domingo, 1 de janeiro de 2017

Subsidio central gospel vida de fé Hebreus 11







                          INTRODUÇÃO A HEBREUS 11

                                      Escritor Mauricio Berwald

O apóstolo que, no capítulo precedente, falou em louvor da graça e da vida da fé, e da sua utilidade para preservar da apostasia, prossegue com isso para dar conta da natureza e atuação dela; e que ilustra pelos exemplos de muitos dos santos do Antigo Testamento: ele começa com uma definição dele, que consiste em duas partes, Hebreus 11: 1 e com uma conta da utilidade do mesmo para os mais velhos em geral, que por obteve um bom relatório, Hebreus 11: 2 e do serviço é de no entendimento da criação dos mundos, o autor e original deles, Hebreus 11: 3 e, em seguida, passa a dar exemplos particulares e exemplos de fé entre os Anciãos ou crentes antigos, que são reduzidos em várias classes; E o primeiro é dos santos antes do dilúvio, Abel, Enoque e Noé. A fé de Abel estava em oferecer mais excelente sacrifício que Caim, na obtenção de um testemunho de Deus de que era justo, e ainda falando, apesar de morto, Hebreus 11: 4 . A fé de Enoque é evidenciada por sua tradução de Deus, que ele não deve ver a morte, e pelo testemunho que ele recebeu dele antes dele, que ele era aceitável para ele; Pelo qual está claro que ele tinha fé, já que, sem ela, é impossível agradar a Deus; nem qualquer pode vir corretamente a ele, sem acreditar que ele é, e tem uma relação gracioso a todos os que o buscam, Hebreus 11: 5 . A fé de Noé foi visto na preparação de uma arca, pela ordem de Deus, para a salvação de sua família, e para condenar o mundo ao fazê-lo, e por se tornar um herdeiro da justiça através da fé, Hebreus 11: 7 . A próxima classe é a dos santos desde o dilúvio, até os tempos de Moisés, nos quais estão Abraão e Sara, Isaque, Jacó e José. A fé de Abraão é celebrada por sua obediência à chamada divina, abandonando o país onde estava e indo, não sabia onde; E para sua peregrinação na terra prometida, como em uma estranha, em que Isaque e Jacó habitavam com ele em tendas; E por olhar pela fé para a cidade celestial edificada pelo Senhor; e de sua oferta até seu filho por ordem de Deus, que era o filho da promessa, acreditando que Deus era capaz de levantá-lo dentre os mortos, de onde ele recebeu-o pela fé, Hebreus 11: 8 . A fé de Sara estava em receber força por meio dela para conceber, suportar e criar um filho quando a idade passada, que foi, fundada na fidelidade de um Deus promissor; portanto, de Abraão, por ela, surgiu uma grande posteridade, como as estrelas do céu e da areia na costa de mar, Hebreus 11:11 . Ora, todos estes patriarcas, tanto antes como depois do dilúvio, como viveram pela fé, morreram nela; Que, embora não tivessem recebido as promessas, contudo, pela fé os viram à distância, estavam muito bem convencidos de que iriam acontecer, e assim, em certo sentido, os desfrutaram; Viveram como peregrinos e estrangeiros, mostrando que não tinham respeito pelo país de onde vinham, e não tinham a menor intenção de voltar para lá, mas procuravam outro, melhor e mais celestial; de modo que Deus não se envergonha de ser chamado seu Deus, tendo ele preparou uma cidade para eles, Hebreus 11:13 . A fé de Isaac é elogiado em abençoar seus dois filhos com respeito às coisas futuras, Hebreus 11:20 ea fé de Jacob é bem contado para abençoar cada um dos filhos de José, em seus últimos momentos, adorando no topo da sua equipe, Hebreus 11:21 E a fé de José é instada em duas coisas; Fazendo menção da saída dos israelitas do Egito, como uma coisa determinada; e em dar-lhes ordens estritas para transportar seus ossos juntamente com eles, quando iam dali, Hebreus 11:22 a terceira classe de homens, famosa pela fé, é que de tal desde os tempos de Moisés aos juízes, no qual são Os pais de Moisés, o próprio Moisés, os israelitas em geral ea prostituta Rahab. Os pais de Moisés mostrou sua fé em escondendo-o três meses, vendo-o para ser uma criança encantadora, ao contrário do decreto do rei, Hebreus 11:23 . A fé de Moisés residia em recusar-se a ser chamado filho da filha de Faraó; Em preferir aflições aos prazeres do pecado, e ao opróbrio de Cristo às riquezas do Egito; Tendo, pela fé, um respeito à glória celestial, outro exemplo disso; E abandonando o Egito, sem medo do desgosto do rei, pela fé vendo um Rei invisível; e mantendo a páscoa, com a aspersão do sangue, para que assim o destruidor dos primogênitos do Egito não tocasse os israelitas, Hebreus 11:24 . Os exemplos da fé dos israelitas são a sua passagem pelo Mar Vermelho, como em terra seca, quando os egípcios, que tentaram, foram afogados; e sua compassing as muralhas de Jericó sete dias, acreditando que iriam cair, como consequência eles fizeram, Hebreus 11:29 . A fé de Rahab, a prostituta, é recomendada por duas coisas; Para receber pacificamente os espiões que vieram a ela; e para a salvação, ela acreditava que ela deveria ter, e tinha, quando os habitantes de Jericó incrédulos pereceram, Hebreus 11:31 . E a última classe de heróis para a fé, inclui os tempos dos juízes, reis, profetas, e os Macabeus; os juízes, reis e profetas, são agrupados, e apenas alguns de seus nomes são observados como um exemplar do descanso, o apóstolo não ter tempo para falar em particular um, Hebreus 11:32 e vários casos de sem referência a determinada Pessoas a quem pertencem; alguns que colocam em fazer as coisas muito heróicos, e até mesmo milagrosas, 11:33 e outros em que sofrem as coisas o mais cruel e tortura, ea própria morte de muitas formas, Hebreus 11:35 . E assim, por uma indução de particulares, o apóstolo mostra tanto a sua definição de fé, Hebreus 11: 1 ea utilidade do mesmo para os mais velhos, Hebreus 11: 2 que por ela a obtenção de um bom relatório, embora eles não recebem a coisa prometido, Hebreus 11:39 Por isso os santos do Novo Testamento têm grande incentivo, e muito mais razão, a exercer esta graça; uma vez que Deus providenciou para eles a melhor coisa que ele prometeu aos outros, que o um sem o outro pode não ser perfeito, Hebreus 11:40 .
À medida que ouvimos estas palavras, parece-nos penetrar através de todas as diferenças e distinções das formas e cerimónias externas com o que está na própria raiz e fundamento da religião - o sentido de que, além e atrás do visível, há um invisível; Que tudo o que vemos é apenas um reflexo, uma imagem quebrada de um ideal Divino invisível; Que ao redor de nós e acima de nós e dentro de nós há poderosas agências sempre trabalhando, regulando, criando, controlando não apenas nossas pequenas vidas, mas todo o universo das coisas desde a eternidade até agora e de agora até a eternidade.

