sábado, 25 de junho de 2016

Lições BETEL adultos temperança n.13



            TEMPERANÇA: UMA VIDA CONTROLADA PELO ESPIRITO

(Lição 13 – 26 de Junho de 2016) 

TEXTO ÁUREO

“Mas o fruto do Espírito é: caridade, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança”(Gl 5.22).

 

VERDADE APLICADA

Temperança é a total moderação desenvolvida por aquele que vive sob o domínio do Espírito Santo. 

OBJETIVOS DA LICÃO

ENSINAR como viver sob o controle do Espírito Santo;

MOSTRAR que a tentação não é derrota;

REVELAR que igrejas temperantes servem para mudar o mundo. 

TEXTOS DE REFERÊNCIA

Tt 2.7 - Em tudo, te dá por exemplo de boas obras; na doutrina, mostra incorrupção, gravidade, sinceridade,

Tt 2.8 - Linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós.

Tt 2.11 - Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens,

Tt 2.12 - Ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente.

 

INTRODUÇÃO

Nesta lição, a última do trimestre, estudaremos mais uma das características do fruto do Espírito: A Temperança. O crente, que aceita que o Espírito Santo o transforme segundo a imagem de Jesus, desenvolverá esta virtude em todas as áreas da vida (2Co 3.18). O fruto da temperança, domínio próprio ou autocontrole como é conhecido, não é simplesmente natural ou aprendido por meios de cursos, mas somente é concedido através da presença real do Espírito Santo na vida da pessoa. A ideia principal de “temperança” é força, poder ou domínio sobre o ego, inclusive petulância, arrogância, brutalidade e vanglória. É o controlar a si mesmo sob a orientação do Espírito Santo. 

1. VIVENDO SOB O CONTROLE DO ESPÍRITO

Essa temperança, autocontrole ou domínio próprio não é algo natural, é uma ação do Espírito Santo em nossas vidas como um delimitador para nós. Não é como uns dizem, “conta até dez”, ou ainda “mentaliza”... é muito mais do isso, é deixar ser controlado pelo Espírito Santo. O crente que nele há a temperança vive sobre total controle do Espírito Santo. 

1.1. Controlando os desejos e paixões

Todos nós temos desejos pecaminosos e não podemos ignorá-los. A fim de podermos seguir a orientação do Espírito Santo, devemos, decididamente, enfrentá-los, crucificá-los (Gl 5.24). Esses desejos incluem pecados evidentes como imoralidade sexual, incluem, também, outros que são menos óbvios, como hostilidade, ciúme e ambição egoísta. Aqueles que ignoram esses pecados, ou se recusam a enfrentá-los, mostram que não receberam o dom do Espírito que leva a uma vida transformada. Para se viver de modo que agrade ao Senhor, é preciso crucificar as paixões que brotam na carne e as concupiscência, e ter a certeza de que Deus sempre nos dá o êxito (1Co 15.57; Gl.5:24). É necessário deixar que Jesus domine sobre nós, estando submissos a Ele. 

1.2. Ser temperante é uma escolha do homem

Ser temperante é ter uma vida equilibrada, é viver com moderação. Isto significa que devemos evitar os extremos de comportamento ou expressão, conservando os apropriados e justos limites. Paulo descreve as duas forças opostas que lutam em nosso interior: o Espírito Santo e a nossa natureza pecaminosa (os iníquos desejos ou inclinações gerados pelo nosso corpo). Observe que Paulo não está dizendo que essas forças são iguais, na verdade, o Espirito Santo é infinitamente mais poderoso. Porém, contando apenas com nossa própria sabedoria, faremos escolhas erradas. Se tentarmos seguir o Espírito Santo apenas com nossos esforços humanos, fracassaremos. O único caminho para nos libertarmos de nossos desejos pecaminosos é nos deixar ser guiado por intermédio do poder recebido do Espirito Santo (ver Rm 8.9; Ef 4.23,24; Cl 3.3-8). 

1.3. Náo andando segundo a carne, mas segundo o Espírito

Andar "segundo o Espírito" é buscar a orientação e a capacitação do Espírito Santo e submeter-nos a elas e concentrar nossa atenção nas coisas de Deus. É estar sempre consciente de que estamos na presença de Deus, e nEle confiarmos para que nos assista e nos conceda a graça de que precisamos para que a sua vontade se realize em nós e através de nós. É impossível obedecer à carne e ao Espírito ao mesmo tempo (Gl 5.17,18). Se alguém deixa de resistir, pelo poder do Espírito Santo, a seus desejos pecaminosos e, pelo contrário, passa a viver segundo a carne, torna-se inimigo de Deus (Tg 4.4) Aqueles cujo amor e solicitude estão prioritariamente fixados nas coisas de Deus, podem esperar a vida eterna e a comunhão com Ele. Sem o auxílio do Espírito de Deus, nossas inclinações naturais cedem facilmente aos desejos pecaminosos. Todavia, ao nascermos do Espírito, a nova natureza divina em nós esforça-se por cumprir toda a sua vontade e agradá-lo.

 

2. A TENTAÇÃO NÃO É DERROTA

No mundo de hoje, há muitas atrações e passatempos através dos meios de comunicações, que são aparentemente inofensivos, mas com o objetivo de afastar-nos de nossas responsabilidades para com Deus. O que lemos, vimos, ou ouvimos causa impacto em nossa mente, por isso precisamos da ajuda do Espírito Santo a fim de conservá-la pura (Fp 4.8). O servo de Deus pode até ser tentado no mundo onde não se conhece a Deus. Todavia, o Espírito Santo nos capacita para sermos mais que vencedores naquele que nos fortalece.(Fp 4.13). 

2.1. O domínio próprio sufoca os desejos da carne

O desejo de Deus é que todos vivam de modo correto, exercendo o autodomínio, não cedendo as tentações, procurando ter um coração mais puro e santo. Ter o pensamento voltado nas coisas de Deus é indispensável para sufocar os desejos da carne. Pois, são tantos os meios que podem nos distanciar da presença de Deus. Quando não há domínio próprio nos pensamentos, nas palavras e ações, logo aparecerá o mau testemunho. Veja as recomendações da Palavra de Deus em (Pv 15.1; 1Co 10.31; Fp 4.8). O êxito na carreira cristã é algo que precisa ser buscado por todo cristão. Deus quer sempre conduzir o Seu povo em triunfo (1Co 2.14). 

2.2. Domínio próprio, agente da santificação

É certo que o domínio próprio é necessário para a santificação, como bem disse o autor da revista. Para termos domínio próprio temos que deixarmos ser primeiramente dominados pelo Espírito Santo que é agente de santificação na vida do homem. A santificação é uma obra de Deus, com a cooperação do seu povo (Fp 2.12,13; 2Co 7.1). Para cumprir a vontade de Deus quanto à santificação, o crente deve participar da obra santificadora do Espírito Santo, ao cessar de praticar o mal (Is 1.16), ao se purificar “de toda imundícia da carne e do espírito” (2Co 7.1; cf. Rm 6.12; Gl 5.16-25) e ao se guardar da corrupção do mundo (Tg 1.27; cf. Rm 6.13,19; 8.13; Ef 4.31; 5.18; Tg 4.8). A santificação requer que o crente mantenha profunda comunhão com Cristo (ver Jo 15.4), mantenha comunhão com os crentes (Ef 4.15,16), dedique-se à oração (Mt 6.5-13; Cl 4.2), obedeça à Palavra de Deus (Jo 17.17), tenha consciência da presença e dos cuidados de Deus (Mt 6.25-34), ame a justiça e odeie a iniquidade (Hb 1.9), mortifique o pecado (Rm 6), submeta-se à disciplina de Deus (Hb 12.5-11), continue em obediência e seja cheio do Espírito Santo (Rm 8.14; Ef 5.18). 

2.3. O domínio próprio eleva o nosso nível

Existem ainda muitas pessoas para as quais o “domínio próprio” tem relação a uma bebida forte, mas é quase desnecessário salientar que o domínio próprio tem uma aplicação ampla para cada um dos nossos apetites, não só os apetites físicos, mas os mentais e espirituais também. ‘Em tudo se domina’ é o objetivo de Paulo (1 Co 9.25); é o alvo para o crente. É possível ser abstêmio até o ponto da ‘disciplina do corpo’ (Cl 2.23), e, ainda assim, ser totalmente imoderado no domínio próprio, falando demais ou na busca de elogio e poder. A falta de domínio próprio nos apetites físicos é uma das formas mais predominantes da fraqueza e do pecado. Um cristão com domínio próprio irá desfrutá-las com gratidão quando lhes forem convenientes e proveitosas, mas continuará, igualmente sereno quando não puder dispor delas. Quando Jesus entra no coração, seu Espírito, controlando o interior, produz, como fruto final, domínio próprio e amor em todas as coisas.

