sexta-feira, 29 de maio de 2015

Lições Bíblicas CPAD 4º Trimestre de 2009 Davi e o preço da negligência na família


            
             Lições Bíblicas CPAD 4º Trimestre de 2009

Título: Davi - As vitórias e as derrotas de um homem de Deus
Comentarista: José Gonçalves


Lição 10: Davi e o preço da negligência na família
Data: 06 de dezembro de 2009

TEXTO ÁUREO

"Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia" (1 Tm 3.4).

VERDADE PRÁTICA

Não adianta termos êxito em tudo se a nossa família é uma prova do nosso fracasso.

LEITURA DIÁRIA

Segunda - 2 Sm 6.16
O injusto desprezo de uma esposa


Terça - 2 Sm 11.1-4; Êx 20.14
Adultério, o inimigo do lar


Quarta - 2 Sm 12.11
O juízo divino sobre a família de Davi


Quinta - 2 Sm 15.6
Um filho rebelde


Sexta - 2 Sm 12.16; 1 Cr 29.19
A oração de um pai em favor de seu filho


Sábado - Pv 23.13
A disciplina dos filhos

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

2 Samuel 13.2,5,10-12,14,15

2 - E angustiou-se Amnom, até adoecer, por Tamar, sua irmã, porque era virgem; e parecia, aos olhos de Amnom, dificultoso fazer-lhe coisa alguma.
5 - E Jonadabe lhe disse: Deita-te na tua cama, e finge-te doente; e, quando teu pai te vier visitar, dize-lhe: Peço-te que minha irmã Tamar venha, e me dê de comer pão, e prepare a comida diante dos meus olhos, para que eu a veja e coma da sua mão.
10 - Então, disse Amnom a Tamar: Traze a comida à câmara e comerei da tua mão. E tomou Tamar os bolos que fizera e os trouxe a Amnom, seu irmão, à câmara.
11 - E, chegando-lhos, para que comesse, pegou dela e disse-lhe: Vem, deita-te comigo, irmã minha.
12 - Porém ela lhe disse: Não, irmão meu, não me forces, porque não se faz assim em Israel; não faças tal loucura.
14 - Porém ele não quis dar ouvidos à sua voz; antes, sendo mais forte do que ela, a forçou e se deitou com ela.
15 - Depois, Amnom a aborreceu com grandíssimo aborrecimento, porque maior era o aborrecimento com que a aborrecia do que o amor com que a amara. E disse-lhe Amnom: Levanta-te e vai-te.

INTERAÇÃO

Prezado professor, como está a sua família? Todos estão bem? Você tem tido cuidado com o seu cônjuge? Será que, como pai, você não está cometendo os mesmos erros que Davi? Pense... A família é o nosso maior patrimônio. É uma das grandes dádivas de Deus para nós. Davi foi um dos maiores reis de Israel, no entanto, fracassou na educação e na formação dos seus filhos. Ele não colocou sua família entre as suas prioridades. Reflita com seus alunos acerca dos erros cometidos por Davi em sua vida familiar e encoraje-os a cuidar e proteger sua família.

OBJETIVOS

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
·        Identificar a negligência de Davi em relação à sua família.
·        Compreender o papel da disciplina na educação dos filhos.
·        Reconhecer a importância do afeto e da presença dos pais na vida dos filhos.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Reproduza o quadro abaixo e providencie uma cópia para cada aluno. Caso seja possível, apresente-o em forma de slides no PowerPoint. O fato de Davi haver transgredido a Lei Mosaica (Dt 17.17), adquirindo para si muitas mulheres, trouxe-lhe consequências terríveis. Tais consequências não atingiram apenas o "homem segundo o coração de Deus", mas toda a sua família. Utilize o quadro para refletir com seus alunos a respeito de questões familiares, tais como fidelidade conjugal, educação de filhos etc.


COMENTÁRIO

introdução

Palavra Chave
Negligência: Desatenção; descuido; desleixo.

Admirados diante dos grandes feitos de Davi como rei de Israel, achamos difícil admitir a sua negligência como pai de família. Às vezes corremos o risco de cuidar demasiadamente da imagem pessoal e do progresso profissional, e descuidar da assistência ao lar. Não há como eximir Davi de sua omissão na educação de seus filhos. Isso fica mais evidente quando descobrimos que os maiores escândalos sexuais aconteceram dentro da família real (2 Sm 13.1-19; 16.20-23). Não seria este o momento de não apenas estudarmos acerca dos erros de Davi, mas de extrairmos lições que nos ajudem na formação de nossos familiares?