I. Este é o início da fé. Sem essa consciência, a religião não existe e não pode existir. Antes que o homem possa dar qualquer passo na religião, deve se convencer da realidade do mundo invisível e das coisas espirituais. Ele deve não só ter uma mera crença vaga em sua possibilidade, mas ele deve aprender a ter tanta certeza quanto a sua própria existência. E, quando essa certeza se concretizar, então, mas não antes, é o alicerce sólido sobre o qual erguer a superestrutura desse credo definido, cujos materiais são providos nessa revelação de Si mesmo que ela tem agradado ao Altíssimo e Santo Quem Habitam a Eternidade a fazer-nos nas páginas do Livro que nos é conhecido como a Bíblia ou a Sagrada Escritura.

II. Segue-se como corolário a isso que é porque tal fé ou é totalmente querendo ou muito imperfeitamente desenvolvido que a atitude de tantas mentes para com as Sagradas Escrituras como uma Divina Revelação, para os credos que são da Igreja "s interpretação autorizada do ensinamento daqueles Sagradas Escrituras, é um dos desconfiança e distanciamento crítico, mais ou menos hostil e incrédulo. Muitos até mesmo daqueles que têm de um modo nebuloso e halfhearted recebeu os Evangelhos como uma Divina Revelação, e quem iria ressentir-se da imputação que eles eram Não cristãos, mas se afastam de qualquer definição positiva de crença, e ficam aterrorizados quando chamados a fazer pública a confissão de que a Fé Católica é esta - que adoramos um Deus na Trindade e Trindade na Unidade, não confundindo as Pessoas nem dividindo a substância , Acompanhado da declaração de que a realização desta fé é necessária para o som da saúde espiritual. Tal princípio, dizem eles, é incapaz de demonstrar a prova.

III. A Causa Principal de Dificuldade Encontra-se na Misericordia daquilo que você diz que não pode compreender. Seria muito mais estranho se você poderia compreendê-lo No livro de Provérbios, existem muitos ditos marcantes, e no presente contexto vou adaptar um ao meu texto e dizer: "Tome este pequeno pedaço de aconselhamento, " Vai ter com a formiga , Preguiçoso; considera os seus caminhos, e sê sábio " ". Todos sabemos que formigas maravilhosas são as formigas e como, em seu modo diminuto, reproduzem muitas das características características da vida humana - classes diferentes da sociedade, indústria regulada, ajuda mútua. Essas criaturas devem ter considerável inteligência e poder de raciocínio, e no entanto dentro de seu espaço confinado, de que necessariamente sua experiência se estende, o que eles podem compreender do vasto globo, com seus oceanos e seus continentes, O Ser cujo domínio se estende sobre todas as suas terras e mares, Quem poderia de um só golpe derrubar o lugar de sua habitação e enterrá-los em suas ruínas? E, no entanto, a distância entre a formiga eo homem não é nada comparada com a que existe entre o homem eo seu Criador. Não podemos ir além ou fora da própria revelação de Deus a Si mesmo ao homem como ela é gradualmente revelada na Sagrada Escritura.

Verso 1
1. Ora, a fé, etc. Quem fez isso no início do décimo primeiro capítulo, tem imprudentemente desarticulada contexto; Pois o objeto do Apóstolo era provar o que ele já havia dito que há necessidade de paciência. (200) Ele citou o testemunho de Habacuque, que diz que o justo vive pela fé; Ele agora mostra o que restava ser provado - que a fé não pode estar mais separada da paciência do que de si mesma. A ordem então do que ele diz é esta: "Nós não alcançaremos a meta da salvação, a não ser que tenhamos paciência, pois o Profeta declara que os justos vivem pela fé; Mas a fé nos dirige a coisas de longe que ainda não desfrutamos; Em seguida, ele inclui necessariamente a paciência. "Portanto, a proposição menor no argumento é este, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, etc. É, portanto, também evidente que muito enganados os que pensam que uma definição exata da fé é dada aqui ; Pois o Apóstolo não fala aqui da totalidade daquilo que é a fé, mas seleciona aquela parte que era adequada ao seu propósito, mesmo que tenha paciência alguma vez ligada a ela. (201) Vamos agora considerar as palavras.

Ele chama a fé hipóstase, a substância das coisas que se esperam. Nós realmente sabemos que o que esperamos não é o que temos como estava na mão, mas o que ainda está escondido de nós, ou pelo menos o prazer de que é adiada para outro tempo. O apóstolo agora nos ensina a mesma coisa com o que encontramos em Romanos 8:24Romanos 8:24 ; Onde se diz que o que se espera não é visto, e, portanto, a inferência é desenhada, que deve ser esperado em paciência. Assim, o Apóstolo aqui nos lembra que a fé não considera as coisas presentes, mas as que são esperadas. Nem este tipo de contradição é sem força e beleza: a fé, diz ele, é a hipóstase, o suporte, ou o fundamento sobre o qual plantamos o pé, - o prop do quê? Das coisas ausentes, que estão tão longe de ser realmente possuídas por nós, que estão muito além do alcance do nosso entendimento.

A mesma opinião é para ser tomado da segunda cláusula, quando ele chama de fé, a prova ou demonstração das coisas que se não vêem; Porque a demonstração faz com que as coisas apareçam ou sejam vistas; E é comumente aplicado ao que está sujeito aos nossos sentidos. (202)

Então, essas duas coisas, embora aparentemente inconsistentes, ainda se harmonizam perfeitamente quando falamos de fé; Porque o Espírito de Deus nos mostra coisas escondidas, cujo conhecimento não pode alcançar nossos sentidos: Prometido a nós é a vida eterna, mas prometeu aos mortos; Temos certeza de uma feliz ressurreição, mas ainda estamos envolvidos na corrupção; Nós somos pronunciados justos, contudo o pecado habita em nós; Ouvimos que somos felizes, mas ainda estamos no meio de muitas misérias; Uma abundância de todas as coisas boas é prometida a nós, mas ainda temos muitas fome e sede; Deus proclama que virá depressa, mas parece surdo quando clamamos a ele. O que seria de nós se não estivéssemos apoiados pela esperança, e nossas mentes não emergiram do meio das trevas acima do mundo através da luz da palavra de Deus e do seu Espírito? A fé, então, é justamente dita ser a subsistência ou substância de coisas que são ainda objetos da esperança e da evidência das coisas não vistas. Agostinho , por vezes, torna "convicção", provas que eu não desaprova, pois fielmente expressa o significado do Apóstolo: mas eu prefiro "demonstração", como é mais literal.

A palavra "substância" é derivada da Vulgata: embora seu significado etimológico corresponda ao original, contudo seu significado recebido é completamente diferente. A palavra original ocorre cinco vezes no Novo Testamento, e é traduzida como "confiança" em 2 Coríntios 9: 42 Coríntios 9: 4 ; Hebreus 3:14Hebreus 3:14 - "pessoa" em Hebreus 1: 3Hebreus 1: 3 , - e aqui "substância", mas por que não o seu significado mais literal, "? Fundação"

As coisas "esperadas" incluem as promessas; mas as coisas "não viu," tudo o que é revelado sobre o que é passado e está por vir, - a criação, o futuro destino do homem, etc. - Ed .

