domingo, 23 de julho de 2017

Subsidio jovens a ansiedade n.5






Professor, o termo original (no gr. merimnaō) em Mt 6.25 traduzido por "cuidadoso" (ARC) e "ansioso" (ARA), significa "estar indevidamente preocupado", "ter ansiedade" ou "estar em ansiedade desnecessária". Nos versículos 25-27, Jesus apresenta a inutilidade desta emoção, mas em 28-33 ensina a confiar na graça diária de Deus para a provisão das necessidades e cura da inútil ansiedade.

"Há momentos que somos atingidos em algum ponto fraco por acidente, tragédia, enfermidade, ou uma situação indesejada. Há também os impulsos e desejos interiores que podem nos levar a momentos de angústia ou carência. Há momentos em que nós, de repente, nos encontramos em uma situação difícil que não tínhamos previsto. Há momentos em que ouvimos ou vemos notícias devastadoras que nos fazem, momentaneamente, sentir como se o tapete tivesse sido tirado de debaixo dos nossos pés. A ansiedade aparece. O pânico manifesta-se inesperadamente. O medo nos toma de surpresa.

Quando nos deparamos com tais momentos de crise, podemos adotar uma dentre duas opções: podemos abrir a porta e convidar que essas emoções negativas e improdutivas entrem em nossos corações, ou podemos tomar medidas imediatas para recuperar a nossa paz e segurança [...] Toda pessoa passa por momentos de ansiedade, pânico ou medo na vida.

O erro surge quando aceitamos essas emoções, quer com os braços abertos quer com relutância, e permitimos que elas fiquem e, gradualmente, encontrem um lugar de descanso em nossos corações [...] Em vez de permitirmos que 'coisas' negativas aprisionem o nosso coração, devemos fazer o que Jesus fez e ensinou".STANLEY, C. Paz: maravilhoso presente de Deus para você. RJ: CPAD, 2004, pp.55-6.) 

O melhor e mais eficaz antídoto contra a ansiedade é a confiança inabalável nas palavras de nosso Senhor Jesus. Ele ordenou: "Não vos inquieteis". A gélida lágrima e o frio soturno da desesperança se dissiparam ante o sussurro da fé de Ana (1 Sm 1.10,13,15). Enquanto orava, o Espírito a confortava: "Não vos inquieteis" (Rm 8.26). A latente dor de Ana era manifestada apenas no altar da oração, refúgio dos oprimidos e ansiosos (Ap 8.3,4). Ela perseverava diante de Deus, mesmo quando as lágrimas e os verbos lhe faltaram (Cl 4.2). O cicio melancólico foi rompido e vencido pela convicção interna de que Deus a ouvira (1 Sm 1.18,19). "Não vos inquieteis"! O mesmo Deus que socorreu e confortou a Ana é o mesmo que o toma pela mão direita e diz: "Não vos inquieteis"! (Sl 73.23).
Afirme aos alunos que a confiança incondicional na provisão e proteção do Senhor não é uma opção do crente, mas um mandamento irrefutável (Mt 6.34). Após a ministração da aula, ore por seus alunos.  

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA 

Professor, explique aos seus alunos as causas, sintomas e tratamento da ansiedade. Ateste que a ansiedade, se não for tratada, pode desenvolver outros sintomas emocionais mais graves. Faça a seguinte pergunta à classe: Quais as causas, sintomas e tratamento da ansiedade?Utilize os recursos da aula dialógica: instigue, questione, reformule. Incentive o aluno a dialogar, questionar, refletir, expressar suas dúvidas e opiniões a respeito do assunto. Porém, esteja sempre na orientação e direção dos debates, evitando as questões irrelevantes. Use a tabela abaixo para responder a questão. 

ANSIEDADE 

A ansiedade é um estado emocional de inquietude, medo e perturbação do Sistema Nervoso Central 

CAUSAS
Sociais: Cuidados excessivos com a vida e com o acúmulo de bens materiais; dívidas insolúveis, saúde, etc. 
Drogas: Lícitas e ilícitas (álcool, etc.).
Espirituais: Fé vacilante.
Emocionais: Medo, insegurança, desesperança.

SINTOMAS

Físicos: Sudorose, fadiga, cefaléia, taquicardia, nervosismo, etc.
Emocionais: Medo, confusão mental, dificuldade para relaxar, insônia, etc.
Espirituais: Dificuldade para orar, santificar-se e ler a Bíblia.