 3. LIÇÕES PRÁTICAS

Os meios de comunicações tentam de todas as formas nos atrair através de seus programas, apesar de expor alguns conteúdos bons, nem tudo que é apresentado pela mídia deve ser considerado proveitoso. Algumas informações não condizem com a verdade dos fatos, coisas erradas estão sendo considerados certas. É preciso ficar atentos e agir com discernimento espiritual e seguir a recomendação sábia do apóstolo Paulo que nos manda examinar tudo e reter o bem e abster-se de toda espécie do mal (1 Ts 5.21-22). 

3.1. Igrejas temperantes para mudar o mundo

A Igreja do Senhor Jesus é uma agência do reino de Deus no mundo. Ela deve se portar com pureza e zelar pelas coisas de Deus, não deve aceitar como certo o que a Bíblia considera errado, embora os meios de comunicações tente impor como certos na sociedade aquilo que é duvidoso. A Igreja está no mundo, mas não é do mundo. A igreja está firmada em Cristo e caminha para a glória, enquanto o mundo jaz no maligno e segue rumo à perdição. Jesus diz: “Vós sois o sal da terra” (Mt 5.13). De modo semelhante ao sal que tem o poder de preservar contra qualquer decomposição. A igreja é fundamental para preservar e proclamar a verdade aos que vivem na ilusão do pecado. A igreja é a luz do mundo, que anuncia aos pecadores Jesus que ilumina o homem. A igreja deve ter o cuidado de nunca deixar de ser temperante, a igreja não pode ser sal inútil e insípido, ela é sal no mundo a fim de coibir o mal e dá sabor à vida. 

3.2. Uma igreja transformada vivendo em meio a uma geração perversa

vivemos em meio a uma geração perversa obcecado na contemplação visual da imoralidade, iniquidade, brutalidade, violência, pornografia e todos os tipos de males, a fim de satisfazer sua concupiscência e desejo pelo prazer. No entanto, Aqueles que verdadeiramente servem ao Senhor, jamais deverão apegar-se a esse tipo de coisa e perder a comunhão com o Senhor, muito pelo contrário, eles aborrecerão a tudo isso, e deles se apartarão (Sl 97.10). Que Deus nos guarde em meio a essa geração que contemplam interesses materiais e tem uma vida diária caracterizada pela indiferença e pelos desejos pecaminosos. A igreja é o aroma de Cristo e o aroma tem o poder de atrair. O aroma de Cristo não passa despercebido. Assim é a igreja. Ela é o bom perfume de Cristo, tanto nos que são salvos como nos que se perdem (2 Co 2.15,16). 

3.3. Operando Deus quem impedirá?

O fruto do Espírito é a obra espontânea do Espírito Santo dentro de nós. O Espírito produz certos traços de caráter que são encontrados na natureza de Cristo. O cristão que confia plenamente da presença do Espírito santo em sua vida, nenhuma artimanha do inimigo pode fazê-lo cair, pois quem poderá impedir o agir de Deus na vida de um crente fiel? Todavia, devemos está ciente que é o Espírito Santo que nos capacita a superar as adversidades. De modo algum conseguiremos obtê-los se tentarmos alcançá-los sem sua ajuda. Se quisermos que o fruto do Espírito cresça em nós, devemos ser obedientes a Sua Palavra, temos que unir nossa vida a d'Ele (ver Jo 15.4.5). Devemos conhecê-lo, amá-lo, lembrá-lo e imitá-lo.

 

CONCLUSÃO


O fruto da temperança suscitado pelo Espírito Santo opõe-se a todas as obras da natureza pecaminosa carnal e humana. No momento em que somos salvos, o Espírito Santo passa a habitar em nós. A partir de então, não podemos estar mais sob a escravidão do pecado. Ao longo da vida terrena, precisamos exercer o governo disciplinado sobre os desejos da carne. Esta (a natureza inatamente pecaminosa) fará tudo para recuperar o seu domínio sobre nós. Busquemos todos, sempre, a renovação espiritual e tenhamos uma vida inteiramente rendida a Jesus como Senhor. Nessa dimensão espiritual nasce e cresce o fruto do Espírito. A falta de temperança leva a pessoa a cometer excessos ao dar vazão aos desejos pecaminosos da carne. O melhor antídoto contra isso é estar cheio do Espírito Santo, porque desta maneira estaremos sob o seu controle. Ele nos ajuda a dominar nossas fraquezas, e submetermo-nos à sua vontade.


sexta-feira, 24 de junho de 2016

Subsidio BETEL adultos MATEUS n.1


               SUBSIDIO ADULTOS CPAD EVANGELIZAÇÃO
                           TERCEIRO TRIMESTRE 2016
                                         INTRODUÇÃO


                                 Artigo Escritor Mauricio Berwald

Nenhum dos milagres de Cristo são registrados neste capítulo, mas quatro de seus discursos. Aqui está, I. Uma conferência com os fariseus, que o desafiou para mostrar-lhes um sinal do céu, Mateus 16: 1-4 . II. Outra com seus discípulos sobre o fermento dos fariseus, Mateus 16: 5-12 . III. Outra com eles a respeito de si mesmo, como o Cristo, e acerca da sua igreja construída em cima dele, Mateus 16: 13-20 . IV. Outra acerca de seus sofrimentos para eles, e deles para ele, Mateus 16: 21-28 . E todos estes foram escritos para nosso ensino.

versículos 1-4
O sinal do profeta Jonas.

1 os fariseus e os saduceus, e tentador desejar-lhe que lhes mostrasse um sinal do céu. 2 Ele respondeu, e disse-lhes: Ao cair da tarde, dizeis: Será bom tempo, porque o céu está rubro. 3 E pela manhã, Será o mau tempo a-dia: o céu é vermelho e lowring. O ye hipócritas, podeis discernir a face do céu e não podeis discernir os sinais dos tempos? 4 Uma geração má e adúltera pede um sinal e nenhum sinal lhe será dado, senão o sinal do profeta Jonas. E deixando-os, e partiu.

Temos aqui o discurso de Cristo com os fariseus e saduceus, homens em desacordo entre si, como parece Atos 23: 7,8 , e ainda unânimes na sua oposição a Cristo, porque sua doutrina se igualmente derrubar os erros e heresias dos saduceus, que negavam a existência de espíritos e de um estado futuro eo orgulho, tirania e hipocrisia dos fariseus, que eram os grandes impostores das tradições dos anciãos. Cristo eo cristianismo se reunir com a oposição em todas as mãos. Observar,

I. Sua demanda, e o design dele.

1. A demanda foi de um sinal do céu isso, eles pediram-lhe para mostrar-lhes fingir que eles estavam muito dispostos a estar satisfeito e convencido, quando na verdade eles estavam longe de ser assim, mas procurou desculpas de uma infidelidade obstinado. Aquilo que eles fingiram desejo era,

(1.) Algum outro sinal de que o que eles ainda tinham tido. Eles tinham grande abundância de sinais cada milagre Cristo operou era um sinal, por nenhum homem poderia fazer o que fez menos que Deus estivesse com ele. Mas isso não vai servir, eles devem ter um sinal de sua própria escolha e desprezaram aqueles sinais que aliviou o necessidade do doente e triste, e insistiu em cima de algum sinal que satisfazer a curiosidade dos soberbos. Ele está apto que as provas da revelação divina deve ser escolhido pela sabedoria de Deus, não pelas loucuras e fantasias dos homens. A evidência de que é dado é suficiente para satisfazer uma compreensão sem preconceitos, mas não tinha a intenção de agradar a um humor vão. Ant é uma instância do engano do coração, pensar que devemos ser feito em cima pelos meios e vantagens que nós não temos, enquanto nós ligeira aquelas que nós temos. Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco seria de nós ser feito em cima ainda que ressuscite alguém dentre os mortos.

(2) Deve ser um sinal do céu. Teriam tais milagres para provar sua comissão, como foi feito na entrega da lei no monte Sinai: trovão e relâmpagos, e à voz das palavras, foram o sinal do céu que necessário. Considerando que os sinais sensíveis e os terríveis não eram aceitáveis ​​para a dispensação espiritual e confortável do evangelho. Agora, a palavra vem mais perto de nós ( Romanos 10: 8 ), e, portanto, os milagres fazê-lo, e não nos obrigam a manter uma distância tal que estes fizeram, Hebreus 12:18 .

