sábado, 6 de agosto de 2016

Subsidio CPAD maternal Samuel serve ao Senhor no templo n.7



                     SUBSIDIO CPAD maternal Samuel
                          serve ao Senhor no templo

                   
                       1 Samuel versículos cap.2.11-26

                                      Escritor Mauricio Berwald

Nestes versos nós temos o bom caráter e postura da família de Elcana, o mau caráter e postura da família de Eli. A conta destes dois é observável entrelaçadas ao longo de todo este parágrafo, como se o historiador destina-se a definir a um defronte do outro, para que pudessem desencadear um ao outro. A devoção e a boa ordem da família de Elcana agravou a iniqüidade da casa de Eli; enquanto a maldade dos filhos de Eli feito no início piedade de Samuel aparecer mais brilhante e ilustre.

I. Vamos ver como as coisas correram na família de Elcana e como muito melhor do que anteriormente. 1. Eli dispensou-os da casa do Senhor, quando tinha entrado seu pequeno filho lá, com uma bênção, 1 Samuel 02:20. Ele abençoou como quem tem autoridade: O Senhor te dê mais filhos desta mulher, para o empréstimo que é emprestado para o Senhor. Se Hannah tinha, em seguida, tiveram muitos filhos, não teria sido uma peça tão generosa de piedade parte com um fora de muitos, para o serviço do tabernáculo; mas quando ela tinha apenas um, um único a quem ela amava, ela Isaac, para apresentá-lo ao Senhor era tal um ato de devoção heróica como deve de modo algum perderá a sua recompensa. Como quando Abraão ofereceu Isaac, ele recebeu a promessa de uma numerosa questão (Gênesis 22:16, Gênesis 22:17), assim como Hannah, quando ela tinha apresentado Samuel ao Senhor um sacrifício vivo. Note, que está emprestado ao Senhor certamente será pago com juros, a nossa vantagem indizível, e muitas vezes em espécie. Hannah se demite um filho a Deus, e é recompensado com cinco; a bênção de Eli entrou em vigor (1 Samuel 2:21): Ela teve três filhos e duas filhas. Não há nada perdido, emprestando a Deus ou perder para ele; será reembolsado de uma centena de vezes, Mateus 19:29. 2. Eles voltaram para a sua própria habitação. Isso é duas vezes mencionado, 1 Samuel 2:11, e novamente 1 Samuel 02:20. Foi muito agradável de assistir na casa de Deus, para abençoá-lo, e ser abençoado por ele. Mas eles têm uma família em casa que deve ser cuidada, e para lá eles retornam, alegremente deixando o querido um pouco atrás deles, sabendo que o deixou em um bom lugar; e não parece que gritam atrás deles, mas era tão disposto a ficar como estavam a deixá-lo, tão logo ele fez as coisas de menino e se comportar como um 1 Samuel 02:19. Eles não pensam que ministração de seu filho haveria desculpá-los, ou que essa oferta deve servir, em vez de outras ofertas; mas, tendo encontrado o benefício de aproximar a Deus, eles iriam omitir nenhum tempo determinado para ele, e agora eles tinham uma magnetita mais em Shiloh para atraí-los para lá. Podemos supor que foi para lá para ver seu filho com mais frequência do que uma vez por ano, pois não era dez milhas de Ramá; mas a sua visita anual é tomado conhecimento porque então eles trouxeram seu sacrifício anual e, em seguida, Hannah montado o seu filho (e alguns pensam com mais frequência do que uma vez por ano) com um novo conjunto de roupas, um pouco de revestimento (1 Samuel 2:19) e cada coisa que lhe pertence. Ela comprometeu-se a encontrá-lo com a roupa durante a sua aprendizagem no tabernáculo, e teve o cuidado que ele deve ser bem fornecido, que ele pode aparecer mais decente e sightly em seu ministério, e para encorajá-lo em seus começos towardly. Os pais devem tomar cuidado para que seus filhos não querem nada que está apto para eles, se eles estão com eles ou deles provenientes; mas aqueles que são obedientes e esperançosos, e ministrar ao Senhor, deve ser considerado digno de cuidados de casal e bondade. 4. A criança Samuel fez muito bem. Quatro vezes separadas ele é mencionado nestes versos, e duas coisas somos informados de: - (1) O serviço que ele fez ao Senhor. Ele fez bem de fato, para ele ministrou ao Senhor (1 Samuel 2:11, 1 Samuel 2:18) segundo a sua capacidade era. Ele aprendeu o catecismo e foi constante para suas devoções, logo aprendi a ler, e tomou um prazer no livro da lei, e, portanto, ele ministrou ao Senhor. Ele ministrava perante Eli, isto é, sob a sua fiscalização, e, como ele ordenou ele, não antes de os filhos de Eli; todas as partes concordaram que eles estavam impróprios para serem seus tutores. Talvez ele participou imediatamente na pessoa de Eli, estava pronto para ele ir buscar e trazer como ele teve ocasião, e que é chamado a ministrar ao Senhor. Alguns pequenos serviços talvez ele foi empregado em redor do altar, embora muito abaixo da idade nomeado pela lei para ministração dos levitas. Ele poderia acender uma vela, ou segurar um prato, ou correr em uma missão, ou desligue uma porta; e, porque ele fez isso com uma disposição piedosa de espírito ele é chamado a ministrar ao Senhor, e de grande aviso é tomado dela. Depois de algum tempo ele fez seu trabalho tão bem que Eli nomeado que ele deveria ministrar com um éfode de linho, como os sacerdotes faziam (embora ele não era um sacerdote), porque ele viu que Deus estava com ele. Nota, Filhinhos deve aprender com tempo para ministrar ao Senhor. Os pais devem treiná-los até ele, e Deus vai aceitá-los. Particularmente deixá-los aprender a pagar o respeito aos seus professores, como Samuel a Eli. Nada pode começar muito cedo para ser religioso. Veja o Salmo 8: 2 e Mateus 21:15, Mateus 21:16. (2.) A bênção que recebeu do Senhor: Ele cresceu diante do Senhor, como renovo (1 Samuel 2:21), cresceu em (1 Samuel 2:26) em força e estatura, e especialmente em sabedoria e entendimento e aptidão para o negócio. Nota, os jovens que servem a Deus, assim como eles podem obterá graça para melhorar, para que possam servi-lo melhor. Aqueles que são plantadas na casa de Deus florescerá, o Salmo 92:13. Ele era a favor com o Senhor e com o homem. Nota: É um grande incentivo para as crianças a serem tratáveis, e virtuosa, e boa betimes, que, se eles ser Deus e homem vai amá-los. Essas crianças são os queridinhos tanto do céu e da terra. O que é dito aqui de Samuel é dito do nosso bendito Salvador, o grande exemplo, Lucas 2:52.
II. Vamos agora ver como as coisas mal entrou na família de Eli, embora sentado no próprio porta da tenda. Quanto mais próximo da igreja a mais de Deus.
1. A maldade abominável dos filhos de Eli (1 Samuel 2:12): Os filhos de Eli eram filhos de Belial. É expressa enfaticamente. Não aparece nada em contrário, mas que Eli próprio era um homem muito bom, e sem dúvida havia educado seus filhos bem, dando-lhes boas instruções, colocando-os bons exemplos, e colocando-se muitas uma boa oração por eles; e, no entanto, quando eles cresceram, eles provaram filhos de Belial, homens profano falsas, e arrant ancinhos: Eles não conhecia o Senhor. Eles não podia deixar de ter um conhecimento teórico de Deus ea sua lei, uma forma de conhecimento (Romanos 2:20), ainda, porque a sua prática não era submisso a ele, eles são mencionados como totalmente ignorantes de Deus; eles viviam como se soubessem nada de Deus. Nota, os pais não pode dar graça aos seus filhos, nem correr no sangue. Muitos que estão sinceramente piedosa-se viver para ver aqueles que vêm com eles notoriamente ímpios e profanos; para a corrida não é para o veloz. Eli era o sumo sacerdote e juiz em Israel. Seus filhos foram sacerdotes por seu nascimento. Seu caráter era sagrado e honrado, e obrigou-os, por sua reputação-sake, para observar o decoro. Eles foram residente no manancial ambos magistratura e ministério, e ainda assim eles eram filhos de Belial, e sua honra, poder e aprendizagem, fez tanto pior. Eles não vão servir a outros deuses, como as fez, que viveu a uma distância a partir do altar, para a partir da casa de Deus, eles tiveram a sua riqueza e dignidade; mas, o que era pior, eles conseguiram o serviço de Deus, como se tivesse sido uma das divindades monturo das nações. É difícil dizer que desonra a Deus mais, a idolatria ou profanação, especialmente a profanação dos sacerdotes. Vamos ver a maldade dos filhos de Eli; e é uma visão triste.