                 COMENTARIO BIBLICO MATEUS 6.25-34

Verso 25 

Mateus 6:25 . Assim sendo. Por causa do preceito que acabamos de dar. A ansiedade, que é a desconfiança de Deus, é a fonte da avareza. Viver para Deus é a vida adequada, e isso alivia o cuidado, porque confiamos nele pelo que precisamos. Este pensamento é expandido no restante do capítulo.
Não fique ansioso. A palavra significa: "distrair-se", para que a mente desenhe duas maneiras. O pensamento ou o cuidado ordinário não é proibido (comp. 1 Timóteo 5: 8 ; 1 Timóteo 5: 8 , 2 Tessalonicenses 3:10 ), mas há pouco perigo de ser entendido literalmente. Quando o pensamento sobre coisas temporárias se torna ansiedade, tornou-se desconfiança de Deus.
Sua vida. A palavra aqui usada significa "alma" como a sede da vida física. Por isso, as necessidades desta vida são faladas, o que você deve comer, etc. O corpo também tem as mesmas necessidades, mas a roupa está mais bem relacionada com ela aqui: o que você deve colocar. A vida não é mais do que a carne? " A carne" (isto é , comida de todos os tipos), necessária para sustentá-la. Não é Ele quem deu "a vida" capaz e disposto a dar o que a sustentará, e Aquele que fez "o corpo", o que o protegerá.

Verso 26 
Mateus 6:26 . Veja, olhe atentamente.

Os pássaros do céu, o céu, o céu atmosférico. Isso expressa a liberdade selvagem acima da terra que contém seus alimentos, e também a sua menor posição na escala da criação.
Que. Não para.' Devemos observar com respeito aos pássaros esse fato, que eles semeiam, etc. Não use os meios que todos devemos usar.
Celeiros, qualquer tipo de armazém.
E, ainda não "; Você também deve considerar esse fato, que seu Pai celestial, em uma relação mais alta com você do que com eles, os alimente.
Você não é muito melhor do que eles? Este argumento conclusivo mostra que Mateus 6:25 deve ser projetado para proibir nossos inúmeros cuidados terrestres.

Verso 27 

Mateus 6:27Mateus 6:27 . Adicione um côvado até sua idade, prolongue sua vida no mínimo "Idade" é preferível a "estatura" (a palavra tem ambos os significados); A referência não é para o corpo, mas para a vida; Além disso, adicionar um côvado (18 polegadas) para a estatura seria uma coisa muito boa. Nossa idade é concebida como uma raça ou jornada. Se, então, não podemos fazer o que é menos pelo nosso cuidado, por que ficar ansioso?

Verso 28 

Mateus 6:28 Mateus 6:28 . Para vestuário. O segundo pensamento em Mateus 6:25 agora é expandido e ilustrado; Não só a ansiedade, mas a vaidade comum e infantil sobre o fato, é reprovada.Mateus 6:25
Considere, ou seja, estudar, observar de perto; Mais prontamente feito no caso das plantas do que na das aves.
Os lírios do campo, ou seja, os lírios selvagens, crescendo sem cuidados humanos. As palavras "grama do campo" ( Mateus 6:30Mateus 6:30 ) nos levam a supor que as flores selvagens em geral são significadas. Muitos, no entanto, por causa da referência à pompa de Salomão, suponha que o lírio de Huleh é especialmente referido: "é muito grande, e as três pétalas internas se encontram acima e formam um lindo dossel, como a arte nunca se aproximou, e O rei nunca se sentou embaixo, mesmo em sua máxima glória "(Thomson, The Land and the Book). Esta flor era comum no bairro de Nazaré.
Como eles crescem. Tão lindamente, exuberantemente, sem cuidados humanos.
Eles não trabalham, nem giram; Não realize trabalho na preparação de roupas.

Verso 29 

Mateus 6:29  Mateus 6:29 . Mesmo Salomão. A magnificência de sua corte ainda é proverbial através do Oriente. Para o judeu ele era o mais alto representante da glória humana.
Como um desses. 'One' é enfático. A mais má das criaturas de Deus excede em glória a maior pompa terrestre. Vanity sobre tais coisas é, portanto, o auge da loucura. Outra lição está escondida sob o texto: "Como a beleza da flor é desdobrada pelo Espírito do Criador Divino de dentro , das leis e capacidades de sua própria vida individual, assim deve todo o verdadeiro adereço do homem ser desdobrado de dentro pelo Mesmo Espírito Todo-Poderoso ". (Alford.)]

