou unida contra eles, e os magistrados, rasgando-lhes as vestes, mandaram açoitá-los com varas.
23 - E, havendo-lhes dado muitos açoites, os lançaram na prisão, mandando ao carcereiro que os guardasse com segurança,
24 - o qual, tendo recebido tal ordem, os lançou no cárcere interior e lhes segurou os pés no tronco.

Professor, dando sequência ao estudo acerca da importância dos dons espirituais na Igreja, estudaremos nesta lição a respeito dos dons que manifestam a sabedoria divina: a palavra da sabedoria, a palavra da ciência e o discernimento de espíritos. Enfatize o fato de que a palavra da sabedoria é uma operação sobrenatural do Espírito Santo sobre a mente humana. A palavra da ciência é o dom divino para conhecer os fatos e circunstâncias que se acham oculto (At 5.1-10). Não é conhecimento científico. Já o discernimento de espíritos é uma habilitação sobrenatural para identificar a natureza dos espíritos (divino, humano e maligno). Incentive os alunos a buscarem os dons espirituais, pois vivemos em um mundo corrompido pelo pecado onde as falsificações espirituais e o engano aumentam a cada dia.


Palavra Chave.Sabedoria: Qualidade de sábio; prudência; sensatez.

Abordaremos, nesta lição, os dons que manifestam a sabedoria divina: a palavra da sabedoria, a palavra da ciência e o dom de discernir os espíritos (1 Co 12.8-10). Através desses dons espirituais, a Igreja de Cristo passa a conhecer as coisas de forma sobrenatural. Conforme veremos, tais ferramentas são indispensáveis à igreja, a fim de que esta venha a cumprir integralmente a sua missão.

I. OS DONS DO ESPÍRITO SANTO

1. Os dons espirituais. Em 1 Coríntios 12.8-10, Paulo apresenta os dons espirituais concedidos pelo Espírito Santo, visando a edificação da Igreja (1 Co 12.7). Neste mesmo texto, o apóstolo esclarece que a diferença mais notável entre os verdadeiros e os falsos dons é a rejeição, ou a aceitação, do senhorio de Cristo (1 Co 12.3). Somente os autênticos servos de Cristo aceitam-no como Salvador e Senhor.
2. Classificação dos dons. Os dons podem ser classificados, para uma melhor compreensão, da seguinte maneira: 1) dons que manifestam a sabedoria de Deus (1 Co 12.8-10); 2) dons que manifestam o poder de Deus (1 Co 12.9,10); e 3) dons que manifestam a mensagem de Deus (1 Co 12.10).
3. A escassez dos dons espirituais. Nunca os dons espirituais fizeram-se tão necessários quanto hoje. Num século de enganos e falsificações espirituais, carecemos das capacitações sobrenaturais provindas do Espírito Santo, a fim de que saibamos diferençar a verdade da mentira. Mas sem a santíssima fé como poderemos receber os dons (Rm 12.6)? As dádivas de Deus só podem ser recebidas pela fé mediante a ação do Espírito Santo (Gl 3.5; Hb 10.38).
Na Igreja Primitiva, onde o temor de Deus e a reverência eram abundantes (At 2.43), os dons espirituais manifestavam-se com regularidade e frequência. A irreverência, a falta de oração e de leitura da Bíblia Sagrada, além de impedirem as legítimas manifestações espirituais, deturpam-nas, gerando confusão e desordem (cf. 1 Co 14).Os dons do Espírito Santo podem ser classificados em três categorias: manifestação da sabedoria de Deus; manifestação do poder de Deus e manifestação da mensagem de Deus. 