I. DAVI FRACASSA NA FORMAÇÃO CULTURAL DOS FILHOS

1. Os valores dos filhos do mundo. Os hebreus tinham uma facilidade muito grande de assimilar os costumes das culturas vizinhas. De fato, esse foi um problema crônico que acompanhou o povo de Deus ao longo de sua história. A fim de preveni-los desse mal, ainda no ministério mosaico, Deus advertiu-os: "E não andeis nos estatutos da gente que eu lanço de diante da vossa face, porque fizeram todas estas coisas; portanto, fui enfadado deles" (Lv 20.23). Infelizmente a história irá mostrar que a absorção de tais costumes foi a causa principal da derrocada de Israel. No período dos reis, devido ao afrouxamento na observação dos princípios divinos, esse perigo se tornou mais ameaçador (2 Rs 17.19). Muitos costumes vividos por Davi, como o de possuir várias mulheres, refletem mais a cultura circundante de seus dias do que a cultura bíblico judaica. Lamentavelmente, foram alguns desses princípios valorativos que Davi deixou de herança para seus descendentes.
Uma coisa pode ser legal, isto é, amparada por um costume ou até mesmo por uma lei coercitiva; todavia, essa mesma coisa pode não ter apoio moral. Nos dias de Davi, era costume um monarca desposar várias mulheres. Culturalmente não havia nenhum problema nisso, mas teria essa prática apoio moral na Palavra de Deus, que Davi tão bem conhecia? Davi e outros reis depois dele parecem ignorar aquilo que é moral para se ajustar àquilo que era convencionalmente aceito.
2. Os valores dos filhos do rei. Amnom possuía uma escala de valores invertidos, que se reflete, por exemplo, na ideia que ele tinha sobre a sexualidade humana. Totalmente dominado por uma paixão e concupiscência doentias, vejamos algumas de suas características:
a) Ele estava dominado pela atração física. O texto sagrado na versão atualizada declara que Amnom se "enamorou pela formosura" de sua meio-irmã Tamar (2 Sm 13.1). Mesmo naqueles dias, o culto ao corpo já era bem familiar nas culturas pagãs. Amnom não conseguia ver em sua meio-irmã a pureza de uma donzela filha do rei, mas contemplava-a como um objeto sexual.
b) Ele estava à procura de sexo. É muito fácil confundir sexo com amor e, uma paixão fugaz com um relacionamento. Entretanto, há uma diferença assombrosa entre ambos. Não devemos esquecer que Amnom era meio-irmão de Tamar e, portanto, deveria saber que um relacionamento entre eles era impossível (Lv 20.17). Mesmo diante da sugestão de Tamar, Amnom violenta-a e satisfaz, à força, o seu desejo de gratificação sexual, sabendo que isso não era permitido e teria a reprovação de Davi.
c) Ele demonstra ser um homem impulsivo e não racional. Os impulsos dominaram Amnom. Através da primeira carta aos Coríntios (capítulo 13), ficamos sabendo que o amor é mais um comportamento do que um sentimento. É sentimental, mas também racional. Tivesse Amnom a noção exata do que significa o verdadeiro amor, por certo não teria destruído a vida de sua irmã para satisfazer um desejo pessoal, egoísta e irracional.

SINOPSE DO TÓPICO (I)

O fracasso de Davi na formação cultural dos filhos acarretou tragédias para dentro de sua casa.

II. DAVI FRACASSA AO NÃO IMPOR LIMITES

1. Davi não corrigiu o mal comportamento. Uma primeira leitura da vida e obra de Davi nos dá a nítida impressão de que ele era um rei extremamente zeloso, mas um pai omisso. Davi parece alimentar um ambicioso projeto expansionista, mas não demonstra esse mesmo interesse na administração de sua família. Essa omissão fica evidente quando ele, mesmo sabendo do ato detestável praticado por seu filho Amnom contra Tamar, sua filha, não toma nenhuma medida para corrigi-lo. O texto sagrado registra que, ao saber do acontecido, Davi ficou irado (2 Sm 13.21), e isso é perfeitamente compreensível. Todavia, que medidas ele tomou depois que as coisas esfriaram? Nenhuma.
Diante da impunidade, Absalão, irmão de Amnom e de Tamar, também filho de Davi, passou a odiar a "Amnom, por ter forçado a Tamar, sua irmã" (2 Sm 13.22). Certamente, Davi percebia esse ódio no rosto de Absalão e, se tivesse agido com justiça, corrigindo o incestuoso filho, é possível que as coisas não tivessem terminado daquela forma. Dois anos se passaram (2 Sm 13.23), e Davi nenhuma providência tomou acerca do caso. A sua omissão contribuiu para que o sentimento de vingança de Absalão crescesse e resultasse na morte de Amnom (2 Sm 13.28,29).
2. Davi não ensinou valores hierárquicos. Um dos fatores que ajuda estabelecer uma boa convivência familiar é o respeito pelos papéis familiares. Algumas atitudes dos filhos de Davi contradizem esse princípio. Primeiramente vemos uma forte ambição pelo poder, claramente demonstrada nas atitudes de Absalão e Adonias, que a todo custo queriam o lugar do pai. Este via sua autoridade real ameaçada pelas tentativas de Golpe de Estado planejada por seus dois filhos (2 Sm 15.1-18; 1 Rs 1.5-10). A Bíblia diz que Adonias "se exaltou e disse: eu reinarei" (1 Rs 1.5). A expressão "se exaltou" mantém o sentido na língua original de "levantar-se contra a autoridade constituída". Somente alguém sem nenhum respeito pela hierarquia, que neste caso é a do próprio pai, agiria dessa forma. É difícil imaginar isso acontecendo em uma família onde valores familiares, como respeito à autoridade paterna, são praticados.