(1.) profanaram as ofertas do Senhor, e fez um ganho para si mesmos, ou melhor, uma gratificação de sua própria luxo, fora delas. Deus havia provido com competência para eles, dos sacrifícios. As ofertas do Senhor queimadas eram um ramo considerável de sua receita, mas não o suficiente para agradá-los; eles não serviu o Deus de Israel, mas suas próprias barrigas (Romanos 16:18), sendo tal como o profeta chama cães gananciosos que não se podem fartar, Isaías 56:11. [1] Eles roubaram os ofertantes, e apreendeu para si um pouco de sua parte do sacrifício das ofertas pacíficas. Os sacerdotes tinham a sua parte da onda de mama e a coxa alçada (Levítico 07:34), mas estes não o conteúdo deles; quando a carne foi a ferver durante o ofertante de banquetear-se religiosamente com os seus amigos, eles enviou um servo com um garfo de três dentes, um tridente, e que deve ser preso no pote, e tudo o que fez subir o sacerdote deve ter (1 Samuel 02:13, 1 Samuel 02:14), e as pessoas, fora da sua grande veneração, sofreu esta a crescer em um costume, de modo que depois de algum tempo de prescrição foi implorou para esta errado manifesto. [2] Eles entrou em cena antes de o próprio Deus, e usurpado seu direito também. Como se fosse uma coisa pequena para homens cansados, eles cansaram também ao meu Deus, Isaías 07:13. Note-se, para a honra de Israel, que, embora as pessoas tamely cedeu às suas exigências injustificáveis ​​deles, mas eles foram muito solícitos que Deus não deve ser roubado: Deixem eles não deixam a queimar a gordura de hoje, 1 Samuel 02:16 . Deixe o altar tem o seu devido, pois esse é o assunto principal. A menos que Deus tem a gordura, eles podem se deliciar com pouco conforto em cima da carne. Foi uma pena que os padres devem precisam ser assim prevenidos pelo povo de seu dever; mas não considerou a advertência. O sacerdote será servido em primeiro lugar, e vai levar o que ele pensa ajuste da gordura também, pois ele está cansado de carne cozida, ele deve ter assado, e, para isso, eles devem dar a ele em bruto; e se o proponente contestá-la, embora não em seu próprio favor (deixe o sacerdote levar o que quiser de sua parte), mas em favor do altar (deixá-los ter a certeza de gravar a primeira gordura), servo até mesmo o padre tinha crescido tanto muito imperioso que ele quer tê-lo agora ou levá-la pela força, de que não poderia haver uma maior afronta a Deus, nem um maior abuso às pessoas. O efeito foi, primeiro, que Deus estava descontente: O pecado dos jovens era muito grande diante do Senhor, 1 Samuel 02:17. Nada está mais provocando a Deus do que a profanação das coisas sagradas, e os homens servir os seus desejos com as ofertas do Senhor. Em segundo lugar, essa religião por ela sofrido em: homens desprezavam as ofertas do Senhor. Todos os bons homens desprezavam a sua gestão das ofertas, e muitos insensivelmente caiu em um desprezo das próprias ofertas para o bem deles. Foi o pecado do povo a pensar o pior das instituições de Deus, mas foi o maior pecado dos sacerdotes que lhes deu a oportunidade de fazê-lo. Nada traz maior opróbrio sobre religião do que a cobiça, a sensualidade, e imperiosidade dos ministros. No meio desta triste história vem na menção repetida de devoção de Samuel. Porém Samuel ministrava perante o Senhor, como um exemplo do poder da graça de Deus, na preservação lo pura e piedosa no meio deste grupo ímpios; e isso ajudou a manter-se o crédito naufrágio do santuário nas mentes das pessoas, que, quando eles tinham dito tudo o que podiam contra os filhos de Eli, não podia deixar de admirar a seriedade de Samuel, e falar bem da religião por causa dele.
(2.) Eles debochado as mulheres que vieram a adorar na porta da tenda, 1 Samuel 02:22. Eles tinham esposas de seus próprios, mas eram como cavalos alimentados, Jeremiah 5: 8. Ter ido para a casa de meretrizes, as prostitutas comuns, teria sido maldade abominável, mas para usar o interesse que como sacerdotes tinham naquelas mulheres que tinham disposições devotos e foram religiosamente inclinado, e levá-los a cometer a sua maldade, era tal impiedade horrível como dificilmente se pode pensar que é possível que os homens que se diziam os padres devem sempre ser culpado de. Se espantará, ó céus! com isso, e tremer, ó terra! Nenhuma palavra pode expressar suficientemente a vilania de tais práticas como estas.
2. A repreensão que Eli deram seus filhos para esta sua maldade: Eli era muito velho (1 Samuel 02:22) e não poderia se inspecionar o serviço da tenda que ele tinha feito, mas deixou tudo para seus filhos, que, por causa das enfermidades da sua idade, menosprezado ele, e fiz o que eles queriam. No entanto, ele foi informado da maldade dos seus filhos, e podemos muito bem imaginar o que um coração de quebra de que era ele, e quanto ele acrescentou ao fardo da sua idade; mas deve parecer que ele não fez tanto como reprová-los até que ele ouviu de seu debauching as mulheres, e então ele pensou apto a dar-lhes um cheque. Teria ele repreendeu por sua ganância e luxo, isso poderia ter sido evitado. Os jovens devem ser informados dos seus defeitos, logo que percebe-se que eles começam a ser extravagante, para que seus corações se endureça. Ora, quanto a reprovação deu-lhes observar,
(1) Que foi muito justa e racional. O que ele disse foi muito bom. [1] Ele diz que a questão de fato era muito claro para ser negado e muito público a ser escondido: "Eu ouvi de seus malefícios todo este povo, 1 Samuel 02:23. Não é a suposição de um ou dois, mas o testemunho declarado de muitos; todos os seus vizinhos gritar vergonha em você, e trazer suas queixas para mim, esperando que eu deveria corrigir a queixa. "[2] Ele lhes mostra as más conseqüências do mesmo, que eles não só pecou, ​​mas fez Israel pecar, e teria o pecado do povo para responder por, bem como a sua própria: "você que deve virar homens de iniqüidade (Malaquias 2: 6), você faz o povo do Senhor a transgredir, e corromper a nação em vez de reformá-lo; você seduzir as pessoas para ir e servir outros deuses quando vêem o Deus de Israel tão mal servido. "[3] Ele adverte-os do perigo eles mesmos trazido por ele, 1 Samuel 2:25. Ele sugere a eles o que Deus mais tarde disse-lhe, que a iniqüidade não seria purgado com sacrifício nem oferenda, 1 Samuel 03:14. Se um homem pecar contra outro, o juiz (ou seja, o sacerdote, que foi nomeado para ser o juiz em muitos casos, Deuteronômio 17: 9) julgará ele, compromete-se a sua causa, arbitrar o assunto, e fazer expiação pela infractor; mas se um homem pecar contra o Senhor (isto é, se um padre profanar as coisas sagradas do Senhor, se um homem que lida com Deus para os outros que se afrontar ele) quem intercederá por ele? Eli era ele mesmo um juiz, e tinha muitas vezes intercedeu pelos transgressores, mas, diz ele, "Você que o pecado contra o Senhor", isto é, "contra a lei e honra de Deus, naquelas mesmas coisas que pertencem imediatamente para ele, e pelo qual a reconciliação é para ser feito, como posso implorar para você? "sua condição foi deplorável, de fato, quando seu próprio pai não podia falar uma palavra boa para eles, nem poderia ter o rosto a aparecer como seu advogado. Pecados contra o remédio, a própria expiação, são os mais perigosos, pisar o sangue da aliança, pois então não resta mais sacrifício, Hebreus 10:26.