Verso 2
2. Porque por ela os anciãos, (203) etc. Ele lida com este assunto até o fim do capítulo - que os pais obtido salvação e foram aceitos por Deus em nenhuma outra maneira do que pela fé.

Os judeus tinham, de fato, algumas razões para prestar grande deferência aos pais; Mas uma insensata admiração dos pais tinha tão prevaleceu entre eles, que se revelou um grande obstáculo para uma entrega completa de si mesmos a Cristo e ao seu governo. Foi ocasionado por ambição ou superstição, ou por ambos. Pois, quando ouviram que eram a descendência abençoada e santa de Abraão, inflados com esta distinção, fixaram seus olhos nos homens e não em Deus. Em seguida, acrescentou-se a isto uma falsa emulação; Pois eles não consideravam o que era meramente digno de imitação em seus pais. Sucedeu, assim, que eles se apegaram às velhas cerimônias, como se toda a religião e perfeita santidade consistissem nelas. Este erro que o Apóstolo expõe e condena; E mostrou o que era a excelência dos pais, a fim de que a sua posteridade pudesse entender como eles poderiam se tornar realmente como eles.

Lembremo-nos então de que o ponto principal e a própria dobradiça em que se baseia o argumento do Apóstolo é este: - Que todos os pais desde o início do mundo, foram aprovados por Deus de nenhuma outra maneira senão por estarem unidos a ele por E isso mostra que os judeus sabiam que somente pela fé podiam ser unidos em santa unidade com os pais, e que, logo que renunciassem à fé, seriam banidos da Igreja e não seriam então Mais os filhos legítimos de Abraão, mas uma raça degenerada e bastardos. (204)

Verso 3
3. Through, ou, fé entendemos, (205) etc. Esta é uma prova mais marcante do último verso; Pois nada diferenciamos da criação bruta, se não entendemos que o mundo foi criado por Deus. Para que fim os homens foram dotados de entendimento e razão, a não ser que reconheçam seu Criador? Mas é somente pela fé que sabemos que foi Deus quem criou o mundo. Não é de admirar, então, que a fé brilhou nos pais acima de todas as outras virtudes.

Mas pode ser aqui perguntado: Por que o Apóstolo afirma que o que até mesmo os infiéis reconhecem só é compreendido pela fé? Pois a própria aparência do céu e da terra obriga até mesmo os ímpios a reconhecer algum Criador; E por isso Paulo condena todos pela ingratidão, porque não tiveram, depois de ter conhecido a Deus, dar-lhe a honra que lhe é devida. ( Romanos 1:25Romanos 1:25 ). E nenhuma religião dúvida não teria de modo prevaleceu entre todas as nações, tinham mentes não dos homens ficado impressionado com as convicções que Deus é o Criador do mundo. Parece, portanto, que esse conhecimento que o Apóstolo atribui à fé existe sem fé.

Respondo-lhe que, embora tenha havido uma opinião deste tipo entre os pagãos, de que o mundo foi feito por Deus, era ainda muito evanescente, pois assim que formaram uma noção de algum Deus, tornaram-se instantaneamente vaidosos Suas imaginações, de modo que eles tateavam na escuridão, tendo em seus pensamentos uma mera sombra de alguma divindade incerta, e não o conhecimento do Deus verdadeiro. Além disso, como era apenas uma opinião passageira que flit em suas mentes, estava longe de ser qualquer coisa como o conhecimento. Podemos acrescentar ainda que atribuíram à fortuna ou à sorte a supremacia no governo do mundo e não fizeram menção alguma à providência de Deus que governa tudo sozinha. As mentes dos homens, portanto, são inteiramente cegas, de modo que não vêem a luz da natureza que brilha nas coisas criadas, até serem irradiadas pelo Espírito de Deus, elas começam a entender pela fé o que de outra forma não podem compreender. Por isso, o Apóstolo atribui, com toda a razão, tal entendimento à fé; Pois os que têm fé não têm uma leve opinião sobre Deus sendo o Criador do mundo, mas têm uma profunda convicção fixada em suas mentes e contemplam o verdadeiro Deus. Além disso, compreendem o poder de sua palavra, não apenas como manifestado instantaneamente na criação do mundo, mas também como manifestado continuamente em sua preservação; Nem é seu poder apenas que compreendem, mas também a sua bondade, sabedoria e justiça. E, portanto, são levados a adorá-lo, amá-lo e honrá-lo.

Não feito de coisas que aparecem. Quanto a esta cláusula, todos os intérpretes parecem ter-me equivocado; e o erro surgiu de separar a preposição do particípio φαὶνομένων. Eles dão esta interpretação: "De modo que as coisas visíveis foram feitas a partir de coisas que não aparecem." Mas a partir dessas palavras quase nenhum sentido pode ser eliciado, pelo menos um sentido muito jejuno; e, ainda, o texto não admite tal significado, para, em seguida, as palavras devem ter sido , ἐκ μὴ φαινομένων: mas a ordem adotada pelo apóstolo é diferente. Se, então, as palavras fossem traduzidas literalmente, o significado seria o seguinte: "De modo que elas se tornaram visíveis de coisas não visíveis", ou não aparentes. Assim, a preposição seria unida ao particípio ao qual pertence. Além disso, as palavras conteriam uma verdade muito importante, - que temos neste mundo visível, uma imagem conspícua de Deus; e, portanto, a mesma verdade é ensinada aqui, como em Romanos 1:20Romanos 1:20 , onde é dito, que as coisas invisíveis de Deus são dadas a conhecer a nós pela criação do mundo, que está sendo visto em seus trabalhos. Deus nos deu, em toda a estrutura deste mundo, claras evidências de sua sabedoria, bondade e poder eternos; E embora ele esteja em si mesmo invisível, ele se torna visível em suas obras. (206)

Corretamente então este mundo é chamado de espelho da divindade; Não que haja clareza suficiente para que o homem obtenha um pleno conhecimento de Deus, ao olhar para o mundo, mas que ele até agora se revelou, que a ignorância do ímpio é desculpa. Ora, os fiéis, a quem ele deu os olhos, vêem faíscas de sua glória, por assim dizer, brilhando em toda criatura. O mundo sem dúvida foi feito, para que pudesse ser o teatro da glória divina.

Por "mundos?" A mesma palavra, embora no plural é traduzida como "mundo" em Romanos 11:36Romanos 11:36 e 1 Coríntios 10:111 Coríntios 10:11 , e por isso aqui por Beza e outros. O universo, toda a criação visível, é o que se entende, como aparece a partir de "visto" na próxima cláusula: ea palavra αἰὼν, no singular, diz Stuart, não é empregado para designar o "mundo" que é a universo. É dito para ser usado plurally para expressar as várias partes de que o mundo é composto. Mas o termo "mundo" em nossa linguagem compreende o todo: significa toda a criação visível.