Verso 30 

Mateus 6:30 Mateus 6:30 . Mas se Deus se vê assim. "Se" não implica dúvida. O princípio criativo direto e o ato de Deus são assumidos.
A grama do campo. As flores selvagens pertencem à forragem, que é cortada. Ele mora rapidamente e é apto para o combustível, sendo o leste no forno, a beleza desapareceu, mesmo sua substância consumida.
Muito mais. Aquele que adorna a flor selvagem transitória, de modo que a pompa humana é significante em comparação, com certeza assegurará os Seus filhos, cujo ser não é por um dia, mas para sempre.
Vós, de pouca fé, pouca fé sobre o que é menos, quando Ele nos deu o maior presente, ao dar a Ele que assim nos ensina. Ele junta suas lições de confiança ao que vemos todos os dias, e nós os precisamos todos os dias.

Verso 31 

Mateus 6:31Mateus 6:31 . Assim sendo. A lógica é tão conclusiva, mesmo aqueles de pouca fé podem aprender a lição. Não é aprendido, se estamos ansiosos, dizendo: O que devemos comer, etc. Muito poucos têm fé suficiente para interpretar este versículo corretamente.

Verso 32 

Mateus 6:32 Mateus 6:32 . Mas procure primeiro. Nenhum "segundo" está implícito, como se estivéssemos avaros, depois de termos atendido os deveres da religião. O primeiro objeto é supremo. Este comando positivo é necessário, pois podemos evitar um pensamento tão ansioso, apenas quando temos um melhor objeto
Seu reino, isto é, "seu Pai celestial" ( Mateus 6:32Mateus 6:32 ). A leitura comum é uma alteração para a explicação. A dedicação suprema a um objeto pessoal de confiança e desejo, que é nosso Pai por amor de Deus, é aqui comandada.
Sua justiça. A pureza espiritual falada por toda parte. Não "justificação", que esta palavra não significa, por mais verdade que obtemos a justiça de Deus através da "justificação". Este versículo, que contém o pensamento de coroação deste capítulo, faz eco do pensamento coroado de todo o discurso ( Mateus 5:48Mateus 5:48 ).
Todas essas coisas, essas coisas eram necessárias para o corpo.
Serão adicionados a você, além das bênçãos espirituais, que resultam da busca de Deus como objeto supremo. Devemos pedir a Deus coisas temporárias. A oração cristã implica uma aproximação íntima e constante a Deus, o que seria impossível se não pudéssemos falar de todas as nossas necessidades reais. Pedir-lhes incondicionalmente, ou permitir-lhes afugentar desejos e afeições espirituais, é certamente proibido.

Verso 34 

Mateus 6:34 Mateus 6:34 . Assim sendo. Ou: uma outra dedução; Ou uma síntese. A primeira visão concorda com o motivo dado e pressupõe as outras lições; O último é favorecido pela posição do versículo imediatamente após o preceito geral de Mateus 6:33 , e encontra um lugar mais facilmente em uma análise lógica do discurso. É suspeito por esse motivo.Mateus 6:33

O dia seguinte é aqui personificado.

Pois o dia seguinte estará ansioso por si mesmo. Não "cuide de si mesmo", mas "traga seus próprios cuidados e ansiedades", não insista de forma insensata às de hoje, emprestando do dia seguinte.
Suficiente até o dia, ou para o dia, é o seu mal. O "mal" pode significar o mal natural ou moral, o sofrimento ou o pecado. O último sentido é o mais usual, o primeiro se adequa melhor ao contexto. Talvez ambos possam ser incluídos, o pecado sendo a falta de confiança sob o sofrimento. Uma dica de que nunca obedecemos plenamente os preceitos que acabamos de proferir, porque a nossa dedicação a Deus é tão imperfeita.

TRATAMENTO

Medicamentoso: Há remédios para tratar a ansiedade.
Físico-emocional: Caminhada, leitura de um bom livro, etc.
Espiritual: Fé, oração, leitura bíblica e esperança em Deus. 
Ansiedade: Estado emocional de inquietude, medo e perturbação do Sistema Nervoso Central. 
A ansiedade está no topo da lista dos grandes males que afligem a sociedade dos nossos dias. Acontecimentos veementes e pavorosos por toda parte, têm levado inúmeras pessoas a se preocuparem demasiadamente com a segurança e o futuro. Mesmo entre os crentes em Jesus, há os que se deixam dominar pela ânsia, agitação e medo, anulando a fé em suas vidas. O Senhor Jesus, em seus ensinos, revelou-nos o caminho para vencermos a ansiedade, demonstrando que o Deus que cuida das aves e dos lírios do campo, é o mesmo que cuida de nós com seu imenso amor. Para tanto, basta tão somente confiarmos nEle e buscarmos seu reino e justiça em primeiro lugar.