II. A PALAVRA DA SABEDORIA

1. A sabedoria satânica. Embora Satanás seja considerado astuto e sábio (Gn 3.1; Ez 28.3-5), ele, como toda a criatura, tem suas limitações. Apesar de sábio, não é onisciente. Todavia, astuto como é, usa de toda a sua sagacidade para induzir o ser humano a fazer-lhe a vontade. Eis porque, precisamos ter muita cautela com os milagres, sinais e maravilhas, pois nem toda manifestação sobrenatural vem de Deus. É por isso que os dons espirituais relacionados à sabedoria divina fazem-se urgentes e necessários à Igreja de Cristo.
2. A sabedoria de Deus. Onisciente e onipresente, a sabedoria de Deus é ilimitada, pois dEle procede todo conhecimento (Pv 2.6). Se Ele é a fonte de todo o saber, por que não lho pedir? Tiago afirma que o Senhor concede sabedoria aos que lhe pedem (Tg 1.5). Essa sabedoria, porém, não deve ser confundida com o dom do Espírito Santo conhecido como a palavra de sabedoria. Ressalvamos que, independente deste dom, deve o crente continuar a crescer na graça e no conhecimento, pois somente assim chegaremos à maturidade cristã (2 Pe 3.18).
3. O dom da palavra de sabedoria. A palavra de sabedoria é o primeiro dos nove dons espirituais mencionados pelo apóstolo Paulo em 1 Coríntios, capítulo 12. Não se trata de habilidade intelectual ou acúmulo de conhecimentos através de estudos e pesquisas; trata-se de uma operação sobrenatural do Espírito Santo sobre a mente humana, tornando-a capaz de resolver problemas tidos como insolúveis (1 Co 12.8).
Salomão, por exemplo, usou a sabedoria divina ao julgar o caso daquelas mulheres que lutavam pela posse de um recém-nascido (1 Rs 3.16-28). Todos os que ouviram a sentença do rei temeram ao Senhor, pois sabiam que sobre o monarca atuara uma sabedoria sobrenatural vinda diretamente de Deus (1 Rs 3.28). Como carecemos desse dom! Muitos problemas, tidos como insolúveis, seriam prontamente resolvidos entre nós, na obra de Deus, em toda sua abrangência.O dom da palavra de sabedoria é a operação sobrenatural do Espírito Santo na mente humana, objetivando, resolver problemas insolúveis. 

III. A PALAVRA DA CIÊNCIA E O DISCERNIMENTO DE ESPÍRITOS

1. O dom da palavra da ciência. “[...] e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência” (1 Co 12.8). Paulo não se referia evidentemente ao conhecimento científico que se adquire nas cátedras das universidades; referia-se ele à capacidade sobrenatural concedida diretamente pelo Espírito Santo, que nos habilita a conhecer fatos e circunstâncias que se acham ocultos. Haja vista o ocorrido em Atos 5. Naquele momento, o Espírito Santo revelou a Pedro, através da palavra da ciência, o que Ananias e Safira haviam feito em segredo (At 5.1-10).
2. O discernimento de espíritos. Discernir significa distinguir, estabelecer diferença. O Espírito Santo concede o dom de discernir, a fim de que não sejamos enganados por espíritos e manifestações espirituais que, apesar das aparências, não se originam em Deus, mas em fontes demoníacas e carnais (1 Co 12.10).
Num universo religioso, como o atual, onde há tantas imitações e fingimentos, faz-se urgente essa capacidade sobrenatural que nos concede o Espírito Santo, para sabermos as proveniências dos espíritos. Recomenda-nos o apóstolo João: “Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo” (1 Jo 4.1).
3. A importância do dom de discernimento. A vinda de Cristo está mui próxima (1 Jo 2.18). Cumprem-se os sinais que anunciam a volta iminente do Senhor. Haja vista a operação dos falsos doutores e profetas que, usados por Satanás, ostentam uma aparente piedade e operam maravilhas com o objetivo de enganar os escolhidos (Mt 24.24). Por isso, afirma John Stott, “de todos os dons espirituais, um dos que mais devemos desejar é seguramente o de discernimento”. Leia e medite em 2 Timóteo 3.1-9 e 2 Pedro 2.1-3.

O dom da palavra da ciência e o discernimento de espíritos são capacidades sobrenaturais que o Espírito Santo concede, ao crente, para conhecer fatos ocultos.

Os dons que manifestam a sabedoria divina têm por objetivo não permitir que sejamos enganados e caiamos no erro. Satanás é o enganador. Ele mudou suas táticas, porém continua a trabalhar dia e noite para destruir a Igreja do Senhor. Estejamos atentos, munidos dos dons espirituais e revestidos da armadura de Deus contra as astutas ciladas do Diabo (Ef 6.11). Reavivemos, pois, o dom que há em nós (2 Tm 1.6).