O verbo "emoldurado" é tornado "compactado" por Beza - "ajustado" por Doddridge - "produzido" por Macknight - e "formado" por Stuart. Calvin foi "montado" ou unidas, aptata , a palavra usada pela Vulgata. É justamente dito por Leigh, que o verbo propriamente significa compactar ou unir partes disjuntas, seja de um corpo ou de um edifício. Mas é usado também no sentido de ajustar, ajustar, preparar, ajustar em ordem, e aperfeiçoar, ou completar. É mais comumente usado no sentido de fazer perfeito ou completo. Mas nós pode tornar as palavras "o mundo foi criado em ordem pela palavra de Deus." - Ed .

Mais uma vez, o verbo κατηρτίσθαι não denota criação, mas a montar ou regular, ou pondo em ordem das coisas criadas anteriormente: parece designar o trabalho feito, não como descrito no primeiro versículo do Gênesis, mas nos versos seguintes: para que O objeto ou projeto deste ajuste ou arranjo é o que é expresso nesta cláusula; Era, que poderia haver coisas visíveis como evidências ou manifestações de coisas invisíveis.

Pode-se dizer ainda que o mundo é dito ter sido colocado em ordem pela palavra de Deus, e assim é registrado em Gênesis: mas esta palavra ou fiat não é mencionada no primeiro verso daquele livro, em que o Diz-se que os céus ea terra foram criados. Parece, portanto, que a referência aqui é para o estabelecimento em ordem deste mundo, e não para a primeira criação de seus materiais; E se assim for, a segunda cláusula não pode referir-se à criação do mundo a partir do nada, uma vez que está necessariamente ligada ao que contém a primeira cláusula.

A "fé" então se refere aqui, se este ponto de vista deve ser tomado, não ao fato de que o mundo foi feito por Deus, que até mesmo os pagãos admitiram, mas ao desígnio de Deus na criação, a manifestação de sua própria glória. "Os céus", diz o salmista "declaram a glória de Deus", etc. - Ed .

Verso 4
4. Pela fé Abel ofereceu, etc. objeto do Apóstolo neste capítulo é mostrar que, no entanto excelente foram as obras dos santos, que era de fé, eles derivam seu valor, sua dignidade, e todas as suas excelências; E, portanto, segue o que já indicou, que os pais agradaram a Deus pela fé apenas.

Agora ele elogia a fé aqui em dois relatos, - torna a obediência a Deus, pois ela tenta e não realiza nada, mas o que é de acordo com a regra da palavra de Deus, - e confia nas promessas de Deus, e assim ganha o valor eo valor Que pertence às obras apenas pela sua graça. Portanto, onde quer que a palavra fé seja encontrada neste capítulo, devemos ter em mente que o Apóstolo fala disso, a fim de que os judeus não possam considerar nenhuma outra regra além da palavra de Deus, e também possam depender apenas de suas promessas.

Ele diz que, em primeiro lugar, que o de Abel sacrifício foi por nenhuma outra razão preferível ao de seu irmão, exceto que ele foi santificado pela fé: (207) pois certamente a gordura dos animais irracionais não cheiro tão doce, que poderia, por sua Odor, pacificar Deus. A Escritura realmente mostra claramente por que Deus aceitou seu sacrifício, pois as palavras de Moisés são estas: "Deus tinha respeito a Abel e a seus dons". É, portanto, óbvio concluir que seu sacrifício foi aceito porque ele próprio foi graciosamente aceito . Mas como ele obteve esse favor, exceto que seu coração foi purificado pela fé.

Deus testemunho, etc. Ele confirma o que eu já disse, que há obras, provenientes de nós pode agradar a Deus, até que nós mesmos sejam recebidos por favor, ou para falar mais brevemente, que nenhuma obra são considerados justos diante de Deus, mas os de Um homem justo: porque ele argumenta assim: Deus deu testemunho dos dons de Abel; Então ele tinha obtido o louvor de ser justo diante de Deus. (208)

Esta doutrina é útil, e deve ser notada especialmente, pois não somos facilmente convencidos de sua verdade; Pois quando em qualquer obra qualquer coisa esplêndida aparece, ficamos imediatamente arrebatados de admiração, e pensamos que não pode ser desaprovada por Deus; mas Deus, que só contempla a pureza interior do coração, não observa as máscaras exteriores das obras . Aprendamos, pois, que nenhum direito ou boa obra pode proceder de nós, até que sejamos justificados diante de Deus.

Por isso, depois de morto, etc. Para fé, ele também atribui isso, - que Deus testemunhou que Abel não menos foi objeto de seus cuidados após a sua morte, que durante a sua vida: para quando ele diz que, embora morto, ainda fala , Ele quer dizer, como Moisés nos diz, que Deus foi movido por sua morte violenta para vingar-se. Quando, portanto, Abel ou seu sangue é dito para falar, as palavras devem ser compreendidas figurativamente. Era ainda uma evidência singular do amor de Deus para com ele, que ele tinha um cuidado para ele quando ele estava morto; E, portanto, parece que ele era um dos santos de Deus, cuja morte é preciosa para ele. (209)

A palavra "sacrifício ", θυσία, significa propriamente uma vítima oferecida, mas às vezes qualquer coisa oferecida a Deus. Na verdade o sacrifício de Abel é chamado no Gênesis 4: 4.Gênesis 4: 4 , uma oferta. A palavra πλείων é literalmente mais, mas é usado no sentido de mais em número, a quantidade ou a excelência. O último é evidentemente o significado aqui; Para a oferta de Abel, de acordo com o relato dado, não estava no número ou quantidade, mas na qualidade. Então um melhor ou um sacrifício mais excelente, e não um fuller, como alguns o renderam, é a versão direita. - Ed

"Por que" e "por ela" são comumente referidos à fé, mas a passagem seria mais clara, referindo-os ao "sacrifício". Foi por meio ou meio do sacrifício que o testemunho foi dado, E foi por causa disso que Abel foi morto; "E por ele, tendo morrido, ele ainda fala", isto é, embora ele morreu, devido ao seu sacrifício ser aprovado, ele ainda fala, isto é, por seu exemplo como um crente, dizem alguns, na expiação; Como um sofredor em nome da verdade, dizem os outros. - Ed .

Versículo 5
5. Pela fé Enoque, etc. Ele escolheu alguns dos mais antigos, que ele poderia fazer uma transição para Abraão e sua posteridade. Ele nos ensina que através da fé, foi que Enoque foi traduzido.