2. O projeto era para tentá-lo para não ser ensinados por ele, mas para enganá-lo. Se ele deve mostrar-lhes um sinal do céu, eles atribuem a uma confederação com o príncipe do poder do ar , se ele não deveria, pois supôs que ele não iria, eles teriam que dizer para si mesmos, porque eles fizeram . não acredita nele Eles agora tentou Cristo como Israel fez, 1 Coríntios 10: 9 . E observar as suas perversidade então, quando eles tinham sinais do céu, que tentou Cristo, dizendo que ele pode fornecer uma mesa no deserto? Agora que ele tinha apresentado uma mesa no deserto, tentando-o, dizendo: Ele pode dar-nos uma sinal do céu?

II. A resposta de Cristo a essa demanda para que não seja sábio aos seus próprios olhos, ele respondeu a estas tolos de acordo com a sua loucura, Provérbios 26: 5 . Em sua resposta,

1. Condena a sua vista para os sinais que tinham, Mateus 16: 2,3 . Eles estavam buscando os sinais do Reino de Deus, quando ele já estava entre eles. O Senhor estava neste lugar, e eles sabiam que não. Assim, seus antepassados ​​incrédulos, quando milagres eram seu pão de cada dia, pediu, é o Senhor no meio nós, ou não é?

Para expor isso, ele observa a eles,

(1.) A sua perícia e sagacidade em outras coisas, particularmente em prognósticos naturais do clima "Você sabe que um céu vermelho durante a noite é um presságio de bom tempo, e um céu vermelho na manhã do mau tempo." Existem regras comuns derivados de observações e experiências, através do qual é fácil foretel muito provavelmente o tempo que será. Quando causas secundárias começaram a trabalhar, podemos facilmente adivinhar a sua emissão, de modo uniforme é a natureza em seus movimentos, e assim coerente consigo mesma. Nós não sabemos o equilíbrio das nuvens ( Jó 37:16 ), mas pode significar alguma coisa com os rostos deles. Isso não dá nenhuma rosto em tudo com as previsões selvagens e ridículas de astrólogos, gazers estrela, e os prognosticadores ( Isaías 47:13 ) relativas ao tempo, muito antes, com os quais as pessoas fracas e tolas são impostas temos a certeza, em geral, que a semente em tempo e colheita, frio e calor, verão e inverno, não cessarão. Mas, como com os elementos, até que, pelo tempo-óculos, ou de outra forma, nós percebemos os sinais imediatos e precursores da mudança de tempo, não é para nós saber, não, não que acerca dos tempos e estações. Baste, que deve ser o tempo agrada a Deus e aquilo que agrada a Deus, não deve desagradar nós.

(2.) A sottishness e estupidez nas preocupações de sua alma pode vós não conheceis os sinais dos tempos?

[1] "Você não vê que o Messias está vindo?" O cetro havia retirado de Judá, semanas de Daniel estavam apenas expirando, e eles ainda não considerados. O forjado milagres Cristo, ea reunião do povo para ele, eram indicações simples que o reino dos céus estava próximo, que este era o dia do seu castigo. Note-se, primeiro, há sinais dos tempos, pelo qual sábio e homens retos estão habilitados para fazer prognósticos morais, e até agora a compreender os movimentos e os métodos de Providence, a partir daí, tomar suas medidas, e para saber o que Israel devia fazer, como os homens de Issacar, como o médico de algum determinado sintomas encontra uma crise formado. em segundo lugar, há muitos que são hábeis o suficiente em outras coisas, e ainda não podem ou não vai discernir a dia de suas oportunidades, não estão cientes do vento quando é justo para eles, e assim deixou escapar a vendaval. Ver Jeremias 8: 7 ; Isaías 1: 3 . Em terceiro lugar, é uma grande hipocrisia, quando ligeiro os sinais de ordenação de Deus, para procurar por sinais de nossa própria prescrição.

[2] "Você não prevêem a sua própria ruína vindo para rejeitá-lo? Você não vai entreter o evangelho da paz, e você não pode evidentemente discernir que decide você puxa uma inevitável destruição sobre a vossa cabeça?" Nota: É a ruína de multidões, que eles não estão cientes de que vai ser o fim do seu Cristo recusando.

2. Ele se recusa a dar-lhes qualquer outro sinal ( Mateus 16: 4 ), como havia feito antes com as mesmas palavras, Mateus 16:39 . Aqueles que persistirem nas mesmas iniqüidades, deve esperar para se encontrar com as mesmas reprovações. Aqui, como lá, (1.) Ele os chama de uma geração adúltera , porque, enquanto eles próprios professo da verdadeira igreja e esposa de Deus, eles traiçoeiramente se apartou dele, e quebrou os convênios com ele. Os fariseus eram uma geração pura aos seus olhos, tendo o caminho da mulher adúltera, que acha que ela tem feito nada de mal, Provérbios 30:20 . (2.) Ele se recusa a satisfazer seu desejo. Cristo não será prescrito para o que pedimos, e não tem, porque pedis mal. (3) Ele se refere los para o sinal do profeta Jonas, que ainda deve ser-lhes dada a sua ressurreição dentre os mortos, e sua pregação por sua apóstolos aos gentios estes eram reservados para os últimos e maiores evidências de sua missão divina. Nota: Ainda que as fantasias dos homens orgulhosos não será humorada, mas a fé dos humildes serão suportados, e a incredulidade de que perecem deixou para sempre indesculpável, e toda a boca deve ser interrompido.

Esse discurso se interrompeu abruptamente , deixando-os e partiu. Cristo não tardará muito tempo com aqueles que o tentam, mas justamente retira daqueles que estão dispostos a discutir com ele. Deixou-los como irrecuperável Deixe-os em paz. Ele deixou-os a si mesmos, deixando-os na mão de seus próprios conselhos para que ele os entregou a desejos dos seus corações.

versículos 5-12
-Vos do fermento dos fariseus.
5 Quando os discípulos passaram para o outro lado, eles se esqueceram de levar pão. 6 E Jesus disse-lhes: Acautelai-vos e guardai-vos do fermento dos fariseus e dos saduceus. 7 E eles discorriam entre si, dizendo: É porque não trouxemos pão. 8 Que quando Jesus percebendo isso, disse-lhes: Homens de pouca fé, por que arrazoais entre vós, terdes trazido pão? 9 ainda não entendeis, nem vos lembrais dos cinco pães para os cinco mil, e de quantos cestos levantastes? 10 Nem dos sete pães para os quatro mil, e de quantos cestos levantastes? 11 Como é que vocês não entendem que eu disse que não respeito de pães, mas que vos do fermento dos fariseus e dos saduceus? 12 Então entenderam que não dissera deles não vos do fermento dos pães, mas da doutrina dos fariseus e dos saduceus.

Temos aqui o discurso de Cristo com seus discípulos a respeito do pão, em que, como em muitos outros discursos, ele lhes fala de coisas espirituais sob uma similitude, e eles não compreendem-lo de coisas carnais. A ocasião era, o seu esquecimento para victual seu navio, e levar junto com eles provisões para sua família, do outro lado da água normalmente levavam o pão junto com eles, porque eles eram, por vezes, em lugares desertos e quando eles não estavam , mas não quiseram ser burthensome. Mas agora eles esqueceram vamos esperar que fosse porque suas mentes e memórias foram preenchidos com coisas melhores. Note, os discípulos de Cristo são frequentemente, como não têm grande projeção para o mundo.

I. Aqui está a cautela Cristo deu a eles, para vos do fermento dos fariseus. Ele já tinha sido discorrendo com os fariseus e saduceus, e viu-los a ser homens de tal espírito, que era necessário para advertir seus discípulos a não tem nada a ver com eles. Discípulos estão em maior perigo de hipócritas contra aqueles que são abertamente vicioso que em pé sobre a guarda, mas contra fariseus, que são grandes pretendentes à devoção, e os saduceus, que pretendem uma busca livre e imparcial da verdade, eles geralmente ficam subterrâneo; e portanto, o cuidado é posta em dúvida, Acautelai-vos e guardai-vos.

Os princípios e práticas dos fariseus e dos saduceus corruptos são comparadas ao fermento que foram azedar, e inchaço, e se espalhando, como fermento que fermentado onde quer que eles vieram.

II. Seu erro relativo a este cuidado, Matthew 16: 7 . Eles pensaram que Cristo ora censurou-lhes a imprevidência e esquecimento, que eles eram tão ocupado atendendo a seu discurso com os fariseus, que , portanto, eles esqueceram suas preocupações particulares. Ou, porque não ter o pão de sua própria com eles, eles devem ser em dívida com seus amigos para o abastecimento, ele não tê-los para pedi-lo dos fariseus e dos saduceus, nem para receber de suas esmolas, porque ele iria semblante não tão longe -los ou, por medo, para que, sob o pretexto de alimentá-los, eles devem fazer-lhes um prejuízo. Ou, eles levou-o para uma advertência, para não estar familiarizado com os fariseus e saduceus, não comer com eles ( Provérbios 23: 6 ), enquanto que o perigo não estava em seu pão (o próprio Cristo comeu com eles, Lucas 7: 36,11: 37,14: 1 ), mas nos seus princípios.