(2) Era muito leve e suave. Ele deveria ter repreendido-os severamente. Seus crimes merecia nitidez; seu temperamento precisava; a suavidade de sua negociação com eles seria, mas fortalecê-las ainda mais. O animad-versão era muito fácil, quando disse: Não é bom relatório. ele deveria ter dito: "É uma coisa escandalosa vergonhosa, e não para ser sofrido!" Se foi porque ele amava-los ou porque temia-lhes que ele tratou, portanto, ternamente com eles, foi certamente uma evidência de sua falta de zelo para a honra de Deus e do seu santuário. Ele ligou-os para o juízo de Deus, mas ele deveria ter tomado conhecimento de suas si mesmo crimes, como sumo sacerdote e juiz, e ter contido e os puniu. O que ele disse estava certo, mas não foi o suficiente. Nota, às vezes é necessário que nós colocamos uma vantagem sobre as reprovações que damos. Há aqueles que devem ser salvos com medo, Juízes 1:23. 3. Sua obstinação contra esta repreensão. Sua lenity não em todos trabalhar sobre eles: Eles não obedeceram ao seu pai, embora ele também era um juiz. Eles não tinham nenhuma relação quer à sua autoridade ou para o seu afeto, que era para eles é indício de perdição; foi porque o Senhor os queria matar. Eles tinham longa endureceram o coração, e agora Deus, de uma forma de julgamento justo, endureceram o coração e queimou suas consciências, e impediu-lhes a graça de terem resistido e perdido. Nota, Aqueles que são surdos às repreensões da sabedoria são manifestamente marcada para a ruína. O Senhor determinou para destruí-los, 2 Crônicas 25:16. Ver Provérbios 29: 1. Imediatamente após isso, tractableness de Samuel é mencionado novamente (1 Samuel 2:26), para vergonha sua obstinação: O menino Samuel crescia. A graça de Deus é a sua própria; ele negou que os filhos do sumo sacerdote, e deu para o filho de um levita país obscura.(notas Mathew henrys).

Subsidio CPAD jardim da infancia Jesus é ungido n.7





                Cristo é ungido em Betânia.Mateus 26.6-13
                                          Escritor Mauricio Berwald

6 Estando Jesus em Betânia, na casa de Simão, o leproso, 7 aproximou-se dele uma mulher com um vaso de alabastro com ungüento de grande valor, e derramou sobre a cabeça, quando ele se sentou à mesa. 8 Quando os discípulos viu isso, indignaram-se, dizendo: Para que é este desperdício? 9 Pois este bálsamo podia ser vendido por muito dinheiro, dado aos pobres. 10 Quando Jesus entendeu -lo, ele disse-lhes: Por que afligis esta mulher? pois praticou uma boa ação para mim. 11 Porquanto os pobres sempre com você, mas me haveis de ter sempre. 12 Porque, na medida em que ela derramou este perfume sobre o meu corpo, fê -lo para o meu sepultamento. 13 Em verdade vos digo que, onde quer que este evangelho for pregado em todo o mundo, há igualmente isso, que ela fez será contado para memória sua.

Nesta passagem da história, temos,

I. O singular bondade de uma boa mulher para o nosso Senhor Jesus na unção da cabeça, Matthew 26: 6,7 . Foi em Betânia, um disco vila por Jerusalém, e na casa de Simão, o leproso. Provavelmente, ele foi um dos que tinha sido milagrosamente curado da lepra por nosso Senhor Jesus, e ele iria expressar a sua gratidão a Cristo por entreter-lo nem desdenhou Cristo para conversar com ele, entrarei em sua casa e cearei com ele. Embora ele foi purificado, no entanto, ele foi chamado Simão, o leproso. Aqueles que forem culpados de pecados escandalosos, vai descobrir que, embora o pecado ser perdoado, a reprovação vai unir a eles, e dificilmente será apagado. A mulher que fez isso, é suposto ter sido Maria, irmã de Marta e Lázaro. E o Dr. Lightfoot pensa que foi o mesmo que se chamava Maria Madalena. Ela tinha uma caixa de bálsamo precioso, que ela derramou sobre a cabeça de Cristo quando ele se sentou à mesa. Isto, entre nós, seria uma estranha espécie de elogio. Mas foi, em seguida, representaram o maior pedaço de respeito pelo cheiro era muito grato, e do próprio pomada refrescante para a cabeça. David teve sua cabeça ungida, Salmo 23: 5 ; Lucas 07:46 . Agora, isso pode ser encarado,Matthew 26:6,7 Psalm 23:5Luke 7:46

1. Como um ato de fé em nosso Senhor Jesus, o Cristo, o Messias, o ungido. Para significar que ela acreditava nele como o ungido de Deus, a quem ele havia estabelecido rei, ela ungiu-o, e fez dele seu rei. Devem nomear si uma só cabeça, Hosea 1:11Oséias 01:11 . Isto é beijar o Filho.

