quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Tese do arrebatamento pre-tribulação


.


    TESE ARREBATAMENTO PRE-TRIBULACIONAL





PROVAS BÍBLICAS DO ARREBATAMENTO PRÉ-TRIBULACIONAL Parte I: A Bíblia ensina que a igreja será removida sobrenaturalmente (Arrebatamento). Este Arrebatamento vai acontecer antes, durante ou depois da Grande Tribulação? A melhor maneira de descobrir a verdade é interpretar de modo correto a Palavra de Deus. Em alguns casos isto é bem mais fácil dizer do que realizar. Encontrar e correlacionar as profundas verdades das Escrituras é como explorar uma mina de ouro. Trata-se de uma árdua tarefa; mas, vale a pena, quando se encontram preciosas pepitas. Suponho que o nosso maravilhoso Deus usou este meio, para que algumas coisas ocultas passassem despercebidas aos Seus inimigos. As parábolas são os principais exemplos de como Jesus entregou aos filhos de Deus a promessa, enquanto os filhos das trevas continuaram tateando na escuridão. [N.T. - Um exemplo atual é o dos católicos mariólatras, que até leem a Bíblia, mas continuam nas trevas da idolatria romana, porque não entendem as verdades entregues pelo Espírito Santo]. Algumas verdades divinas precisam de erudição bíblica, junto com a iluminação do Espírito Santo. Algumas vezes, pode haver mais de um nível da verdade numa determinada passagem, com insights a serem revelados apenas no tempo que o Pai achar apropriado.
Este é, aparentemente, o caso da verdade sobre o Arrebatamento da igreja fiel [N.T. - aquela que se atém exclusiva e meridianamente à verdade bíblica, sem adição de outras fontes]. Alguns líderes cristãos estão cegos a respeito do Arrebatamento e da profecia bíblica - Existem muitos teólogos (principalmente os católicos), em várias denominações ditas cristãs, que se recusam a enxergar o fato de que já estamos vivendo nos tempos proféticos. Eles fazem isso porque alegorizam ou espiritualizam as Escrituras, principalmente as que se referem aos tempos finais e à restauração de Israel. A não ser que haja uma clara indicação de que somos obrigados a usar um sentido figurado [NT: figurado é diferente de alegórico. Por exemplo, Jesus dizer “Eu sou a porta” tem que ser e é naturalmente interpretado que “porta” é uma legítima figura para “o meio de entrada ao céu”; já interpretar que, nas profecias futuras, Israel é a ICAR, é alegoria, é interpretação particular, é contrário à toda a Escritura], o senso comum mostra que os escritos bíblicos devem ser literalmente compreendidos. Quando alegorizam as escrituras proféticas, muitos teólogos tendem a mostrar que elas dizem exatamente o que eles desejam que elas digam.
Aplicar à igreja as promessas divinas feitas exclusivamente a Israel [conforme a errônea teologia criada por Agostinho de Hipona], é tentar neutralizar o cumprimento literal do que vai acontecer na Terra. Esses “eruditos” precisam ver o motivo pelo qual eles usam a racionalização humana, a fim de distorcer o claro ensino da Palavra de Deus. Além da falsa teologia católica, o erro entre os evangélicos começa nos seminários, onde alguns professores amilenialistas ou pós-milenialistas influenciam seus alunos. Creio que eles agem assim por causa da ignorância ou porque realmente não acreditam no que Deus disse a respeito do inescapável cumprimento do ensino bíblico, ou porque temem um literal julgamento, o qual vai abranger o mundo inteiro, antes que seja instalado o Reino Milenial do Senhor Jesus Cristo em Jerusalém. 
Esses homens não entendem que o corpo de Cristo ressuscitou no terceiro dia e que o corpo de Cristo (Sua igreja) logo estará chegando também ao terceiro[MARY ESTÁ FALTANDO ALGUMA COISA?] A liberdade que havia na interpretação literal das Escrituras proféticas, no passado, não era um problemas sério, como está acontecendo hoje em dia, quando o tempo da graça se escoa. No passado, a igreja possuía menos conhecimento das Escrituras e ainda estava longe dos anos proféticos nos quais agora vivemos. Também, atualmente, temos um amplo acesso às Escrituras, dentro e fora da igreja, de modo que não existe desculpa alguma para os crentes se acomodarem à interpretação particular dos seus mestres, conforme o hábito dos católicos romanos.
É sempre perigoso adaptar à igreja as profecias destinadas a Israel, o que tem sido feito por, praticamente, todas as denominações cristãs. Esta [errônea] teologia ensina que Deus amaldiçoou definitivamente Israel, tendo transferido todas as Suas promessas à igreja cristã, só que a mesma teologia ignora as maldições que a igreja, obviamente, deveria ter herdado pela sua desobediência. Esta teologia foi, provavelmente, a causadora, nas décadas de 1930-40, do tenebroso Holocausto dos judeus, perpetrado por Adolf Hitler. Os criadores desta nefanda teologia abriram as portas ao Holocausto e, provavelmente, os seus adeptos vão abri-las para o homem do pecado - o Anticristo. A igreja é o corpo de Cristo e, portanto, as primícias da Nova Aliança. Os gentios foram enxertados na promessa divina da Aliança, depois que a maioria dos judeus rejeitou o Messias e os ramos naturais da oliveira foram quebrados, a fim de que os gentios fossem enxertados na mesma (Romanos 11).
 Mas, como a promessa da Aliança foi dada às casas de Jacó e Judá, sem condição alguma, ela permanecerá, até que tudo se cumpra: “Eis que dias vêm, diz o SENHOR, em que farei uma aliança nova com a casa de Israel e com a casa de Judá”. (Jeremias 31:31). Quando a nação de Israel reconhecer o seu pecado e invocar o nome do Senhor, ela será salva, voltando a receber a promessa da Nova Aliança. Quando o Pai determinar que chegou a hora, Ele vai arrebatar a igreja fiel, a Noiva de Cristo, para que ela se torne uma com o Seu Filho Amado. Logo em seguida, a Terra será purificada de todos os malfeitores, a fim de que Cristo volte em glória para reinar, soberanamente, sobre o mundo inteiro, a partir de Jerusalém, em Seu Reino Milenial (Joel 2:28-32 e 3:1. A doutrina do Arrebatamento Pré-Tribulacional é uma nova doutrina da igreja? - Alguns cristãos afirmam que não haverá o Arrebatamento da igreja, antes da Tribulação, e que esta doutrina apareceu nos anos 1800. [Porém,] No livro de Grant Jeffrey - Triumphant Return - ele conta que no ano 373 d.C., Efraim, no sermão “On the Last times, the Antichrist and the End of the World”, disse que haveria um Arrebatamento pré-tribulacional: “Pois os santos e eleitos de Deus serão reunidos, antes da Tribulação que há de vir, e levados pelos ares, a fim de não presenciarem a confusão que vai dominar o mundo, por causa dos nossos pecados”. No mesmo sermão, Efraim ensinou também que a Guerra de Gogue e Magogue precederia a volta de Cristo. O Arrebatamento Pré-Tribulacional é um segredo? - Não, ele não é um segredo.
 Tem sido amplamente informado, através de farta literatura, que ele, de fato, vai acontecer. Um dos escritos mais populares sobre o assunto é o livro “Deixados Para Trás”, de Tim LaHaye e Jerry B. Jenkins, uma obra de ficção religiosa, que narra os últimos acontecimentos. O próprio evento será conhecido e testemunhado por milhões de pessoas, causando um pânico mundial, com milhares de pessoas chorando o desaparecimento dos seus entes amados. Os pagãos da Nova Era já estão preparando um falso arrebatamento de pessoas para outro planeta, conforme alguns dos seus escritos. A especialidade do Diabo é imitar o que a Bíblia ensina. Haverá um Arrebatamento Pré-Tribulacional? - No Arrebatamento, a igreja fiel ao Senhor será removida, a fim de não passar pelo julgamento que virá sobre a Terra, como castigo aos pecadores. A IGREJA FIEL NÃO PRECISARÁ DESSE JULGAMENTO, PORQUE JÁ FOI LAVADA E PURIFICADA NO SANGUE DO SENHOR. Cristo não voltará para tomar posse da Terra, nesta Segunda Vinda [N.T.: seria melhor o autor ter escrito “neste Arrebatamento”, reservando o termo “Segunda Vinda” para quando Cristo desce à terra para julgar e reinar, e o termo “Arrebatamento” para quando, 7 anos antes, Ele vem somente às nuvens, para arrebatar os salvos da dispensação das igrejas locais. Falar em 2 fases ou etapas da 2ª Vinda pode gerar confusão...], a qual será visível somente aos salvos. O ARREBATAMENTO É APENAS OUTRA FACE DA PRIMEIRA RESSURREIÇÃO, A QUAL COMEÇOU COM JESUS.