I. CAUSAS DA ANSIEDADE 

A psicologia define a ansiedade como um estado emocional doloroso, marcado por inquietude, medo e acompanhado por certo grau de perturbação do sistema nervoso. Algumas de suas principais causas são:
1. Fé vacilante. A fé vacilante em Deus é a principal causa da ansiedade (vv.30-34). Uma fé fraca e inconstante pode resultar em uma série de "medos". São sentimentos de grande inquietação ante um perigo real ou imaginário medo do insucesso, de enfermidades, de rejeição, de perder o emprego, de falência, do futuro, e até da morte (Sl 39.6; Ec 4.6; Lc 10.41; 12.29; 21.34).

2. Cuidados excessivos com a vida. Vejamos os principais:

a) Cuidados com a ascensão social. Querendo ou não, em algumas situações, somos forçados a competir o tempo todo. Na vida profissional, por exemplo, muitos disputam promoções, nem sempre de forma leal. O esforço para se manter em constante ascensão social e profissional é uma das principais causas de ansiedade no mundo moderno.

A inquietação ansiosa de Saul, em razão do sucesso de Davi, trouxe ao rei intensas perturbações e sérios problemas de ordem física, mental e espiritual (1 Sm 18.7-16).

b) Cuidados com o acúmulo de bens materiais. Muitos compram uma casa pequena hoje, desejam outra maior amanhã, depois uma mansão, e mais tarde um castelo (Pv 15.16; 30.15). Segundo a Bíblia, "não há fim" para o trabalho dos homens e "nem os seus olhos se fartam de riquezas" (Ec 4.8). Contudo, somos admoestados pelo Senhor a vivermos uma vida piedosa e cheia de contentamento (Lc 3.14; Fp 4.11; 1 Tm 6.6-8).A ansiedade é um estado emocional de inquietude, medo e perturbação do Sistema Nervoso Central. Suas principais causas são: fé vacilante e os cuidados excessivos com a vida, tais como o acúmulo de bens materiais e a ascensão social. 

II. O ESTRESSE COMO CONSEQÜÊNCIA DA ANSIEDADE 

1. A ansiedade conduz ao estresse. Estresse é o resultado de um conjunto de reações orgânicas e psíquicas do organismo humano quando exposto a estímulos como provocação, irritação, medo etc. Esta doença afeta milhares de pessoas em todo o mundo, inclusive os crentes e seus líderes. Moisés, Elias e Paulo, experimentaram certo nível de estresse em seus ministérios (Êx 18.18; 1 Rs 19.3,4; 2 Co 1.8), mas, pela graça de Deus, em tudo foram vencedores (Rm 8.37).

a) Causadores de estresse. Entre as causas mais comuns destacam-se: excesso de trabalho, mudanças drásticas na vida (divórcio, perda de emprego, morte de um ente querido), tensões prolongadas decorrentes de problemas familiares, hábito constante de estar se culpando e achando-se indigno perante o Senhor (Sl 73; Pv 24.19-21; Ec 2.22,23).

b) Sintomas do estresse. Os sintomas mais freqüentes são: estafa, fraqueza, dificuldade para raciocinar e memorizar, desânimo, enfermidades, perda da libido, depressão, alteração do apetite, desânimo, inclusive para orar e ler a Palavra de Deus. Contra esses males leia: Sl 37.5; 90.17; 91; Mt 11.29,30; Fp 4.6,7,11-13. Além das debilidades físicas, a ansiedade e o estresse alimentam pensamentos negativos, drenam a energia da pessoa, reduzindo sua produtividade e capacidade de tomar decisões sensatas. O crente, entretanto, é admoestado a pensar no que é verdadeiro, a crer e a viver a paz de Deus (Jo 14.1,27; Fp 4.7,8).O estresse é o resultado de uma série de reações orgânicas e psíquicas causadas pelo excesso de trabalho, drásticas mudanças na vida e tensões prolongadas. Os principais sintomas são: estafa, fraqueza, dificuldade para raciocinar, perda do libido, depressão, etc. 