2. Como um ato de amor e respeito a ele. Alguns pensam que esta foi ele quem amou muito no início, e lavou os pés de Cristo com suas lágrimas ( Lucas 7: 38,47 ) e que ela não tinha deixado o seu primeiro amor, mas agora era tão afetuoso nas devoções de cristão crescido como ela estava nas de um jovem iniciante. Nota: Onde existe amor verdadeiro no coração a Jesus Cristo, nada vai ser pensado muito bem, não há nem bom o suficiente, para conferir-lhe.Luke 7:38,47

II. A infracção que os discípulos levou a isto. Eles indignaram ( Mateus 26: 8,9 ), eram atormentados para ver este perfume, assim, passou, o que eles achavam que poderia ter sido melhor concedeu.Matthew 26:8,9

1. Veja como eles expressaram a sua ofensa para ele. Eles disseram: Para que é este desperdício? Agora, isso evidencia,

(1.) Quer de ternura para com essa boa mulher, ao interpretar-a-bondade (suponho que era assim) para ser desperdício. Charity nos ensina a colocar a melhor construção em cima de cada coisa que ele vai suportar, especialmente sobre as palavras e ações daqueles que são zeloso em fazer uma coisa boa, embora possamos pensar que eles não totalmente tão discreto nele como poderiam ser. É verdade, pode haver excesso de fazer de fazer o bem, mas daí temos de aprender a ser cauteloso nós mesmos, para que não correr em extremos, mas não para ser censura dos outros, porque aquilo que podemos imputar à falta de prudência, Deus pode aceitar como um exemplo de amor abundante. Não devemos dizer: Aqueles fazer muito na religião, os que fazem mais do que nós, mas pretendemos fazer tanto quanto eles.

(2.) Quer de respeito ao seu Mestre. O melhor que podemos fazer com ele, é que eles sabiam que seu Mestre era perfeitamente morto para todas as delícias do sentido, ele que foi muito afligem pela ruína de José, não se importou por ser ungido com os principais pomadas, Amos 6:6Amos 6: 6 . E, portanto, eles achavam que tais prazeres doente concedidos a quem levou tão pouco prazer neles. Mas, supondo que isso, ele não se tornou los a chamá-lo de desperdiçar, quando perceberam que ele admitiu e aceitou-a como um sinal do amor de seu amigo. Nota, Temos de tomar cuidado de pensar qualquer coisa resíduos, que é concedido ao Senhor Jesus, seja por outros ou por nós mesmos. Não devemos pensar que os resíduos de tempo, que é gasto no serviço de Cristo, ou que os resíduos dinheiro, que é colocado para fora em qualquer obra de piedade para, embora parecem ser lançado sobre as águas, para ser jogado para baixo do rio, vamos encontrá-lo novamente, com vantagem, depois de muitos dias, Ecclesiastes 11:1Eclesiastes 11: 1 .

2. Veja como eles dispensado sua ofensa para ele, eo que pretexto que eles fizeram para ele Este bálsamo podia ser vendido por muito dinheiro, que se daria aos pobres. Nota: Isso não é coisa nova para afeições ruins para abrigar-se sob as tampas ilusórios para as pessoas a mudar off obras de piedade sob a cor das obras de caridade.

III. A reprovação Cristo deu aos seus discípulos para a infracção que esta boa mulher ( Mateus 26: 10,11 ) ? Ye Por problemas a mulher Note, Ele é um grande problema para as pessoas boas de ter suas boas obras censurado e mal interpretado e é um coisa que Jesus Cristo leva muito doente. Ele aqui participaram com um bom, honesto, zeloso, mulher bem-intencionado, contra todos os seus discípulos, embora eles pareciam ter tanta razão do seu lado com tanto gosto que ele abraçar a causa dos pequeninos ofendidos, Mateus 18:10 .Matthew 26:10,11 Matthew 18:10

Observe sua razão Você tem os pobres sempre com você. Note,

1. Existem algumas oportunidades de fazer e ficando bom, que são constantes, e que devemos dar atendimento constante para a melhoria da. Bíblias que temos sempre conosco, sábados sempre conosco, e assim os pobres, temos sempre conosco. Note, Aqueles que têm um coração para fazer o bem, nunca precisa reclamar por falta de oportunidade. Os pobres não cessou, mesmo fora da terra de Israel, Deuteronomy 15:11Deuteronômio 15:11 . Não podemos deixar de ver alguns neste mundo, que pedem a nossa assistência caritativa, que são os receptores de Deus, alguns membros pobres de Cristo, a quem ele terá a bondade como a si mesmo.

2. Existem outras oportunidades de fazer e ficando bom, que vêm, mas raramente, que são de curta e incerta, e que requerem diligência mais peculiar na melhoria deles, e que deve ser dada preferência antes do outro " Me tendes nem sempre, portanto, use-me enquanto tendes-me. " Nota: (1) constante de Cristo corporal presença não era de se esperar aqui neste mundo era necessário que ele deve ir embora a sua verdadeira presença na eucaristia é um conceito Apaixonado e sem fundamento, e contradiz o que ele disse aqui, me tendes nem sempre. (2.) obras Às vezes especiais de piedade e devoção deve ocorrer de obras comuns de caridade. Os pobres não devem roubar Cristo, devemos fazer o bem a todos, mas especialmente aos da família da fé.