Mas devemos especialmente considerar a razão pela qual Deus, de um modo tão incomum, o afastou da terra. O evento foi notável, e, portanto, todos podem saber quão querido ele foi para Deus. Impiety e todos os tipos da corrupção prevaleceram então em toda parte. Se ele tivesse morrido como outros homens, não teria ocorrido a ninguém, que ele era assim preservado do contágio predominante pela providência de Deus; Mas, como ele foi levado sem morrer, a mão de Deus do céu, removendo-o como se fosse do fogo, foi manifestamente manifestada. Não era então uma honra ordinária com que Deus o favoreceu. Moisés, na verdade, nos diz que ele era justo e que andou com Deus; Mas como a justiça começa com a fé, é justamente atribuída à sua fé, que agradou a Deus. (210)

Quanto às perguntas sutis que os curiosos normalmente discutem, é melhor passar por cima deles, sem tomar muito conhecimento deles. Eles perguntam, o que aconteceu com esses dois homens, Enoque e Elias? E então, para que eles não pareçam simplesmente fazer perguntas, eles imaginam que estão reservados para os últimos dias da Igreja, para que eles possam então vir ao mundo; E para isso se refere a Revelação de João. Deixemos esta filosofia arejada para aquelas mentes leves e vãs, que não podem ser satisfeitas com o que é sólido. Basta-nos saber que sua tradução foi uma espécie de morte extraordinária; Nem duvidemos que foram despojados de sua carne mortal e corruptível, a fim de poderem, com os outros membros de Cristo, ser renovados em uma imortalidade abençoada. (211)

Estranho são os caprichos de homens instruídos! Alguns dos teólogos alemães tentaram provar que Enoque não foi traduzido sem morrer. Embora nenhumas palavras possam expressar o evento mais claramente do que aquelas do apóstolo. Este é um exemplo do que os homens farão para apoiar um sistema falso, quando uma vez completamente imbibed. - Ed .

Versículo 6
6. Ora, sem fé, etc. O que é dito aqui pertence a todos os exemplos que os registros Apóstolo neste capítulo; Mas como há na passagem alguma medida de obscuridade, é necessário examinar seu significado mais de perto.Mas não há intérprete melhor do que o próprio Apóstolo. A prova, então, que ele imediatamente subjoins, pode servir como uma explicação. A razão por que ele atribui por que ninguém pode agradar a Deus sem fé, é isso, porque ninguém jamais virá a Deus, a não ser que ele acredite que Deus é, e também está convencido de que ele é um remunerador para todos os que o buscam. Se o acesso, então, a Deus não é aberto, mas pela fé, segue-se que todos os que estão sem ele são objetos do desagrado de Deus. Por isso, o Apóstolo mostra como a fé nos favorece, mesmo porque a fé é o nosso mestre quanto à verdadeira adoração de Deus, e nos torna certos quanto à sua boa vontade, para que não pensemos que o buscamos em vão. Estas duas cláusulas não devem ser ligeiramente superadas, - que devemos acreditar que Deus é, e que devemos ter certeza de que ele não é procurado em vão. (212)
Na verdade não parece uma grande questão, quando o Apóstolo nos obriga a crer que Deus é; Mas quando você a considerar mais de perto, você encontrará que há aqui uma verdade rica, profunda e sublime; Embora quase todos admitem sem contestar que Deus é, contudo é evidente que, a não ser que o Senhor nos retenha no verdadeiro e certo conhecimento de si mesmo, várias dúvidas sempre se infiltrarão e aniquilarão todo pensamento de um Ser Divino. Para esta vaidade, a disposição do homem não é, sem dúvida, propensa, de modo que esquecer Deus se torna uma coisa fácil. Ao mesmo tempo, o Apóstolo não quer dizer que os homens devem se sentir seguros de que há algum Deus, pois ele fala apenas do verdadeiro Deus; Não, não será suficiente para você formar uma noção de qualquer Deus que você quiser; Mas você deve entender que tipo de Ser o verdadeiro Deus é; Para que nos beneficiará conceber e formar um ídolo, e atribuir-lhe a glória devida a Deus?
Percebemos agora o que o Apóstolo significa na primeira cláusula; Ele nega que possamos ter acesso a Deus, a não ser que tenhamos a verdade, que Deus está profundamente fixo em nossos corações, para não ser guiado aqui e ali por várias opiniões.

É evidente, portanto, que os homens em vão se cansam de servir a Deus, a não ser que observem o caminho certo, e que todas as religiões não sejam apenas vãs, mas também perniciosas, com as quais o verdadeiro e certo conhecimento de Deus não está ligado; Pois todos estão proibidos de ter acesso a Deus, que não o distinguem nem o separam de todos os ídolos; Em suma, não há religião a não ser onde esta verdade reina dominante. Mas se o verdadeiro conhecimento de Deus tem seu lugar em nossos corações, não deixará de nos levar a honrá-lo e temê-lo; Para Deus, sem sua majestade não é realmente conhecido. Daí surge o desejo de servi-lo, daí vem que toda a vida é assim formada, que ele é considerado como o fim em todas as coisas

A segunda cláusula é que devemos estar plenamente convencidos de que Deus não é buscado em vão; E esta persuasão inclui a esperança de salvação e vida eterna, pois ninguém estará em um estado de coração adequado para procurar a Deus, a não ser que um sentimento da bondade divina seja profundamente sentido, a fim de buscar a salvação dele. Nós realmente fugimos de Deus, ou desconsiderá-lo completamente, quando não há esperança de salvação. Mas devemos ter em mente que isso é o que deve ser realmente acreditado, e não apenas como uma questão de opiniões; Pois mesmo os ímpios podem às vezes divertir tal noção, e ainda assim eles não vêm a Deus; E por esta razão, porque não têm uma fé firme e fixa. (213) Esta é então a outra parte da fé pela qual nós obtemos o favor de Deus, mesmo quando se sentir seguro de que a salvação está guardada para nós nele.

Mas muitos vergonhosamente perverter esta cláusula; Pois eles, portanto, eliciam os méritos das obras, ea presunção sobre merecedor. E eles raciocinam assim: "Agradamos a Deus pela fé, porque cremos que ele é galardoador; Então a fé tem respeito aos méritos das obras. "Este erro não pode ser melhor exposto, do que considerando como Deus deve ser procurado; enquanto que qualquer um está vagando de a maneira certa de procurá-lo, (214) , ele não pode ser dito para ser envolvidos no trabalho. Agora a Escritura atribui isto como o caminho certo, - que um homem, prostrado em si mesmo e ferido com a convicção de que merece a morte eterna, e em autodesespero, é fugir para Cristo como o único asilo para a salvação. Em nenhum lugar certamente podemos encontrar que devemos trazer a Deus quaisquer méritos de obras para nos colocar em um estado de favor com ele. Então, aquele que entende que esta é a única maneira correta de buscar a Deus, será libertado de toda dificuldade sobre o assunto; Porque a recompensa não se refere à dignidade ou ao valor das obras, mas à fé.

Assim, essas frígidas glosas dos sofistas, como "pela fé agradamos a Deus, porque merecemos quando pretendemos agradar", caem totalmente no chão. O objetivo do Apóstolo era nos levar muito mais alto, mesmo que a consciência pudesse se sentir segura de que não é uma coisa vã buscar a Deus; E essa certeza ou certeza ultrapassa em muito o que podemos alcançar de nós mesmos, especialmente quando alguém considera seu próprio eu. Pois não deve ser estabelecido como um princípio abstrato, que Deus é galardoador dos que o buscam; Mas cada um de nós deve individualmente aplicar esta doutrina a si mesmo, para que possamos saber que somos considerados por Deus, que ele tem tal cuidado para a nossa salvação que nunca nos falta, que nossas orações são ouvidas por ele , Que ele será para nós um eterno libertador. Mas, como nenhuma dessas coisas nos vem, a não ser por meio de Cristo, nossa fé deve sempre considerá-lo e unir-se somente a ele.