III. O Cristo repreensão deu-lhes por isso.

1. Ele reprova sua desconfiança de sua capacidade e prontidão para fornecê-los neste estreito ( Mateus 16: 8 ) " Ó vós de pouca fé, por que sois de tal perplexidade porque estais não trouxemos pão, que vos pode importar nada mais, que vos acha que seu mestre é tão cheio de si que você, e aplicar cada coisa que ele diz a isso? " Ele não repreendem por sua pequena previsão, como eles esperavam que ele iria. Nota, Pais e mestres não deve estar zangado com o esquecimento de seus filhos e servos, mais do que é necessário fazê-los tomar mais atenção outra vez que estão todos aptos a serem esquecidos de nosso dever. Isto deve servir para desculpar uma falha, Peradventure que foi um descuido. Veja como é fácil Cristo perdoou descuido de seus discípulos, porém, foi em um ponto tal material como tomar pão e fazer o mesmo. Mas o que ele repreende-los para é a sua pouca fé.

(1.) Ele teria los a depender dele para abastecimento, se ela estivesse em um deserto, e para não inquietar-se com pensamentos ansiosos sobre ele. Nota, os discípulos de Cristo Apesar de ser trazido para quer e estreitos, através de seu próprio descuido e incogitancy, mas ele encoraja-os a confiar nele para alívio. Não devemos, portanto, usar isso como uma desculpa para a nossa falta de caridade para com aqueles que são realmente pobres, que eles deveriam ter importava seus próprios assuntos melhor, e então eles não teria sido em necessidade. Pode ser que sim, mas que não deve, portanto, ser deixado para morrer de fome quando eles estão em necessidade.

(2.) Ele está descontente com a sua solicitude nesta matéria. A fraqueza e shiftlessness de pessoas boas em seus assuntos mundanos é que, para que os homens são capazes de condená-los, mas não é como uma ofensa a Cristo como seu cuidado exagerado e ansiedade sobre essas coisas. Temos de nos esforçar para manter a média entre os extremos de negligência e cuidado, mas dos dois, o excesso de reflexão sobre o mundo pior torna-se discípulos de Cristo. " Ó vós, homens de pouca fé, por que vos inquieta por falta de pão?" Note-se, a desconfiar de Cristo, e para perturbar-nos quando estamos em apuros e dificuldades, é uma evidência da fraqueza da nossa fé, o qual, se fosse no exercício como deveria ser, que nos aliviar do fardo de cuidados, por lançando-o no Senhor, que cuida de nós.

(3.) O agravamento da sua desconfiança foi a experiência que eles tinham tão recentemente tinha do poder e bondade de Cristo em fornecer para eles, Mateus 16: 9,10 . Embora eles não tinham pão com eles, eles tinham-lo com eles, que poderia fornecer pão para eles. Se eles não tinha a cisterna, eles tiveram a Fonte. Não Não compreendeis ainda, nem vos lembrais? Note, os discípulos de Cristo são muitas vezes a ser responsabilizado pela superficialidade do seu entendimento, eo escorregamento de suas memórias. "Haveis esquecido essas instâncias repetidas de suprimentos misericordioso e milagrosas cinco mil alimentadas com cinco pães, e quatro mil com sete pães, e ainda assim eles tiveram o suficiente e de sobra? Lembre-se de quantas alcofas para cima. " Estas cestas foram destinados para memoriais, pelo qual para manter a misericórdia em memória, como o pote de maná que foi preservada na arca, Exodus 16:32 . Os fragmentos dessas refeições seria uma festa e agora ele que poderiam fornecê-los com tal overplus então, certamente poderia fornecer-lhes o que era necessário agora. Que a carne para os seus corpos se destinava a ser carne ou sua fé ( Salmo 74:14 ), o que, portanto, eles devem ter vivido em cima, agora que eles se esqueceram de levar pão. Nota: Estamos , portanto, perplexos com os cuidados presentes e desconfia, porque não devidamente lembrar nossas experiências anteriores de poder divino e bondade.

2. Ele reprova a sua incompreensão do cuidado que ele lhes deu ( Mateus 16:11 ) Como é que você não entende? Note, os discípulos de Cristo pode muito bem ter vergonha da lentidão e dulness de suas apreensões em coisas divinas, especialmente quando eles têm apreciado por muito tempo os meios de graça falei não vos sobre o pão. ele levou a mal, (1) que eles devem pensar nele como pensativo sobre o pão como eles foram ao passo que a sua carne e bebida foram fazer a vontade de seu Pai. (2 .) que eles devem ser tão pouco familiarizados com a sua forma de pregação, a ter que, literalmente, que ele falou por meio de uma parábola e, portanto, deve fazer-se como a multidão, que, quando Cristo falou-lhes em parábolas, vendo, não viu , e audição, não ouviu, Mateus 13:13 .

IV. A retificação do erro por esta repreensão ( Mateus 16:12 ) Então entenderam que o que ele queria dizer. Note-se, Cristo , portanto, nos mostra nossa loucura e fraqueza, para que possamos despertar-nos para levar as coisas certas. Ele não lhes disse expressamente que ele queria dizer, mas repetiu o que havia dito, que eles devem tomar cuidado com o fermento e assim obrigou-os, comparando isso com seus outros discursos, para chegar à sensação de que em seus próprios pensamentos. Assim, Cristo ensina pelo Espírito de sabedoria no coração, abrindo o entendimento para o Espírito de revelação na palavra. E essas verdades são mais precioso, o que temos, portanto, cavei, e descobri depois de alguns erros. Ainda que Cristo não lhes disse claramente, mas agora eles estavam cientes de que até o fermento dos fariseus e dos saduceus, ele quis dizer a sua doutrina e forma, que eram corruptos e cruéis, mas, como eles conseguiram-los, muito apto a insinuar-se para o mentes de homens como fermento, e comer como um cancro. Eles eram homens principais, e foram tinha em reputação, o que fez o perigo de infecção por seus erros, o maior. Em nossa época, podemos contar o ateísmo e deísmo a ser fermento dos saduceus, e popery ser o fermento dos fariseus, contra a qual diz respeito a todos os cristãos a estar sobre a guarda.

versículos 13-20
Conferência de Cristo com seus discípulos.
13 Quando Jesus foi para os confins da CAE Sarea Filipe, perguntou aos seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem? 14 E eles disseram: Alguns dizem que és João Batista; outros, Elias e outros, Jeremias ou um dos profetas. 15 Ele lhes disse: Mas vós, quem dizeis que eu sou? 16 E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. 17 E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és, Simão Barjonas, a carne eo sangue não revelou que a ti, mas meu Pai que está nos céus. 18 E eu também te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. 19 E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que tu desligares na terra será desligado no céu. 20 Então ordenou aos discípulos que a ninguém dissessem que ele era Jesus o Cristo.

Temos aqui uma conferência privada que Cristo tinha com seus discípulos a respeito dele. Foi nas costas de Cesaréia de Filipe, os limites extremos da terra de Canaã norte ali naquele canto remoto, talvez, havia menos flocking depois dele do que em outros lugares, que lhe deu lazer para esta conversa privada com seus discípulos. Nota: Quando os ministros estão abreviada no seu trabalho público, eles devem se esforçar para fazer o mais em suas próprias famílias.

Cristo está aqui catequizar os seus discípulos.