IV. Aprovação e recomendação da bondade desta boa mulher de Cristo. Quanto mais os seus servos e seus serviços são cavilled no por homens, mais ele manifesta sua aceitação deles. Ele chama isso de um bom trabalho ( Matthew 26:10Mateus 26:10 ), e diz mais em louvor a ele do que poderia ter sido imaginado particularmente,

1. Que o significado do que era mística ( Matthew 26:12Mateus 26:12 ) Ela fez isso para o meu sepultamento. (1.) Alguns pensam que ela destina -lo assim, e que a mulher melhor compreendidas previsões frequentes de Cristo de sua morte e sofrimentos do que o apóstolos fizeram para os quais foram recompensados ​​com a honra de ser as primeiras testemunhas da sua ressurreição. (2) No entanto, Cristo interpretou-lo e ele está sempre disposto a fazer o melhor, para tirar o máximo de palavras e ações bem-intencionadas de seu povo. Este foi como se fosse o embalsamamento do corpo porque a obra de que após a sua morte seria evitada pela sua ressurreição, foi, portanto, feito isso antes porque era ajuste que deve ser feito algum tempo, para mostrar que ele ainda era o Messias , mesmo quando ele parecia estar triunfou sobre a morte. Os discípulos pensaram que a pomada desperdiçado, que foi derramado sobre a sua cabeça. "Mas", diz ele, "Se tanto pomada foram derramado sobre um corpo morto, de acordo com o costume de seu país, você não iria rancor dele, ou acho que perder. Agora, isso é, com efeito, de modo que o corpo que ela unge é tão bom como mortos, e sua bondade é muito oportuno para o efeito, portanto, em vez de chamá-lo de desperdiçar, pô-lo sobre essa pontuação. "


2. Que o memorial de que deve ser honrado ( Matthew 26:13Mateus 26:13 ) Esta será contado para memória. Este ato de fé e de amor foi tão marcante, que os pregadores de Cristo crucificado, e os escritores inspirados da história de sua paixão, não poderia escolher, mas tomar nota desta passagem, proclamar o aviso de que, e perpetuar a memória dele. E, sendo uma vez inscritos nesses registos, foi gravado como com pena de ferro e chumbo na rocha para sempre, e não poderia ser esquecido. Nenhum de todas as trombetas de fama som tão alto e tão longo como o evangelho eterno. Nota: (1) A história da morte de Cristo, embora um trágico, é evangelho, boas novas, porque ele morreu por nós. (2.) O evangelho devia ser pregado em todo o mundo, não só na Judéia, mas em cada nação, a toda criatura. Deixe os discípulos tomar conhecimento deste, por seu incentivo, que seu som deve ir até os confins da terra. (3.) Embora a honra de Cristo é principalmente concebidos no evangelho, mas a honra dos seus santos e servos não está completamente esquecido. O memorial desta mulher era para ser preservado, e não por dedicar uma igreja com ela, ou manter uma festa anual em honra dela, ou preservar um pedaço de sua caixa quebrado por uma relíquia sagrada, mas, ao mencionar a sua fé e piedade na pregação do evangelho, por exemplo para os outros, Hebrews 6:12Hebreus 06:12 . Nisto honra redunda ao próprio Cristo, que neste mundo, bem como no vindouro, será glorificado em seus santos e admirado em todos os que crêem.(notas Mathew Henrys).


Lição CPAD o evangelho no mundo academico n.7


                                 LIÇÃO N.7 ADULTOS CPAD
  

 O EVANGELHO NO MUNDO ACADÊMICO E POLÍTICO
                             14 de Agosto de 2016

Texto Áureo
"A minha palavra e a minha pregação não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração do Espírito e de poder, para que a vossa f é não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus." (l Co 2.4,5)

Verdade Prática
Somente o Evangelho de Cristo, no poder do Espirito Santo, para destruir as fortalezas e a resistência do universo académico e do mundo político.


LEITURA DIÁRIA

 Segunda – Dn 1.1-8: Os hebreus na universidade de Babilónia
Terça – Dn 1.19,20: A excelência académica de Daniel
Quarta – 1Co 1.18: A supremacia da Mensagem da Cruz
Quinta – 1Tm 2.7: Paulo, doutor dos gentios
Sexta – Cl 4.14: Lucas, um evangelista acadêmico
Sábado – Mt 23.24: Sábios a serviço do Evangelho de Jesus Cristo

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Daniel 2.24-28
24 Por isso Daniel foi ter com Arioque, ao qual o rei tinha constituído para matar os sábios de Babilônia; entrou, e disse-lhe assim: Não mates os sábios de Babilônia; introduze-me na presença do rei, e declararei ao rei a interpretação.
25 Então Arioque depressa introduziu a Daniel na presença do rei, e disse-lhe assim: Achei um homem dentre os cativos de Judá, o qual fará saber ao rei a interpretação.
26 Respondeu o rei, e disse a Daniel ( cujo nome era Beltessazar ): Podes tu fazer-me saber o sonho que tive e a sua interpretação?
27 Respondeu Daniel na presença do rei, dizendo: O segredo que o rei requer, nem sábios, nem astrólogos, nem magos, nem adivinhos o podem declarar ao rei;
28 Mas há um Deus no céu, o qual revela os mistérios; ele, pois, fez saber ao rei Nabucodonosor o que há de acontecer nos últimos dias; o teu sonho e as visões da tua cabeça que tiveste na tua cama são estes.


HINOS SUGERIDOS 63,149, 600 DA HARPA CRISTÃ
OBJETIVO GERAL

Mostrar que precisamos alcançar com as Boas-Novas o mundo académico e político.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Compreender que Daniel fez a diferença na universidade de Babilónia.
Conscientizar de que Daniel e seus amigos souberam realçar a sobera­nia do Deus único e verdadeiro na academia babilónica.
Explicar a intervenção de Deus na política babilônica.

* INTERAGINDO COM O PROFESSOR

Como Igreja do Senhor Jesus, precisamos alcançara todos com as Boas-Novas. O mundo académico e político também precisam de ações evangelísticas por parte da Igreja. A Escola Dominical deve preparar os crentes para serem testemunhas do Deus Todo-Poderoso nas universidades e na esfera política. Infelizmente, ao chegarás universidades, muitos acabam sendo envolvidos por filosofas malignas, apostatando da f é cristã. Precisamos seguir o exemplo de Daniel e seus amigos. Eles tiveram uma vida pública, política e académica de sucesso, exaltando e glorificando o nome do Senhor. Estes não se deixaram contaminar pela cultura babilónica, mas foram "sal" e "luz" em meio a uma sociedade corrompida pelo pecado.

INTRODUÇÃO

A evangelização nas universidades também deve ser uma prioridade máxima da igreja, pois do universo académico saem os cientistas, educadores, formadores de opinião e boa parte dos governantes e le­gisladores. Cabe-nos, pois, preparar adequadamente nos­sos irmãos em Cristo, a fim de que, no campus, atuem como reais testemunhas de Jesus Cristo. Somente desta maneira viremos a ter um país mais justo e comprometido com a Ética Cristã.

Nesta lição, veremos o exemplo de Daniel e seus três companheiros. Exilados em Babilónia, destacaram-se como académicos, servidores públicos e políticos. Eles mostraram, em atos e palavras, a supremacia do Deus de Israel.
A vida desses hebreus serve de exem­plo aos académicos e políticos cristãos, que lutam por levar o Evangelho às mais altas esferas do conhecimento e do poder.

l – DANIEL NA UNIVERSIDADE BABILÔNICA

Em Babilónia, Daniel e seus três companheiros foram reeducados na língua e na cultura dos caldeus (Dn 1.4).
Eles, porém, jamais renunciaram o seu temor a Deus, que é o princípio de toda a sabedoria (Pv 1.7).