              “Distribuídos pelo Espírito para o que for útil

‘Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil’ (1 Co 12.7).
Paulo dá três listas de dons neste capítulo (1 Co 12.8-10,28-30). Cada dom mencionado por ele parece algo que pode ser manifesto em uma diversidade de modos segundo a vontade do Espírito Santo. Alguns supõem que a primeira lista é completa e inclusiva. Mas Paulo não diz: ‘Estes são os dons do Espírito’. Ele simplesmente apresenta a lista, dizendo: ‘Aqui está um dom dado pelo Espírito, eis outro dom dado pelo mesmo Espírito’. Ele está enfatizando que todos os dons vêm do Espírito Santo. Ele é uma pessoa infinita e podemos ter absoluta certeza de que tem uma provisão infinita para atender a cada necessidade.
O Espírito Santo dá manifestações (revelações, meios pelos quais o Espírito Santo se faz conhecer abertamente) para cada crente, mas não para o próprio benefício do indivíduo ou para alguma bênção que a pessoa possa reivindicar para si mesma. Nem Paulo quer dizer que cada crente tem um dom ou é ‘dotado’. O ponto é que todo dom que o Espírito Santo distribui é dado por meio de indivíduos ‘para o que for útil’, para o bem comum, para o bem do corpo local como um todo. Os dons ajudarão a edificar a assembleia local, tanto espiritual quanto numericamente, da mesma maneira que os dons do Espírito Santo o fizeram no livro de Atos” (HORTON, S. M. I & II Coríntios: Os Problemas da Igreja e suas Soluções. 1.ed., RJ: CPAD, 2003, p.113).


            “Que é a palavra de conhecimento [ciência]

A palavra do conhecimento não é algo que se aprende através do processo educacional. Nem ainda por conhecimento profundo, adquirido mediante estudo das Escrituras, muito embora seja este um meio eficiente para obtermos conhecimento de Deus. Não é bíblico admitir que um dom sobrenatural tenha o propósito de substituir o estudo sistemático da Palavra de Deus. Seria um erro muito sério presumir tal coisa (Mt 22.29). Por outro lado, temos a lamentar que muitos cristãos se mostram ávidos por ‘revelações’ e extremamente ‘interessados’ por obras escatológicas e negligenciam o estudo da doutrina bíblica, como considerando-a uma terceira ou quarta prioridade. Muitos erros e dolorosas desilusões seriam evitados mediante o conhecimento básico da Bíblia.
O dom da palavra do conhecimento não tem, portanto, o propósito de tomar o lugar devido ao estudo regular da Palavra de Deus. É dado como provimento divino para servir em necessidade espiritual, para ocasiões especiais, como e quando bem parece ao Espírito de Deus.


            A função do dom de discernimento na Igreja

A Igreja é assediada pelo poder das trevas. O inimigo é propriamente o ‘espírito que, agora, opera nos filhos da desobediência’ (Ef 2.2). Ele também domina as mentes e os corpos das pessoas incrédulas, suscetíveis à influência de espíritos maus e de demônios. Satanás pode usá-los para atacar e enganar até os obreiros desprovidos de discernimento espiritual.
Todos podemos admitir que há muitas forças espirituais neste mundo perdido. Por isso, somos advertidos a estar alerta quanto à ação delas. O apóstolo João descreve: ‘Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. Nisto conhecereis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que está já no mundo. Filhinhos, sois de Deus e já os tendes vencido, porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo’ (1 Jo 4.1-3). Neste texto, o apóstolo nos indica um método pelo qual qualquer crente pode identificar um espírito mau. Contudo, nem todas as circunstâncias são apropriadas para este método de identificação. O dom de discernimento de espíritos pode prover-nos dos meios evidentes para em qualquer ocasião detectarmos os espíritos maus, e isto é obra de grande proveito para a causa de Cristo” (SOUZA, E. Â. Os nove dons do Espírito Santo. RJ: CPAD, 1985, pp.37,38,44,45).(FONTE CPAD).




Nenhum comentário:

Postar um comentário