III. COMO EVITAR A ANSIEDADE 

A ansiedade não terá lugar em nossas vidas quando dermos prioridade a Deus, especialmente nas seguintes situações:
1. Diante das finanças. A Bíblia afirma que Deus deve estar em primeiro lugar também em nossas finanças (Mt 6.19-34). Portanto, devemos evitar a avareza e a busca desesperada pelos recursos deste mundo (1 Tm 6.6-11). As riquezas que acumulamos nesta vida são perecíveis e passageiras, mas as que ajuntamos no céu são perenes (Mt 6.19-20; Lc 12.16-21). Por isso Jesus nos alertou: “onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração” (Mt 6.21). Os bens materiais e a prosperidade são dádivas divinas (Ec 5.19 cf. 3.13; 1 Tm 6.17). O que a Palavra de Deus condena é o materialismo avaro que cativa suas vítimas a este mundo, fazendo-as desprezar o Reino de Deus (Mt 13.21,22; 2 Tm 4.10).

2. Diante das necessidades cotidianas. Segundo Mateus 6.25-32, não precisamos nos preocupar sobre o que iremos comer, beber ou vestir. Tal inquietação é infrutífera (v.27), inadequada para o crente e sinônimo de incredulidade (vv.31,32). O Senhor se apraz em suprir todas as nossas necessidades (2 Co 8.9; Ef 1.3; Fp 4.19).

3. Diante do trabalho para o Senhor. Deus deve estar acima do trabalho que realizamos para Ele mesmo. A Palavra afirma: "Buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça" (v.33), isto é, as realidades celestiais deverão vir à frente das terrenas. Aqui temos uma verdadeira escala de valores: o corpo vale mais que seu vestuário, a vida vale mais do que a comida que a sustenta (vv.25-32), e acima das coisas terrenas, está o Senhor, Todo-Poderoso. Entregue a Cristo a direção e o controle total de sua vida, e desfrutarás do seu onipotente e eterno cuidado (Rm 8.32; 2 Co 9.8-11).A ansiedade não terá lugar em nossa vida se dermos prioridade a Deus diante das finanças, das necessidades cotidianas e no trabalho para o Senhor. 

IV. COMO VENCER A ANSIEDADE 

O que fazer quando estamos ansiosos? Em suma, devemos pedir a Deus que nos dê sua paz (Jo 16.33; Fp 4.6,7; 1 Pe 5.7) e nos conceda sabedoria para fazermos o que é certo ao resolvermos os problemas que nos afligem (Tg 1.5,6). Ademais disso:

1. Seja fiel a Deus e não cobiçoso. As riquezas deste mundo, sem a bênção e a sabedoria divina, contaminam nossa vida com a cobiça (Mt 6.22,23; Lc 11.34-36; 1 Tm 6.6-11; Hb 13.5), inquietações e incertezas (Ec 5.12; Lc 18.25; 1 Tm 6.17). Todavia, a fidelidade a Deus enriquece o justo em todos os seus caminhos (Pv 10.6; 28.20). Creia que Deus é suficientemente poderoso para fazê-lo prosperar em todas as coisas (Ef 3.20,21; 2 Co 9.8-11).

2. Confie na provisão divina (Mt 6.30-34). Deus não apenas conhece nossas necessidades primárias (Mt 6.11,25), mas nos socorre nas angústias e tribulações (Sl 107.28-30; 2 Co 1.3,4). Ele é poderoso "para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos" (Ef 3.20 - ARA). Creia que o Senhor "é galardoador dos que o buscam" (Hb 11.6), e "não é injusto para se esquecer da vossa obra e do trabalho de caridade que, para com o seu nome, mostrastes, enquanto servistes aos santos e ainda servis" (Hb 6.10). O Senhor jamais se esquece dos seus filhos (Is 49.15; Hb 13.5). Seus olhos e ouvidos não estão cerrados à nossa oração (Is 59.1; 65.24).Para vencer a ansiedade, é necessário que o crente peça a paz de Deus, seja fiel ao Senhor, não seja cobiçoso e confie na provisão divina.Nosso maior anseio deve ser a presença de Deus e a busca de seu Reino (Sl 42.1; 130.6). Não se preocupe com as demais coisas! Descanse no Senhor! Coloque um fim a toda ansiedade que procura tirar sua paz e prejudicar sua comunhão com Deus (Sl 37.7). Saia imediatamente do labirinto da escuridão e do medo! Liberte-se das correntes que o prendem a esse mal! Permaneça em Cristo pela fé (Sl 55.22; 1 Pe 5.7) e aceite o amoroso convite de Jesus (Mt 11.28-30)."As riquezas que acumulamos nesta vida são perecíveis, mas as que ajuntamos no céu são perenes".   
fonte www.mauricioberwaldoficial.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PAZ DO SENHOR

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.