1. Uma vida testemunhal.

Antes mesmo de serem matriculados na universidade babilónica, eles resolveram firmemen­te, em seu coração, não se contaminar com a cultura caldaica (Dn 1.8). O seu ob­jetivo não era destruí-la, mas transformá-la através de uma postura santa e testemunhal. Mais adiante, eles vieram a influenciar até mesmo a classe política do império.

Os crentes devem ser orientados para que testemunhem de Cristo também no campus universitário. Em primeiro lugar, o universitário crente evangeliza através de um testemunho santo e ir­repreensível que, por si mesmo, é uma mensagem. E, também, por meio de uma abordagem sábia e oportuna, que mostre a razão de nossa esperança (l Pé 3.15). Nenhum universitário cristão deve sacrificar o Evangelho no altar da pós-modernidade. Antes, que seja opor­tuno na proclamação de Cristo. 

2. Uma carreira académica teste­munhal.

Incentivemos nossos irmãos (as) a que sobressaiam pela excelência aca­démica. Se apresentarem rendimentos medíocres, como poderão demonstrar que o amor a Cristo conduz à verdadeira sabedoria? Vejamos o exemplo de Daniel e seus companheiros. Eles formaram-se com louvor máximo: "E em toda matéria de sabedoria e de inteligência, sobre que o rei lhes fez perguntas, os achou dez vezes mais doutos do que todos os magos ou astrólogos que havia em todo o seu reino" (Dn 1.20).
A mediocridade académica depõe contra o Evangelho. O crente que ama a Cristo adora-o também com as suas notas, graduações, mestrados e doutorados.

3. Uma carreira testemunhal.

Daniel e seus três companheiros foram inseridos, imediatamente, na elite cultural e científica de Babilónia. E, nessa posição, Daniel ficaria por mais de 70 anos (Dn 1.21). Jesus precisa de testemunhas em todas as áreas do saber humano. Ele também morreu pelos cientistas, médicos, advogados, sociólogos e educadores. Se preparar­mos devidamente os crentes, levaremos Cristo à elite cultural de nossa nação e do mundo. Por conseguinte, treinemos os crentes para que formem, no compus, grupos de oração, estudo bíblico e evangelismo. Desses núcleos, Deus haverá de suscitar testemunhas irresistíveis de sua Palavra. O Evangelho de Cristo não pode ausentar-se das áreas cultas.

PONTO CENTRAL

A Igreja do Senhor precisa fazer a diferença no mun­do académico e político.

SÍNTESE DO TÓPICO l

Daniel e seus amigos foram educa­dos na universidade babilónica, mas não se corromperam.

SUBSÍDIO TEOLÓGICO

Arqueólogos revelam que os quatro jovens devem ter estudado por exemplo: língua caldeia, textos cuneiformes em caldeu e acádio, uma vasta gama de re­sumos sobre religião, magia, astrologia e ciências, além de falarem e escreverem em aramaico.

Aproveite para mostrar aos alunos que quando o nosso compromisso com Deus é forte, isso não significa ne­cessariamente que seremos corrompidos por uma educação pagã, numa sociedade pagã" (RICHARDS, Lawrence O. Cuia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Génesis a Apocalipse capítulo por capítulo, 10.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p, 513).

II-DEUS NA ACADEMIA BABILÔNICA

Daniel e seus três companheiros estavam a serviço de um governante que desconhecia por completo a so­berania divina. Entretanto, souberam como, num momento crítico, realçar a soberania do Único e Verdadeiro Deus.

1. A crise escatológica.

O rei Na­bucodonosor estava preocupado com o futuro de seu império, quando Deus lhe mostrou, em sonho, o estabelecimento do Reino do Céu na Terra. Como nenhum de seus magos ou astrólogos fora capaz de interpretar-lhe o sonho, decretou a morte da elite intelectual de Babilónia (Dn 2.5). A academia babilónica era inútil naquele momento.

Crises semelhantes desafiam os académicos cristãos nas diversas áre­as do conhecimento. Por essa razão, precisam estar alicerçados na Palavra de Deus, a fim de mostrar o Evangelho de Cristo como a única solução a todos os problemas humanos.

2. A resposta teológico-evangélica.

Naquele momento de crise, e diante da própria morte, Daniel apresenta corajosamente a resposta divina: "Mas há um Deus nos céus, o qual revela os segredos; ele, pois, fez saber ao rei Nabucodonosor o que há de ser no fim dos dias [...]" (Dn 2.28). E, assim, o profeta fez saber a Nabucodonosor o programa divino para os últimos dias.

Somente o Evangelho de Cristo pode responder às questões que tanto angustiam a humanidade. Aproveite, pois, a crise atual, para proclamar a todos, inclusive aos sábios e poderosos, que somente Cristo pode resgatar a sociedade atual de uma ruína certa e anunciada.

CONHEÇA MAIS

Império Babilónico
"Depois da destruição de Nínive, sete anos antes, o Império Babilónico começou a crescer tão rapida­mente que não dispunha de número suficiente de ba­bilónios cultos para a cúpula governamental. Por isso, Nabucodonosor levou para Babilónia jovens saudáveis de boa aparência e de alto nível cultural a fim de ensi­nar-lhes a cultura dos caldeus e, assim, torná-los úteis ao serviço real. Entre eles estavam Daniel e seus três amigos". 


Daniel e seus amigos souberam realçar a soberania do Deus único e verdadeiro na academia babilónica.

SUBSIDIO BÍBLICO-TEOLÓGICO

Daniel resolveu desde o início não se contaminar. Não abriria mão de suas convicções, mesmo se tivesse de pagar com a vida por isso. Note-se que Daniel não tinha agora a presença dos seus pais para orientá-lo nas suas decisões; mas seu amor a Deus e à sua lei achava-se de tal modo arraigados nele desde a infância, que ele somente desejava servir ao Senhor de todo coração.

Aqueles que resolvem permanecer fiéis a Deus, enfrentando a tentação, receberão forças para permanecerem firmes por amor ao Senhor. Por outro lado, aqueles que antes não tomam a decisão de permanecer fiéis a Deus e à sua Palavra, terão dificuldade para re­sistir ao pecado ou evitar conformar-se corn os caminhos do mundo" [Lv 19.29; 21.7,14; Dt 22.2] (Bíblia de Estudo Pen­tecostal Rio de Janeiro: CPAD, p. 1244).

III. A INTERVENÇÃO DE DEUS NA POLÍTICA BABIÔNICA

Daniel já era bastante idoso quando foi convocado a gerir a pior crise do Império Babilónico. Naquele instante, ele não poderia ser politicamente correto. Por isso, proclamou corajosa­mente a sentença divina sobre o reino de Belsazar.