 Ela aconteceu no corpo físico de Cristo, quando Ele estava no túmulo, e vai atuar no Seu corpo espiritual - a igreja. Os salvos devem ressuscitar, exatamente como Cristo ressuscitou, a fim de irem se encontrar com Ele, nos ares. Isso “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal”. (2 Coríntios 5:10)
 Na colheita judaica, existem as primícias, a colheita geral e a colheita parcial. Não se trata de um evento único e o mesmo acontecerá com a ressurreição. Existe um grande número de passagens bíblicas indicando que a volta de Jesus para buscar a Sua igreja está se aproximando. Ela não deverá acontecer durante a Tribulação. Por que Jesus iria admoestar o Seu povo, no sentido de vigiar a Sua vinda (como um ladrão de noite), durante o julgamento sobre a Terra? Se os salvos precisassem passar pelos sete anos da Tribulação a igreja estaria aguardando, ansiosamente, seu retorno, antes do final da mesma. A partir do capítulo 4, quando João é convocado para subir ao Céu, a igreja deixa de ser focalizada no Livro do Apocalipse. Então, passamos a ler sobre os judeus fugindo para o deserto, as duas testemunhas morrendo e ressuscitando, os 144.000 judeus testemunhando a todas as nações e as nações se reunindo para guerrear contra Israel.   
fonte www.assemblyofgodbrasil-comoverblog.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PAZ DO SENHOR

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.