I. Ele pergunta o que as opiniões dos outros foram-lhe acerca Quem dizem os homens que Eu, o Filho do Homem?

1. Ele chama-se o Filho do homem que pode ser tomada: (1) como um título comum para ele com os outros. Ele foi chamado, e justamente, o Filho de Deus, para que ele era ( Lucas 1:35 ), mas ele chamou a si mesmo o Filho do homem porque ele é realmente e verdadeiramente "O homem, nascido de mulher." Nos tribunais de honra, é uma regra para distinguir os homens por seus mais altos títulos, mas Cristo, tendo agora esvaziou-se, embora ele era o Filho de Deus, será conhecido pelo estilo e título do Filho do homem. Ezequiel foi muitas vezes chamado para mantê -lo humilde Cristo chamou-se assim, para mostrar que ele era humilde. Ou, (2) como um título peculiar a ele como mediador. Ele é dado a conhecer, na visão de Daniel, como o Filho do homem, Daniel 7:13 . Eu sou o Messias, que o Filho do homem que foi prometido. Mas,

2. Ele pergunta que sentimentos das pessoas foram a respeito dele: " Quem dizem os homens que eu sou o Filho do homem? " (Então eu acho que seria melhor ser lido). "Será que eles me possui para o Messias?" Ele não pergunta: "Quem faz os escribas e fariseus dizem que eu sou?" Eles foram prejudicados contra ele, e disse que ele era um enganador e em aliança com Satanás, mas, "Quem os homens dizem que eu sou?" Ele se referiu às pessoas comuns, a quem os fariseus desprezavam. Cristo fez esta pergunta, não como um que não sabia porque, se ele sabe o que os homens pensam, muito mais o que dizer nem como uma desejosos de ouvir seus próprios elogios, mas para fazer os discípulos solícito a respeito do sucesso de sua pregação, mostrando que ele próprio era assim. As pessoas comuns conversou mais familiarmente com os discípulos do que eles fizeram com o seu Mestre, e, portanto, a partir deles, ele pode conhecer melhor o que eles disseram. Cristo não tinha dito claramente quem ele era, mas deixou as pessoas para inferir-lo de suas obras, João 10: 24,25 . Agora, ele saberia o que inferências o povo tirou do deles, e dos milagres que os seus apóstolos forjado em seu nome.

3. Para esta pergunta os discípulos tê-lo uma resposta ( Mateus 16:14 ), Alguns dizem que tu és João Batista, & c. Havia alguns que disse, ele era o Filho de Davi ( Mateus 12:23 ), ea grande Profeta, João 6:14 . Os discípulos, porém, não mencionam que a opinião, mas apenas essas opiniões como foram longe da verdade, que se reuniram a partir de seus compatriotas. Observar,

(1.) Eles são opiniões diferentes alguns dizem uma coisa e outros outra. A verdade é uma mas aqueles que variam de que geralmente variam uma da outra. Assim Cristo veio finalmente para enviar divisão, Lucas 00:51 . Sendo assim notou uma pessoa, cada um estaria pronto para passar o seu veredicto sobre ele, e, "Muitos homens, muitas mentes" aqueles que não estavam dispostos a possuí-lo para ser o Cristo, apareceu em labirintos infinitos, e seguiu a perseguição de cada palpite incerto e hipótese selvagem.

(2.) Eles são opiniões honrosas, e evidenciar o respeito que tinha por ele, de acordo com o melhor de seu julgamento. Estes não eram os sentimentos de seus inimigos, mas os pensamentos sóbrios daqueles que o seguiam com amor e admiração. Nota: É possível que os homens a ter bons pensamentos de Cristo, e ainda aqueles não é certo, uma boa opinião dele, e ainda não é alta o suficiente.

(3.) Todos eles supõem que ele seja ressuscitado dentre os mortos , que, talvez, surgiu a partir de uma noção confusa que eles tinham da ressurreição do Messias, antes de sua pregação pública, a partir de Jonas. Ou suas noções surgiu a partir de um valor excessivo para a antiguidade como se não fosse possível para um homem excelente a ser produzido em sua própria idade, mas ele deve ser um dos antigos voltou à vida novamente.

(4.) Eles são todos falsos opiniões, construída em cima dos erros e erros intencionais. doutrinas e milagres bespoke dele de Cristo para ser uma pessoa extraordinária, mas por causa da maldade de sua aparência, tão diferente do que eles esperavam, eles não possuí-lo para ser o Messias, mas irá conceder-lhe para ser qualquer coisa, em vez do que isso.

[1] Alguns dizem que tu és João Batista. Herodes disse isso ( Mateus 14: 2 ), e aqueles sobre ele estaria apto a dizer como ele disse. Esta noção pode ser reforçada por um parecer que eles tinham, que aqueles que morreram como mártires, deve subir novamente antes de outros que alguns pensam o segundo dos sete filhos refere-se, em sua resposta a Antíoco, 2Macc. vii. 9 , O Rei do mundo deve nos levantará, que morreram por suas leis, para a vida eterna.

[2] Alguns Elias tomando ocasião, sem dúvida, a partir da profecia de Malaquias ( Mateus 4: 5 ), . Eis que eu vos enviarei Elias E o melhor, porque Elias (como Cristo) fez muitos milagres, e era ele mesmo, em sua tradução, o maior milagre de todos.

[3] Outros Jeremias: amarram sobre ele, seja porque ele era o profeta chorão, e Cristo foi muitas vezes em lágrimas ou porque Deus tinha o pôs sobre os reinos e nações ( Jeremias 01:10 ), o que eles achavam acordados com a sua noção do Messias.

[4] Ou, um dos profetas. Isso mostra o que uma honrosa ideia que entretido dos profetas e ainda assim eles eram os filhos dos que perseguiram e os matou, Mateus 23:29 . Ao invés de eles iriam permitir que Jesus de Nazaré, uma das seu próprio país, para ser uma pessoa tão extraordinária como suas obras revelavam que ele seja, eles diriam: "Não foi ele, mas um dos antigos profetas. "

II. Ele pergunta o que seus pensamentos estavam a respeito dele " Mas quem dizeis que eu sou? Mateus 16:15 . Ye me dizer o que as outras pessoas dizem de mim vocês não podem dizer melhor?" 1. Os discípulos tinham se sido melhor ensinou que outros tiveram, pela sua intimidade com Cristo, maiores vantagens de ter conhecimento do que outros tiveram. Note, Espera-se justamente que aqueles que gozam de maior abundância dos meios de conhecimento e graça do que outros, deve ter um conhecimento mais clara e distinta das coisas de Deus do que outros. Aqueles que têm mais familiaridade com Cristo do que os outros, deve ter sentimentos mais verdadeiros que lhe dizem respeito, e ser capaz de dar uma explicação melhor sobre ele do que outros. 2. Os discípulos foram treinados para ensinar os outros, e, portanto, ele foi altamente exige que eles devem entender a verdade a si mesmos: "Vós, que devem pregar o evangelho do reino, quais são suas noções de ele que você enviou" Nota, os ministros devem ser examinados antes de serem enviados, especialmente o que seus sentimentos são de Cristo, e que dizem que ele é para como eles podem ser de propriedade como ministros de Cristo, que são ignorantes ou errada a respeito de Cristo? Esta é uma questão que deve cada um de nós ser frequentemente colocando a nós mesmos, " Quem é que vamos dizer, que tipo de um que dizemos, que o Senhor Jesus é? Ele é precioso para nós? Ele está em nossos olhos, o chefe de dez mil? ele é o amado de nossas almas? " É bem ou mal com nós, assim como nossos pensamentos estão certas ou erradas a respeito de Jesus Cristo.

Bem, esta é a questão agora vamos observar,

(1.) A resposta de Pedro a esta pergunta, Mateus 16:16 . Para o ex questão relativa aos opinião Outros tiveram de Cristo, vários dos discípulos responderam, de acordo como eles tinham ouvido as pessoas falar, mas a esta Pedro responde, em nome de todo o resto, todos eles consentindo a ele, e concordando com ele. O temperamento de Pedro o levou a ser a frente em falar sobre todas essas ocasiões, e às vezes ele falou bem, às vezes mal em todas as empresas não são encontrados alguns homens quentes e ousadas, a quem um precedency de expressão cai naturalmente Peter era um tal: ainda encontramos outro dos apóstolos, por vezes, falando como a boca do resto como João ( Marcos 9:38 ), Thomas, Philip, e Jude, John 14: 5,8,22 . Assim que este está longe de ser uma prova de tal primazia e superioridade de Peter acima do resto dos apóstolos, como a igreja de Roma atribui a ele. Eles vão necessidades avançá-lo para ser um juiz, quando o máximo que eles podem fazer com ele, é que ele era, mas primeiro jurado, a falar para o resto, e que só pro hâ c vice-- por isso uma vez e não o ditador perpétuo ou alto-falante da casa, apenas a presidente nessa ocasião.

A resposta de Pedro é curto, mas é completo, e verdade, e com a finalidade Tu és o Cristo, o Filho do Deus Vivo. Aqui é uma confissão da fé cristã, dirigida a Cristo, e assim fez um ato de devoção. Aqui é uma confissão do verdadeiro Deus como o Deus vivo, em oposição aos ídolos mudos e mortos, e de Jesus Cristo, a quem Ele enviou, quem conhecer é vida eterna. Esta é a conclusão de toda a questão.

[1] As pessoas o chamavam de um Profeta, que o Profeta ( João 6:14 ), mas os discípulos possui ser ele o Cristo, o Ungido do grande Profeta, Sacerdote e Rei da igreja o verdadeiro Messias prometido aos pais e dependia por eles como que há de vir. foi uma grande coisa para acreditar que isso relativa a um cuja aparência era tão contrário à idéia geral, os judeus tinham do Messias.