1. A corrupção de Babilónia.
Em­bora Nabucodonosor tenha reconheci­do o senhorio divino em três ocasiões, seu filho, Belsazar, ao substituí-lo, não demorou a levar o império à ruína. Numa noite de orgia e insultos ao Deus de Israel, ele profanou os utensílios sagrados do Santo Templo na pre­sença de suas mulheres, concubinas e grandes (Dn 5.1-3). Naquela mesma hora, o Senhor escreveu, na parede do palácio, a sentença de morte daquele reino. O mesmo acontece no Brasil.
Deus está a requerer de seu povo uma atitude mais evangélica, santa e decisiva (2 Cr 7.14).

2. Daniel, o incorruptível.

Como nenhum académico babilónico fosse capaz de ler a sentença divina escrita na parede, o nome do velho profeta é evocado. Já na presença do rei e rejeitando todos os dons e agrados que este lhe oferecera, Daniel leu a sentença (Dn 5.25-31). Mais uma vez, ele não se deixou enlaçar pelo charme do politicamente correio. Interpretando a inscrição, repreendeu energicamente o monarca.

Que os homens públicos cristãos não se furtem ao seu dever. Que venhamos, neste momento de crise económica e política que debilita o Brasil, anunciar que Jesus Cristo é o caminho, a verdade e a vida e que bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor. Os governantes, legisladores e juizes também precisam ouvir que Jesus salva, cura, batiza com o Espírito Santo e, em breve, virá nos buscar.

SÍNTESE DO TÓPICO III.

Deus é soberano e Senhor. Ele in­terveio no político babilónica.

SUBSÍDIO BÍBLICO-TEOLÓGICO
A Religião Babilónica

Com a ascensão da supremacia da cidade da Babilónia, Marduque, o patrono da cidade, tornou-se a principal divindade do panteão babilónico. Uma festa de ano novo chamada de festa de “akitu” era realizada anualmente em sua honra, na qual uma batalha simulada entre o rei e o dragão das profundezas era come­morar a primitiva de Marduque sobre o caos.

O propósito da era anunciar o novo com um ritual assegurar paz, a prosperidade e a felicidade por todo o ano.

Outras divindades adoradas pelos babilónicos eram Anu, do céu; Enlil, deus do vento e da terra, Ea, deus do submundo -juntos, formavam uma tríade de divindades. Outra tríade importante era Sin, o deus-sot de Ur; e Harã, os primeiros abrigos da família de Abraão; Sairias, a divindade do sol; e Istar, deusa do amor e da guerra, equi­valente à Astarte dos fenícios, Astarote mencionada na Bíblia, e Afrodite dos gregos, Outras divindades significativas foram Nabo, o deus da escrita e Nergal (irmão de Marduque), o deus da guerra e da fome.

Os deuses da Babilónia eram, em sua origem, personificações das várias forças da natureza, A religião babilónica era dessa forma, orna adoração à natu­reza em todas as suas partes, prestando homenagem a seres super-humanos que eram ao mesmo tempo amigáveis e hostis, com frequência representados por fornias humanas, animais (Bíblia de Estudo Pentecostal. 1ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, pp. 2134697).

CONCLUSÃO

Que os líderes saibam como pre­parar aqueles que vão frequentar uma universidade. À semelhança de Daniel e seus companheiros, estes poderão fazer uma grande diferença no mundo académico e na esfera política. O Senhor Jesus precisa de crentes em todas as camadas sociais.

  

Subsidio (2) CPAD adultos evangelho no mundo academico n.7


              SUBSIDIO n.2 CPAD ADULTOS EVANGELHO


       NO MUNDO POLITICO ACADEMICO.DN.2v. 24-30
                     O sonho de Nabucodonosor
                                       Escritor Mauricio Berwald

24 Por isso Daniel foi ter com Arioque, ao qual o rei tinha constituído para matar os sábios de Babilônia: entrou, e disse-lhe assim: Não mates os sábios de Babilônia: traga-me na presença do rei, e eu vou mostrar ao rei a interpretação. 25 Então Arioque depressa introduziu Daniel à presença do rei, e disse-lhe assim: Achei um homem dentre os cativos de Judá, que fará saber ao rei a interpretação. 26 Respondeu o rei e disse a Daniel, cujo nome era Beltessazar: Podes tu para me fazerem saber o sonho que tive e a sua interpretação? 27 Respondeu Daniel na presença do rei, e disse: O mistério que o rei exigiu, nem sábios, nem astrólogos, os magos, os adivinhos, mostra ao rei 28 mas há um Deus no céu que revela os mistérios, ea dá saber ao rei Nabucodonosor o que há de acontecer nos últimos dias. O teu sonho e as visões da tua cabeça na tua cama são estas 29 Quanto a ti, ó rei, teus pensamentos entrou em tua mente sobre a tua cama, o que deve acontecer a seguir: e aquele que revela segredos faz da conhecida a ti o que deve vir a passar. 30 Mas, quanto a mim, esse segredo não é revelado para mim por qualquer sabedoria que eu tenho mais do que qualquer vida, mas por causa deles que darão a conhecer a interpretação ao rei, e para que soubesses os pensamentos do teu coração.

Temos aqui a introdução de Daniel declara o sonho ea sua interpretação.

I. Ele revelava imediatamente a reversão da sentença contra os sábios de Babilônia, Daniel 2:24. Ele foi com toda a velocidade para Arioch, para lhe dizer que a sua comissão foi agora substituído: não matar os sábios de Babilônia. Embora houvesse aqueles deles, talvez, que merecia morrer, como mágicos, pela lei de Deus, mas aqui que onde estavam condenados por não era uma pena crime de morte ou prisão, e, portanto, não deixá-los morrer, e ser injustamente destruída, mas deixá-los viver e ser justamente envergonhado, como tendo sido perplexo e incapaz de fazer aquilo que um profeta do Senhor poderia fazer. Note-se, Uma vez que Deus faça o bem comum para o mal e do bem, devemos fazê-lo também, e estar pronto para salvar as vidas de homens, mesmo ruins, Mateus 5:45. Um bom homem é um bem comum. Para Paul no navio Deus deu as almas de todos que navegaram com ele que eles foram salvos por causa dele. Para Daniel foi devido a preservação de todos os sábios, que ainda não prestados de acordo com o benefício feito a eles, Daniel 3: 8.

II. Ele ofereceu seu serviço, com grande segurança, para ir ao rei, e dizer-lhe o seu sonho e a sua interpretação, e foi admitido em conformidade, Daniel 2: 24,25. Arioch o levou às pressas para o rei, na esperança de congraçar-se com a introdução de Daniel ele finge que o havia procurado para interpretar o sonho do rei, ao passo que na verdade era para executar sobre ele a sentença do rei que o procuravam. Mas o negócio dos cortesãos é todos os sentidos para humor o príncipe e fazer seus próprios serviços aceitável.