A partir destas duas cláusulas, podemos aprender como, e por que é impossível para o homem agradar a Deus sem fé; Deus justamente considera-nos todos como objetos de seu desagrado, como somos todos por natureza sob sua maldição; E não temos remédio em nosso próprio poder. Portanto, é necessário que Deus nos antecipe pela sua graça; E por isso vem, que somos levados a saber que Deus é, e de tal maneira que nenhuma superstição corrupta pode nos seduzir, e também que nos tornamos seguros de uma certa salvação dele.

Se alguém desejasse uma visão mais completa deste assunto, ele deveria fazer seu começo aqui, - que em vão tentamos tentar qualquer coisa, a não ser que olhemos para Deus; Pois o único fim verdadeiro da vida é promover a sua glória; Mas isso nunca pode ser feito, a menos que haja primeiro o verdadeiro conhecimento dele. No entanto, isso ainda é apenas a metade da fé e nos beneficiará pouco, exceto a confiança. Daí que a fé só então será completa e nos assegurará o favor de Deus, quando sentirmos a confiança de que não o procuraremos em vão, e assim teremos a certeza de obtermos a salvação dele. Mas ninguém, a não ser que seja cegado pela presunção e fascinado pelo amor próprio, pode se sentir seguro de que Deus será um recompensador de seus méritos. Portanto, essa confiança de que falamos não se encolhe nas obras, nem na dignidade do homem, mas na graça de Deus somente; E como a graça não é encontrada em lugar nenhum, mas em Cristo, é somente a ele que a fé deve ser fixada.
                   Subsidio vida de fé n.2
Verso 1
Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam , .... A "fé" mencionada aqui não é uma mera virtude moral, que é um ramo do direito; Nem um simples assentimento a qualquer coisa revelada, declarada e afirmada no Evangelho; Nem uma fé de fazer milagres; Nem um implícito; Nem uma mera profissão de fé, que às vezes é apenas temporária; Nem a palavra ou doutrina da fé; Mas o que se faz mencionar no capítulo precedente, pelo qual o justo vive, e que tem a salvação da alma anexada a ele: e não se trata tanto de designar qualquer ramo em particular, ou ato de fé, mas como que Em geral respeita as várias promessas e bênçãos da graça; E considera principalmente a fé dos santos do Antigo Testamento, embora isso, quanto à sua natureza, objeto e atos, seja o mesmo com a fé do Novo Testamento; E é uma persuasão firme do poder, da fidelidade e do amor de Deus em Cristo, e do interesse nele, e em todas as bênçãos especiais: é descrito como "a substância das coisas esperadas"; E que, em geral, são coisas invisíveis e ainda não desfrutadas; Futuro, e ainda por vir; Difícil de ser obtido, embora possível, caso contrário não haveria esperança deles; E que são prometidos e estabelecidos; E em particular, as coisas esperadas pelos santos do Antigo Testamento eram Cristo, e glória eterna e felicidade; E pelos do Novo Testamento, mais graça, perseverança nela, ressurreição dos mortos e vida eterna. Ora, a fé é a "substância" destas coisas; É a base e o fundamento deles, nos quais há alguma esperança permanente; em que sentido a palavra υποστασις é usado por Septuaginta no Salmo 69: 2 . A palavra da promessa é a base principal e o fundamento da esperança; E a fé, como apoiada na palavra, é uma razão menos principal; É uma persuasão confiante, expectativa e garantia deles. A versão siríaca a torna, a "certeza" deles; É a subsistência deles, eo que lhes dá uma existência, pelo menos mental; Assim, com respeito à fé e à esperança dos santos do Antigo Testamento, fala-se da encarnação, dos sofrimentos e da morte de Cristo, da sua ressurreição, da ascensão e da sessão à direita de Deus, como se fossem eles; e por isso são o céu, e glória, e salvação eterna, no que diz respeito à fé e esperança dos santos do Novo Testamento; sim, a fé dá uma espécie de posse dessas coisas antes da mão, João 6:47 . Philo o judeuF5 Diz muito a mesma coisa da fé;

"a única coisa infalível e certo bom (diz ele) é, aquela fé que é fé em Deus, é o consolo da vida, πληρωμα χρηστων ελπιδων ", "a plenitude de boas esperanças", & c.

Segue-se aqui,

a prova das coisas que se não vêem ; Das coisas passadas, do que foi feito na eternidade, no conselho e no convênio da graça e da paz; Do que foi no tempo, na criação e na providência; Do nascimento, dos milagres, dos sofrimentos, da morte, da ressurreição e da ascensão de Cristo; Das coisas presentes, do ser, das perfeições, do amor, etc. de Deus; Da sessão de Cristo à direita de Deus e sua contínua intercessão; E das várias bênçãos da graça reveladas no Evangelho; E dos futuros, como as realidades invisíveis de outro mundo: a fé tem certezas e evidências nele.

Verso 2
Pois por ele os anciãos obtiveram um bom relatório. Por quem são significados, não apenas velhos, ou anciãos em idade, mas aqueles que viveram em tempos antigos; Alguns antes do dilúvio, e para uma grande idade, e outros que estavam no cargo, civil ou eclesiástico, e foram os antepassados ​​e predecessores dos hebreus; Que em geral obtiveram ou receberam um bom relatório de Deus; Que eles eram os escolhidos de Deus, e foram justificados e aceitos com ele; Que eram filhos e amigos de Deus, e deveriam ser glorificados; E dos homens, dos homens bons, para sua fé e santidade; E dos homens maus, por suas boas obras; e estes também creram no relato do Evangelho, e deram um bom relatório de Deus, e da boa terra, e adornaram sua profissão; Particularmente, Abel recebeu um bom relatório, que ele era justo; E Enoque, que agradou a Deus, e andou com ele; E Noé, que ele era um homem justo, perfeito em sua geração, e também andou com Deus; E Abraão, que era um crente, um amigo de Deus, e que o temia e obedecera; E Jó, que era um homem que temia a Deus e evitava o mal; E Moisés, que era manso e fiel; E Davi, que era homem segundo o coração de Deus, e cumpriu a sua vontade; E assim outros: e receberam este relatório pela fé, e como um fruto dele; Que mostra que a fé não é coisa nova, e que o caráter de um crente é um velho e honrado. O apóstolo menciona isso, para tirar os hebreus de qualquer estima de seus anciãos tradicionais, que tinham um nome, não por sua fé, mas por suas tradições; E para envolver a sua imitação de homens de antiguidade, autoridade e sabedoria superior a eles; E para que eles saibam, a menos que eles tinham a mesma fé com seus antepassados, seria uma coisa vã para se vangloriar de descida deles.