[2] Chamou-se o Filho do Homem , mas que possuíam ele ser o Filho do Deus vivo. As pessoas noção dele era, que ele era o fantasma de um homem morto, Elias ou Jeremias, mas eles sabem e acreditam ele ser o Filho do Deus vivo, que tem vida em si mesmo, e deu a seu Filho ter a vida em si mesmo, e ser a vida do mundo. Se ele é o Filho de Deus vivo, que é de da mesma natureza com ele, e apesar de sua natureza divina foi agora velada com a nuvem de carne, ainda havia aqueles que olhavam através dele, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai, cheio de graça e verdade. Agora, com uma certeza de fé pode se inscrever para esta confissão? Vamos, então, com um fervor de carinho e adoração, ir a Cristo, e dizer-lhe por isso Senhor Jesus, tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.

(2.) aprovação da sua resposta (de Cristo Mateus 16: 17-19 ), em que Peter é respondida, tanto como crente e como apóstolo.

[1] Como um crente, Mateus 16:17 . Cristo mostra-se satisfeito com a confissão de Pedro, que era tão clara e expressa, sem ifs ou ands, como dizemos. Nota, a proficiência dos discípulos de Cristo em conhecimento e graça é muito aceitável para ele e Cristo mostra-lhe onde ele recebeu o conhecimento dessa verdade. Na primeira descoberta desta verdade no raiar do dia evangelho, era uma coisa poderosa para acreditar que nem todos os homens tinham esse conhecimento, não tinha essa fé. Mas,

Primeiro, Peter teve a felicidade dela . Bendito és tu, Simão Barjonas Ele lembra de sua ascensão e original, a mesquinhez de sua filiação, a obscuridade da sua extracção era Bar-jonas - O filho de uma pomba de modo alguns. Que ele se lembre da rocha do qual ele foi cortada, para que ele possa ver que ele não nasceu para esta dignidade, mas preferiu pelo favor divino era livre graça que o fez para diferir. Aqueles que receberam o Espírito deve se lembrar que é seu Pai, 1 Samuel 10:12 . Depois lembrou-lhe isso, ele o faz consciente de sua grande felicidade como um crente Bendita és tu. Note-se, os crentes verdadeiros são verdadeiramente abençoada, e aqueles são realmente abençoados quem Cristo pronuncia abençoou seu dizendo que eles são assim, que os torna tão. "Pedro, tu és um homem feliz, que, assim, sabes o som festivo, " Salmo 89:15 . Bem-aventurados os vossos olhos, Mateus 13:16 . Toda a felicidade atende o conhecimento certo de Cristo.

Em segundo lugar, Deus deve ter a glória de que " a carne eo sangue não revelaram-o para ti. Tu esta nem pela invenção da tua própria inteligência e razão, nem pela instrução e informação dos outros esta luz surgiu nem da natureza nem da educação, mas de meu Pai que está nos céus. " Nota: 1. A religião cristã é uma religião revelada, tem a sua origem no céu é uma religião de cima, dada por inspiração de Deus, não a aprendizagem de filósofos, nem a política de estadistas. 2. Saving fé é o dom de Deus, e, onde quer que seja, é forjado por ele, como o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, por causa dele, e sobre a pontuação da sua mediação, Filipenses 1:29 . Portanto tu és abençoado, porque meu Pai revelou-o para ti. Note, a revelação de Cristo para nós e em nós é um sinal distintivo da boa vontade de Deus, e um firme fundamento da verdadeira felicidade e abençoou são que são, portanto, altamente favorecida.

Talvez Cristo discernido algo de orgulho e vanglória na confissão de Pedro um pecado sutil, e que está apto a misturar-se em si mesmo com nossas boas funções. É difícil para os homens de bem a se comparar com os outros, e não ter muito grande um conceito de si mesmos para evitar que, devemos considerar que a nossa preferência a outros não é uma realização da nossa própria, mas o dom gratuito da graça de Deus também nos , e não para os outros, para que não temos nada para se vangloriar de, Salmos 115: 1, 1 Coríntios 4: 7 .

[2] Cristo responde a ele como um apóstolo ou ministro, Mateus 16: 18,19 . Peter, em nome da igreja, havia confessado a Cristo, e para ele, portanto, a promessa destinado para a igreja é dirigida. Nota: Não há nada perdido por estar frente a confessar Cristo para aqueles que o honram, ele honrará.

Após a ocasião deste grande confissão feita de Cristo, que é homenagem e fidelidade da igreja, ele assinado e publicado este real, esta carta divina, pelo qual este corpo político está incorporado. Essa é a comunhão entre Cristo ea Igreja, o noivo eo cônjuge. Deus tinha uma igreja no mundo desde o início, e foi construído sobre a rocha da Semente prometida, Gênesis 3:15 . Mas agora, que prometia Semente, tendo vindo, era bastante que a igreja deve ter uma nova carta, como cristãos, e de pé em relação a um Cristo já veio. Agora aqui nós temos que charter e mil compadece-lo é que essa palavra, que é o grande apoio do reino de Cristo, deve ser arrancada e posta a serviço do anticristo. Mas o diabo tem empregado sua sutileza para perverter-lo, como ele fez essa promessa, Salmo 91:11 , que ele perverteu o seu próprio propósito, Mateus 4: 6 , e talvez tanto que a escritura e isso ele assim pervertida porque estava em seu caminho, e, portanto, ele lhes devia a despeito.

Agora o teor desta carta é,

Em primeiro lugar, para estabelecer a estar da igreja Eu também te digo. É Cristo que faz a concessão, ele que é o Cabeça da Igreja, e Régua, a quem todo o julgamento está comprometido, e de quem todo o poder é derivado aquele que faz -lo em conformidade com a autoridade recebida do Pai, e sua empresa para a salvação dos eleitos. A concessão é colocado na mão de Peter "Eu digo-o para ti. " As promessas do Antigo Testamento relativas à igreja foram dadas imediatamente a pessoas particulares, eminente para a fé e santidade, como a Abraão e David, que ainda não deram qualquer supremacia para eles, muito menos a qualquer dos seus sucessores para que o charter Novo Testamento está aqui entregue a Pedro como um agente, mas ao uso e behoof da igreja em todas as idades, de acordo com os propósitos nele especificados e contido. Agora ele está aqui prometido,

1. Que Cristo iria construir sua igreja sobre a rocha. Este corpo político está incorporado pelo estilo e título da igreja de Cristo. É um número o dos filhos dos homens chamados para fora do mundo, e para além de definir isso, e dedicada a Cristo. Não é a tua igreja, mas meu. Pedro lembrou-se disso, quando ele advertiu os ministros não senhor sobre a herança de Deus. A igreja é de Cristo peculiar, apropriado para ele. O mundo é de Deus, e aqueles que nele habitam, mas a igreja é um remanescente escolhido, que se destaca em relação a Deus por meio de Cristo como Mediador. Ele carrega-imagem e inscrição.

(1.) O Artífice e Construtor da igreja é o próprio Cristo . Eu construí-lo A igreja é um templo que Cristo é o Construtor de, Zacarias 6: 11-13 . Nisto Salomão era um tipo de Cristo, e Cyrus, Isaías 44:28 . Os materiais e mão de obra são dele. Pela operação do seu Espírito com a pregação de sua palavra, ele acrescenta as almas à sua igreja, e assim constrói-se com pedras vivas, 1 Pedro 2: 5 . Vós sois edifício de Deus e edifício é uma obra progressiva da igreja neste mundo é mas in fieri - na formação, como uma casa no edifício. É um conforto para todos aqueles que desejam o bem para a igreja, que Cristo, que tem sabedoria e poder divino, compromete-se a construí-lo.

(2.) A base sobre a qual está construído é, este Rock. Deixe o arquiteto fazer a sua parte sempre tão bem, se a fundação estar podre, o edifício não vai ficar Vamos, portanto, ver o que a fundação é, e deve ser significava de Cristo, por outro fundamento, ninguém pode pôr. Ver Isaías 28:16 .

[1] A igreja é construída em cima de uma rocha firme e forte, ea fundação duradoura, que o tempo não vai perder, nem vai afundar sob o peso do edifício. Cristo não iria construir a sua casa sobre a areia, pois sabia que tempestades surgiria. Uma rocha é alta, Salmo 61: 2 . A igreja de Cristo não estar sobre um nível com este mundo uma rocha é grande, e se estende muito, o mesmo acontece com a fundação da igreja e mais grande, o mais firme aqueles que não são amigos da igreja que estreitam sua fundação.