III. Ele planejou tanto quanto poderia ser para refletir vergonha sobre os magos, e para dar honra a Deus, nessa ocasião. O rei propriedade que foi um empreendimento ousado, e questionou se ele poderia torná-lo bom (Daniel 2:26): Podes tu fazer-me saber o sonho? O que! Essa gata neste conhecimento, tal rapaz como tu és, tu realizar algo que teu idosos desespero de fazer? A menos provável que ele apareceu ao rei que Daniel deveria fazer isso mais Deus foi glorificado no que lhe permita fazê-lo. Nota, Ao transmitir a revelação divina para os filhos dos homens que tem sido maneira usual de Deus para fazer uso das coisas fracas e tolas e pessoas do mundo, e como eram desprezados e perdido a esperança de, para confundir os sábios e poderosos, que o excelência do poder poderia ser dele, 1 Coríntios 1: 27,28. Daniel deste aproveita a ocasião, 1. Para colocar o rei fora de vaidade com seus mágicos e adivinhos, a quem tinha essas grandes expectativas de (Daniel 2:27): "Este segredo que eles não podem mostrar ao rei que está fora de seu poder as regras de sua arte não vai chegar a ele. Portanto, que não o rei estar zangado com eles para não fazer o que eles não podem fazer, mas sim desprezá-los e jogá-los fora, porque eles não podem fazê-lo ". Broughton lê-lo em geral: "Este segredo não sábios, astrólogos, encantadores, ou Entrail-fogões, pode mostrar ao rei deixe, portanto, não o rei consultá-los mais." Note-se, a experiência que temos da incapacidade de todas as criaturas para nos dar satisfação deve diminuir a nossa estima deles, e abaixar nossas expectativas a partir deles. Eles estão confusos em suas pretensões estamos perplexos em nossas esperanças deles. Até agora eles vêm, e não mais deixe-nos, portanto, dizer-lhes, como Jó a seus amigos, agora você não é nada miseráveis ​​edredons são todos vocês. 2. Para trazê-lo ao conhecimento do só Deus vivo e verdadeiro, o Deus a quem Daniel adorado: "Embora eles não podem descobrir o segredo, não deixar que o desespero rei de tê-lo descoberto, pois não há um Deus no céu que revela segredos, "Daniel 2:28. Nota, a insuficiência de criaturas nos deve levar à auto-suficiência do Criador. Há um Deus no céu (e é bem para nós não é) que pode fazer isso por nós, e dar a conhecer que, para nós, que ninguém na terra pode, particularmente a história secreta da obra da redenção e os desenhos secretos de o amor de Deus para nós nele, o mistério que estava oculto a partir de idades e gerações revelação divina nos ajuda a descobrir onde a razão humana nos deixa bastante em uma perda, e dá a conhecer que, não só para reis, mas para os pobres deste mundo, que nenhum dos filósofos ou políticos dos pagãos, com todos os seus oráculos e artes de adivinhação para ajudá-los, poderia fingir que nos dar alguma luz em, Romanos 16: 25,26.

IV. Ele confirmou o rei na sua opinião de que o sonho era, portanto, solícitos para recuperar a ideia de foi realmente vale a pena perguntar depois, que era de grande valor e de grande consequência, não é um sonho comum, a disport ocioso de um ridículo e luxuriante fantasia, que não valia a pena lembrar ou dizer de novo, mas que era uma descoberta divina, um raio de luz correu em sua mente do mundo superior, relativas aos grandes assuntos e revoluções deste mundo inferior. Deus no-lo deu a conhecer ao rei o que deve acontecer nos últimos dias (Daniel 2:28), isto é, nos tempos que estavam por vir, chegar tão longe como a criação do reino de Cristo no mundo, que era acontecer nos últimos dias, Hebreus 1: 1. E mais uma vez (Daniel 2:29): "Os pensamentos que entrou em tua mente não eram as repetições do que tinha sido antes, como nossos sonhos são geralmente" -

Omnia quae sensu volvuntur vota diurno
Tempore sopito reddit amica quies--

Os sentimentos que se entregam ao longo do dia
muitas vezes se misturam com os sonos grato da noite.
Claudiana.
"Mas eles eram previsões sobre o que deve acontecer a seguir, que ele que revela segredos dá a conhecer a ti e, portanto, estás em certo em tomar a dica e persegui-lo assim." Nota: As coisas que estão a acontecer a seguir são coisas secretas, que Deus só pode revelar e que Ele revelou essas coisas, especialmente com referência aos últimos dias de tudo, ao fim dos tempos, deveria ser muito a sério e diligentemente investigou e considerado por cada um de nós. Alguns pensam que os pensamentos que se diz ter entrado em mente do rei em cima de sua cama, o que deve acontecer a seguir, eram seus próprios pensamentos quando ele estava acordado. Pouco antes de ele adormeceu e sonhou este sonho, ele estava meditando em sua própria mente o que seria a questão da sua grandeza crescente, o seu reino seria futuramente vir a e assim o sonho era uma resposta a esses pensamentos. Que descobertas Deus pretende fazer se prepara, assim, os homens para.


V. Ele professa solenemente que não podia fingir ter merecido da parte de Deus favor desta descoberta, ou ter obtido-lo por qualquer sagacidade de sua própria (Daniel 2:30): "Mas, quanto a mim, esse segredo não é descobri por mim, mas é revelado a mim, e que não por qualquer sabedoria que eu tenho mais do que qualquer vida, para me qualificar para o recebimento de tal descoberta. " Note, Ele também torna-se aqueles a quem Deus altamente favorecido e honrado por ser muito humilde e pobre em seus próprios olhos, a deixar de lado todas as opiniões de sua própria sabedoria e dignidade, que só Deus pode ter todo o louvor do bom eles são, e ter, e fazer, e que todos podem ser atribuídos à liberdade da sua boa-vontade para com eles e a plenitude do seu bom trabalho neles. O segredo foi feito conhecido a ele não para seu próprio bem, mas, 1. Para o bem de seu povo, por causa deles que darão a conhecer a interpretação ao rei, isto é, para o bem de seus irmãos e companheiros de tribulação , que tinha por suas orações o ajudou a obter esta descoberta, o que pode ser dito para dar a conhecer a interpretação - que suas vidas poderiam ser poupados, para que pudessem entrar em favor e ser preferido, e todo o povo dos judeus pode se saem melhor, em seu cativeiro, por causa deles. Note-se, homens humildes serão sempre pronto para pensar que o que Deus faz por eles e por eles é mais para o bem dos outros do que para os seus próprios. 2. Por razões de seu príncipe e alguns ler a cláusula anterior, neste sentido, "Não por qualquer sabedoria do meu, mas que o rei pode saber a interpretação, e que soubesses os pensamentos do teu coração, para que possas ter satisfação dado a ti, como o que foste antes de considerar, e, assim, a instrução dado a ti como se comportar em direção à igreja de Deus. " Deus revelou esta coisa a Daniel que ele poderia fazê-lo saber ao rei. Os profetas recebem de que eles podem dar, que as descobertas feitas a eles não podem ser apresentados com eles mesmos, mas comunicados às pessoas que estão em causa.(notas comentario bíblico Mathew Henrys, antigo testamento)