Verso 3
Pela fé entendemos que os mundos foram criados pela palavra de Deus , .... O mundo celestial, com os seus habitantes, os anjos; Os mundos estrelados e etéreos, com tudo o que há neles, o sol, a lua, as estrelas e as aves do ar; O mundo terrestre, com tudo sobre ele, homens, bestas, etc. E o mundo aquoso, o mar, e tudo o que está nele: talvez se possa ter algum respeito à distinção de mundos entre os judeus; Veja comentários sobre Hebreus 1: 2 , embora o apóstolo pode escassos ser pensado para ter qualquer relação com suas noções extravagantes de um grande número de mundos que está sendo criado: muitas vezes eles falam de trezentos e dez mundos, em todos que, dizem, há Céus, terra, estrelas, planetas, & c.F6; E às vezes de dezoito milF7; Mas essas noções são corretamente cobradas por PhiloF8Com ignorância e loucura. No entanto, como tantos mundos como existem, eles são feitos "pela Palavra de Deus"; por Cristo, a Palavra essencial de Deus, a quem a criação de todas as coisas é atribuída em João 1: 1 . E isso concorda com os sentimentos dos judeus, que atribuem a criação de todas as coisas à Palavra de Deus, como fazem os TargumistasF9, E Philo o judeuF11. E estes são "enquadrados" pela Palavra, em uma ordem muito bonita e conveniente; Os céus diante da terra; Coisas menos perfeitas, antes daquelas que eram mais assim no mundo visível, ou globo terraqueous; E coisas para os homens, diante dos homens, por quem eles eram; E é por revelação divina e fé que os homens formam noções corretas da criação, e do autor dela, e particularmente da origem dela, como segue:

de modo que aquilo que se vê : como o céu, a terra eo mar, e em que as coisas invisíveis de Deus, as perfeições de sua natureza, são discernidos:

não foi feito do que é aparente ; Eles não eram feitos de matéria pré-existente, mas do nada, do qual se formava o caos rude e não digerido; E daquela massa invisível, coberta de trevas, foram todas as coisas visíveis trazidas em uma bela ordem; E tudo de idéias secretas e escondidas nas mentes divinas; e esta é também a fé dos judeus, que a criação de todas as coisas é מאין , "do nada"F12. Não parece ser uma alusão à palavra ברא , usado para a criação, o que significa para fazer aparecer uma coisa invisível; e é processado na versão Septuaginta por δεικνυμι , Números 16:30 e καταδεικνυμι , Isaías 40:26 para mostrar, ou fazer aparecer; e assim Deus criou, ou feito para aparecer, os céus ea terra, que antes não estavam em ser, e invisíveis, Gênesis 1: 1 e criado para fazer, como em Gênesis 2: 3 isto é, fez-lhes a aparecer, que ele Poderia colocá-los na forma e ordem que eles são agora.

Verso 4
Pela fé Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício que Caim , .... O apóstolo passa a exemplos de fé, e começa com Abel: pode parecer estranho que Adão e Eva não são mencionados; Esta omissão não é porque eles não eram crentes; Mas por causa da queda e ruína da humanidade por eles; Ou porque o apóstolo fala somente daqueles que receberam algum testemunho eminente pela fé, e por isso passa por muitos crentes, e apressa-se a Abraão, o pai dos judeus. A excelência superior do sacrifício de Abel à de Caim, estava na matéria e na maneira dela; O um foi oferecido de coração ao Senhor, o outro só em mostrar; O um foi oferecido na fé, o outro não; Abel olhou através de seu sacrifício para o sacrifício de Cristo, não assim Caim. O sacrifício de Abel foi um cordeiro, um tipo de Cristo, o Cordeiro de Deus; Um primogênito, uma figura daquele que é o primogênito de toda criatura; Um dos mais gordo de seu rebanho, expressivo da excelência de Cristo; E isso foi oferecido no fim dos dias, como Cristo no fim do mundo; e a excelência superior do sacrifício de um para a do outro, surge a partir respeito de Deus a uma, e não para o outro, Genesis 4: 3 , de onde pode-se observar, que os sacrifícios eram de instituição divina, e foram Tipos muito primitivos de Cristo; E que sempre havia dois tipos de adoradores, espirituais e carnais, a quem Deus pode distinguir, pois não vê como o homem vê; Que a aceitação de pessoas está em Cristo, e é anterior às suas ofertas; Que todas as obras que não brotam da fé são inaceitáveis ​​para Deus; Que nenhuma dependência deve ser tida em privilégios de nascimento, ou ações exteriores; E que eleição e distinção graça muito cedo ocorreu, e apareceu.

Pelo qual alcançou testemunho de que era justo ; Não justos pela sua oferta, nem pela sua fé, mas pela justiça de Cristo, à qual olhava a sua fé no seu sacrifício; Embora fosse por sua fé que ele obteve, ou recebeu um testemunho em sua própria consciência, do Espírito de Deus, testemunhando que ele era uma pessoa justificada; e, em consequência disso, ele tinha um furo testemunho externo a ele nas Escrituras, que ele era um homem justo, portanto, ele é chamado de justo Abel, Mateus 23:35 .

Deus testemunho dos seus dons : não de seus próprios presentes, temporal ou espiritual, mas de presentes de Abel, que ofereceu ao Senhor; Isto é, seus sacrifícios; Testemunhou, quando mostrou respeito ou por uma voz audível, declarando sua aceitação deles; Ou pelo envio do fogo do céu, sobre o seu sacrifício, que em tempos posteriores foi um símbolo de aceitação.

E por ela, depois de morto, ainda fala ; bons homens morrem, e alguns deles morrer de uma morte violenta, como fez Abel, mas ele fala nas Escrituras, que tem uma voz neles, Lucas 16:29 ou pelo seu sangue, o que chama de vingança; Ou melhor, por, ou por causa de sua fé, embora ele esteja morto, "ele ainda é falado", como a palavra pode ser prestada.

Versículo 5
Pela fé Enoque foi trasladado , .... que é para ser entendido, não de uma tradução espiritual do poder das trevas, para o reino de Cristo, como todos convertidos, pessoas são traduzidas, e sem dúvida Enoque era; Nem de um arrebatamento, nem de uma remoção de uma parte da terra para outra, ou de uma parte de um país para outro, como Filipe foi apanhado pelo Espírito, após o batismo do eunuco; Mas de uma tradução da terra para o céu; E não por um tempo apenas, como Paulo foi apanhado até o terceiro céu; Mas como Elias foi, para continuar, e como os santos vivos serão no último dia; E isso foi uma tradução dele, alma e corpo, para o céu, para a glória eterna e felicidade, por uma mudança da mortalidade para a imortalidade, que passou sobre ele, E que é um penhor da ressurreição dos mortos, e uma prova dos santos do Antigo Testamento que sabem, esperam e desfrutam da vida eterna. E com isso concorda o sentido de alguns dos escritores judeus sobre este assunto. Jonathan ben Uziel, em sua paráfrase em Gênesis 5:24 tem as seguintes palavras:

"e Enoque adorado diante do Senhor; e eis que ele não estava com os habitantes da terra, אתנגיד ", ele foi traduzido ", e subiu para o firmamento (ou céu), pela Palavra diante do Senhor".