[2] Ele é construído sobre esta rocha tu és Pedro, o que significa uma pedra ou rocha Cristo lhe deu esse nome quando ele chamou-o ( João 1:42 ), e aqui ele confirma que "Pedro, tu responder teu nome , tu és um sólido, discípulo substancial, fixo e fiquei, e que há algum porão de. Peter é o teu nome, e força e estabilidade estão contigo. tu és não abalada com as ondas de opiniões flutuantes dos homens acerca de mim, mas estabelecidos na presente verdade, " 2 Pedro 1:12 . A partir da menção deste nome significativo, ocasião é tomado para esta metáfora da construção sobre uma rocha.

Em primeiro lugar, algumas por esta pedra entender Peter si mesmo como um apóstolo, o chefe, embora não o príncipe, dos doze, mais velho entre eles, mas não superior sobre eles. A igreja é construída sobre o fundamento dos apóstolos, Efésios 2:20 . As primeiras pedras do edifício foram estabelecidas dentro e por seu ministério, portanto, seus nomes são disse a ser escrito nas fundações da nova Jerusalém, Apocalipse 21:14 . Agora Peter sendo que apóstolo por cujas mãos as primeiras pedras da igreja foram estabelecidas, tanto em judeus convertidos ( Atos 2: 1-47 ), e no gentios convertidos ( Atos 10: 1-48 ), ele poderia, em algum sentido ser . diz-se que a rocha sobre a qual foi construída Cephas foi um que parecia ser um pilar, Gálatas 2: 9 . Mas soa muito dura, para chamar um homem que só coloca a primeira pedra de um edifício, que é um ato transitório, a base sobre a qual está construído, que é uma coisa permanente. No entanto, se assim fosse, isso não serviria para apoiar as pretensões do Bispo de Roma para Peter não tinha essa liderança como ele alega, muito menos que ele poderia derivar-lo para seus sucessores, muito menos para os Bispos de Roma, que, se eles são tão no lugar ou não, é uma questão, mas que eles não são tão na verdade do cristianismo, é passado de qualquer questão.

Em segundo lugar, Outros, por esta rocha, compreender Cristo "Tu és Pedro, tu tens o nome de uma pedra, mas sobre esta pedra, apontando para si mesmo, eu edificarei a minha igreja. " Talvez ele colocou a mão sobre o peito, como quando ele disse: Destruam este templo ( João 2:19 ), quando ele falava do templo do seu corpo. Então ele teve a oportunidade do templo, onde ele estava, por assim dizer de si mesmo, e deu ocasião para alguns entender mal-lo de que isso aqui ele teve a oportunidade de Peter, para falar de si mesmo como o rock, e deu ocasião para alguns entender mal-lo de Pedro. Mas isso deve ser explicado por essas muitas escrituras que falam de Cristo como o único fundamento da Igreja veja 1 Coríntios 3:11, 1 Pedro 2: 6 . Cristo é tanto o seu fundador e de sua Fundação que ele chama almas, e atrai-los para si mesmo a ele estão unidos, e sobre ele que descansar e ter uma dependência constante.

Em terceiro lugar, outro por esta rocha entender essa confissão que Pedro fez de Cristo, e isso vem toda para um com entendê-lo do próprio Cristo. Foi uma boa confissão que Pedro testemunhou, Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo o resto concordou com ele dentro. "Agora", diz Cristo, "esta é a grande verdade sobre a qual edificarei a minha igreja. " 1. Tire essa verdade em si, ea igreja universal cai no chão. Se Cristo não ser o Filho de Deus, o cristianismo é uma fraude, e a igreja é uma mera quimera nossa pregação é vã, a vossa fé é vã, e você está ainda em seus pecados, 1 Coríntios 15: 14-17 . Se Jesus não é o Cristo, aquelas que ele próprio não são da igreja, mas enganadores e enganados. 2. Tire a fé e confissão desta verdade de qualquer igreja em particular, e ela deixa de ser uma parte da igreja de Cristo, e recaídas para o estado e caráter de infidelidade. Este é articulus stantis et cadentis ecclesia - mesmo artigo, com a admissão ou a negação de que a igreja quer sobe ou desce "o principal dobradiça em que a porta da salvação transforma" aqueles que deixar ir isso, não segure a fundação e embora eles podem chamar-se cristãos, eles dão-se a mentira para a igreja é uma sociedade sagrada, incorporados em cima da certeza e segurança desta grande verdade e ele é grande, e tem prevalecido.

2. Cristo aqui promete preservar e garantir a sua igreja, quando é construído As portas do inferno não prevalecerão contra ela nem contra esta verdade, nem contra a igreja que é construído em cima dele.

(1) Isto implica que a igreja tem inimigos que lutam contra ela, e se esforçam sua derrubada ruína, aqui representado por as portas do inferno, ou seja, a cidade do inferno (que fica em frente a esta cidade celestial, esta cidade de o Deus vivo ), o interesse do diabo entre os filhos dos homens. As portas do inferno são os poderes e as políticas do reino do diabo, cabeça e chifres do dragão, pelo qual ele faz guerra com o Cordeiro tudo o que sai do inferno-portas, como sendo chocado e artificial lá. Estes lutar contra a igreja, opondo-se as verdades do evangelho, corrompendo as ordenanças do evangelho, perseguindo bons ministros e bons cristãos desenho ou de condução, persuadir por ofício ou forçar pela crueldade, ao que é incompatível com a pureza da religião este é o design das portas de inferno, para erradicar o nome do cristianismo ( Salmo 83: 4 ), para devorar o filho varão ( Apocalipse 12: 9 ), para destruir esta cidade para o chão.

(2.) Isso nos assegura que os inimigos da igreja não deve ganhar seu ponto. Enquanto o mundo está, Cristo terá uma igreja nele, em que suas verdades e ordenanças devem ser propriedade e manteve-se, apesar de toda a oposição dos poderes das trevas não prevalecerão contra ela, Salmo 129: 1,2 . Isto dá nenhuma segurança a qualquer igreja particular, ou igreja-governadores que eles nunca devem errar nunca apostatar ou seja destruído, mas que em algum lugar ou outro a religião cristã tem um ser, embora nem sempre no mesmo grau de pureza e esplendor, contudo de modo que o vínculo de nunca será completamente cortada. A mulher vive, embora em um deserto ( Apocalipse 00:14 ), abatida mas não destruídos ( 2 Coríntios 4: 9 ). Corrupções de luto, perseguições grave, mas nem fatal. A igreja pode ser frustrado em encontros particulares, mas na batalha principal deve sair mais do que vencedor. Crentes particulares são guardados pelo poder de Deus, mediante a fé, para a salvação, 1 Peter 1: 5 .

Em segundo lugar, A outra parte desta carta é, para liquidar a ordem e governo da igreja, Mateus 16:19 . Quando uma cidade ou sociedade é incorporada, os oficiais são nomeados e poderes para agir para o bem comum. Uma cidade sem governo é um caos. Agora, este constituinte do governo da igreja, é aqui expressa pela entrega das chaves, e, com eles, um poder de ligar e desligar. Isso não deve ser entendido de qualquer poder peculiar que Pedro foi investido, como se ele fosse único porteiro do reino dos céus, e tinha a chave de Davi, que pertence somente ao Filho de nenhum David, este investe todo o apóstolos e seus sucessores, com uma potência ministerial para guiar e governar a igreja de Cristo, tal como existe em particular congregações ou igrejas, de acordo com as regras do evangelho. Claves regni CAE Lorum em B. Petro apostolo cuncti suscepimus Sacerdotes - Todos nós que são sacerdotes, recebeu, na pessoa do bendito apóstolo Pedro, as chaves do reino dos céus tão Ambrose de Dignit. Sacerd. Somente as chaves foram primeiro colocado na mão de Peter, porque ele foi o primeiro que abriu a porta da fé aos gentios, Atos 10:28 . Como o rei, dando uma carta para uma corporação, capacita os magistrados para realizar cortes em seu nome, para tentar questões de fato e determinar nele de acordo com a lei, confirmando o que é tão feito regularmente, como se feito em qualquer um dos tribunais superiores assim também Cristo, tendo incorporado a sua igreja, tem determinado o escritório do ministério para o mantendo-se de ordem e do governo, e ver que suas leis sejam devidamente servido eu te darei as chaves. Ele não vos dizer: "Eu tenho dado a eles ", ou" eu faço agora ", mas" I vai fazê-lo ", ou seja depois da sua ressurreição , quando ele subiu às alturas, ele deu esses dons, Efésios 4: 8 , em seguida, este poder foi realmente dado, não a Pedro apenas, mas a todos o resto, Mateus 28: 19-20 ; João 20:21 . Ele não vos dizer, as chaves devem ser dadas, mas, vou dar -lhes para os ministros derivam sua autoridade de Cristo, e todo o seu poder é para ser usado em seu nome, 1 Coríntios 5: 4 .