SINOPSE DO TÓPICO (II)

Davi foi um rei bem-sucedido, mas fracassou na disciplina de seus filhos.

III. DAVI FRACASSA COMO PAI

1. Um pai ausente. Um bom pai acompanha seus filhos de perto, orientando-os inclusive em relação às suas companhias. Os fatos ocorridos com Amnom revelam que, por trás do plano arquitetado para violentar sua meia-irmã, havia um "amigo" chamado Jonadabe, o qual o aconselhou a cometer tamanho crime (2 Sm 13.2-5). Jonadabe, que demonstra ser um mau caráter, atua como uma espécie de "pedagogo" para Amnom. Mas onde estava Davi? Nunca é demais dizer que os pais devem ser os melhores amigos dos filhos sem, contudo, serem seus cúmplices.
2. Um pai sem afetividade. O relacionamento entre Davi e seus filhos obedecia a um formalismo frio. A forma como ele tratou Absalão, após este ter assassinado Amnom, é uma prova disso. Depois de cometer o crime, Absalão fugiu para Gesur (2 Sm 13.38) e, três anos depois do fato ter acontecido, Davi ainda não lhe perdoara. Graças à intercessão de Joabe, Absalão volta ao palácio real, mas sem ter o direito de ver a face do pai (2 Sm 14.28). Após muita insistência, Absalão foi admitido na casa real. Davi, como gesto de perdão e admissão do filho, até o beijou, mas tal ato foi insuficiente para reparar os danos causados pela falta de afetividade do passado (2 Sm 14.33). Completando o círculo de desgraças, Absalão armou um Golpe de Estado e acabou morto (2 Sm 18.9-15).

SINOPSE DO TÓPICO (III)

O afeto e a presença dos pais na vida dos filhos é fundamental para uma boa educação.

CONCLUSÃO

Há por certo outras virtudes de Davi que ainda não contemplamos, todavia, essa análise às avessas visa nos alertar para os perigos que cercam nossas famílias. Seja como for, quer de forma positiva, quer de forma negativa, Davi nos ensina.

VOCABULÁRIO

Acautelar: Ter cuidado.
Incauto: Ignorante.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

YOUNG, Ed. Os 10 Mandamentos da Criação dos Filhos. RJ: CPAD, 2007.
GANGEL, K. O.; GANGEL, J. S.
 Aprenda a ser pai com o Pai. RJ: CPAD, 2004.

EXERCÍCIOS

1. Cite três atitudes que demonstram que Amnom não se pautava pelos valores bíblicos.
R. Ele estava dominado pela atração física, à procura de sexo e demonstrava ser um homem impulsivo e não racional.

2. O que significa, segundo a língua original, a expressão "se exaltou"?
R. Significa "levantar-se contra a autoridade constituída".

3. À luz da história de Amnom, como os pais devem agir em relação às companhias de seus filhos?
R. Um bom pai deve acompanhar seus filhos de perto, orientando-os inclusive em relação às suas companhias.

4. Os pais devem ser amigos dos filhos ou cúmplices?
R. Os pais devem ser os melhores amigos dos filhos sem, contudo, serem cúmplices.

5. Comparando a forma de Davi educar com a sua, em que vocês mais se parecem e em que mais divergem?
R. Resposta pessoal.

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO

Subsídio Histórico

"Disciplina é um componente necessário do amor (Hb 12.5,6). Obviamente, a disciplina paterna oferecida por cristãos no contexto da família deveria sempre ser amorosa - nunca aplicada com raiva. [...] Disciplina identifica o filho como um membro genuíno da família (Hb 12.7,8). A referência a pais terrenos nesses versículos indica novamente que Deus nos ensina verdades espirituais através de ilustrações familiares. [...] Disciplina de pais humanos nunca é perfeita (Hb 12.9,10). A Escritura ensina que nós temos de reverenciar, ou honrar, pais que nos corrigem, mesmo quando eles fazem isso de forma imperfeita e às vezes mediante seus próprios padrões.[...] Disciplina sempre parece ser dolorosa na hora, mas no fim produz frutos (Hb 12.11). [...] Uma disciplina bem-sucedida requer paciência, persistência e uma visão clara do objetivo. Disciplina nem sempre significa fazer coisas para e por seus filhos. Às vezes pode significar exigir que eles façam coisas essenciais por si mesmos".
(GANGEL, K. O.; GANGEL J. S. Aprenda a ser pai com o Pai. RJ: CPAD, 2004, pp.141-2).

APLICAÇÃO PESSOAL

Os pais não estão somente criando filhos, mas construindo templos. Uma vez que os seres humanos são feitos para serem preenchidos com a presença de Deus, os pais são construtores de templos, assentando uma fundação sólida de disciplina coberta por um telhado robusto de incentivo. Conectando a fundação (que dá estabilidade) ao telhado (que dá segurança), há duas robustas colunas chamadas estabilidade e firmeza.

(YOUNG, Ed. Os 10 Mandamentos da Criação dos Filhos. RJ: CPAD, 2007).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PAZ DO SENHOR

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.