E o Targum de Jerusalém com o mesmo propósito;

"E Enoque adorou em verdade perante o Senhor, e eis que ele não era, porque ele foi traduzido pela Palavra diante do Senhor".

Ou pela Palavra do Senhor, que saiu dele; Pois esta tradução era de Deus, como o nosso apóstolo depois afirma. R. Eleazar dizF13:

"O santo Deus abençoado tomou Enoque, eo fez ascender aos céus mais altos, e entregou em suas mãos todos os tesouros superiores,

Ele é ditoF14Para ser um dos sete que entraram no paraíso em sua vida; E alguns deles dizemF15, Que Deus o levou, בגוף ונפש , corpo e alma; Veja o Apocrypha:

"Ele agradou a Deus, e foi amado por ele, de modo que foi vivido entre os pecadores". (Sabedoria 4:10)

"Enoque agradou ao Senhor, e foi traduzido, sendo um exemplo de arrependimento para todas as gerações." (Sirach 44:16)

E essa tradução é dita "pela fé"; Não através de qualquer virtude e eficácia naquela graça para obtê-la; Nem por meio da fé, nesse ponto particular; Mas Deus colocou uma honra sobre a fé de Enoque, e sobre ele como um crente, desta forma.

Que ele não ver a morte ; Significando não uma morte espiritual ou moral; Nem um eterno, embora alguns tenham sugerido que este seja o sentido; E que é favorecida pelo caráter que alguns dos escritores judeus dão de Enoque, que será adotado em seguida; Mas uma morte corpórea, que não morreu; para o qual concorda o Targum de Oukelos em Gênesis 5:24 ,

"e Enoque andou no temor do Senhor, e ele não estava, pois o Senhor, לא המית ," não matá-lo ", ou causa, ou sofrem ele morrer: '

Embora seja citado um exemplar dessa paráfraseF16, Sem a partícula negativa, assim,

"E ele não era, porque o Senhor o matou, '

Ou morte infligida sobre ele: e é o sentido de vários dos comentaristas judeus, que ele morreu uma morte comum, como Jarchi, Eben Ezra, e outros; que pela frase, "Deus o levou", entender a morte, para a qual eles citam os seguintes lugares, 1 Reis 19: 4 .

e não foi achado, porque Deus o trasladara ; Isto é, ele não foi encontrado entre os homens, na terra dos vivos; Ele não apareceu mais ali, pois Deus o tinha tirado da terra para o céu; assim Elias, depois de seu êxtase e tradução, foi procurado, mas não pôde ser encontrado, 2 Reis 2:16

antes da sua trasladação alcançou testemunho de que agradara a Deus : ele fez as coisas que lhe agradava; ele andava com Deus antes, Genesis 5:22 que os Targumistas explicar por adorando em verdade, e andando no temor do Senhor, que são coisas bem agradável a Deus; Caminhou com Deus pela fé nos caminhos de sua adoração e serviço; E foi-lhe aceitável em Cristo; A mesma frase é usada nos apócrifos:

"Ele agradou a Deus, e foi amado por ele, de modo que foi vivido entre os pecadores". (Sabedoria 4:10)

"Enoque agradou ao Senhor, e foi traduzido, sendo um exemplo de arrependimento para todas as gerações." (Sirach 44:16)

Este testemunho que recebeu de Deus, dos homens, e na sua própria consciência, e que agora está nas Sagradas Escrituras, Gênesis 05:24 . Alguns dos escritores judeus muito perversamente, e sem qualquer fundamento e fundamento, dar um caráter diferente dele; Alguns deles dizem que ele era um hipócrita, às vezes justo, e às vezes perverso, e que o santo Deus abençoado o removeu, enquanto ele era justoF17; e outrosF18, Que lhe permitem ser um homem justo e digno, mas representá-lo como instável e inconstante; E, portanto, Deus, prevendo que ele faria o mal, e para preveni-lo, apressou-se, e levou-o, pela morte, antes de seu tempo e que não é apenas contrário ao que o apóstolo aqui diz, De Moisés, concernente a ele; De onde parece que ele era um andador com Deus; Que o curso de sua conversa era santo e reto; E que era a razão de ser tomado, ou traduzido; E que foi uma grande honra conferida a ele: e, em geral, ele obteve um melhor testemunho do que aqueles homens dar-lhe.

Versículo 6
Ora, sem fé é impossível agradar-lhe , .... Ou fazer as coisas bem agradável à sua vista; Ou qualquer um dos deveres da religião, de uma maneira aceitável; Como oração, louvor, participação na palavra e ordenanças, ou quaisquer boas obras; Porque tais são sem Cristo, e sem o seu Espírito; E não têm princípios corretos, nem fins corretos; porque isto não deve ser entendido das pessoas dos eleitos de Deus, como considerado em Cristo; Em quem lhe agradam antes da fé; Sendo amado por ele com um amor eterno; E escolhido em Cristo, antes da fundação do mundo; Veja comentários sobre Romanos 8: 8 .

pois aquele que vem a Deus ; Ao trono da sua graça, para orar a ele, para implorar a sua graça e misericórdia, ajuda e assistência; À casa de Deus, para adorá-lo e servi-lo, e para gozar a sua presença e ter comunhão com ele; Que deve vir espiritual e com o coração; E supõe a vida espiritual; E deve ser através de Cristo, e pela fé: por que tal um canto a Deus,

creia que ele é ; Ou existe, como a versão árabe; E não deve apenas acreditar na sua existência, mas que, como é revelado na palavra: deve crer nas três Pessoas na Deidade; Que a primeira Pessoa é o Pai de Cristo; Que a segunda Pessoa é ao mesmo tempo Filho de Deus e Mediador; E que a terceira Pessoa é o Espírito de ambos, eo aplicador de toda a graça; Porque Deus o Pai deve ser aproximado, por Cristo Mediador, pela orientação e auxílio do Espírito; e deve crer nas perfeições de Deus; Que ele é onisciente, e conhece a sua pessoa e deseja; É onipotente, e pode fazer por ele, além de seus pensamentos e petições; É tudo suficiente, e que sua graça é suficiente para ele; Que ele é imutável, em seus propósitos e aliança; Que ele é verdadeiro e fiel às suas promessas; E é o Deus da graça, do amor e da misericórdia; e deve crer nele, não apenas como o Deus da natureza e da providência, mas como a sua aliança Deus e Pai em Cristo:


e que é galardoador dos que o buscam ; Que são tais, como são procurados pela primeira vez por ele; E que o buscam em Cristo, onde ele só pode ser encontrado; E isso com todo o seu coração, e acima de todas as outras coisas; e, de tais, Deus é galardoador, em um caminho de graça; Com ele mesmo, que é a sua grande recompensa; E com seu Filho, e todas as coisas com ele; Com mais graça; E, finalmente, com glória eterna, a recompensa da herança.(notas Mathew Henrys).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PAZ DO SENHOR

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.