Agora, 1. O poder aqui delegado é um poder espiritual que é um poder pertencente ao reino dos céus, isto é, para a igreja, que parte dela que é militante aqui na terra, para a dispensação do evangelho que é sobre o que o poder apostolical e ministerial é totalmente familiarizados. Não é qualquer poder civil, secular que fica transmitida, de Cristo reino não é deste mundo as suas instruções depois se nas coisas concernentes ao reino de Deus, Atos 1: 3 .

2. É o poder das chaves que é dado, em alusão ao costume de investir homens com autoridade em tal lugar, entregando-lhes as chaves do lugar. Ou como o dono da casa dá as chaves para o mordomo, as chaves das lojas onde as disposições são mantidos, para que ele possa dar a cada um na casa sua porção de alimento no devido tempo ( Lucas 12:42 ), e negar que haja ocasião, de acordo com as regras da família. Ministros são mordomos, 1 Coríntios 4: 1 ; Titus 1: 7 . Eliaquim, que tinha a chave da casa de David, tinha cargo da casa, Isaías 22:22 .

3. É um poder de ligar e desligar, que é (seguindo a metáfora das chaves), para fechar e aberto. Joseph, que era o senhor da casa de Faraó, e steward das lojas, tinha o poder de vincular os seus príncipes, e ensinar sua sabedoria senadores, Salmo 105: 21,22 . Quando as lojas e tesouros da casa estão fechadas a partir de qualquer, eles são obrigados, interdico aqu tibi & Acric et igne - Proíbo-te o uso do fogo e da água quando eles são abertos a eles novamente, eles são soltos a partir desse vínculo, são descarregado a partir da censura, e restaurado para sua liberdade.

4. É um poder que Cristo prometeu a possuir a administração devida de que ele vai ratificar as sentenças de seus administradores com a sua própria aprovação Ele será ligado no céu, e desligado no céu: não pois que Cristo ora obrigados a si mesmo para confirmar tudo igreja-censuras, certas ou erradas, mas tais como estão devidamente aprovada de acordo com a palavra, clave não errante - a chave girar da maneira correta, tais são selados no céu isto é, a palavra do evangelho, na boca dos fiéis ministros , deve ser encarado, não como palavra de homem, mas como a palavra de Deus, e para ser recebida em conformidade, 1 Tessalonicenses 2:13 .Joh 02:13. 12:20 .

Agora as chaves do reino dos céus são,

(1.) A chave da doutrina, chamado a chave do conhecimento. "A sua empresa será o de explicar ao mundo a vontade de Deus, tanto quanto à verdade e do dever e para isso você deve ter suas comissões, credenciais e instruções completas para ligar e desligar: "estes, no discurso comum dos judeus, naquele tempo, significava para proibir e permitir ensinar ou declarar uma coisa a ser ilegal era ligar para ser lícito, era . solta Agora os apóstolos tinham um extraordinário poder deste tipo algumas coisas proibidas pela lei de Moisés estavam agora a ser permitido, como a ingestão de carnes tais e tais coisas permitidos havia agora a ser proibido, como o divórcio e os apóstolos foram habilitada a declarar isso para o mundo , e os homens podem levá-la a suas palavras. Quando Pedro foi aprendeu sozinho em primeiro lugar, e depois ensinou outros, para chamar nada comum ou imundo, esse poder foi exercido. Há também um poder ordinário ora transmitida a todos os ministros, para pregar o evangelho como oficiais designados para dizer às pessoas, em nome de Deus, e de acordo com as escrituras, o que é bom, eo que o Senhor exige deles: e os que declaram a todo o conselho de Deus, usar essas teclas bem, Atos 20:27 .

Alguns fazem a entrega das chaves para aludir ao costume dos judeus na criação de um doutor da lei, que foi colocar na sua mão as chaves do peito, onde o livro da lei foi mantido, denotando seu ser autorizada a tomar e lê-lo e a ligar e desligar, para aludir à forma sobre seus livros, que eram em rolos que fechá-los, ligando-os com uma corda, que desatou quando a abri-los. Cristo dá o seu poder apóstolos para fechar ou abrir o livro do evangelho às pessoas, conforme o caso necessário. Veja o exercício deste poder, Atos 13: 46,18: 6 . Quando os ministros pregam perdão e paz ao penitente, a ira ea maldição para os impenitentes, em nome de Cristo, eles agem em seguida, nos termos do presente autoridade de ligar e desligar.

(2.) A chave da disciplina, que não é senão a aplicação da primeira para pessoas em particular, sobre uma estimativa direito de seus personagens e ações. Não é o poder legislativo, que fica conferida, mas judicial, o juiz Acaso não faz a lei, mas apenas declara o que é lei, e mediante um inquérito imparcial sobre o mérito da causa, dá pena em conformidade. Tal é o poder das chaves, sempre que é apresentado, com referência à igreja-membros e os privilégios. [1] ministros de Cristo tem um poder de admitir na igreja " Ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando- os que professam a fé em Cristo e obediência a ele, admiti-los e seus membros semente da igreja pelo batismo." Ministros estão a deixar-se para a festa de casamento aqueles que são convidados e para impedir a entrada, como são aparentemente impróprios para tão santa comunhão. [2] Eles têm um poder de expulsar e expulsou como perderam suas igrejas-membro, que é obrigatória se recusar a incrédulos a aplicação das promessas do evangelho e os selos deles e declarando que, como parece ser em fel de amargura e laço de iniqüidade, que eles não têm parte ou muito no assunto, como Pedro fez com Simão, o Mago, embora tivesse sido batizado e esta é uma ligação para o julgamento de Deus. [3] Eles têm um poder de restaurar e receber de novo, mediante o seu arrependimento, como tinha sido jogado para fora para perder aqueles a quem tinha ligado declarando a eles que, se o seu arrependimento seja sincero, a promessa de perdão pertence para eles. Os apóstolos tinham um dom miraculoso de discernir espíritos mas mesmo que eles passaram o Estado de aparências externas (como 1 Cor. V. 1 2Cor. Ii. 7 1Tim. I. 20), que os ministros ainda pode fazer um julgamento sobre, se forem mais forte e fiel.

Por último, aqui é a carga que Cristo deu a seus discípulos, para manter este particular para o presente ( Mateus 16:20 ) Eles devem a ninguém dissessem que ele era Jesus o Cristo. O que eles tinham professado ele, não deve ainda publicar do mundo, por várias razões 1. Porque este foi o tempo de preparação para o seu reino: a grande coisa agora pregado, era que o reino dos céus estava próximo e, portanto, essas coisas já estavam a ser insistiu em que fosse adequada para abrir caminho para Cristo como a doutrina do arrependimento não esta grande verdade, e com o qual o reino dos céus era para ser realmente criar. Cada coisa é bela em sua estação, e é um bom conselho, Prepare a tua obra, e, posteriormente, construir, Provérbios 24:27 . 2. Cristo teria sua messianidade provado por suas obras, e que preferia que eles devem testemunhar dele do que seus discípulos deveriam, porque o seu testemunho era, mas como a sua própria, que ele não insistiu em. Veja João 5: 31,34 . Ele estava tão seguro da manifestação de seus milagres, que ele renunciou outras testemunhas, João 10: 25,38 . 3. Se eles soubessem que ele era Jesus o Cristo, não teriam crucificado o Senhor da glória, 1 Coríntios 2: 8 . 4. Cristo não teria os apóstolos pregar isso, até que teve a evidência mais convincente pronto para alegam na confirmação da mesma. Grandes verdades podem sofrer danos ao ser afirmado antes que eles possam ser suficientemente provada. Agora, a grande prova de que Jesus é o Cristo era a sua ressurreição: por que ele foi declarado ser o Filho de Deus, com poder e, portanto, a sabedoria divina não teria essa verdade pregada, até que pudesse ser alegado para a prova disso. 5. Era necessário que os pregadores de tão grande verdade deve ser feita com maiores medidas do Espírito que os apóstolos ainda tinha, portanto, a afirmar aberta do que foi suspensa até que o Espírito deve ser derramado sobre eles. Mas quando Cristo foi glorificado e do Espírito derramado, encontramos Pedro proclamando em cima dos telhados o que foi aqui falado em um canto ( Atos 02:36 ), que Deus fez este mesmo Jesus Senhor e Cristo , pois, como existe tempo de guardar silêncio, para que haja um tempo para falar.
(notas coment. B. Matthew Henrys.)