sexta-feira, 14 de novembro de 2014

COMUNICAÇÂO EM SALA DE AULA

           
        O Papel da Comunicação no Processo     Educativo. 

Introdução
Que faz um professor quando ensina? Naturalmente ele se comunica com a classe. Sua intenção primordial é fazer com que seus alunos entendam perfeitamente sua mensagem, isto é, o conteúdo do ensino. Em suma, o ensino é um processo de comunicação em que o professor, através de vários procedimentos e informações, orienta e dinamiza a aprendizagem.
A maioria das funções do ensino é cumprida exatamente pelo comportamento verbal do professor. São os padrões ou formas de comunicação empregadas por ele que vão, em grande parte, determinar os níveis de realização e o resultado final do processo de ensino-aprendizagem.
A retenção de conteúdos e, de forma mais ampla, todos os processos de formação do aluno dependem da boa comunicação do professor em sala de aula.

1. Definição de comunicação.
1.1. O que não é comunicação.
- Não é monólogo;
- Não é massacrar o ouvinte com um vasto conteúdo de informações;
- Não é preocupar-se apenas com o conteúdo da mensagem, deixando de priorizar o aluno;
- Não é preocupar-se com um e desprezar o grupo;
- Não é valorizar apenas um único método de ensino.
1.2. O que é Comunicação.
É um processo dinâmico que torna comuns sentimentos, vivências e conhecimentos adquiridos, promovendo entendimento entre indivíduos.
Não consiste apenas na emissão e recepção de mensagens deliberadas, mas na construção conjunta de novos saberes e significados.

Inicialmente, ela exige três elementos:


2. Tipos de comunicação
A comunicação pode ser dividida em dois tipos: verbal e não-verbal.
2.1. Comunicação Verbal (Mt 5.1-12).
É tudo aquilo que falamos. É a forma de alguém se expressar através da voz.
Inicialmente, a comunicação verbal é uma cópia do que se ouve.
Por meio da voz comunicamos os mais variados sentimentos, como: melancolia, medo, raiva, alegria, entusiasmo, angústia, etc.
A falha na comunicação verbal pode gerar mal entendidos, heresias, discussões e problemas dos mais variados. O poder que a voz exerce na comunicação é muito grande, tanto que seremos julgados pelo que falamos (Mt 12.36,37).
O professor deve procurar se esforçar para saber fazer um bom uso da comunicação verbal, pois um assunto importante perde muito de seu brilho quando é dito de forma ruim, no entanto, um assunto simples ganha muito brilho quando bem colocado.
2.2- Comunicação não-verbal (Mt 22.17-21)
É toda e qualquer forma de se comunicar que não é feita através da fala. Este tipo de comunicação é marcado por algumas vezes um indivíduo guardar uma boa ou má impressão de alguém que possa ter conhecido.
Exemplos: vestes, sorriso, figuras, toque, olhar, gestos, atitudes etc.
Nalguns casos esses sinais não verbais complementam e reforçam o que é dito pelas palavras: por exemplo, quando dizemos ‘não’ e simultaneamente abanamos a cabeça. Noutros casos os sinais não verbais contrariam o que é dito pelas palavras: por exemplo, quando uma pessoa diz a outra‘amo-te’ mas não a consegue fitar nos olhos e desvia repetidamente o olhar. Um dos aspectos mais relevantes da comunicação não verbal é a expressão de emoções através de expressões faciais”.

3. Comunicação e o processo de significação
A mensagem é o objeto e a finalidade da comunicação humana. Mas para que ela possa ser compreendida deve sempre harmonizar-se com o repertório de signos que cada aluno possui. Com base nestes pontos, veremos agora todo processo da comunicação, afim de se compreender como a mensagem pode produzir o efeito desejado pelo professor.
3.1. Percepção.
É quando o aluno percebe os signos (tudo aquilo que tem algum significado) que compõem a mensagem.
3.2. Decodificação.
É quando o aluno compara os signos percebidos com o seu repertório (conjunto de tudo aquilo que ele aprendeu durante a vida) e decifra sua equivalência. Isso só pode ocorrer quando os signos que ele percebe estão em acordo com o seu repertório de significados.
3.3. Interpretação.
É quando o aluno pergunta a si qual o significado que ele deve atribuir à mensagem recebida. Este significado é sempre particular, pessoal e exclusivo a cada indivíduo (At 2.12).
3.4. Resposta.
É o retorno da mensagem que alimenta a comunicação, também conhecido como feedback (At 2.37-41).
Tipos de Respostas:
O professor que presta atenção nas reações ou respostas do aluno encontra nelas a forma de reajustar suas mensagens.
- O aluno pode se fechar a mensagem e a ignorar;
- O aluno pode aceitar a mensagem, mas modificar a informação, pois a entendeu de forma diferente;
- O aluno pode aceitar parcialmente a mensagem;
- O aluno o aluno pode ser contra a mensagem;             
- O aluno pode aceitar toda mensagem incorporando-a a sua vida.

4. Barreiras à comunicação
Existem alguns obstáculos (ruídos) que atrapalham a boa comunicação. Vejamos:
4.1. Barreiras Físicas.
- Salas muito próximas;
- Professor muito distante da classe e falando alto ou baixo demais;
- Professor que não utiliza meios visuais, fundamentais na comunicação.
4.2. Barreiras Fisiológicas.
- Alunos com cegueiras ou que não enxergam bem;
- Alunos com surdez ou que não ouvem bem;
4.3. Barreiras Culturais.
- Alunos com padrões culturais diferentes.
- Professor que utiliza conceitos e termos que a classe não entende;
- Professor com ideias mal formuladas;
- Professor que fala muito rápido;
- Professor que não gosta de ler;
- Professor que não se prepara para a ministração da aula;
- professor que desconhece o tema da lição;
- Professor que articula mal as palavras;
4.4. Barreiras Sociais.
- Alunos com tradições e costumes diferentes;
- Alunos com normas diferentes;
- Alunos com padrões sociais diferentes.
- Alunos que nunca estudaram estudando junto de alunos com ensino superior.
4.5. Barreiras Psicológicas.
- Professor que não demonstra amor aos alunos;
- Professor que não desenvolve a empatia em sala de aula;
- professor que apresenta muitas ideias;
- Alunos que não conseguem prestar atenção ao professor;
- Alunos que possuem seus próprios conceitos;
- Alunos que não gostam do professor;
- Alunos que acreditam que entenderam o assunto da lição, por isso não pedem esclarecimento;
- Alunos que não têm desejo de aprender.

5. Como melhorar a comunicação
5.1. Crie o hábito de ler sempre;
5.2. Tenha mensagem clara e objetiva;
5.3. Organize sua mensagem de forma lógica;
5.4. Vise mais o aluno que a matéria;
5.5. Utilize diferentes linguagens;
5.6. Repita as ideias importantes;
5.7. Desenvolva a empatia;
5.8. Demonstre amor aos seus alunos;
5.9. Seja flexível;
5.10. Dê aos alunos a oportunidade de digerir a informação;
5.11. Conheça cada aluno, suas vivências e capacidades;
5.12. Reconheça suas limitações em não saber sobre tudo;
5.13. Administre bem o seu tempo de aula.

Conclusão


Diante do exposto, a emissão, transmissão e recepção do conteúdo didático são componentes da rede de comunicação entre professores e alunos. É necessário enfatizar que da excelência da comunicação dependem não só a aprendizagem, mas também a admiração mútua, a cooperação e a criatividade em sala de aula.
fonte escriba digital

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PAZ DO SENHOR

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.